E o Sócrates, pá?

Nem Sócrates, nem os seus advogados, nem Soares, nem nenhuma das raras figuras públicas que se pronunciaram a respeito, conseguiram conquistar o apoio da opinião pública para as denúncias de graves irregularidades no processo que mantém Sócrates preso. Serão várias as razões na origem desse fracasso, a começar pelos anos continuados de assassinato de carácter, pelo ódio político à direita e à esquerda, pela complexidade das questões judiciais na berlinda e, talvez a razão principal, por continuar sem validação institucional o argumentário da defesa – o que, simetricamente, reforça a imagem da acusação. Sócrates já era culpado antes de ser arguido, e o que se confirmou pelo próprio a respeito da sua heterodoxa forma de financiamento pessoal só cristalizou e agravou as suspeitas.

Porém, consta que nem o Correio da Manhã consegue identificar a fonte do mal, o que é um sintoma perturbador. Para haver corrupção, algum contrato, pelo menos um, terá concretizado o acto. Qual foi? E quem são os cúmplices? Posto que nenhum primeiro-ministro, sequer um qualquer ministro ou mero secretário de Estado, tem contacto directo com os responsáveis na administração pública que efectuam as avaliações e decidem quais serão os fornecedores do Estado, para se construir um caso judicial de corrupção vai ser preciso envolver mais gente, quiçá muito mais gente. Quando é que a ramona começa a recolher o bando?

Os crimes de corrupção, se nem o corrompido nem o corruptor colaborarem com as autoridades, são dos casos mais difíceis de investigar. Por aqui, a iniciativa e a estratégia do Ministério Público até se poderá vir a comprovar como a mais correcta, eventualmente brilhante. Para isso, será necessário que tenha existido, de facto, um acontecimento de corrupção e que tal prova seja passível de ser obtida. Se não tiver existido, ou se faltar a prova inquestionável para tão grande suspeita, então não estaremos apenas perante uma prestação muito questionável da Justiça. Estaremos também face a uma exploração política com beneficiários identificáveis e vastas implicações para o regime. Ora, tanto da parte de Sócrates como dos seus advogados o que vemos são sinais que antecipam esse desfecho. A forma desbragada e cáustica como João Araújo entrou em cena, e assim se mantém, tem um lado humorístico delicioso, mas tem outro lado que nasce da dimensão deontológica. Araújo aposta a sua credibilidade na inocência de Sócrates. Porque é tonto? Porque foi enfeitiçado pelo grande Satã à portuguesa? Ou porque estaremos perante uma situação esdrúxula para os Henrique Monteiro da triste vidinha, embora legítima e imaculada para as Hannah Arendt da vida grande? É que vir com a cantilena do “Ai, que esquisito, não conheço quem tenha feito coisa igual” pode chegar para a felicidade dos pulhas que intoxicam o espaço público, entende-se sem esforço. Não chegará, e nunca, é para quem coloque a justiça à frente das aversões e cagufas de estimação.

A 11 de Abril, de manhã, Helena Matos publicou um típico exercício de ódio – Tal como se esperava – onde resfolegava de prazer imaginando o seu apaixonado Sócrates a fenecer agonizante e abandonado num escuro calabouço da distante Évora, para lá do fim do mundo. De caminho despejou a seu fel alucinado em cima de qualquer um que tenha tido contacto com o monstro, ou que lhe tenha manifestado alguma simpatia, quiçá incluindo os que calharam sonhar com o fulano. A escrita é revanchista, o espírito é o da caça às bruxas, a intenção é racista. Na tarde desse mesmo dia, Guterres foi visitar Sócrates. Pela segunda vez. E sem qualquer razão aparente para o fazer, em especial tendo em conta que esse foi o período em que mais insistentemente se falou de Guterres como candidato presidencial. Que foi fazer a Évora, de novo, aquele de quem se dizia unanimemente que seria o vencedor antecipado das presidenciais, assim o quisesse? De que falaram ao longo de 1h30m? Do Freeport? De outros crimes que envolvam Guterres, ou amigos seus? Aliás, será possível ter algum tipo de conversa com Sócrates que não meta capitosas referências explícitas ou cifradas a milhões sacados ao Estado? Para a Helena Matos, nisso representando a era da calúnia que marca a política nacional desde que Sócrates surgiu como candidato a primeiro-ministro em 2004, os únicos socialistas íntegros e cumpridores da Lei são os socialistas por nascer. Estranhamente, o PS finge que este tipo de poder fáctico, onde há uma permanente campanha negra apontada à honra de pessoas e instituições, não é um agente operativo na dinâmica política em Portugal.

Se Sócrates tiver sido corrompido, isso terá o seu impacto político, social e cultural. Impactos devastadores, embora imprevisíveis nas suas consequências. Será também um caso de psiquiatria e neurologia, porque poucas vezes se terá visto criminoso tão original; reunindo em si as mais sofisticadas capacidades cognitivas para crime de alta complexidade e, ao mesmo tempo, sendo um dos corruptos mais estúpidos na história do crime, tendo de imediato começado a chamar a polícia para o apanhar. Se, pelo contrário, for verdade que Santos Silva se limitou a fazer com o seu dinheiro o que lhe deu na real gana sem actos de corrupção no horizonte, uma parte do País continuará até à cova a considerá-lo culpado. Não será possível afastar Sócrates das suspeitas, o dano é irreparável.

Assim, no meio disto tudo e enquanto a Justiça não se decide, talvez o facto mais extraordinário seja esse de termos visto o ex-futuro Presidente da República, e possível secretário-geral da ONU, a mostrar ao Henrique Monteiro e à Helena Matos, mais ao tutti quanti, que prefere o convívio íntimo com criminosos desmiolados caídos em desgraça a ir ocupar um Palácio de Belém ainda empestado pelo fedor largado pelo mais poderoso símbolo vivo desta direita decadente que nos calhou ter de sofrer.

46 thoughts on “E o Sócrates, pá?”

  1. olha, o Sócrates lá está a aguardar que a verdade o proteja ou o foda. é ele e eu com a diferença de que eu nunca me pus a jeito sequer para ser arguida. :-)

  2. Olá irmão Saladino. Também és meu fã. Assim vejo.
    É verdade, de quando em vez poiso por aqui, para aprender a doutrina dos iluminados e maduros comentadores ( e não só). Eles sabem tudo, tudinho. Escrevem, refletem, concluem, qualificam. A sabedoria é sem quartel. E, eu pobre de mim, que nem escrever sei, tenho lucrado muito com tão brilhantes cabeças e espíritos.
    O texto supra fez -me rir muito, e logo apliquei o LOL que se vê na linguagem moderna. É um must.

    Cordiais saudações, meu irmão.

  3. Dizem que no próximo dia 9 devem ser reavaliados os
    pressupostos para a medida de coação aplicada a José
    Sócrates logo, é só esperar um pouco mais!
    Passado tanto tempo, algo que para a Justiça pouco ou
    nada importa, melhor dito, para os magistrados que se
    defendem com a complexidade dos casos a que, resolvem
    meter ombros sabe-se lá porquê? Pelo que tenho lido,
    parece haver muitas vocações trocadas nestes meandros
    da justiça, estão a perder-se bons ficcionista com obra
    publicada … isto nada tem com o pivot da RTP o jrsantos!
    Pois, o mais importante é o folhetim da transferência do
    filho de Deus para o Sporting e, nem a propósito só a nota
    de culpa para o despedimento do Marco Silva tem quatro-
    centas páginas !???! Caro Val até parece que não conhece
    o Quintal e o seu bom Povo!!!

  4. Excelente. A prisão de José Sócrates é uma tragédia pessoal e humana. Obrigou os medíocres desta terra a levantar a cabeça, enquanto escarram, para que a história os veja e não se esqueça de quem são. Mas tem também estimulado brilhante e abundante literatura cívica que, mesmo, às vezes, escondida no cu da internet, não deixa apagar na consiciência de uns quantos o prazer da inteligência, a procura da honestidade interior e o reconhecimento de que nem o opróbrio da multidão, nem a prisão, nem sequer a morte, conseguem destruir o exemplo dos homens livres que acreditam na cidade.

  5. Boa malha Valupi. Força, que a ceita da direita decadente merece pelo menos ser desmascarada pela prosa, já que, pelas armas, ninguém ousa usar as mesmas que eles usam. E enquanto a esquerda democrática assobia para o lado a outra esquerda aplaude a chacina. Tempos de chumbo estes que vivemos.

  6. Irmão Saladino,

    Está bem. Está bem. A pinta é que não topaste de certeza,

    Ai, vi o IGNÔNCIO a parir novos parexeres. Ele é um deleite. O post também.

    E a «ceita» do corvo negro, qual será essa? Já há tanto tempo que não se paga o tributo dos dez réis…

    Irmãos como sois inteligentes e discutis sobre tudo. Maturidade. Rigor. Avante. Expressão e conteúdos, bem como reflexões, é convosco.

  7. Para entender um pouco melhor a orientação editorial do jornal Expresso e o carácter de quem a dirige ver a coluna de hoje do sabichão Ricardo Costa, onde afirma que o maior trunfo político de Passos Coelho é a sua autenticidade.

  8. «Posto que nenhum primeiro-ministro, sequer um qualquer ministro ou mero secretário de Estado, tem contacto directo com os responsáveis na administração pública que efectuam as avaliações e decidem quais serão os fornecedores do Estado, para se construir um caso judicial de corrupção vai ser preciso envolver mais gente, quiçá muito mais gente.»

    Precisamente ! E essa a razão pela qual me causa sincera estupefacção a postura do PS, pois em rigor é a governação Socialista que está sob suspeita .

  9. LOL? LOL a comentar um texto em se demonstra que há um ex-PM esquecido numa cadeia de uma democracia, sem culpa formada?
    Gaita, Numbejonada és mesmo parvo. Fora eu um gajo com poder metia-te preventivamente no chilindró até que te começasse a nascer qualquer coisita entre as orelhas, embora desconfie que tal coisa, no teu caso, seria equivalente a pena perpétua.

  10. já fazia tempo que não se celebrava por aqui, na capelinha do humilde e austero Pastorinho, uma Missa tão emocionada em Honra do Santo, com este fervor e devoção beata. Afinal a Fé não foi abalada nestes tempos de infernal provação nas masmorras de Évora. Alelulia !

    Mas ainda não estou recomposto de tanta emoção, com as sábias palavras e o doce eufemismo sobre a vida exemplar e luminosa do Santo, sobretudo quando o Sacerdote Valerico refere com bonomia e candura cristã a …” heterodoxa forma de financiamento pessoal “.

  11. felltree fund ‘ad usum delfini’ – mealheiro offshore da paulette, % dos sobreiros aos submarinos, cerca de 40 milhões

    bpn/sln – clube boliqueime, oliveira casca & lóreiro onde para o guito, 7 mil milhões

  12. Eu vou continuar sem perceber por que é que o PS continua a ignorar, olimpicamente, que a prisão de Sócrates é um ataque demolidor ao partido socialista, orquestrado pela direita e minuciosamente executado por magistrados que, de muito boa vontade, se puseram ao seu serviço. Se Costa pensa que ignorar a perfídia de que está a ser vítima o ex-PM socialista é um serviço à democracia e ao PS, brevemente saberá que seguiu um caminho muito errado. A democracia está a ser a primeira vítima do complô. Costa deve pensar que se assiste a um crime público desta envergadura sem gravíssimas consequência para a moral da nossa sociedade. Já nem refiro as consequências para a credibilidade da classe política e da nossa justiça, por ser evidente que há muito baixou ao nível da sarjeta. A gente decente da política devia afirmar, cada vez que tem um microfone à sua frente, que se envergonha da classe política a que pertence.

  13. Kalma malta, muita calma e deixem de arrotar tanta raiva e flatulência bronca
    A parelha de causídicos está a preparar novo plano.
    Justificar os milhões que o 44 delapidou e os outros milhões que continuam escondidos, isso eles não vão por aí.
    Justificar onde os arranjou: presentes, euromilhões, milagre da multiplicação dos pães?
    Nem pensar.
    A nova peça da parelha de advogados(?) é dá-lo como bipolar e não se lembrar de nada, tal como o Bava. Neste momento andam à procura de veterinário para assinar o atestado

  14. Gostei de ver o Capucho na convençao do PS. Deveras revelador sobre ambos e sobre básicas questoes de Princípios e Ética. Mas nada de novo para a falta de vergonha e na esteira dos usuais protocolos e estratégias do assalto ao pote de ambos. Estranhei foi a ausência do Bagão Félix e da Manela F Leite!

    Até o Assis já lhe foi comer à mão … como é bela a coerência e a amizade entre Kamaradas!

  15. Olinda, minha cara, pois preciso explicar a risota?! Se os comentários sérios, corretos e tecnicamente certos, nunca foram entendidos, como seria explicar a «barrigada de riso» que o que está escrito suscita?

    O«parecheres» sucedem-se e são de tal forma pobres, como a reflexão que os suscita que…é LOL, mas a one big, fat LOL.

  16. Seca adegas, não te preocupes, seca antes a tua heresia e não te aventes em seara onde, para já, nem entras por justamente seres sequinho de alma.

    Alcolólico Anónimo, tu é que vives em Gomorra, pá…

  17. Nem uma duvidasinha pequenina sobre o gastar tanto dinheiro “dado” pelo amigo. Tem pai que é cego!!!

  18. Ó tóni, podes ter as dúvidas todas que quiseres mas engavetar um homem por causa das tuas dúvidas é que é uma forma, no mínimo, um pouco duvidosa de justiça.

  19. E o que sabes tu sobre o dinheiro que foi gasto? Espero ansiosamente que partilhes a informação priveligiada que tens.

  20. A resposta de Valupi a cristovão é muito dúbia, sibilina ou salomónica ; quem são os cegos (de muita cegueira) que há à volta deste caso?
    Os cristovãos ou os socráticos? Valupi devia explicitar-se.

    Ó cristovãos, então o caro acha que o valor emprestado e confirmado pelos advogados e por Sócrates, cerca de 400 mil euros, é “tanto dinheiro dado”, assim mesmo sem mais? Já fez as contas quanto representa 400 mil euros perante uma conta bancáris de mais de 20 milhões? Se o cristovão tivesse 20 milhões e emprestasse 400 mil a um amigo ainda ficava com 20 milhões e 600 mil euros; que falta lhe ficam fazendo os 400 mil emprestados?
    E são emprestados, certamente, porque a matéria de que são feitas as pessoas como Sócrates não admitem não pagar as suas dívidas. E a sua dívida ao amigo é muito inferior aos bens familiares que serão herança de Sócrates. E uma pessoa da qualidade política e intelectual como Sócrates, para além dos bens familiares, teria e terá sempre, certamente, capacidade mais que suficiente para pagar as dívidas contraídas. E pagá-las sem ir buscá-las ao “pote” do Estado como fizeram e continuam fazendo todos cavaquistas que se meteram em negócios ruinosos.

    Quanto ao resto o Frango Sinatra já lhe respondeu adequadamente e com todo a propósito.

  21. emenda,
    No caso cristovão deve ler-se “ainda ficava com 19 milhões e 600 mil euros”; e o facto não altera nada.
    Mas no caso real em discussão, a conta do amigo de Sócrates, segundo a imprensa, é de 22 milhões e, sendo assim, o empréstimo ainda mais insignificante se torna.

  22. FRANGO CONATRA, toma lá um LOL para ti também….

    Agora passe-se a interpretar o significado de prisão domiciliária. Aposto que os IGNÔNCIOS e filósofo de serviço, vão dizer que é porque não há«culpa formada» ( e o que é isto?) e porque não há provas. LOL por antecipação.

    António Cristóvão, essa é apenas uma «questãozinha», mas deixemos os que sabem tudo e tudo vêm dissertar sobre a questão.

  23. a culpa acaba de se reformar, o ministério público tem conhecimento da decisão do supremo que deveria ser anunciada 2ª feira e antecipa-se com expediente de prisão domiciliária apresentado sábado à tarde, mas a questãozinha são os fundamentos, continua a não haver. a única coisa que há é solidariedade corporativa no encobrimento de uma tramóia política nunca vista num estado de direito.

  24. Ó Ignôncios conta aí, como é que sabes que » a questãozinha são os fundamentos, continua a não haver»…explica só, vai, quando não vais continuar a ler a BIG FAT LOL. Fala lá da inexistência de fundamentos, ilegalidade da medida, etce e tais, mas não te esqueças, TENS DE REQUERER isso tudo, tá bem?
    Vá lá, daqui apouco volto aqui para ficar com mais maturidade, visão, inteligência.

  25. O costa é que não deve estar a achar muita graça ao sócrates preso em casa. A coisa estava a correr mal, mas parecia que o sócrates e o seu governo estavam esquecidos. Assim ganhar as eleições vai ser mais difícil.

  26. Campus, em que é que lembrar e comparar a postura política de José Sócrates e Passos Coelho prejudica o PS em eleições? Não há melhor maneira de saber se o Portugal de hoje é habitado , maioritariamente, por pessoas inteligentes ou por gente que se comporta como focas amestradas a bater palmas às sardinhas pôdres que Correios da Manhã e José Antónios Saraivas lhes atira à boca..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.