Escolher a boa parte

Os últimos quatro dias terão provocado grave dano na presunção de inocência de Sócrates aos olhos da opinião pública que vê televisão. Começou na sexta-feira, no Telejornal na RTP, com esta peça: Ex-mulher de Sócrates reagiu a todas as suspeitas que a associam à Operação Marquês. A reportagem está construída com o propósito de enfatizar as suspeições e deixar um resultado difamatório inequívoco. Acresce que José Rodrigues dos Santos a promoveu e introduziu esforçando-se por reforçar, com o tom de voz e a expressão facial, o seu estatuto de “denúncia chocante”. O que se viu não é muito diferente do que passa na CMTV.

Nesta segunda-feira, foi a vez de a TVI atacar com Empresas de Santos Silva ganham 115 milhões. Mais uma vez, a narrativa intenta realçar as suspeições e deixa um resultado difamatório inequívoco. Empresas que ganham concursos, ainda para mais em projectos estatais, está visto que só graças à corrupção, é a lógica da peça.

No sábado, foi a vez de Clara Ferreira Alves, no Eixo do Mal, revelar a sua conversão à verdade do Correio da Manhã e de qualquer ranhoso que se preze. Segundo disse, percebeu que “Sócrates tinha uma relação com o dinheiro, no mínimo, leviana“. Porquê? Porque pedia dinheiro emprestado, em especial aos amigos. Então, continuou, assim se explica a pré-bancarrota de 2011 e devemos estar agradecidos por terem apeado o sujeito pois ele continuaria a pedir dinheiro emprestado caso lá continuasse. O interesse do episódio não está na espectacular tonteira do raciocínio mas no que ele assinala como demarcação moral por parte da sua autora.

É provável que mais de 90% das audiências destes momentos televisivos tenha reagido sem qualquer espírito crítico e tenha aderido ao sentido proposto pelos mensageiros. Todavia, seja na história do apartamento de Sofia Fava e da sua ligação pessoal a Santos Silva, seja na história da actividade empresarial de Santos Silva, não há qualquer prova de actividades ilícitas. A par da linha da suspeição, que foi a opção explorada, é igualmente fácil imaginar um quadro de perfeita correcção para explicar os mesmos factos. Só que a opinião pública não desenvolverá esse esforço, a condenação sem julgamento adensa-se a cada exposição dos laços que unem os protagonistas e do que eles fizeram com os seus rendimentos e património.

Na “Operação Marquês” não haverá empate nem se farão prisioneiros. De um lado, temos uma figura que representa muito mais do que a sua esfera privada, pelo que terá de sair imaculada para estar à altura dessa responsabilidade. Do outro lado, temos uma Justiça que assumiu o risco de provocar um terramoto político em cima de um duplo ciclo eleitoral, legislativas e presidenciais. De acordo com Ricardo Costa – Sócrates, os próximos anos – a vitória será da acusação. Este Costa adora fazer profecias, talvez por não ter grande jeito para a função. Antes da crise governativa, no Verão de 2013, andava a proclamar como quem desafia os deuses que o Governo chegaria ao fim da legislatura. No auge dessa crise, veio dizer que se tinha enganado e que o Governo iria cair, fatalmente. Com Sócrates, pode ou não ter razão, como sempre e como qualquer um. Mas se tiver, e mesmo que o caso se fique por uma acusação de fraude fiscal, tal desfecho será demolidor para o PS e doloroso para a boa parte deste país. A boa parte é aquela que prefere uma inocência falsa a uma falsa acusação, seja quem for o cidadão, pelo que tem resistido sem vacilar à formidável indústria, e ubíqua cultura, da calúnia.

Está-se muito bem entre essa gente. É gente livre e da liberdade.

__

[Clara Ferreira Alves também vocaliza “acórdos” em vez de “acôrdos”. Não admira que esteja confusa em relação a outras matérias.]

18 thoughts on “Escolher a boa parte”

  1. “Mas se tiver, e mesmo que o caso se fique por uma acusação de fraude fiscal, tal desfecho será demolidor para o PS e doloroso para a boa parte deste país.”

    já o acusaram de tudo e mais alguma coisa, mas nunca provaram nada e tudo indica que desta vez será igual, caso contrário não andavam a ensaiar fugas de justiça para sustentar a acusação na praça e tentar comprometer o suspeito com declarações. o que eu espero que seja demolidor será a persistência e a corajem do sócras em levar isto até ao fim e desmontar o esquemático da direita ganhar eleições, quando 1/2 dúzia deles, presidôncio e procuradeira incluídos, os outros botam a boca no trombone e acaba o regabofe justicialista.

  2. «já o acusaram de tudo e mais alguma coisa, mas nunca provaram nada e tudo indica que desta vez será igual, caso contrário não andavam a ensaiar fugas de justiça para sustentar a acusação na praça e tentar comprometer o suspeito com declarações. o que eu espero que seja demolidor será a persistência e a corajem do sócras em levar isto até ao fim e desmontar o esquemático da direita ganhar eleições, quando 1/2 dúzia deles, presidôncio e procuradeira incluídos, os outros botam a boca no trombone e acaba o regabofe justicialista.»

    Como pode ser tão ignorante? Patético? Você é um fósforo que nunca acenderá! Então, o requerimento para denunciar os atropelos processuais, a perseguição política e outra ( qual?), onde está? Você parece saber tanto…e esse tanto poderia, qui le sait (?) ajudar à defesa de um homem preso! Ajude-o. O caro comentador tem, inclusive, um acervo de palavras ao seu dispôr tão diversificado…qualificativo, perentório, não larga a rede social…tem tempo, conhece tudo, gosta muito de links, nestes se inspira, uma inteligência de «mão cheia» ( mas eu acho que é de NADA). Em alternativa, tem sempre a possibilidade de se candidatar à magistratura, para mudar os que critica tanto, e repôr a ética que deve nortear os homens. Porque não o faz? Aparentemente, para o comentador ( qual é o seu nick mais usual? É que usa muitos e usurpa outros e…) é tão fácil discorrer sobre direito – o da universidade, entenda-se.
    Democracia consigo? A sério? Não se reproduza, se faz favor.

  3. cegueta vejo tanta gente a indignar-se com a maneira desta justiça funcionar, e ficas incomodado pelas reaçções do ignatz. Não me digas que não se pode criticar a justiça?

  4. Ó JÉ BICOS, mas tu pensas? A sério? Não precisas de continuares a ilustrar o mito de sisífo…não te esforces. Tu não reages, tu implodes com tamanha falta de visão. Por isso, não te vejo, mas já que persistes em anunciar-te…toma lá, pode ser que tussas de vez e deixes o ar subir à cabeça. Não acreditas na solidariedade humana? Eu sim.

  5. É impressão minha ou existem vários numbejonada?
    Entre as 15.33 e as 17:27 trocou de turno.
    Saiu a arrastadeira que trata por você e que pelos vistos nem conhece os cantos à casa, e chegou o carroceiro que não sabe escrever.

  6. Ó Liãoe, a tua juba hoje debe ter ido ao baeta pá, oube, ainda beie ca riconhesses a polibalenssia, pá. contudoe, num creio que consigase acumpanhá-la, ó jÉ BICOS, num te priocupes cum questõese de forma, mas de conteúdo pá, tá beie? oqueie. oube carruçeirro éze tu, que bendes colorau à porta do caminhãoe, lá na tua ótoistrada. ganda maluka.

  7. Conteúdo? Qual? Essas patacoadas e insultos que debitas escondidas atrás de uma ortografia labrega?
    O teu problema é que só tens forma, e não é bonita de se ver!

    Vê lá não te esqueças é de picar o ponto ou o Dr Relvas não te paga as horas extra ordinárias.

  8. olháki uma lista de solidários.

    cavaco silva, oliveira e costa, dias loureiro, arlindo de carvalho, josé neto, coelho marinho, carlos alexandre (esse todo)
    almiro silva – accionista da sln
    1 crime de burla qualificada sob a forma de cumplicidade
    antónio franco – administrador do bpn (entre 2006 e 2008)
    1 crime de burla qualificada sob a forma de cumplicidade
    antónio marques cavaco – accionista da sln
    1 crime de burla qualificada sob a forma de cumplicidade
    1 crime de falsificação de documento sob a forma de cumplicidade
    fernando cordeiro – accionista da sln
    1 crime de burla qualificada sob a forma de cumplicidade
    filipe baião do nascimento – advogado
    1 crime de burla qualificada
    1 crime de abuso de confiança
    1 crime de burla qualificada como autor material
    francisco sanches – administrador da sln
    2 crimes de abuso de confiança
    1 crime de burla qualificada
    1 crime de falsificação de documento
    1 crime de infidelidade
    1 crime de aquisição ilícita de acções
    hernâni ferreira – gerente da sociedade fo imobiliária
    1 crime de burla qualificada
    isabel cardoso – administradora da planfin
    1 crime de abuso de confiança sob a forma de cumplicidade
    1 crime de burla qualificada sob a forma de cumplicidade
    1 crime de falsificação de documento como autora material
    isabel ferreira – colaboradora da planfin
    1 crime de abuso de confiança
    1 crime de falsificação de documento
    josé monteverde – sócio de uma empresa ligada à sln
    1 crime de abuso de confiança sob a forma de cumplicidade
    1 crime de burla qualificada
    josé oliveira e costa – presidente executivo da sln (entre 1998 e 2008)
    1 crime de abuso de confiança
    1 crime de burla qualificada
    1 crime de falsificação de documento
    1 crime de infidelidade
    1 crime de branqueamento de capitais
    1 crime de fraude fiscal qualificada
    1 crime de aquisição ilícita de acções
    josé vaz de mascarenhas – presidente do banco insular de cabo verde
    2 crimes de abuso de confiança
    1 crime de burla qualificada
    1 crime de falsificação de documento
    leonel mateus – administrador da planfin
    1 crime de abuso de confiança
    1 crime de burla qualificada
    1 crime de falsificação de documento
    1 crime de infidelidade
    luís caprichoso – administrador da sln
    2 crimes de abuso de confiança
    1 crime de burla qualificada
    1 crime de falsificação de documento
    1 crime de infidelidade
    1 crime de aquisição ilícita de acções
    Luís Ferreira Alves – responsável da Labicer
    1 crime de burla qualificada
    luís reis almeida – administrador da planfin
    1 crime de abuso de confiança
    1 crime de burla qualificada
    1 crime de falsificação de documento
    1 crime de infidelidade
    manuel antónio sousa – accionista da sln
    1 crime de burla qualificada sob a forma de cumplicidade
    manuel marques cavaco – accionista da sln
    1 crime de burla qualificada sob a forma de cumplicidade
    manuel silva santos – galerista
    1 crime de branqueamento de capitais como autor material
    ricardo oliveira – administrador da sln
    1 crime de burla qualificada
    1 crime de falsificação de documento, como autor material
    rui almeida fonseca – accionista da sln
    1 crime de burla qualificada sob a forma de cumplicidade
    rui guimarães dias costa – sócio da labicer
    1 crime de fraude fiscal qualificada
    1 crime de burla qualificada
    telmo belino reis – sócio da labicer
    1 crime de abuso de confiança
    1 crime de burla qualificada
    1 crimes de fraude fiscal qualificada

    só em bancos há mais 4 ou cinco listas de solidariedade.

  9. Ó IGNORANTEZE, tu sabes tanto, tanto, que a tua cabeça tem de ter um diâmetro maior que o de qualquer dos mortais que aqui vem postar. Mas com tanta sabedoria, tens de cumprir com o teu dever: o dever de lutar pelo que está certo. Começa com requerimento – instruído – evidentemente, e defende as tuas doutas teses, os teus conhecimentos supremos. Tu tens tanto jeito – é-te inato – para o DIREITO e pareceres jurídicos, que, NOVAMENTE, te exorto a praticar ou a formalizar…vai, vai defender os necessitados, as vítimas de injustiça, e leva as tuas provas, porque, como tu sabes, sem provas nada consegues. Então, precisas de que outro impulso?
    Já agora, como sabes muito, explica-nos lá o que é isso de «qualificado», ou será que leste alguma sentença ( sabes o que é?) ou algum acórdão ( sabes o que é?), e como gostas de copiar, espetaste aqui com o teu articulado carcarejado? Continuo, nota, ainda à espera daquelas irregularidades processuais, sabes, os atropelos na estrada do processo do Marquês…será que os podias postar neste espaço as mesmas, com os teus doutos comentários, ou, melhor, glosas doutas com o «must» de leitura (obrigatória)?
    Digo-te já: não se aceitam ignôncios de serviço…não gosto de produto chinês ou de bazar.
    O Relvas? Esse é quem? O gajo que discutiu os artigos de jornal? Bem, vejamos, pelo menos deslocou-se, prescindiu do fax e foi à homilia de domingo. Olha, porém, que deve seguir o mesmo rumo que o engenheiro dos casebres, aquele que tem a chave da Covilhã e inocentemente reside em Évora.

  10. Outra disciplina beneficiada com o processo Sócrates é a trollogia. Há vários exemplares que este caso levou à condição de frasquinho em formol.

  11. É pá ó lucas feduncho, e tu és o maior troll aqui do dispensário, meue, jábistes, oube até te xamam boçale. hum.

  12. Quantos empreiteiros fizeram e fazem obras para o estado? E quantos milhares de milhões ? Espreitem e surpreender-se-ão !!!

  13. ai que riso, Gungunhana Meirelles! e em voz de amalia sem acento e tudo. :-)

    essa da trollogia está excelente, Lucas Galuxo, boa! – até merecia referência na riquezinha de artigo à boçalidade. :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.