6 thoughts on “Estado de direito”

  1. Errata – Pede-se encarecidamente aos Srs. Magistrados que rectifiquem a copia da Constituição em V. poder.Onde até agora leram Estado de Direita, passem por favor a ler Estado de Direito. O People agradece.

  2. Esta discussão já está feita e continuar serve apenas para fazer predurar a espuma que entretanto se criou em torno deste tema.

    Julgo haver duas questões fundamentais que já deviam estar na “agenda” de todos os comentadores:

    – Investigar quem foram os responsaveis pela fuga de informação destes processo e que medidas tomar.

    – Centrar novamente a atenção no processo “Face oculta” e através de uma reflecção séria sobre aquelas que são as relações/ligações (de sempre) entre o poder economico e o poder politico.

  3. Parece impossível que ainda haja quem tenha dúvidas em relação a isto tudo. Até parece que ninguém ouviu o professor Marcelo, e ele explicou tudo tão bem explicadinho. Esqueceu-se foi de condenar as fugas ao segredo de justiça e o aproveitamento político que a oposição está a fazer com base nas mesmas. Gostei muito da parte em que disse que os ministros Silvas são pobres e mal agradecidos. Então, se as fugas só ocorreram depois das eleições, eles queixam-se de quê?

  4. Eh pá, a canalhada, quando o é a sério, como neste caso, quer lá saber do que está legislado, no doc. fundamental ou noutro qualquer… Ela quer é atingir os seus sujos objectivos, É PARA ISSO QUE ESTÁ NOS SEUS POSTOS, lamentavelmente, com toda a impunidade, como se verá!!!

  5. Estamos irremediávelmente condenados a suportar os srs. magistrados que estão muito quentinhos nos seus buraquinhos, a fazer intrigazinhas que nos vão tramar a todos ,porque não sabem outra maneira de conseguir os seus intentos. Não andaram a estudar direito para trabalharem esforçadamente,nem para concorrerem lealmente a eleições,nem para competirem taco a taco e com honestidade com os oponentes.Cá nesta terra , quem andou em direito é para mandar nos outros, sem eleições, com nomeações de favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.