12 thoughts on “Exactissimamente”

  1. Excelente artigo, curto e fino, mas é pena que a própria esquerda continue a deixar passar o contrabando da direita de que o partido do aldrabão de Massamá foi o mais votado, adoptando-o sem contraditório. Escreve Maria de Lurdes Rodrigues que “Insistir no argumento de que deve governar sempre o partido que tem mais votos é reduzir aquela avaliação a mera formalidade”. Dá assim de barato que o PSD foi o partido que teve mais votos, o que é falso. Já aqui o disse mais de uma vez, mas insistirei até que a voz me doa, e era bom que a esquerda (e não só o PS) percebesse a importância da desmontagem da aldrabice. Por ter concorrido em coligação, o PSD foi o partido que elegeu mais deputados, mas o partido que teve mais votos foi o PS, com 1747685 (32,31%). O PSD foi o segundo partido mais votado, com 1732232 votos (32,03%, incluindo Madeira e Açores).

    Chamem-lhe “Aritmética para Totós”, se quiserem, mas a aritmética continua a ser o mais antigo ramo da matemática, o que faz dela uma ciência exacta. E à exactidão da ciência não há aldrabão que consiga dar a volta.

  2. boa! Maria! o que deve unir os casamentos não é o contrato entre as partes mas antes a paixão de cada uma delas em tornar possível o amor, que cada um sente, comum. :-)

  3. Não consigo ler nenhum artigo de Mºa Lurdes Rodrigues.

    A falta de bom senso, a ignorância do que são as escolas e o seu modo de funcionamento e a arrogância com que tratou os professores portugueses contribuiram para que o PS perdesse as eleições em 2011.

    Mª Lurdes Rodrigues abriu as portas para o conflito nas escolas e para a humilhação dos professores.

    PSD e CDS elogiaram as suas políticas. O prof Marcelo tecia-lhe rasgados elogios.

    Um conselho: afastam a senhora de cena. Os anti-corpos ainda estão por aí e nunca serão esquecidos.

  4. Os portugueses, todos, ainda um dia vai agradecer a Cavaco Silva este compasso de espera.

    Esta espera serve para expôr essa esquerda estranha que surgiu de um momento para o outro.

    É que ninguém conhece esta esquerda que quer governar sem compromissos.

    Costa fica dentro os outros ficam de fora.

    Este compasso de espera serve para reflectirmos e ficarmos de pé atraz.

  5. “Este compasso de espera serve para reflectirmos e ficarmos de pé atraz.”

    deves estar a falar da sobretaxa, da tap e do bes, só pode.

  6. um presidôncio, eleito com 2,2 milhões de votos, quer condicionar 2,8 milhões de portugueses que votaram recentemente na esquerda com audições a entidades e personalidades que votaram na direita. depois aparecem uns parvos indignados a dizer que não há respeito pelo venerando coiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.