Exactissimamente

Na leitura antiga da ordem internacional, que era vigente antes do globalismo anárquico em que nos encontramos, a declaração do Estado Islâmico sobre a sua ambição terrorista seria lida como uma declaração de guerra. A fixação no caminho único da política orçamental europeia em curso seria então pelo menos acrescentada com a rubrica da imprevista exigência de resposta à declaração de guerra.


O Estado Islâmico

30 thoughts on “Exactissimamente”

  1. apesar de um pouco denso em termos de compreensão o conteúdo é muito rico e apelativo à cautela. que ouçam. depois, não deixa de ser triste como é que um movimento religioso, uma espécie de cruzadas à portuguesa, deu lugar ao terrorismo. e a invenção do terrorismo, diz-se, foi obra dos EUA…

  2. val, desculpa a deriva.o syriza ficou sem parte da ala esquerda que decidiu fundar um partido.pergunto o que resta? a direita mais a extrema direita que no syriza tem assento? gostava que esta experiencia tivesse vingado mas o desastre está á vista.o cds morreu segundo catarina martins e o bloco está moribundo, por ser um partido inútil!

  3. Um alerta muito lúcido que duvido seja devidamente escutado. A ameaça do Estado Islâmico é real e assustadora, o seu objectivo é a invasão da Europa, e é de pensar se ele não se terá já, insidiosamente, iniciado.

  4. Não esquecer que a conquista de Granada pelos reis católicos só aconteceu quase em 1500. E que o Al-Andaluz existia desde 700 e qq coisa. Uma presença neste território quase tão antiga como a portuguesa. Não esquecer também que a sul do Tejo continuamos a ser mais árabes que godos. Felizmente. E se um dia eu tiver de optar entre ser governado pela Merkel ou pelo Mahommed VI, voto neste sem hesitações. Quanto mais não fosse porque sabe beijar a mão de Princesas, ao contrário do que acontece com o alegado presidente desta triste república.

  5. MROCHA, és um terrorista. Devias ser banido daqui. Porque não te viu Salazar? Tinhas zarpado para África em dois segundos.

  6. Estás enganado, merdissimo : Salazar viu-me a mandou-me para Africa ! Sou dos que andou por lá a combater o terrorismo com terrorismo. Wiryamo diz-te alguma coisa ? Pois !

  7. Não brinquemos com coisas sérias.
    Foi o que os 4 estarolas do chazinho nos Açores fizeram, e deu no que deu.
    Mataram o Saddam porque ele tinha “armas de destruição maciça” e olha … libertaram a “arma de destruição maciça”: chama-se Estado Islâmico e vai entrar pela Europa dentro.
    Nessa altura talvez alguém ainda se lembre de ir pegar pela gola os 4 estarolas para os mandar prender, ou simplesmente entrega-los aos árabes para eles resolverem o assunto.

  8. MROCHA, então foste tu um dos responsáveis pela entrega das províncias ultramarinas, hum? Não tens vergonha, hum? Traidor.

  9. Merdissimo,

    Não, não tenho vergonha! No dia em que dei de caras com a verga ( anexos incluidos ) do Cabo Freitas espetadas numa estaca no meio da picada que ia dar a Canjadude, achei que não tinha mais nada a fazer ali.

  10. Cegueta,
    Não são todos, és só tu.
    Tens razão em chamar o veterinário, já que és uma besta e estás doente. Infelizmente eu não conheço nenhum. Olha, mete um anúncio no jornal.

  11. A BURRA zurrou. E escoceia. Precisa de ser posta na palheira. Com os marranos e comera a vianda.
    BURRA.

  12. Peço desculpa, devia ter escrito “ilustre merdissimo”! É o meu jeito pessoal de homenagear a casta com quem vexa se identifica, e que tanto respeito, casta à qual pertence o seu ilustre primo Rapazote ( o Júnior ) , o tal que se cagou nas calças no refundo do abrigo de Canjadude quando a primeira morteirada dos turras do Nino mandou para o mundial o gerador lá da paróquia.

  13. É evidente que nenhum veterinário quer conhecer um BURRA como tu. Cada vez que abres a boca, até dói. XÔ.

  14. “Ora, porque me chama «merdíssimo»?”

    é um tratamento carinhoso por causa do hálito que exalas, mas se não gostas podemos tratar-te por monte de merda que o cheiro não altera.

  15. Ó Jasmin, se o estado islâmico tiver a leviandade de tentar entrar na Europa, eu serei um dos voluntários para lhes rebentar a tromba!
    Nem que me tenha que vestir de cruzado!!!

  16. IGNARATZ, nunca te devia ter deixado saír do hospital. Estás com um TIR em cima, porque assediaste a macaca mais velha do ZOO, que fugiu quando viu a tua aberração…Agora está em choque.

  17. Estive sim, ilustre merdissimo. Mas apenas para recuperar a mecânica, depois de uma defensiva de fragmentação amiga se ter transferido quase por inteiro para o equipamento locomutor. Por esses dias recebi a visita do Ilustre autor do texto a que se refer o post . Só nesse dia me senti perturbado, pois não percebi bem porque foi que ele se lembrou de me oferecer aquele pedaço de lata que ainda anda por ali na caixa de pregos velhos que guardo no palheiro.

  18. Ó Teodoro!
    Deixa a juventude tratar do assunto.
    Mas, pelo sim pelo não, devias fazer dieta. E tratar das artroses.

  19. Tu estás à espera de que eles entrem na Europa?
    Andas aonde? A monte?
    Eles já cá estão. Possivelmente são teus vizinhos e estão a ver-te a escrever baboseiras.
    Se fosse a ti ia já ao baú buscar o arnês. Podes não ter tempo.

  20. Perfil anónimo do Manuel de Castro Nunes,

    Aqui não há problemas de artroses nem de coisa nenhuma!
    Na primeira linha a dar nos cornos desses xailes negros do médio oriente!!!

  21. Certo, Teodoro!
    Mas olha para o lado! E para trás!
    Eles andam aí!
    Só me espanta que até os turcos andem com medo e ainda não tivessem vindo desenterrar o Teodoro.
    Viva o Teodoro! O carrasco do Estado Islâmico!
    Tu não eras o General Básico há uns dias?

  22. O que pensaria Adriano Moreira da maior parte dos comentários ao seu artigo aqui expressos? Exactissimamente, o quê?

  23. Ó Teodoro

    Tu vai-te a eles mas não vistas a “farda” dos cruzados.
    Com o peso que aquilo tem não dás um passo.
    Sem falar que não tens força para levantares a espada !

    Concordo com o amigo Manuel Castro Nunes.
    Eles já andam por aí.
    Qualquer dia entram num sítio qualquer como entraram no Charlie Hebdo.
    E diz lá se não foram eficazes.
    Acabaram-se os desenhos obscenos sobre o Profeta deles.
    Olha se alguém se lembra de lhes mostrar o caminho para o Correio Manholas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.