Exactissimamente

Um fracasso monumental e trágico

De que faço este crucial destaque:

«Nestas calamitosas condições, é preciso muita desfaçatez da direita para se apresentar como "salvadora do descalabro financeiro da pátria". Gritante e incompreensível, a não ser por clubismo político-partidário redundando numa escandalosa dualidade de critérios (vide discurso de posse do Presidente da República em 2011), é o silêncio do Presidente. Infelizmente, sabemos que até aqui, no consulado de Seguro à frente do PS, os socialistas contemporizaram com este trágico e monumental fracasso, quanto mais não seja pela permanente disponibilidade para negociar com um Governo ilegítimo (não do ponto de vista da legitimidade eleitoral formal, mas sim por governar sem mandato político). Porém, tendo em conta a calamitosa situação da dívida pública portuguesa, não se percebe também que a nova direção do PS persista em não tomar uma posição sobre o assunto, para levar a votos e lhe dar força negocial na Europa. Mais: será até suicidário se o PS, porventura, vier a estar disponível para reciclar e branquear este legado fracassado da direita numa eventual "grande coligação" após as legislativas de 2015.»

10 thoughts on “Exactissimamente”

  1. agora é que o freire vem dizer isso! o que ele devia ter feito era antecipar o que aí vinha, e não participar no coro exultante que mandou o outro (e o país) para o cadafalso. aliou-se com os rapazolas na pretensão (conseguida) de obter a pele do mafamede. agora está indignado. espero, pelo menos, que tenha aprendido.

  2. e eu que vim visitar o Aspirina à espera de ver um comentário do Valupi acerca das palmas do Francisco Assis ao discurso de despedida do Barroso de Presidente da Comissão Europeia.

  3. assis, não tenho essa ideia do André Freire, talvez por desatenção ou falta de memória . Em que te baseias?
    __

    joao, também senti essa tentação. Mas depois pensei que o Assis tem todo o direito a fazer figura de parvo.

    E tu, que pensas da coisa?

  4. oh joão, toda a gente de bom senso aplaude a saída do barroso da comissão europeia. tu pelos vistos já estás com sódades.

  5. o que eu acho Valupi é que o Assis faz figura de parvo várias vezes, e quando se faz figura de parvo varias vezes, já se é só parvo.
    ó Ignatz o Assis não aplaudiu porque o Barroso ía sair, ele aplaudiu pelo reconhecimento do trabalho feito.
    Ah e por ser português. Que como sabemos é uma qualidade extraordinária vidé Cavaco Silva, Passos Coelho, Catroga,Relvas, Vitor Gaspar, Crato, etc etc.

  6. eu juro que não aplaudi o barroso!…
    quando ao andré freire, basta consultar os seus escritos pré-2011. começou a espernear contra os rapazolas quando estes lhe foram ao bolso. e basta olhar como ele agora cita as descidas do pib: para ele tudo é igual 2008, 2009 (2010 não lhe interessa), 2011, 2012, 2013. não lhe interessa que em 2008 e 2009 o país estivesse a decrescer menos que a europa e que em 2011, 2012, 2013 aí sim estivéssemos em profunda divergência com a europa, apesar da austeridade expansionista proclamada pela rapaziada.

  7. “… palmas do Francisco Assis ao discurso de despedida do Barroso de Presidente da Comissão Europeia.”

    pelos vistos aplaudiu a saída, foste tu que escreveste. isso dos reconhecimentos do trabalho feito são efabulações da comunada que diz querer sair da comunidade mas lá vai enviando uns deputados para a teta europeia.

  8. tenham calma rapazes,as coisas estão a melhorar.a direita agora já diz pré -bancarrota!o assis,bateu palmas,porque a diplomacia e´a sua maior virtude e tambem sabe que os canlhas não perdoam a indiferença!

  9. joão ,o assis até pode estar à tua direita,mas mais parvo do que tu,não é,pois é um tipo extremamente inteligente!

  10. Conclusão; – Para que serve um presidente da República
    quando existe uma maioria “acéfala” que sem sufrágio pa-
    ra tal, destrói o País alegando fazer “reformas” ?
    Basta olhar para o estado em que se encontram as mais
    importante àreas da governação, Justiça, Educação e Saú-
    de … sim, passando pela desregulamentação das condições
    de trabalho dos portugueses!
    Que raio de ajustamento foi este ? Está o País melhor do
    que em 2011 ? Quais os indicadores que o demonstram ?
    Até o alegado p.ministro fala de “guludice” pelo Pote, ao
    pretender negar a antecipação de legislativas, mostrando
    que foi guloso em 2011 … dizem que isto é um Estado de
    Direito, será mesmo ???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.