17 thoughts on “Explicando só 4 comentários na madraça quando o tema é Sócrates”

  1. Ora ai está!O Tavares plebeu de Portalegre e pai extremado de criancinhas que, quando chega a casa lhe pedem pão pai, pão, lá vai de de degrau em degrau, de saliva em saliva de sua língua, de opinião em opinião lavrada de sua bic, não pára e já chegou ao alto da Babel donde é “observador” dos males e dos malandros fazedores de males.
    O Tavares nobre e snob da nossa praça opinativa que tanto gosta de “arrasar” quando lhe tocam campainhas no seu delicado bom gosto foi um completamente manso perante o Tavares plebeu da tasca oriundo do “nós” de Portalegre.
    Teve a coragem de não aceitar a “culpabilidade por suposições” no processo Sócrates e esteve até excelente ao deduzir não ter sido o processo mais que uma “catarse” da culpa colectiva dos portugueses. Contudo, também nesta questão, considerando a imolação e expiação montada por uma casta política como sendo expiação de culpa dos portugueses não especificou quais portugueses porque, de certeza, não foram corruptos e com culpas para expiar todos os portugueses. E para tal bastava lembrar o cavaquismo e o que foi a sua escola de corruptos que culminou no Durão, corrupto a nível global e seu aluno dilecto.
    Também quanto à bandalhice do argumento falso, fedorento e pachecal do que “pelo que se sabe” repetidamente invocado à falta de provas assim como outros truques de insinuações linguísticas o Tavares nobre e de opiniões fortes foi fraco.
    E pior esteve ainda quando, depois de não aceitar suposições nem a opinião do Tavares “observador” i) aceita como prova de culpa e facto provado que Sócrates vivia à “custa do amigo” e não com um empréstimo de um amigo familiar desde a infância, ii) aceita a incrível tese, sem o mínimo de desconfiança, de que os livros são escritos por alguém encomendado para tal, iii) aceita a opinião do Tavares-esfola-Sócrates de que o PEC IV talvez não tivesse salvo os portugueses da troika e iiii) mais uma vez volta a “arrasar” Sócrates pela sua falta de carácter fundamentado nos casos acima os quais são, precisamente, casos integralmente ao nível do argumento do que “pelo que se sabe”.
    Também eu posso pensar “pelo que já sei” do Tavares ao longo destes muitos anos é que ele sempre teve opiniões fortes, quase sempre, imbuídas de preconceitos snobes como o ataque contra a proibição de fumar o que o impedia (ele dixit) de saborear os seus apreciados charutos ou aquelas suas diatribes contra os contentores em Alcântara porque lhe tiravam o prazer de desfrutar e saborear a “vista” que tinha quando frequentava regularmente uma tasca da zona.
    Quanto ao Tavares cada vez mais do “eles”, os poderosos e menos do “nós”, os vulgares, está tudo dito e escrito e à vista desarmada face ao seu percurso que acaba, finalmente, de atingir o topo de carreira ao juntar-se ao grupo do pensamento elitista retrógrado e anti-povo.

  2. Se se põe de joelhos frente ao Miguel, com o Sócrates ficava a salivar de gatas. Mas alguém imaginava outra coisa de um saloio invertebrado? Indigno de ouvir de tão humilhante.

  3. Valupi, meu! Fui ouvir, ou tentar, mas aquilo são 42-MINUTOS-42 de massacre, falta tempo e paciência aos índios desta pradaria, os bisontes já são poucos, a maior parte dos cavalos foi morta por uma variante geneticamente engenhariada da peste suína africana… ou da gripe aviária asiática… ou duma epidemia equina de furúnculos no cu criados pela Hawei… ou pelo Trump… ou pela Killary Klingon, eu sei lá, temos de fazer pela comidinha montados nos butes que Deus nos deu… ou Alá… ou Jeová… mais provavelmente Manitu, disso sei ainda menos. Resumindo, que já estou para aqui a alzheimerizar desmasiado: não fazes a caridadezinha de nos resumir, como só tu sabes, os mui importantes flatopronunciamentos dos dois cobóis, nomeadamente o cobói viúvo do Zezito, certamente o mais relevante para o enriquecimento neuronal e koltoral dos pobres índios que ‘semos’ nós por acá?
    As honradas nações índias, guardiãs da diversidade biológica e da sanidade mental da pradaria, ficar-te-iam encarecidamente agradecidas e recomendariam o teu generoso espírito ao camarada Manitu.
    Beijinhos do dito e deste que se assina,
    Joaquim Camacho
    (peace lover por natureza, chiricahua feroz quando é preciso)

  4. Ninguém viu o ar de caniche a fazer uma véna do Gomes Ferreira aquando da passagem do filho do patrão e do Marcelo na inauguração das novas instalações da sic? Da mesma cepa.

  5. Vocês estão obcecados com Sócrates. Deixem lá o homem ser julgado e encarcerado em paz.

    Mesmo que não tenha cometido nenhum crime, empenhar o futuro de todos os jovens, mesmo que a mando de alguém, devia dar pena de morte.

  6. Valupi, o cretino cobardola das 23.58 vai poder continuar a vir aqui advogar impunemente o que neste momento ainda podemos ler? O que tem a ver com liberdade de expressão o vómito purulento que o verme bolçou? Explicaste-nos, há algum tempo, que a tua lista de linhas vermelhas era muito pequena, o que acho extremamente saudável, mas tenho para mim que esta bacorada merecia ser incluída no pacote e ao bácoro imbecil que a produziu devia ser cassado de vez o direito de admissão, aplicando-lhe um saudável e irrevogável pontapé no cu. Saneamento básico, meu caro! Ele que vá queimar cruzes para o Alabama, não lhe faltará certamente por lá companhia adequada.

  7. Este Che é mais um ignorante que gosta de emprenhar pelos ouvidos. Se conhecesse minimamente a composição da divida à altura do resgate deixava-se logo de alarvidades.

  8. Uma coisa é confrontar ideias, polemizar, argumentar, mesmo que com argumentos idiotas, cretinos ou ignorantes. Já vi muito disso por aqui e tenho por certo que, para alguns, também já pratiquei disso por aqui. Outra bem diferente é deixar à solta na sala um energúmeno que defende isto: “Mesmo que não tenha cometido nenhum crime, (…) devia dar pena de morte.” Parece-me tolerância a mais.

  9. Sempre será melhor ter cérebro de porteiro do que não ter cérebro nenhum, como se empenha diariamente em provar a flausina do artigo definido castelhano, alérgica a tudo o que cheire a esquerda mas gostosamente tolerante no convívio com defensores da pena de morte para quem lhes der na telha, “mesmo que não tenha cometido nenhum crime” (sic). E que bem-disposta com tal convívio fica a patética flausina cota, tadinha dela.

  10. Quanto ao Cérbero propriamente dito, olha que o gajo tem três cabeças, e portantes três dentaduras, põe-te a pau com o bicho não vá o gajo ser de esquerda!

  11. Atenção Valupi, Camacho tem razão. Este lugar dever ter regras de higiene mínimas. Che Gavara que vá cagar as paredes de outra casa.

  12. Tens matilhas de amigos à espera no Alabama, bué de cruzes e bué de fósforos. De mitologias europeias, porém, os teus amigos idiotas saberão mesmo é nada, coitados, tal como das mitologias dos povos a quem roubaram as terras não pescam a ponta de um corno. De nada te servirá, por isso, armares por lá ao pingarelho. Disse-me um passarinho, ou uma passarinha, sei lá, que não investiguei a coisa do coiso a sério, que à falta de ‘Canis cerberus infernicus’ tencionam honrar a tua presença com um ‘Jacaralhus aligatoris tricefalus’ acabadinho de sair da Clínica Maló. Desejar-lhe-ia uma boa digestão, se do PAN fosse, mas suspeito que, depois de te dar uma trincadela, o pobre jacaralho ficará de caganeira. Nada que não se resolva com três dias a arroz integral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.