É oficial: o Público assume-se como um pasquim

Vicente Jorge Silva assinou um artigo – Constâncio e a cultura do lava-desculpas – onde declara que Vítor Constâncio podia ter impedido Joe Berardo de aumentar a sua participação accionista no BCP. Não explica qual seria a argumentação a usar dado o contexto da época, e ainda menos identifica o quadro legal que permitiria a inaudita e extraordinária decisão. A partir desta tese, caracteriza Constâncio como irresponsável, criminoso, revoltante. Também estabelece um nexo causal entre o empréstimo da CGD a Berardo, no valor de 350 milhões de euros e obtido em 2007, e as cativações de Centeno e demais dificuldades no cumprimento dos compromissos orçamentais de Portugal desde 2008 até ao presente.

Este senhor tem 73 anos e desconheço por completo qual seja o estado da sua saúde física e mental, pelo que apenas me irei circunscrever à saúde moral para tentar entender a miséria onde se enfiou. O que o seu texto apresenta como mais notável e relevante é o apagamento do que o Público fez no passado dia 7 de Junho: publicou uma notícia falsa. O impacto dessa falsidade foi fulminante na comunicação social e no sistema político – e devastador para o bom nome e honra de Constâncio. Ao nada dizer a esse respeito, fica cúmplice do acto e do dano. Ao usar a notícia falsa e suas consequências perversas para atacar a vítima da mentira, Vicente Jorge Silva não está só a promover uma escandalosa e canalha violação do código deontológico do jornalista, está no mesmo passo a levar intencionalmente o jornal que fundou para a indústria da calúnia.

Este caso, como bem o adjectivou Francisco Assis, tem provocado uma torrente imparável de verborreia demagógica. A estupidez das desvairadas e rancorosas acusações, porém, consegue ser ainda mais triste do que vermos caído na pulhice aquele que foi até ontem um dos nomes que dignificavam a classe jornalística portuguesa.

21 thoughts on “É oficial: o Público assume-se como um pasquim”

  1. Vicente Jorge Silva escorregou nas folhas rosas e húmidas do C.do F.que agora utiliza para forrar o caixote do gato,lá em casa. Para as sete vidas do gato deverá utilizar papel do Público, que é mais absorvente e cujo conteúdo condiz mais com os efluentes do bicho.

  2. Desculpe Valupi a pergunta ingénua, mas honesta: qual foi exatamente a notícia falsa que o Público publicou no passado dia 8 de junho (anteontem)? Eu realmente não sei qual foi, até porque não compro jornais, mas gostaria de saber.

  3. Confesso que o Assis me surpreendeu. Mas bravo! É assim que se travam os populismos. Denunciando todas as falsidades em que os populistas adoram navegar. Diariamente. Devia ser esse o papel das estruturas políticas altamente organizadas com dezenas, para não dizer centenas, de assessores de imprensa. Mas curiosamente ou não…

  4. Uma vez que o PS deixou de se bater na defesa dos seus recém mais altos dirigentes do partido ficou enredado e sem moral de combate contra a direita que paulatinamente se vem transformando toda ela em extrema direita.
    Este é o problema gravíssimo que a direita, a genuína e verdadeira força da “ecologia” de corrupção portuguesa vai explorar sempre à falta de argumentos políticos válidos e capazes de os levar ao pote, o combustível que os alimenta.
    Mário Soares viu imediatamente, no caso Sócrates, que a não defesa política intransigente de um seu dirigente máximo poderia ser a ruína do partido. A sua experiência de “rato” político nunca o deixou embaraçado na defesa dos seus camaradas. Para ele os seus camaradas eram combatentes da guerra política e qualquer deslize moral era de somenos importância face à batalha política onde, do lado dos salteadores, não a mínima contemplação pelos meios e muito menos pelos derrotados.
    Assim homens lutadores impolutos, que lutaram pelo partido contra o banditismo político, estão sendo trucidados pela extrema direita infiltrada e organizada nos diversos meios de poder.
    Costa, dada a sua genuína capacidade política de saber sempre levar a água ao seu moinho, não vai poder fazê-lo eternamente e tem de arranjar forma de combater a estratégia e tácticas dos “observadores” a força ponta de lança intelectual que municia e alimenta a direita trauliteira de casos ridículos políticos e esta transforma na arena política em grandiloquentes casos de corrupção que leva os ignorantes a fazer coro com eles na praça pública.
    É preciso, urgentemente, tomar uma actitude firme perante todos, quer a velha esquerda quer a noviça e, sobretudo, frente à direita extremada tal qual foi tomada face ao caso dos professores.
    O futuro está em tomar hoje as medidas certas e não tapar buracos com meias tintas e muito menos com disfarces.

  5. mais precisamente : Constâncio omitiu ao Parlamento que autorizou Berardo a levantar 350 milhões da CGD
    Cristina Ferreira
    07 de Junho de 2019

    autorizou, autorizou, deu visto bom ao levantamento de um banco público duma porrada de dinheiro por parte de um trafulha, não aprovou nenhum crédito , posto que nem podia.
    tanto preciosismo e zás, também enfeita as cenas com mentiras, o Valuoiho.

  6. Está mais do que provado que, a comunicação social nacional está engajada no
    ideário da extrema direita sem ideias ou programa político para oferecer aos
    eleitores logo, vivendo em circuito fechado um lança uma atoarda e os outros
    caninamente actuam em forma de matilha, aumentando o efeito acrescentando
    mais umas mentirolas! Talvez, por necessidade de sobrevivência algumas das
    consciências do passado se vendam ao desbarato na praça pública! Eles acabam
    por ficar todos contaminados com as calúnias que vão lançando, tão pouco param
    para verificar a lógica ou a factualidade das “notícias” dado, agirem com reserva
    de pensamento ou dolo no ataque ao PS ou às pessoas que o serviram!
    Espero que, o Aguiar Branco cumpra a promessa de processar a Ana Gomes pelas
    gravosas acusações que esta lhe fez pois, a senhora continua desbocada falando,
    por dinheiro, sobre o que não sabe é também uma acusadora de Vitor Constâncio!
    Quem dos mentecaptos que tanto falam punha em causa a Fundação e o Joe Berardo
    no passado ano de 2007? Será que estava escrito nas estrelas a crise de 2008???

  7. «Mas talvez precises de um resumo: o Público fez um título onde diz que Constâncio aprovou o crédito da CGD com que Berardo comprou acções do BCP, o que provava que tinha mentido na comissão de inquérito, E ISSO É TUDO FALSO.», destaco.

    Nota. Eheheh, a tua cabeça está cada do melhor ó Valupi!

  8. esta ai a gozar jpferra, mas há muita gente que tirou a fotografia ao berardo logo de inicio. mas claro, gentinha que pensava que algures poderia tirar algum beneficio da pretensa fortuna do palhaço “rico” estendeu-lhe o tapete vermelho.
    o banco de portugal serve para quê’ é que não serve para nada há que fecha-lo rapidamente e mandar os besugos todos para a rua chular outros.

  9. Ó tu, yo, putéfia de merda!
    Também já sabias em 2 007 que o sr. dr. Ricardo Salgado era um gatuno? E o Jardim Gonçalves outro? E que o Oliveira e Costa estava “feito” com o Cavaco e o Duarte Lima? Vá lá, confessa!
    Até és capaz de dizer que em mil novecentos e carqueja já sabias que o Costa Freire era um trafulha, que a Leonor Beleza se ia safar, à pala das garantias jurídicas, e que o gamanço do portas nos submarinos e do nobre guedes, do abel pinheiro e do jacinto leite capelo rego nos sobreiros ia dar em águas de bacalhau, enquanto esses piolhos do Vara, do Godinho e do Isaltino se iam transformar nos bombos da festa, para entreter o pagode enquanto os verdadeiros tubaralhos se iam safando, a rir, pelas malhas da rede…

    Como agora este canalha do sérgio moro, o justiceiro brasuca à semelhança do rui, do carlos e do rosário, que um dia, tal como estes pulhas, também as há-de pagar todas por junto, descansa.

  10. oh mariazinha, andas tão amarga, filha. dedica-te à vida como eu, talvez fiques mais doce e sagaz : tanto gajo que te gozou e não te pagou, fonix.

  11. A ignorância a perguntar para que serve o bancos central?! Deve ser para aprovar os créditos ao consumo da banca comercial.

  12. a sabedoria p pode-me dizer então para que serve? para supervisionar já vimos que não…para emitir moeda? também não. ou seja, não faz nada que o bce não possa fazer. parece que é apenas uma cena de empregos políticos e um sorvedouro de dinheiro dos contribuintes.

  13. Como a televisão pública, a TAP ou tudo o que é público hoje em Portugal. Parecem mas não são. Cingindo-me aos Bancos Centrais, com ou sem emissão de moeda própria, continuam a ser instituições fundamentais à soberania das nações. Até no que concerne ao auxílio das políticas económicas/financeiras, muito além da política monetária. Que não caiem de Bruxelas, da lua ou do Rato aos pontapés. O mundo não passa todo nas televisões. Mais focadas na miséria humana e outras fontes de receita como a publicidade. Além das funções mais directamente relacionadas com a banca comercial como a supervisão prudencial e outras de repente muito mediatizadas, também acomodam outras áreas. Talvez mais estranhas ao cidadão comum mas repletas de profissionais muito dignos. Como gabinetes de estudo menos expostos aos populismos que andam hoje na cabeça de muita gente em Portugal. E ainda outras ferramentas fundamentais tanto no presente como no auxilio às previsões. Os bancos centrais são muito mais que o populismo pós crise financeira deixa antever. E isto é válido no BdP, aprecie-se mais ou menos cada administração.

  14. Qualquer madeirense sabia quemfoi o Berardo,tanto na Madeira como na àfrica do Sul.

    Só enganava quem o não conhecesse.

    Sabemos qual foi o gozo do presidente Alberto J. Jardim com o Cont’nente, mas o Berardo gozou muito mais.

    Santa ingenuidade! Só mesmo num certo abrilismo que nunca mais acaba, é que podia haver merdas destas.

  15. sim sim e tu és a espertinha, não ? nem sequer consegues usar o teu pseudónimo oficial para insultar , ou pensas que não se sabe quem és , cobardolas ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.