23 thoughts on “E é muito mais barato”

  1. está bem. faz assim: vais ao facebook e abres uma página qualquer de um homem com um aspecto bonito (ou até abres o teu :-)) e tu vês elas a cairem tipo tordos.

    (desconfio que algumas, em vez de escreverem com a ponta dos dedos, até escrevem com a língua -por os dedos estarem ocupados a tratar a vaginite crónica) :-D

  2. Credo!
    O mais lamentável disso tudo é eu não ter conta no facebook, vou passar ao lado dessa imensa janela de oportunidade…

    (E obrigado pelo primeiro parêntesis, que muito me sensibiliza.)
    :-)

  3. passas nada: há muitas, muitas, outras redes sociais – é mato.

    (de repente não me ocorre nenhuma mas é uma questão de fazeres uma triagem no bing, que é mais recente. digo eu) :-)

  4. mc,

    epá. pelo amor de deus. não me gozes. que raio de música é aquela!? aquilo são acordes de quem está deprimido, e que deprimem quem os ouve. a mc está deprimida?, sei de um médico fabuloso que te pode ajudar…
    agora a sério, eu queria mesmo que me explicasse o “depende”. é relativo ao sémen ser mais barato? é relativo ao sémen ser anti depressivo? explica lá. juro que estou curioso e que depois da explicação não vou fazer comentários porcos sobre o tema. mas, tenho a dizer, que vontade não me falta. nada de pessoal. just for fun.

  5. Bill, nem a música (nem a letra) era a chave de leitura: apenas uma brincadeira com o “depende”. E nunca ouviste dizer que o “barato pode sair caro”? Não é o sémen “per si” (parafraseando a Susana: excipiente, principio activo)……fiz-me entender?…quanto aos comentários…ficam ao teu critério.

  6. ai sinhã… que cuidadosa na argumentação: “ouvi dizer” para não dar azo a referências de experiência própria. E pingo doce não será um lapso freudiano?

  7. olha, parece-me que um dia destes ouvirás ai meu freud em vez de ai meu deus porque esse gajo frustrado conseguiu explicar tudo através da sexualidade. (vai ver se também meteu o pingo doce nisso e depois diz-me. e também não fumes por amor a freud. e, lá está, não ouças dizer. nem imagines, nem uses a criatividade.

    (a única coisa que te resta é, mesmo, acreditares em mim) :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.