Ética em pó com sabor a laranja

A ERC produziu um relatório que é absolutamente esclarecedor

Francisca Almeida, vice-presidente da bancada social-democrata

__

[…] reconhece-se que a atuação do ministro nos telefonemas trocados com os responsáveis editoriais, usando de um tom exaltado e ameaçando deixar de falar pessoalmente com o Público, poderá ser objeto de um juízo negativo no plano ético e institucional, o que aqui se assinala, ainda que não caiba à ERC pronunciar-se sobre tal juízo.

Magno lavar de mãos

8 thoughts on “Ética em pó com sabor a laranja”

  1. essa xica almeida é cá uma abécula c’até mete dó, já o magnólio certifica qualquer disparate com voz de colhão e pose d’estado, enfim, ignorância e pedantismo subservientes de mão dada.

  2. Será que a ERC ao não dar como provado uma data de coisas não está a dar como provado o seu contrário?
    E o que é que são, no entender da ERC, pressões ilícitas?
    Será lícito eu divulgar os rendimentos do pessoal da ERC?
    Será lícito eu telefonar a um amigo da ERC pedindo-lhe para ser benévolo no seu parecer?
    Será lícito eu, como ministro, telefonar para uma direção de um jornal tentando impedir a saída de uma notícia que diz que eu meto os pés pelas mãos?
    Como é que a ERC pretende no futuro que alguém prove que outrém o ameaçou telefonicamente se me é vedado por lei a gravação de conversas privadas ou a sua utilização em juízo?
    Como é que a ERC dá como testemunha fidedigna duma ocorrência quem não esteve presente durante toda a duração da ocorrência e depende hierarquicamente/monetariamente de quem é acusado?
    Talvez um dia o historiador Carlos Magno se digne esclarecer-nos.

  3. Sim, é verdade, o abécula do rato muitas vezes acerta.

    Para os curiosos, a deputada da nação toda contentinha consigo própria, para melhor se ligar a carinha laroca às categóricas afirmações, com backgound musical todo trolarocas e tudo:
    http://www.dn.pt/videos/?content_id=2408513&seccao=Pessoas

    Pergunta um leitor, com piada: «A D. Francisquinha de nariz empinado, que deveria ainda estar a comer a sopinha é filha de quem?…»

  4. oh nhanha1/2relles! emparelhas bem com o magnólio em matéria de pedantismo, pega lá esta obra prima sacada da sábado que mostra o verdadeiro perfil da vesga.

    Tocou piano mas não tinha jeito. Fez hipismo mas caiu várias vezes do cavalo. É advogada mas queria ser jornalista.

    Conheça Francisca Almeida, a jovem deputada de 26 anos, do PSD, que veio de Guimarães para Lisboa para fazer parte da equipa da comissão de inquérito à actuação do Governo na compra da TVI. Mas que continua a voltar para casa todos os fins-de-semana.

    http://www.sabado.pt/Pessoas-Nova/Pessoas/Primeira-Pessoa-(2)/Francisca-Almeida.aspx

  5. eu também penso que a Francisca é muito melhor a fazer de alfinetes de peito do que a fazer política..opiniões…

  6. «A D. Francisquinha de nariz empinado, que deveria ainda estar a comer a sopinha é filha de quem?…»

    De um pedante qualquer com a educação de um labrego das beiras. Só assim se justifica chamar um seu rebento de ” Franscisca”. Não há melhor cartão de visita para identificar meninas betinhas. Está lá em cima juntamente com as “Constanças”, e as “Leonores”

  7. Ó gato Vadio, bem podias faicar calado, com essa treta do nome, meu. Tu tens rebentos? diz-me lá o nome de um?! A gaja é o que é, mas daí a mandares vir com o nome, olha que estás perto de seres um labrego também, pá! Achas que a gaja se devia chamar conceição, maria do carmo, ou kátia, como a irmã do peneirento do Ronaldo, pá? Ou Tatiana?

  8. acho qu eestá uito bem. os parlamentares devem representar quem os elege. A senhora está, portanto, bem, no seu papel …de embrulho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.