16 thoughts on “Exactissimamente”

  1. Galambas e quejandos:“Cúmplices e criminosos” que ajudaram às depredações de que seremos vítimas por muitos anos, ou estão sentados na bancada do PS no parlamento – caso dos Zorrinhos, Dos Silvas Pereiras dos Paulos Campos, etc…..– ou andam por aí tranquilamente como o “Prof” Teixeira dos Santos – ex Ministro das Finanças – e outros que deveriam estar já condenados e a cumprir prisão por muitos anos. Quanto ao “mentor” desta rapaziada que anda fugido daqui deveria ter já sido julgado e condenado pelo Tribunal Penal Internacional, por crimes contra a humanidade.

  2. Sobre a retirada de subsídios de férias e Natal

    Querem o vosso subsídio?

    Peçam ao fugitivo de Paris os 90.000 milhões de euros que aumentou na dívida pública entre 2005 e 2010.
    Peçam ao fugitivo de Paris, que decidiu nacionalizar o BPN, colocando-o às costas do contribuinte, aumentando o seu buraco em 4.300 milhões em 2 anos, e fornecendo ainda mais 4.000 milhões em avales da CGD que irão provavelmente aumentar a conta final para perto de 8.000 milhões, depois de ter garantido que não nos ia custar um euro.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 695 milhões de derrapagens nas PPPs só em 2011.
    Peçam ao fugitivo de Paris, que graças à sua brilhante PPP fez aumentar o custo do Campus da Justiça de 52 para 235 milhões.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 300 milhões que um banco público emprestou a um amigo do partido para comprar acções de um banco privado rival, que agora valem pouco mais que zero. Quem paga? O contribuinte.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 450 milhões injectados no BPP para pagaros salários dos administradores.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 587 milhões que gastou no OE de 2011 em atrasos e erros de projecto nas SCUTs Norte.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 200 milhões de euros que ?desapareceram?entre a proposta e o contrato da Auto-estrada do Douro Interior.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 5800 milhões em impostos que anulou ou deixou prescrever.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 7200 milhões de fundos europeus que perdemos pela incapacidade do governo de programar o seu uso.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 360 milhões que enterrou em empresas que prometeu extinguir.
    Peçam ao fugitivo de Paris, para cancelar os 60.000 milhões que contratou de PPPs até 2040.
    Peçam ao fugitivo de Paris, que usou as vossas reformas para financiara dívida de SCUTs e PPPs.
    Peçam ao fugitivo de Paris, para devolver os 14.000 milhões que deu demão beijada aos concessionários das SCUTs na última renegociação.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 400 milhões de euros de agravamento do passivo da Estradas de Portugal em 2009.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 270 milhões que deu às fundações em apenas dois anos.
    Peçam ao fugitivo de Paris, os 3.900 milhões que pagou em rendas excessivas à EDP tirados à força da vossa factura da electricidade.
    Peçam ao PCP e à CGTP, cujos sindicatos afundaram as empresas públicas em 30.000 milhões de passivo para encherem a pança aos camaradas sindicalizados com salários chorudos e mordomias, pagos pelo contribuinte.
    Peçam ao PCP e ao BE, que ajudaram o PS a aprovar um TGV que já nos custou 300 milhões só em papelada, e vai custar outro tanto em indemnizações

    E AGRADEÇAM AO FUGITIVO DE PARIS O SUCESSO DO DINHEIRO EMPATADO NO AEROPORTO DE BEJA!

  3. Sim, grande palhaço cor-de-laranja, peçam tudo aos outros, especialmente aos trabalhadores associados à CGTP, que, como sabemos, é tudo milionários, é só banqueiros e capitalistas, peçam também especialmente às classes mais pobres que o PCP sempre tem lembrado na luta política, sim, insisto, peçam aos pobres, já que do governo e dos mamões que ele representa, já não há nada a esperar senão o contínuo devorar do país.

  4. Viva o João Galamba e bardamerda para a rataria nazi. Se fizeres uma colecta para comprar Ratak, Valupi, podes desde já contar com a minha contribuição.

  5. O que eu gostava de pedir ao “QUEREM OS 13º e 14º MESES DE VOLTA” são as provas documentais de tudo o que descreveu acima.
    Se as têm optimo, partilhe-as que nos encarregaremos de entregar á policia.
    Se não as têm feche a cloaca que para atirar merda para a ventoinha já chega o correio da manha.

  6. Eu acho que é muito bom sinal o ódio expresso pelo mp3 que o gajo das 3,24 engoliu e que o impede de usar o resto do escasso conteúdo da caixa craniana.

  7. telegrama ao “fugitivo” de paris…
    o silêncio leva à loucura. o desespero à imbecilidade. vivem-se cenas patéticas muito semelhantes ao sindrome do famoso ministro da propaganda do iraque. cegos de ódio, enganados e esganados pelos seus, mostram a cobardia de câes escorraçados: mordem pela calada. estão loucos. cegos. só porque não querem ver. merecem uma leve comiseração por se encontrarem pobres, também de espírito…
    a rua dará a resposta…

  8. Temos colecionador de capas do Correio da Manha.
    Provas? Nenhuma.
    Criminalização da actividade politica da oposição??
    No regime fascista de onde esta aventesma vem bastava a calúnia e um qualquer Tarrafal!

  9. Ena Pai! Isto está cheio de arrastadeiras do Relvas ou equivalentes! Passam os dias a coçar o cu pelos gabinetes, pagos com os nossos impostos para fazerem comentários alarves e imbecis!
    Força Galamba!

  10. Galamba que fala assim não é gago.

    Foi pena que outras gerações tenham abusado do «fast-food» da geração de Sócrates e Passos Coelho.

    Estes dois já foram vítimas dos excessos e foram apanhados de surpresa.

    Bem que eu avisava!

  11. Depois de ouvir a brilhante intervençao de Francisco Assis,apetece dizer que no parlamento houve duas moçoes de censura.Uma ao governo da direita ultraliberal, a outra a todos os socialistas que levaram José Seguro a lider do Ps.

  12. Os numeros do artista do 13 e 14 mês são uma mentira, como aquela de dizer que os ultimos 150 milhoes foram para pagar as PPP do governo Socrates,quando foram para pagamento de PPP dos governo do Psd/CDS.Ouve lá ó laranjinha mal informado! O homem que está em Paris,não fugiu como o saudoso ´Sá carneiro, quando foi para Londres preparar a” purga stalinista” dentro do seu partido. Socrates foi empurrado não pelo povo mas pelas mentiras do actual Pm Passos Coelho.Mas tem calma, não te excites! ele vai regressar e em grande.

  13. Este João Galamba é uma lufada de ar fresco.
    Claro que a azia do tatibitaites das 3:29 dispara sempre que ouve o moçinho a falar e vai daí, como não sabe inventa.
    Mas seria interessante, para o da azia, lembrar-se que a dívida pública já ía, em março deste ano, em 190,1 mil milhões de euros que, afinal, são apenas mais 26,6 mil milhões do que em março do ano anterior.
    Mesmo que fosse verdade que o governo anterior em 5 anos tivesse aumentado a divida pública em 90.000 milhões de euros, o que grosso modo daria 18.000 milhões por ano, este governo num único ano aumentou-a em 26 mil milhões!
    E esta, hein?!
    Foi para isto que mudamos?

  14. Nuno querido nao ligues a essa corja de maldizentes, apesar da tua adorada e fanática bajulacao, tão revivificante nestes tempos de pausa parisiense, eu contento-me com muito pouco: sou uma alma frugal e preciso apenas do vosso servil beija-mão habitual. Deixa a tua energia socratiníca para outras batalhas.

    Quanto aos numeros dos milhoes, é melhor nao te perderes na contabilidade da factura que eu deixei, que até o Teixeira meteu os pés pelas mãos. Acredita que é areia a mais pra tua cabecinha.

  15. Tu es um às a fazer contas como o Guterres, mas com capacidadesde avaliacao como o Socrates. A que se deve o aumento da dívida neste aninho que o Palhaco deixou armadilhado até aos cabelos do cu…elho?

    Sabes ou é preciso fazer um desenho? Talvez a tua professora da escola primaria nao tivesse puxado muito por ti! Eras cábula de certeza, porque, como a malta aqui da igreja socratica dos ultimos dias, em aritmética básica da dívida que deixaram, sao uma nódoa de asnos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.