Espionagem política

Vieira da Silva tinha razão. Santos Silva tinha razão. E só quem não tenha olhos é que não vê: o Face Oculta é também, ou principalmente, um caso de espionagem política. A impunidade com que prossegue esta campanha de devassa da privacidade, cujo único móbil é o assassinato de carácter e a intoxicação da opinião pública, emporcalha a sociedade.

E veja-se quem são aqueles que chafurdam nisto. A sua irreversível corrupção moral.

8 thoughts on “Espionagem política”

  1. Não é só espionagem, é alta traição, é uma tentativa de derrube de um governo legitimamente eleito, é terrorismo. Basta de paninhos quentes para com essa mafia inimputável.

  2. Concordo com tudo o que li acima e subscrevo.
    Esta estado de coisas só foi possivel com a conivência de vários partidos que vivem desde há anos na ilusão de que governar é fácil e de que será mais fácil governar se se enfranquecer o PS fazendo cair José sócrates.Só há uma maneira de pôr fim a toda esta ignomínia, é fazer com que todos os membros associados e simpatizantes do Ps se unam em torno do Primeiro ministro.Esta máfia tem que cair.

  3. A operação Nova PIDE foi coordenada entre gente da comunicação social, magistrados, agentes de polícia e responsáveis partidários. Para o provar basta seguir o percurso das informações obtidas por escutas ilegais: onde se geraram essas informações, por que mãos passaram até aparecerem nos computadores da Guedes, do Saraiva, do Monteiro e dos outros pasquineiros, com conhecimento para políticos laranjas. É uma rede ou quadrilha, actuando os seus membros à margem da lei como vulgares criminosos.

    É necessário identificar todas essas faces ocultas. É preciso saber quem coordenou e como se ligou o PSD e a sua direcção à operação. É preciso saber se há bufos e pides bloquistas/comunistas metidos na dita. É preciso saber qual foi o papel de Belém na golpada, desde o caso das escutas inventadas por acessores de Cavaco.

    Quem com ferro mata, com ferro morre. Ninguém vai mais esquecer esta tentativa de golpe. Contra os seus autores, receptadores e beneficiários é legítimo usar os mesmos métodos.

  4. Não se pode estranhar em demasia este desmesurado uso de linchamento político, quando se nota que são os próprios magistrados que “entram na dança”, quando põem os seus “ponta-de-lança” num “sindicato” e vêm desafiar o Procurador-Geral da República, como acontece hoje com o Dr. Palma.
    É neste autêntico lamaçal, que medra esta dita “intelectualidade” que quer guindar-se a “tachos” mais “in” e como não foram eleitos, querem usurpar o poder por métodos caceteiros. Para isso terão de começar “a minar” os “jovens oficiais” das F.A. e “mobilizá-los” para uma qualquer guerra para que estes se revoltem e, aí sim, a “sociedade” (deles) terá de ser mudada…

  5. E verdade, Nik. Não sei é se as armas do voto popular e agora da blogosfera vão ser suficientes contra tanto poder ,contra a demrocracia conjugado. O PR já legitimou uma comissão de inquerito contra o PM, comissão que nada tem para inquirir e nada mais tem a fazer a não ser pedir e mandar divulgar conversas privadas sem relevancia criminal, segundo o presidente do STJ, para alimentar, até à intoxicação total, a opinião pública contra Sócrates. A situação está de tal forma envenenada na comunicação social, toda ela, que só uma demonstranção de total unidade por parte do PS poderá alterar o rumo dos acontecimentos. Não bastam declarações avulsas de Sampaio, Mário Soares ou Almeida Santos, quando está em curso, diante de toda a gente, um sujo e inqualificável golpe contra a democracia. Os sindicatos dos magistrados saltam por cima dos superiores hierarquicos e vão «conversar» com o PR. Depois do esclarecimento cabal de quem poderia fazer algo dentro da PT para comprar parte da TVi, o PR diz que o País ´não está esclarecido. E avança a comissão infamante, com dois meses pela frente, para arrastar na lama a pessoa do PM. Ao divulgar, hoje, no DN, o teor da sua conversa com Cavaco, o chefe dos sindicato dos magistrados está a provocar o confronto, mais uma vez, entre orgãos de soberania. Sabe que o PR tem a bomba atómica nas mãs mas precisa de um pretexto para a lançar. Para mim, o PR quer isso mesmo e já, porque o País pode dar sinais fortes de recuperação e a coisa complicava-se. Ao contrário do que alguns pensam, eu acho que a instabilidade joga a favor de Cavaco. Como na história das escutas, os mesmos que falam de estabilidade querem exactamente o contrário: o escutado é acusado de escutar….Vai ser a mesma tactica. A entrevista do magistrado sindicalista, ao revelar o conteudo da conversa em Belem, vai nesse sentido. Esperem os proximos episódios.

  6. e o pior de tudo é que o povo não viu a marosca cavaquista, creio eu, iludido com o presidente sonso y su maria, a que proibiu massagens nas praias do allgarve. Plutão, conto contigo, é ir até ao fundo, até ao fim, ao fim do fundo.

  7. Eu presumo que, de momento, o PGR tem os investigadores e procuradores de Aveiro, bem como os jornalistas do Sol agarrados pelos tomates.
    Estando as escutas num qualquer cofre da PGR, como justificar a fuga ao segredo de justiça sem levantar fortes suspeitas que tal fuga saiu de Aveiro?
    O processo face oculta é para andar, ou não existe investigação para além das escutas?
    Trambolhos….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.