Este país não é para sucateiros

Oliveira Costa, condenado a 14 anos de prisão em primeira instância por: falsificação de documentos, fraude fiscal qualificada, burla qualificada e branqueamento de capitais.

Manuel Godinho, condenado a 17 anos e meio de prisão em primeira instância por: associação criminosa, corrupção, tráfico de influência, furto qualificado, burla, falsificação e perturbação de arrematação pública.

Cálculo dos prejuízos públicos causados por Oliveira Costa: podem chegar aos nove mil milhões de euros.

Cálculo dos prejuízos públicos causados por Manuel Godinho: ninguém sabe, e ninguém se importa com isso tão irrisórios serão esses valores.

21 thoughts on “Este país não é para sucateiros”

  1. Um verdadeiro atentado à inteligência dos portugueses e uma nojeira de justiça à portuguesa todo o processo do “sucateiro”.
    E pasme-se, o pobre diabo do sucateiro que chegou a empresário depois de um miserável trabalho de comprar sucata e ferro velho de porta em porta com um triciclo foi acusado de, calculem, “Associação Criminosa” por ter uma lista de contactos de clientes.
    O BPN um verdadeiro ninho de ex-ministros e ex-secretários de Estado e outros altos dignitários do cavaquistão, incluindo o próprio, nunca nenhum magistrado, juiz ou procurador geral procurou ou alguma vez levantou a hipótese de que aquele grupo de assépticos banqueiros associados, fossem uma associação de criminosos pese levassem uma vida que, embora de fato de corte e colarinho branco, foi sempre mui dedicados a roubos de milhões. Milhões que estão calculados e contabilizados os quais os portugueses estão pagando.
    Contudo, ao sucateiro, não há contabilização do roubo por um motivo; é que não há roubo nenhum. O roubo que houve praticou-o o MP sobre o país ao destruir uma empresa rentável que dava empregos e pagava impostos. O roubo inventado sobre um trabalho aberto visível e não obscuro, como no BPN, devidamente legalizado e registado do sucateiro “exemplarmente” castigado foi tão simplesmente o pretexto para caçar uns quantos socialistas graúdos e sobretudo contaminados com o pecado original de serem amigos do Sócrates.
    E a grande piada é que sendo a lista de contactos a “prova” da “associação de criminosos” nessa lista só havia os contactos dos administradores de empresas amigos de Sócrates e nem um contacto, um único sequer, de um administrador amigo de cavaco ou do grande cavaquistão.
    Quem são, o que já fizeram na vida e o que sabem da vida de negócios tais juízes, especialmente que sabem do trabalho duro insano de trolhas e operários que se fazem do nada até chegarem a empresários?
    Pela ligeireza com que tratam uma lista de contactos de um empresário como sendo prova de “Associação de criminosos” topa-se logo que nada entendem da vida dos negócios e não só; não entendem nem fizeram nada na vida em prol da comunidade a não ser criar calos no cu com estarem sentados à secretária a julgar papelada.
    Esta gente arrepia qualquer cidadão honesto.

  2. “E a grande piada é que sendo a lista de contactos a “prova” da “associação de criminosos” nessa lista só havia os contactos dos administradores de empresas amigos de Sócrates e nem um contacto, um único sequer, de um administrador amigo de cavaco ou do grande cavaquistão.” – neves acima

    havia… havia, o mini-mendes, o lóreiro e mais uns quantos faziam parte das listas de prendas e contactos do sr. godinho, mas foram retirados à última hora para não foder a história. se perguntarem porquê ao mano da procuradureira chegam à cavaqueira.

    http://www.tsf.pt/portugal/justica/interior/advogados-estranham-desaparecimento-de-nomes-de-lista-da
    pj-2261919.html

  3. a quanto chega o prejuízo provocado pelo Salgado ? dá para perpétua , non ? se formos punir contando os milhões há um rapaz lá de cima das beiras que está tramado.

  4. Curta, mas certeira, Valupi.
    Nota máxima para o comentário do José Neves.
    Para quando um Órgão, eleito pelo voto, que faça a análise destas sentenças e a gestão dos “justiceiros” que as pronunciam?

  5. Há 40 anos a ver sucateiros à solta e só meia dúzia é que foram localizados…como é que eu não seria um grande reaça? só se eu fosse ceguinho.
    Ao menos o Alves dos Reis fez a coisa com classe!

  6. Eheheh, que vergonha de post que omite o que os une!

    Manuel Godinho, não!
    Dias Loureiro, não!
    Ricardo Salgado?, não!
    Oliveira e Costa?, não!

    Armando Vara? , não?
    José Sócrates, sim!

  7. Pois…
    Mas não é o Godinho que o preocupa, é o VARA .

    Deviam recolher imediatamente aos calabouços e aí aguardarem eventuais decisões sobre os recursos que, mais que certo, vão apresentar . É assim que sucede na Alemanha .
    E na América, um gajo que tenha sido condenado a prisão perpétua, se lhe faltar apenss um dia para completar 90 anos , na data da sentença , vai para a prisão e cumpre lá a pena .
    Só se livra da prisao se à data da sentença já tiver feito 90 anos .
    Mas esses são países atrasados, nós somos os evoluídos …

  8. É uma tentativa tosca dos operadores judiciais de querer mostrar uma isenção
    que não existe! A ideia, será passar a mensagem que, o colarinho branco come
    tanto como o fato macaco … sem olhar aos prejuízos causados à Sociedade!
    A chamada “operação face oculta”, mais não foi do que uma montagem conduzi-
    da por pessoas que, desde o início deviam ter sido afastadas das investigações
    por manifesta manipulação de informação e, interesse pessoal nas fugas de in-
    formação, promovendo o tal julgamento popular fora dos tribunais!
    Logo, a Justiça não terá grandes melhoras se continuar a manter nas magistra-
    turas pessoas incompetentes que se prestam a fazer fretes … não há razão que
    justifique a manutenção de “castas” com poder discricionário, armadas em jus-
    ticeiras sem analisar o envolvimento em que decorrem certas situações!!!

  9. If you don’t look good, we don’t look good – vidal sassoon
    Claro que tinha de haver e em grande maioria. Essa é outra mentira que o pagode papa ingenuamente sem perceber, como diz o pacheco pachecoiso que “os grandes empresários colam-se sempre ao poder do dia” para tratar de negócios mas rarissíssimamente não são puros e duros direitolas ligados e financiadores dos pàf.
    O próprio sucateiro, certamente analfabeto ideológico, seria um rude e tosco pàfiano que foi utilizado como anzol para apanhar pesca da lista dos procuradores. Ele, que certamente nunca leu kafka, deve estar a perguntar a si mesmo como é que tendo votado sempre naquela maltosa amiga foi metido naquilo e condenado sem saber sequer qual foi o seu crime.
    Mas este MP, dominado por gente anti-democrata do antigamente, ou por convicção ou por gozo do abuso de poder tipo inquisitorial onde a perseguição religiosa servia para disfarçar a caça ao inimigo político, não olha a meios nem processos para saciar vinganças corporativas.
    E também porque, feitos e habituados na cultura judicial salazarista de senhores intocáveis acima do povo, não aceitam a Democracia e o poder democrático que os obriga a estudar e usar a racionalidade e inteligência para poderem acusar e julgar segundo as leis democráticas.
    A Democradia é, para tais senhores, um empata que não os trata como intocáveis e contraria o antigo e usual doce-far-niente que lhes permitia passar pelo gabinete e pôr o visto e depois passar a tarde à mesa do restaurante preferido.

  10. Se roubares um tostão, és um ladrão!

    SE ROUBARES UM MILHÃO, ÉS…………… UM ILUSTRE BANQUEIRO

    Este ditado é conhecido do nosso povo de há muito. Este é um mal que já vem lá muito de trás!

  11. Não foi só a venda da sucata, esta foi precedida por vários governos que deixaram a ferrovia e o material circulante ao abandono e a degradar-se ( para assim se poder criar uma justificação para a venda ) há responsáveis a todos os níveis e beneficiários nos segmentos que vamos conhecendo, assim também se dando uma “contribuição” para a destruição da memória histórica .
    Alguns ” autarcas ” geralmente recrutados no funcionalismo publico local, alguns até descendentes de progenitores que trabalharam no sector ferroviario, querendo agradar aos pais e apagar uma certa memoria histórica de probreza, até acolheram bem e aplaudiram a medida ( luvas ? Je ne sais pas !) e em canal ferroviário, foram criadas ecopistas para ciclistas e corridas de atletismo, sapatilhas low cost Sport Zone e barriga de cerveja, um dia também se realizarão corridas de porquinhos e caracóis – há que inovar para rentabilizar e apresentar ” factos políticos ” ao Povo .

    O mesmo entusiasmo autarco-local rodeou a construção de barragens hidráulicas em locais que o Salazarismo-Marcelismo tinha já concluido não terem nem interesse energético nem viabilidade económica.

    Enfim, tudo dentro da excelsa filosofia, expendida pelo Nicolau no filme, Call Girl : QUE SE FODAM OS SOBREIROS!

    As oliveiras, essas já tinham sido embalsamadas em resina e formol para irem embelezar certos recantos em jardins da Suiça ( algumas com 1000 e 2000 anos, e em perfeito estado de saúde ) .
    Outra parte importante do sector olivícola, foi parar a sectores judaicos ( como se sabe, onde põem o pé, nunca mais dão com a porta da saída ).

    E no entanto, os ultramontanos, que de impostos, pouco ou quase nada pagam, de modo geral vivem bem . Casas boas, restauradas, carros, tutti quanti .
    Turismo local, gastronomia, solares e mansões restaurados de acordo com a traça rigorosa original, isto é, com piscina, que era coisa que não existia, mas agricultura, pouco, porque aquelas terras de fragas nunca deram nada, nem nunca darão.

    Como disse o Cid, devia ter sido construída uma muralha .
    Gonçalves Rapazote, por exemplo, veio de lá. E trouxe muito chulé com ele .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.