17 thoughts on “Exactissimamente”

  1. ….não aconselhariam José Sócrates para cargos públicos…???

    Como professor de direito da…da..
    Como inquisidor de costumes até pode ser elevado a CATEDRÁTICO.
    Esta cassette de comentar o Homem (não o caso jurídico) sujeito à devassa, açoitado em praça pública rendendo milhões aos mirdias da mãnha que roem o osso a toda a hora, metendo sempre a bucha de salvaguarda dos costumes, vira-me o estômago.
    É preciso gente que fale do caso jurídico sem papas numa língua :
    – isenta
    – técnica.

    Não há neste país onde só reina a inquisição?

  2. Primavera,

    Havia na tropa de infantaria uma máxima que rezava assim : ” Deus Nosso Senhor nos salve da nossa artilharia, que do inimigo nos livramos nós”.

    Penso que se ajusta aos tempos que vivemos.

  3. primaveraverão, para além de ser uma opinião legítima e razoável, não se trata da ideia principal do artigo. Nem sequer secundária é.

  4. .”..não se trata da ideia principal do artigo. Nem sequer secundária é.”

    Exactissimamente, Valupi ! Porém, no entanto, e apesar de, o articulista não resistiu a largar a posta. Ou seja, é um rato, mas duma sub-espécie diferente. Também ele abandona o barco; mas dá prioridade às crianças e às mulheres. Tem ainda alguns méritos complementares: lembra-nos como somos um país de padrecos; convoca o nosso sebastianismo visceral na espera interminável de salazares salvadores ; expõe a bipolaridade de quem alterna sistematicamente entre expectativas absurdas e frustrações pueris, dos infelizes crónicos que vivem na crença de que a perfeição existe.

  5. Esta de o Valupi ter chamado fanático a um comentador cujas intervenções advogam a tolerância devida à necessidade de separação de àguas entre virtudes públicas e vicios privados, vai dar-me que pensar para o resto da tarde….

  6. O Val e capaz de ter aqui um ponto, não interessa que o autor concorde comigo quanto a avaliação moral ou politica de Sócrates. O que me interessa é que defenda os principios do estado de direito e de uma justiça democrática e transparente. Não o quero na minha trincheira ( que é mais terra de ninguém ja agora) só o quero a meu lado a nivelar o chão para que o combate seja justo.

  7. OK.
    Sorry por aparentemente distorcer o objectivo do post.

    É a minha bucha de destaque que, apesar de não primordial , é causa diária do mais agressivo julgamento popular de que o país tem memória.
    Sempre a considerá-lo.

  8. Strummer,

    Mas isso que sugeres como que justifica os meios com os fins. Ora, na defesa do estado de direito, misturar ao discurso qualquer género de “declaração de interesses”, seja de que ordem for, como se isso fosse condição necessária para legitimar os argumentos, está a transformar-se numa espécie de endemia que não me parece que se deva deixar passar sem reparo. Pela simples razão de que há valores que não faz sentido relativizar. O direito a um processo justo ou a presunção de inocência até trânsito em julgado, são valores que têm de ser defendidos por si mesmos, até para o mais retinto dos filhos da puta, sem necessidade de iluminuras de qualquer ordem, sejam morais, éticas, ou politicas.

  9. MRocha, basicamente estou de acordo contigo mas não podemos esquecer a envolvente politica e social bem como o momento que vivemos. O PR está a pressionar o governo para ceder as exigencias da corporação com o apoio da direita, lançam-se debates e fóruns para garantir apoio popular e justiceiro etc…não é tempo de se limpar armas mas de arregimentar apoios no espaço publico ainda que com um mínimo denominador comum.
    Não esqueças também que o meio é a mensagem, ie, nao é facil encontrar no Publico opiniões com tal equidade. Aproveite-se então.

  10. A normalidade da democracia portuguesa só será restabelecida com o aparecimento de jornalismo de investigação que possa fazer contraditório ao domínio absoluto da comunição social salivante de direita/ extrema direita. Precisamos de uma GGN e de um Brasil 247, portuguesas, para equilibrar as Globos deste país. Podia começar por calcular quanto dinheiro já encaixaram todos os opinadores anti-socrates pelos materiais que produziram. Precisamos conhecer os valores desta indústria.

  11. Hey Joe, where you goin’ with that gun of yours? :)

    Eu sei, Strummer, que a relação entre os principios e a prática é tudo menos linear. Por principio, nada tenho contra denominadores comuns na acção. Contudo, com os aninhos de consensos que já carrego no lombo, estou ciente que é muito complicado condescender em certos detalhes. Ora, quem no mesmo discurso mistura salutares principios que decorrem do uso da racionalidade elementar ( só os tolos nunca têm dúvidas….) com ilacções politico/ morais que retira de comportamentos que acabou de dizer que não podem ser dados como garantidos , não me suscita a minima confiança para voar como meu asa.

    You better believe it right now, Joe !

  12. Boa malha MRocha!
    A única possível divergência com a tua metafora é que ele não precisa nem deve de ser o teu asa, no que ele pode ajudar e dar condições para voar(liberdade). Olha aproveitando a onda:)

    There must be some kind of way outta here
    Said the joker to the thief
    There’s too much confusion
    I can’t get no relief

  13. Passámos do Hendrix para o all along the watchower, do Dylan, mas também do JHendrixa, que dela uma grande versão. Se insistirem neste caminho, prometo que venho cá mais vezes.
    Agora o Sócrates, por amor de Deus! Já chega.
    Houve ontem e hoje duas coisitas que também mereciam o “exactissimamente” do Val: os textos do VJS ontem no Público e hoje o do Viriato Soromenho Marques no DN.
    Ain`t it clear that ?
    I just can` fit
    Yes, i believe it´s time for us to quit

  14. Desafio aceite. Este ano não há Nobel só para prolongar o de Dylan ;) Por mim poderia ser durante uma década seguida.

    Socialism, hypnotism, patriotism, materialism.
    Fools making laws for the breaking of jaws
    And the sound of the keys as they clink
    But there’s no time to think.

    No time to choose when the truth must die,
    No time to lose or say goodbye,
    No time to prepare for the victim that’s there,
    No time to suffer or blink
    And no time to think.

    https://vimeo.com/260623227

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.