5 thoughts on “E se fosse só a França”

  1. Pois, seria magnífico: palhaços unidos jamais serão vencidos.
    Se os portugueses traquinas se apalhaçassem tenebrosos em torno de São Bento, ou à volta do Palácio de Belém, quem sabe, o lado protegido da grande palhaçada, que tanto nos aflige, não fugiria amedrontado para longe, para muito longe.
    Que me perdoem os verdadeiros artistas!

  2. Interessante esta moda dos palhaços em França e não só. Por cá, felizmente que os nossos se deslocam em carros de elevada cilindrada, por vezes precedidos de batedores com sirenes ligadas. Mas a malta já nem se vira para ver o espectáculo.
    Não sendo violentos nas suas abordagens, também se têm distinguido nos prejuízos que têm provocado nos bolsos dos seus concidadãos menos protegidos.
    Falam sempre com uns ares muito assertivos que, quem não estiver avisado, até pode crer estar na presença de alguém credível.

  3. como pode ser possível se ser palhaço é quando a vida, poesia em acção, começa – também para a humanidade? como trocar o sorriso aos pés da escada por maldade com o pé na estrada? :-(

  4. Não sei porque é que é tanta admiração, em Portugal há um palhaço que me anda a aterrorizar há quase três anos e ninguém diz nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.