É no que dá não querer falar do passado

Passos Coelho ganhou o debate. E é para isso que os debates servem, para que se possa dizer quem ganhou. Quando um debate acaba empatado, foi tempo perdido.

Ganhar um debate pode resultar de diferentes circunstâncias, não existindo nenhuma fórmula genérica. É do foro artístico e atlético, sendo que a sorte também conta. No caso, a sorte relativa à prestação do adversário.

Neste debate radiofónico, tivemos um Passos que transmitiu energia combativa, o que reforçou a assertividade e impacto dos seus ataques. Para além disso, ele obteve um importante triunfo ao ter conseguido colocar Costa numa posição de fragilidade na questão do corte dos mil milhões. Já sobre o aeroporto, é uma questão que apenas convence quem já estiver convencido, tamanha a sua complexidade processual.

Para vencer este debate, na minha humilde e nada modesta opinião, Costa devia ter recomeçado a partir do ponto a que tinha chegado no debate anterior. Qualquer regresso a uma intensidade guerreira inferior seria sempre uma oportunidade para Passos parecer que tinha crescido; portanto, que tinha ganhado. Nessa lógica de continuar a partir do debate anterior, e fazer deste a segunda parte daquele, isso implicaria ser peremptório acerca do problema essencial da actual governação: ter nascido de uma mentira. Essa mentira ou será julgada nestas eleições ou fará com que se legitime como prática a repetir noutros actos eleitorais. Não a julgar, leva a que PSD e CDS possam manter a face quando justificam as suas outras mentiras, erros e abusos já no poder a partir da mentira original. É a actual narrativa da salvação da pátria, depois de ter sido a do castigo aos infiéis que viviam acima das suas possibilidades, depois de ter sido a perseguição aos bandidos que andaram a engordar o Estado à custa dos cidadãos.

O eleitorado que vai votar na Coligação não só não se importa com as mentiras do maior mentiroso da democracia até à data como inclusive valoriza essa capacidade para enganar os portugueses. É uma reacção tribal sem mistério. Mas há um conjunto de eleitores que ainda não definiu o seu voto. E, em parte fundamental, essa indecisão resulta de estarem num ecossistema mediático que reproduz e amplifica as mentiras e calúnias que têm sido as principais armas da direita portuguesa. Líder da oposição que não consiga fazer frente a esta opressão, que não consegue sequer furar o cerco, merece perder. E perdeu.

46 thoughts on “É no que dá não querer falar do passado”

  1. ouvi o debate com desconforto – o Passos foi mais agressivo, ainda que rude e desonesto, e o Costa demasiado polido, ainda que muito mais pressionado pelos 2+1. fazer o exercício proposto pelo Pacheco Pereira, ouvir esta mesma convicção de Passos, ainda que mentindo, em 2011, poderia ser útil – mas ninguém estará para isso. de vez em quando, o António Costa parece desvalorizar a necessária luta à demagogia e desonestidade, como se fosse óbvia, e encosta-se para trás na cadeira. e é comido.

  2. O debate foi difundido nas ondas do éter.
    Valupi, Ricardo Costa e Pedro Santos Guerreiro viram.

  3. Valupi

    Desmontar essa gigantesca mentira não é coisa para se fazer numa campanha eleitoral.
    Era trabalho que já devia estar feito antes dela começar.
    E não esteve por duas razões:
    1- A Oposição não feita por António José Seguro (e por isso é que teve de ser corrido da liderança do PS)
    2- A prisão de José Sócrates no último ano.
    A Direita sabia porque é que tinha de mandar prender José Sócrates, ou não ?

    Valupi
    Consegues fazer o exercício do que teria sido este último ano em termos de Oposição se José Sócrates não tivesse sido preso ?

  4. valupi,dizer que passos coelho ganhou o debate,nem o marques mendes teve a coragem de o fazer.esteve melhor do que no anterior,mas o conteudo desenvolvido por costa,foi muito mais importante para a maioria dos portugueses.

  5. eu vi o debate no site da tsf.depois ouvi.os comentarios de josé gil,pacheco pereira,a bonifacio,joão cravinho e o jornalista da antena um de direita.da antena um.pacheco pereira e josé gil puseram passos na merda. nenhum atribuiu a vitoria a passos.

  6. Já andava eu seriamente preocupado com o estado psíquico da coligação, na beira do abismo depressivo.
    Pronto. O nosso trafulha-mor (parece que) lá conseguiu ganhar alguma coisa.
    Agora sim, no dia 4 de Outubro, já o podemos enterrar com um sorriso satisfeito na tromba, finalmente e em paz. Amén.

  7. “felizmente, não houve este ano problemas a assinalar”, passarólas que adiou o ano escolar para não cair nos debates

  8. «Agora sim, no dia 4 de Outubro, já o podemos enterrar com um sorriso satisfeito na tromba, finalmente e em paz. Amén.»cavaleiro da parva figura

    Granda FIGURA, meu. Melhor ainda com« sorriso satisfeito na tromba»…

  9. Podemos estar a ser enganados pelas sondagens, mas se não estamos, e o empate técnico se desenha no horizonte, então Costa perdeu não só o debate mas também as eleições. E se perder é porque o país está preparado para mais quatro anos de Pedro e Paulo. Muito mais baixo não se pode descer e se o povo aguentou até agora, estoicamente, penso que aguentará quanto vier. Os que não aguentaram já cá não estão. Emigraram. Ficaram os conformados com a situação. As sondagens podem, mesmo, estar próximas dos resultados finais. Quando o PS de Seguro e Costa decidiu negar o seu passado, aceitando, implicitamente, a narrativa mentirosa da direita, começou a traçar o seu próprio destino. Recusar o melhor legado que alguma vez o PS deixou ao país, nomeadamente no combate à pobreza e às desigualdades; na aposta na inovação, formação e investigação científica; na excelência da escola pública e na sustentação da segurança social; na aposta nas energias renováveis ; na luta patriótica contra tudo e contra todos para evitar a intervenção da troika -e já o tinha conseguido em Bruxelas; recusar este legado, dizia eu, foi dar todos os trunfos à direita mentirosa e fascista e fazer saltar de contentamento Catarina e Jerónimo. A prisão de Sócrates foi o golpe certeiro em António Costa e ele parece que ainda não percebeu isso. Se percebeu, então pensou, e muito mal, que, fazendo-se de esquecido em relação à história recente do PS, a coligação não o colaria aos governos de Sócrates. Mas a coligação tem mostrado que a Operação Marquês foi muito bem planeada para este acto eleitoral e Passos fez questão de trazer “Sócrates-Preso- E-Condenado” 12 vezes para o debate nas TVs, perante a maior audiência de sempre (também este inesperado formato tri-televisivo foi planeado?). Se estou certa, agora é tardíssimo para uma reacção. Podem acusar-me, comentadores da Aspirina B, ser demasiado adepta das teorias da conspiração. Pois acusem, mas eu não esqueço as farsas da Intentona de Belém, Freeport e Face Oculta. Não é por acaso que Vara foi envolvido na Operação Marquês e os seus promotores nem se deram ao cuidado de disfarçar, tão seguros estavam que Costa não ia reagir. Eles sabiam que, ao prender Sócrates, amarravam ao tronco o novo Secretário Geral do PS. Foi “limpinho, limpinho”. Fim de regime à vista. Quem sabe não virá depois a clarificação e, com ela, uma geração de gente corajosa! Meio milhão de emigrantes em 4 anos mostram bem até que ponto a desilusão é grande. “Virão um dia, ricos ou não”?

  10. No debate anterior Passos fez-se de morto. Correu mal.
    Hoje tirou a máscara. Os amigos acham que correu melhor mas não correu.
    Não correu porque o problema do Passos no primeiro debate não foi só um problema de atitude,foi um problema de mensagem!
    Mensagem que é uma MENTIRA com a qual é confrontado sempre que sai à rua !
    E mesmo na questão da atitude o que parece é ao contrário. Uma maior assertividade só é valorizada quando o indivíduo fala verdade, o que não é o caso!
    E quanto mais mente, e mais furiosamente o faz , mais irrita as pessoas que ele sabe que está a mentir!
    Ou seja, Passos hoje só enfureceu mais os pensionistas, os funcionários públicos, os desempregados, os país dos filhos emigrados , etc …
    E agora na TVI24 na Linha Directa é que se está a ver quem GANHOU o debate. Está a ser uma autêntica tareia ! Uma TAREIA !

    As pessoas percebem que hoje só se discutiu o PROGRAMA ELEITORAL do PS!
    E que Passos Coelho é um MENTIROSO!
    O país real está a deitar cá para fora tudo o que sente !!!
    Está a ser uma TAREIA!

  11. pergunto.quantos destes colegas de comentarios “viram” o debate? repito viram.ouvi uma parte e depois fui ao site da tfs (www.tsf.pt) e vi e ouvi.não é a mesma coisa.

  12. Maria Abril

    Tenha calma!
    Não ligue às sondagens! Fazem parte da manipulação!
    Acabo agora de ouvir MAIS UM português desempregado há 4 anos e que diz que “ao menos o PS tem um programa e dá-me uma esperança de voltar a ter um emprego, ao menos com o PS posso ter alguma coisa, com estes tipos sei que continuarei como estou SEM NADA”.
    E outro logo a seguir” o PS mesmo que seja pouco, é alguma coisa, e este Passos Coelho é um MENTIROSO “.

    Ouça Maria Abril!
    Ele tem dois rótulos terríveis em cima:
    – MENTIROSO
    -NAO TEM PROGRAMA, não HA FUTURO!
    Estas duas mensagens assassinas para a Coligação passaram!

  13. Do que me foi dado ver deste debate, não concluí por uma derrota de Costa,
    o Láparo estava a jogar no tudo ou nada, eu explico; o tudo resumia-se às
    culpas do PS na maior críse dos últimos 80 anos e, a uma bancarrota nunca
    declarada! O nada, foi o que apresentou para o futuro para lá da austeridade,
    para não deitar tudo a perder, nem a mais pequena ideia para o desenvolvi-
    mento do País!
    Mostrou a sua habitual cara de pau e a rispidez do costume, o risinho sarcás-
    tico qb a reforçar as tiradas! Quanto ao Costa, foi paciente demais, desmon-
    tou alguns dos “mitos” que povoam a mente do opositor, faltou ser mais in-
    cisivo no questionar sobre o programa dos pafiosos … que não existe !
    Resta-nos pois, esperar pelas elaboradas análises dos politólogos e comenta-
    deiros da nossa praça … para desempatar o resultado do debate que, pouco
    ou nada irá influir nas decisões já tomadas pelos eleitores que, conhecem de
    sobra a qualidade e o mérito dos candidatos !!!

  14. Estou em crer que vai acontecer o mesmo que em Inglaterra as sondagens não acertam e o ps vai ter uma vitória esmagadora ou estará toda a gente confortável com este governo? Os empresários estão confortáveis, os tendenciosos jornalistas estão confortáveis, os tachistas da cor estão confortáveis e os outros?

  15. Vale o que vale, mas é assim:

    Votação dos espectadores durante o programa da TVI24 que acabou agora:
    Quem ganhou o debate ?
    António Costa: 70%
    Passos Coelho: 30%

  16. Pelos comentários desesperados e inconformados da Maria Abril, da Jasmim e da fifi, dignas representantes do pior que há em sócrates, se vê que o Passos ganhou de longe o debate. Alás quem ganhou não foi o Passos , não foi o Governo, foi Portugal.

  17. Luís Bernardo:
    “Se no debate televisivo António Costa esteve melhor, hoje o líder do PS mostrou-se desconcentrado e com enormes dificuldades em ser claro em matérias como a segurança social, carga fiscal, Europa.
    Na forma e no conteúdo Passos Coelho ganhou este segundo debate.
    * Luís Bernardo, consultor de comunicação, ex-assessor de José Sócrates e António Guterres e ex-consultor de António José Seguro.

  18. Um exercício útil e muito educativo, é ir perguntando (ou prever) como o dão sebastião Costa teria governado, e que resultados teria obtido neste últimos 4 anos, se tivesse sido ele a governar. Já imaginaram que com todos as promessas que o dão sebastião tem feito, no seu programa muito bem explicado, o defice deveria ter pulado, para números próximos dos de 2011. Bonito !!!

  19. “O eleitorado que vai votar na Coligação não só não se importa com as mentiras do maior mentiroso da democracia até à data como até valoriza essa capacidade para enganar os portugueses.”

    Ó Valupi, por amor de zeus, que o eleitorado oportunista iletrado ou ignorante não se importe com as mentiras olímpicas descaradas de um governante e, tanto pior quanto depois de essas mentiras os fazerem sofrer na algibeira e na saúde da pele e estomago, eu posso entender e no caso do isaltino em Oeiras ao menos o argumento era que “ele rouba mas é para benefício do povo do concelho” o que nem é o caso do passos. Portanto eu compreendo os néscios, os ignorantes, os oprtunistas e os que comem do pote, mas…
    Mas, não entendo, absolutamente não entendo, que um intelectual de elite ferrenho absolutista dos princípios e dos valores, intolorável perante o mais pequeno desvio pragmático mesmo face aos inconstantes imprevistos em política, venha agora aqui defender, com absoluto pragmatismo, que passos ganhou o debate baseado em mentiras múltiplas e contínuas, necessáriamente, filhas de uma mentira original.
    A animosidade a Costa, só porque este não partilha nem segue à letra os sábios ensinamentos e total e imutável grandiosa visão política de que Valupi foi dotado pelos deuses, pode explicar a permanente atitude de paradoxos quando se serve dos valores, neste caso da mentira, para ontem atacar passos e hoje para o elogiar.

    “Líder da oposição que não consiga fazer frente a esta opressão, que não consegue sequer furar o cerco, merece perder. E perdeu.”

    Furar o cerco em política não tem de ser como na guerra de D. Afonso Henriques no assalto ao castelo de escada às costas e punhal na boca; é uma guerra feita de muitas lutas e assaltos como no boxe, uma coisa de cada vez, um gancho agora, depois um upercut, um directo ou o massacrar os rins, etc. até deixar o adversário combalido para o xeque final do ko.
    Já esteve muito mais longe de ser rompido esse cerco de que fala Valupi, e a rejeição da ideia, vendida pela direita, acerca de quem quis a troika foi um passo importante que colocou os portugueses a discutir o assunto de forma fundamentada e não por imitação e repetição; a ideia de Costa posicionar-se, agora percebe-se que correctamente, que “à justiça o que é da justiça e à política o que é da política”, embora parecesse à partida de grande ingenuidade ou moleza, levou a que a direita não pudesse extravasar da mesma legalidade e tomasse a mesma opinião e actitude nesta disputa eleitoral, fazendo que a direta e, sobretudo e mais importante, que os media e opinadores avençados tivessem medo e não pudessem falar de justiça para atacar o PS.
    Demais, eu que vivo numa aldeia de camponeses iletrados, apercebo-me que muitos, a maioria, já hoje pouco acreditam no que passos diz e, pelo que esporádicamente, apesar de alinhadas, as TVs mostram os populares afectados pelo empobrecimento também já pouso acreditam no que diz passos.
    Portanto, subestimar, a inteligência das pessoas iletradas mas sérias, que ainda serão a maioria, afirmando que votam num mentiroso, apesar das mentiras grosseiras e actos que os afectaram em suas vidas e em grande, é uma afirmação categórica que nem os grandes Oráculos da antiguidade se atreviam a fazer.

  20. oh cristóvão, sabes qual foi o déficite de 2011 e fazes alguma ideia do que vai ser o valor deste ano? não, mas não importa nada, o que interessa é aldrabar para ver se ganham eleições.

  21. Leio, sempre as sua crónicas! Há as que se concordam, as “assim-assim”, e as em que se discorda de todo ou parcialmente. Por esta, em total desacordo! Não sou político, não quero sê-lo, apenas tenho a minha opinião, e, como diz vale o que vale! Pelo que me foi dado perceber, e na opinião dos comentadores quem perdeu, foi o PPC – O MENTIROSO-MOR, cá do burgo!
    Corroboro essa opinião! Embora com uma diferença menor em relação ao anterior debate (também já chega de tanta lenha nas costas de passos) António Costa, falou e disso qb para o “pianista”, cujo “instrumento (musical, claro)”, só tem uma tecla!
    Apenas, a minha humilde opinião!

  22. Era só para dizer que o malhando no Passos continuou no programa Opinião Pública, na Sic Notícias que acabou à bocado.
    Grande violência verbal nas intervenções do “povo iletrado” e muita assertividade ! As pessoas “iletradas” captaram bem as mensagens principais e pelos vistos não concordam com os comentadores, também eles na sua maioria a viverem numa realidade virtual.

    Resultado da votação no programa Opinião Pública da Sic notícias (e isto já algumas horas depois de acabar o debate, e já depois da suposta máquina eleitoral poderosíssima da coligação estar a atacar em força …):
    Quem ganhou o debate ?
    – António Costa: 58%
    – Passos Coelho: 42%

    Acho que o bom povo português se prepara para lhes fazer engolir todo o cinismo de um trago só.

  23. Só me espanta, no meio de tudo isto, que ninguém esteja incomodado com o programa (desconhecido para a grande maioria dos portugueses) que a coligação enviou para Bruxelas, e que ninguém o puxe à discussão. Só tenho assistido à discussão do anterior governo do PS, já julgado nas eleições de 2011 e o programa que este Partido agora apresenta para estas eleições. Será isto normal? Então não se deveriam estar a debater os 2 programas.? !!! Esta tem sido a grande habilidade da direita: ter conseguido esconder o seu programa e o mesmo não estar em apreciação e discussão durante esta campanha eleitoral. Isto é jogo viciado e que deveria ser desmascarado pelo PS. Esta é a grande incoerência que vislumbro em António Costa. Verifico, igualmente, que AC não tem sido contundentemente assertivo a referenciar todas as malfeitorias que este Governo fez ao País e aos portugueses nos últimos quatro anos

  24. Não ouvi o debate todo (ainda), mas pelo que aqui escrevem deve ter sido maravilhoso para a coligação. Viva a coligação! Viva a coligação! Viva a c…

  25. “Quem serão os que partilham com Valupi a opinião de que António Costa perdeu o debate?”

    ninguém ouviu o debate, mas todos mandam bitaites baseados nas opiniões dos primeiros comentaristas de direita a declarar vitória do massamólas, desta vez nem sequer pediram opinião ao miguel sousa tavares, especialista em decretar quem ganha debates. a única coisa que ouvi foi o místico suburbano a debitar mentiras, confusões e diz-que-disse a ritmo alucinante e o palerma do costa a tentar suster o dique com os dedinhos e boa educação, quando deveria dizer-lhe que mentia, as vezes necessárias para o calar. é impossível discutir programas eleitorais com que não os tem ou os esconde e se limita a mandar bocas sobre os programas dos outros. deveria ser obrigatória a apresentação e depósito público do programa de quem concorre a eleições. o que vi foi a confusão habitual que os direitolos armam nestas ocasiões e no fim um puto a rir-se com ar de ter roubado a carteira ao costa.

  26. Valupi,
    As coligações desaparecem após o acto eleitoral e são os partidos individualmente que são chamados a formar governo. Em 2009 PSD e CDS tiveram mais votos que o PS mas foi Sócrates que foi nomeado Primeiro Ministro. A não ser que a coligação de extrema direita tenha maioria absoluta (absolutamente impossível), será o PS como partido mais votado (absolutamente certo) a ter direito a formar Goverrno.
    Tendo as eleições ganhas, Costa precisa de, caso não tenha maioria absoluta, ter uma votação acima dos 40% para impedir que as coligações negativas o impeçam de aplicar o seu programa caso não consiga um acordo à esquerda. Prevendo este cenário Cavaco veio avisar bem cedo que só daria posse a um Governo com maioria absoluta no parlamento para tentar obrigar o PS a fazer uma coligaçao com a direita o que poderá criar uma crise institucional gravíssima pois esta posição é manifestamente inconstitucional. E sendo inconstitucional Costa será mesmo chefe do Governo pois Cavaco vai ser obrigado a recuar . Concordando plenamente que o PS cometeu um erro histórico ao não defender o legado de Sócrates (o mais competente PM que Portugal teve depois de 1974) nem denunciar como o maior mentiroso da história da democracia portuguesa tomou conta e exerceu o poder em Portugal nos últimos quatro anos , isso não deve impedir que por fortíssimas razões éticas, cívicas

  27. Mário,
    … e políticas que todos ajudemos Costa a solidificar a sua posição como futuro PM, derrubando a maioria mais retrógada, reaccionária e incompetente pós 25 de Abril. Apesar de Sócrates e por Sócrates.

  28. Estes gajos vêm governo do país como se fosse uma equipa de futebol. Depois, há uns patéticos que se juntam em redor da estátua, gritando, não sabem porquê, enquanto o treinadorzeco apesar de derrotado refere que ganhou e apresenta a sua «humildade». Mereceis o País e mereceis que certos cidadãos vos deixem entregues ao MAU e se pirem quanto antes.

  29. O comentário mais certo e inteligente sobre o debate que conheço, foi de Pacheco Pereira, não a favor de Passos Coelho, pelo contrário, o que é curioso, sabendo-se da sua aversão a Sócrates a ao PS, ou não fosse ele um ex-esquerdista convertido à direita, e às duras críticas a António Costa, apesar da consideração que parece ter por ele. Pacheco, e bem, aponta o dedo aos jornalistas que “moderaram” o debate, que se encarniçaram sobre o programa do PS, nunca lembrando a inexistência de um programa da coligação, prova provada que esta, se, desgraçadamente, ganhar as eleições, continuará com a sua política austeritária de, em todos os sentidos, empobrecimento do país.

  30. “O eleitorado que vai votar na Coligação não só não se importa com as mentiras do maior mentiroso da democracia até à data como inclusive valoriza essa capacidade para enganar os portugueses”…

    – veja lá se o Sócas nao ganha este titulo por longe…
    – e o eleitorado que votou e votaria Sócas? importa-se com q? gostam de roubos? de mentirosos? ou de ambos?

    o valupi, que assiste aqui todos os dias à defesa desse mentiroso, mitomano, ladrao, corrupto, nao o preocupa? a mim sim….mas já nem tanto, porque raia o absurdo…e o trágico…um grande partido portugues enveredou por esse caminho….e enganou os portugueses…por dinheiro, por poder, por dinheiro, por cargos, por benesses…nem com o artista preso se afastam do maozinhas…mao dada até ao fim e mesmo no fim, com uma condenação, o abraço perdurará…

    essas mentes, distorcidas por uma doutrina cleptomaniaca, influenciarão os seus filhos e netos (sim, a educação que tive da minha avo, mais pobre do que o valupi possa imaginar, foi diferente, dar o pouco que tinha e nao roubar, foi o que me ensinou)…e até citarão o valupi, para justificar esse desvio…

  31. A minha dizia, “não emprenhes pelos ouvidos e tudo que lês nos jornais, 50% é mentira e 50% é inventado”.

    Era enorme a minha avó…

  32. As minhas avós não sei o que diziam porque morreram quando eu ainda mal sabia falar, mas o Cristiano Ronaldo ainda há pouco tempo disse o mesmo que a tua avó, jpferra:
    – cerca de 90% do que está nas revistas é completamente mentira !
    E ele lá sabe, porque apesar de dever pouco à inteligência é geralmente um dos visados.
    Ehehehehehheheh

    – Então e segundo as revistas mentirosas o Passos é que cuidava das filhas (e da casa) quando elas eram pequenas ? deve ser por isso que o vice-pantomineiro disse que “as mulheres sabem cuidar da casa, de pagar as dívidas, e de tratar dos velhos e das crianças” …estava a pensar no seu grande amor … eheheh!

  33. Senhor cegueta.
    Vêm é a terceira pessoa do plural do presente do indicativo do verbo vir.
    Vêem é a terceira pessoa etcetera e tal do verbo ver.
    Aquele verbo que vossa excelência não conhece senão de ouvir contar, se por acaso não é também surdo.
    Tem para trás algumas questões à espera de resposta, para o caso de andar distraído.
    O verbo ler faz também, na terceira pessoa coisa e tal, lêem e não lêm.
    Não sei como é com o novo AO, mas penso, por intuição filológica, que assim permanece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.