30 thoughts on “Exactissimamente”

  1. eu também me lembraria dessa coragem quando pensasse na palestina, no afeganistão, no iraque, etc, etc, etc

  2. olha que engraçado,

    timor não está fora das nossas barreiras geográficas de autoproteção, mas a palestina está.
    deixa ver se me lembro como é que isto se chama….

  3. acontece que não há governantes corajosos na actualidade , todos nos usam para carne de canhão e nos sacrificam no altar mercado.
    corajosos são os doidos que gritam por aí que isto não pode ser. , apesar de serem olhados de lado como elementos estranhos à manada e hoje em dia , cancelados…mas foi sempre o desvio que levou ao avanço. claro que depois os avanços são apropriados e adulterados pelos monstros até se transformarem num nojo ( como a actual democracia partidária) . enfim , um circulo vicioso enquanto os filhos de mamon andarem por aí à solta entre nós.

  4. já tinha lido este texto esta semana, ontem ou anteontem, não me lembro, e adorei. fiquei a pensar no quanto a redundante coragem é precisa: coragem incansável é do que são feitos os que não desistem daquilo que lhes é fundamental.

  5. OK,

    Vamos a ver se percebo o que os comentadores acima querem dizer. Portanto, se eu denunciar alto e fortemente :

    A doutrina Monroe, a participação dos EUA em varios golpes de Estado na América do Sul, nomeadamente no Chile, os abusos da guerra do Vietname, as ameaças yankees quando da crise da baia do porcos, tudo o que vem detalhado no livro negro do capitalismo, o apoio sistematico à politica colonialista de Israel, os olhos fechados sobre os massacres indonésios nos anos 60, a disproporção dos bombardeamentos sobre a Etiopia, Hiroshima e Nagasaki, a segunda guerra do Iraque, as intervenções descabidas no Afeganistão, aquela confusão toda na Libia, os abusos da guerra comercial com a UE, a intervenção dos EUA na Siria, o fim da intervenção dos EUA na Siria, o silêncio sobre a guerra do Iémen, e sobre tantas outras guerras idênticas, a passividade sobre a opressão dos Rohingyas, a doutrina US da extra-territorialidade, a saida da Unesco, as coboiadas, Little Big Horn, o genocidio dos indios nativos, a neutralidade na primeira fase das 2 guerras mundiais, o Tio Sam, o Donald Trump, a hegemonia do dollar, a estupida mania das calças de ganga, as pastilhas elasticas, a american way of life, os automoveis de caixa automatica, o super-homem e a Mac Donalds,

    Então, e so então, poderei ser autorizado a dizer que a invasão pela Russia do territorio da Ucrânia, Estado soberano, é discutivel ?

    Boas

  6. hum…não sei , talvez só depois de contar como chegou a Ucrânia a estado soberano com aqueles territórios do donbass ? e porque assinaram os tratado de minsk ?

  7. viegas, ainda estás nessa fase?
    não há ninguém aqui a dizer que a invasão não é discutivel e até arrisco condenável, o que tu queres é fazer de conta que tudo o que citaste não aconteceu e não influi na avaliação da situação corrente, e por isso é que dizes tudo muito depressa e misturas mais uns salpicos depalhaçada para ver se depois disso não precisas de o referenciar nunca mais.
    infelizmente, a discussão intelectualmente honesta não funciona assim.

    ps – já agora, aproveita e explica aqui ao pessoal se a destruição do nordstream é discutivel

  8. OK, teste, se ja sabes de certeza que aquilo de nordstream foii tramoia dos americanos, podes acrescentar à lista, e também guantanamo, que esqueci lamentavelmente. Qual é o Estado dos USA que achas que devemos invadir num primeiro momento ?

    Boas

  9. Exactissimamente, Viegas, é como dizes. Quer dizer, autorizado estás sempre, porque estamos em democracia (democracia da asneira, vá lá), mas arriscas-te a que te classifiquem como hipócrita, exactissimamente o que, democraticamente (e sem asneira), alguns comentadores fazem lá atrás.

    Mas olha que há alguns malucos que reúnem os mínimos, como este que se segue:
    __________________________________________

    Joaquim Camacho
    24 DE FEVEREIRO DE 2022 ÀS 20:35

    Como tenho nome e defendo princípios, ao contrário dos cães de focinho tapado que aqui se limitam a defender caninamente os donos, como o bully mariconço parvalhatz e seu namorado parvalhov von apartheid, é-me impossível defender o que a Rússia está desde ontem (e sublinho o desde ontem) a fazer na Ucrânia.

    São os mesmos princípios que me levaram a condenar a invasão do Koweit pelo Iraque de Saddam Hussein e a defender tudo o que foi feito para o tirar de lá, inclusivamente pelos EUA, independentemente da natureza merdosa do regime retrógrado que antes (e depois) da invasão dominava o país.

    Os mesmos princípios que me levaram a condenar a invasão e ocupação americana do Iraque em 2003, com os pretextos mentirosos das armas de destruição maciça e a verdadeira destruição do país que daí resultou, com o desgraçado cortejo de dois milhões de mortos provocados pela ocupação; a intervenção americana na Síria, também sob falsos pretextos e onde ainda hoje o império do bem ocupa ilegalmente a parte do território mais rica em petróleo, que rouba descaradamente; o bombardeamento da Sérvia pela NATO; as sacanices do apartheid sionista ladrão contra os palestinianos e mais o cortejo enorme de filhas-de-putice que o bombismo democrático e humanitário há décadas leva a cabo por tudo quanto é canto no planeta, filhas-de-putice por demais conhecidas e às quais a acefalia cobarde do servilismo bem-pensante faz vista grossa.

    Isto em nada muda a minha posição sobre o regime corrupto de Kiev, filho de um golpe de Estado levado a cabo por uma coligação de oligarcas gulosos, políticos corruptos e nazis de gema. Um regime com um presidente que se fez eleger com base numa promessa que vergonhosamente deitou para o lixo, a de levar a paz à parte do seu país que estava, e está, em guerra, um presidente que tem a falta de vergonha de, sendo judeu, se apoiar num exército quase completamente controlado por nazis, nazis a sério, anti-semitas diplomados, autênticos, da Bayer, cuja agenda cumpre e dos quais está refém, sem que isso aparentemente o incomode a ponta de um chavelho.

    Tendo o Putin na conta de um tipo inteligente, tenho dificuldade em compreender a inacreditável estupidez que tudo isto aparentemente revela e mais dificuldade tenho ainda em perdoar-lhe que tenha contribuído, de forma tão burra, para o sucesso estratégico do império bombista humanitário de separar irremediavelmente a Rússia da Europa, assim sabotando a formação de uma aliança de países e povos com um gigantesco potencial em termos económicos, geopolíticos, culturais, ambientais e sei lá que mais.

    Vamos entrar numa nova era, e de bom não tem ela nada.
    __________________________________________

    Aqui:

    https://aspirinab.com/valupi/ou-nao/

    Nota: Este excêntrico escreveu “é-me impossível defender o que a Rússia está desde ontem (e sublinho o desde ontem) a fazer na Ucrânia” porque foi para a caminha pelas seis ou sete da manhã (ainda com dificuldade em crer no que os ecrãs mostravam desde as três ou quatro) e só se levantou lá para as duas ou três da tarde, como é seu hábito. Aquilo a que assistira antes era “ontem”, mas o “pronunciamento”, como podes ver, é de 24 de Fevereiro, o maluco não esteve à espera de ver para que lado caíam as modas para se pronunciar.

    E acrescentou quatro dias depois o doido (um entre muitos, mas ainda assim lamentavelmente poucos):
    __________________________________________

    Joaquim Camacho
    28 DE FEVEREIRO DE 2022 ÀS 19:28

    (…) Foi uma “inacreditável estupidez” tanto no plano político como no plano militar. Estupidez táctica, estratégica, geostratégica, com gravíssimas repercussões também facilmente previsíveis no plano económico. Obviamente, trata-se igualmente de uma filha-de-putice no plano humanitário. É verdade que esta filha-de-putice em meia dúzia de dias não se compara com as muito mais graves filhas-de-putice que há oito anos o exército regular ucraniano e os nazis do Batalhão Azov levam a cabo, diariamente, no Donbass, com perto de 15 mil mortos dos dois lados, entre os quais mais de três mil civis, a maioria no lado dos separatistas. Mas Vladimir Putin conhece de sobra o modo de funcionamento do humanitarismo bombista e o lucrativo concubinato (para os dois lados) que mantém com os merdia de reverência, está farto de saber como é íntima a relação entre o “jornalismo” mercenário e os que puxam o gatilho. Tinha obrigação de prever o aproveitamento que seria feito do erro de enviar tropas terrestres para qualquer outro ponto do território que não fosse o Donbass. Foi isso que levou os especialistas a enganar-se nas previsões e é isso que me leva a classificar a operação como “inacreditável estupidez”.

    Os meus quase quatro anos de tropa não me converteram, obviamente, num Montgomery, num Rommel ou num Jukov, mas o senso comum é mais do que suficiente para intuir a “inacreditável estupidez” que refiro acima. O artigo do major-general Carlos Branco no ‘Jornal Económico’, a que se têm atirado como gato a bofe os rafeiros capados do pardieiro e um ou outro caniche fêmea esterilizado na União Zoófila, de pêlo bem aparado e penteado, prova isso mesmo. O major-general Carlos Branco, que de táctica e estratégia percebe muito mais do que eu, e muitíssimo mais do que o que o parvalhatz julga que aprendeu ao colo do tio, enquanto este lhe afagava e desentupia o rabinho e lhe descrevia as gloriosas aventuras da guerra colonial, o major-general Carlos Branco, digo, escreveu aquilo que era óbvio e lógico, que as tropas russas acumuladas junto à fronteira, se interviessem, o fariam apenas em apoio às forças separatistas e nunca para invadir todo o território da Ucrânia. O mesmo pensava o também major-general Raul Cunha, como ele próprio confessa no vídeo que a Yo aqui pôs às 13:51. Que o Putin tenha optado por mandar a lógica e a racionalidade às urtigas e empurrado os militares russos para uma operação que iria, previsivelmente, ter custos políticos enormes não prova a incompetência ou má-fé de Carlos Branco, mas apenas que ele se enganou nas previsões porque, como eu e muitos outros, não julgava possível uma tão “inacreditável estupidez” ordenada por um tipo comprovadamente inteligente, como Vladimir Putin.
    __________________________________________

    Acredita numa coisa: não é difícil ser-se maluco… ainda que nos tempos que correm seja cada vez menos fácil.

  10. viegas,

    sei com a certeza que é possivel saber nestas circunstâncias ou seja, tudo aponta nesse sentido. alguns até afirmam que o biden o anunciou num discurso aqui há atrasado. mantenho-me aberto a outras explicações, mas acho a hipótese acidente demasiado improvável e a hipótese “foi o putin” começa a tornar-se um pouco repetitiva para ser credível.
    nestas coisas, costuma ser importante fazer a pergunta: cui bono? que lhe responderias tu?

  11. desculpa,

    para responder à tua pergunta: acho que não precisamos de invadir nenhum, mas também escusamos de ser subservientes e comportarmo-nos como se fossemos um estado americano, vá, colónia.

  12. O palhaço-chefe do “mundo livre”, Sua Excremência o corrupto senil Joseph Robinette Biden Jr., que não sabe sequer quem é ou o que anda ali a fazer:

    https://youtu.be/YMsUlNVq_I8

    E a heroína que se perfila na linha de sucessão, a flausina descabeçada Kamala Harris, que quando visitar o cabo da Roca se congratulará com a magnífica vista de Machu Picchu:

    https://twitter.com/RNCResearch/status/1575465283325657095?s=20&t=Zw-GLrvkYrcTLTffMQj8Sw

  13. ó pá , é melhor do que eu estava à espera. que paralelismo extraordinário. tenho que propagandear isto aos 4 ventos.

    o século 19, o México era um território vasto que incluía o que atualmente conhecemos como Califórnia, Nevada, Utah, Arizona, Novo México e Texas. Mas a partir de 1830, começou a crescer um movimento texano pela independência, pretexto para que os EUA iniciassem uma guerra e, após vencerem, anexassem um território de mais de 2 milhões de quilômetros quadrados.

  14. Acrescente-se à lista, Yo, acrescente-se. Não esquecer também que Caim era o arquétipo do colono terratenente e que as mais recentes descobertas da arqueologia zoologica mostram que as serpentes vêm quase todas de um tronco comum aparecido originalmente nas cercanias de Richmond, na Virginia.

    Boas

  15. pronto viegas,

    deixa passar mais uns anitos que isso da soberania ucraniana daquelas regiões também já só te incomoda ao nível “daquela confusão na líbia”.
    enquanto isso, banhinho frio para manter essas ideias a fervilhar, ok?
    ok

  16. O Texas foi quem primeiramente se lançou numa revolta contra o México. Depois alinhou ao lado dos EUA na condição de, em caso de vitória, ficar independente. Os americanos concordaram mas quando o Texas quis fazer valer a sua independéncia, negaram-na. Os texanos que se iam batendo pelos seus direitos iam presos. Na fase final da sua luta, desapareceram.

  17. Porra, agora invadiram a Libia ! E’ que um gajo não pode descansar dois segundos. Ontem um atentado no mar baltico, hoje anexam a Libia. Sem contar que a lista também vai evoluindo para o lado oposto da cronologia, com os comentarios da Yo. Malta, tenho uma ideia : eu volto a escrever o comentario, que em vez de tentar enumerar por escrito as tropelias dos americanos, limito-me a colocar um link para um site que vocês se encarregam de actualizar minuto a minuto. Pode ser assim ?

    Boas

  18. Porra, agora invadiram a Libia ! E’ que um gajo não pode descansar dois segundos. Ontem um atentado no mar baltico, hoje anexam a Libia. Sem contar que a lista também vai evoluindo para o lado oposto da cronologia, com os comentarios da Yo. Malta, tenho uma ideia : eu volto a escrever o comentario, mas em vez de tentar enumerar por escrito as tropelias dos americanos, limito-me a colocar um link para um site que vocês se encarregam de actualizar minuto a minuto. Pode ser assim ?

    Boas

  19. não , não ; João , a serpente pariu os filhos na Cazaria…. aqui na Terra nem todos descendemos de adão e eva .:)

  20. ó teste, já mete nojo com essa conversa de chamar racista a todos os que não engolem os seus argumentos. ganhe vergonha na cara. e não me venha perguntar se diz mal as cores. !ai! que riso

  21. ó olinda,

    tu já metes nojo há tanto tempo e a tanta gente que aqui vem e nunca deixaste de vir aqui meter mais e mais, porque é que achas que eu havia de estar preocupado com o nojo que tu dizes que eu te meto?
    chatear racistas retintas como tu é pro lado que durmo melhor.
    e se alguma vez deixares de o ser, devias era agradecer-me.

  22. se estiver grávido, teste, tem de se conter, pense no bebé, álcool nem pensar e a posição de dormir também é muito importante. pode passar a mensagem à tanta gente grávida que estará na fila para vomitar. fique bem e se estiver ougado por figos, por favor, diga. !ai! que riso

  23. grávido de ódio vive o teste e outros badalhocos – deixe a lixívia em paz, essa madavilhosa invenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.