18 thoughts on “Exactissimamente”

  1. e esse catolicismo defeituoso está já tão entranhado no tecido empresarial português que não será por acaso que nos últimos dois anos crescem as ofertas de emprego em regime de voluntariado ou também, vamos lá depurar palavras, estágios profissionais ao abrigo da medida estímulo.

  2. pois… pois…

    “… estaremos muito mal quando Soares precisar que um papa venha em seu auxílio, carago.”

    Val, 26 de Novembro de 2013 às 21:24, dois postes atrás

  3. Mas, afinal, qual é o problema com a “promoção obsessiva de um liberalismo económico radical”, se o liberalismo é (segundo certos papagaios) uma doutrina de “esquerda” que surgiu para combater a “direita despótica e monárquica”, e se é o mesmo que “democracia”, pois, por definição, consiste no regime de “um homem, um voto” (segundo os mesmos papagaios)?
    Se há papagaios que dizem que a social-democracia e o liberalismo estão unificados no demoliberalismo, por que é que a UCP não pode defender a unidade entre a doutrina social da igreja e o liberalismo económico, se até o Max Weber disse que o capitalismo foi impulsionado pela ética individualista protestante?

  4. fico exaurida com tanta estupidez. o texto fala da universidade católica ser pouco católica. e se há ponte a fazer com Soares é esta e só esta: o Papa Francisco não está para a universidade católica, em particular, e para o catolicismo praticado em geral – como Soares não esteve para a democracia neste e em outros episódios anteriores.

    e nunca é demais dizer: estaremos muito mal quando Soares precisar que um papa venha em seu auxílio, carago. isso poderia querer dizer que foi ateu com a democracia – já que agora foi pouco católico.

  5. e fora a comparação com as testemunhas de jeová, ignatz, conhecidas por terem um papel político concorrente com o do papa.

  6. os tristes e frustrados – terroristas e por isso criminosos cibernautas – rejubilam-se com a inevitável, e própria, imbecilidade. não parem: venham-se muitas, e mais, vezes.

  7. por falar em tristes & frutados, aquele grande prémio que venceste em 2011, ao volante de “a dona dos sonhos dele”, não aparece referenciado em lado algum e a alfarroba só conhece a olinda gil. na volta estamos na presença de mais um perfil falso a recibos verdes por conta da sociedade anónima fernando moreira.

  8. oh bimba! pelos vistos construiste um perfil manhoso, escarrapachaste-o na net e quando te perguntam como é, chutas para noites de devassa da vida privada duma contrafacção lá coste de caparike. tirando o mestrado aos broches do val, que tiraste aqui nas caixas de comentários, as tuas habilitações literárias devem dar para esfregar soalhos a tempo parcial.

  9. acabaram de acabar as tuas fichas, ignatz. e ficas a saber que a ser verdade, que não é pelo menos aqui no blogue :-), os broches só podem ser uma linda expressão corporal daquilo que é dar e receber.

  10. caga nas fichas, bota mazé o link do prémio que alfarroubaste à olinda gil. inventaste um perfil de merda e nem sequer isso consegues ser.

  11. olha que rica oportunidade de me dares o teu endereço postal para eu te enviar um exemplar do meu magnífico conto e também os teus dados à polícia – só para esta entidade não ter de andar a investigar o aspirina para saber de ti, e da tua companheira terrorista.

  12. aproveita e manda tamém cópia dos diplomas daqueles 10 cursos que tiraraste naquelas universidades em que entraste por cima, azulejos e patati patatá, que a brigada de falsificações agradece. podes mandar para: ignatz@clix.pt e não te esqueças de pôr os selos, que eu não pago multas dos outros.

  13. ignóbil – tu e os que andam encapuzados, não para não serem atacados, para atacar presas que fixam. isto dava uma dissertação sobre os caminhos da frustração da e na personalidade. olha uma ideia: seres cobaia de um estudo de caso para a(finalmente) mensuração da infelicidade patológica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.