E a SEDES, pá?

As saudades que eu tenho de uma Tomada de Posição da SEDES, camandro. Quem pode esquecer os dias negros que vivíamos em Fevereiro de 2008, altura em que vimos actos extraordinários de heroísmo que levaram os sábios da SEDES a arriscarem a reputação, os bens e até a saúde para alertarem o povo dos perigos que o cercavam. Recordemos:

1) UM DIFUSO MAL-ESTAR
Sente-se hoje na sociedade portuguesa um mal-estar difuso, que alastra e mina a confiança essencial à coesão nacional.

Assumindo o dever cívico decorrente de uma ética da responsabilidade, a SEDES entende ser oportuno chamar a atenção para os sinais de degradação da qualidade da vida cívica que, não constituindo um fenómeno inteiramente novo, estão por detrás do referido mal estar.

2) DEGRADAÇÃO DA CONFIANÇA NO SISTEMA POLÍTICO

Ao nível político, tem-se acentuado a degradação da confiança dos cidadãos nos representantes partidários, praticamente generalizada a todo o espectro político.

É por isso preocupante ver o afunilamento da qualidade dos partidos, seja pela dificuldade em atrair e reter os cidadãos mais qualificados, seja por critérios de selecção, cada vez mais favoráveis à gestão de interesses do que à promoção da qualidade cívica. E é também preocupante assistir à tentacular expansão da influência partidária – quer na ocupação do Estado, quer na articulação com interesses da economia privada – muito para além do que deve ser o seu espaço natural.

5) APELO DA SEDES

O mal-estar e a degradação da confiança, a espiral descendente em que o regime parece ter mergulhado, têm como consequência inevitável o seu bloqueamento. E se essa espiral descendente continuar, emergirá, mais cedo ou mais tarde, uma crise social de contornos difíceis de prever.

Fonte

Pois é, 2008, um ano terrível que mal tinha começado, o que implica um 2007 igualmente maligno e um 2006 para esquecer. Felizmente, pudemos contar com a inteligência, a dignidade e a coragem da SEDES, porque senão tínhamos sido completamente destruídos pelos malandros dos socialistas. Ufa, que alívio estar tão longe desses horríveis e miseráveis tempos. Agora é uma maravilha, a gente séria manda nisto e tudo o que faz é para o nosso bem, para o bem da nossa grande Nação. Mas lá que dá uma saudade tramada de ler uma merda qualquer da SEDES, lá isso dá…

11 thoughts on “E a SEDES, pá?”

  1. É verdade, meu caro Val! Tenho pena, mas o momento que vivemos faz-me ser cada vez mais irónico ou cínico, chamem-me o que quiserem que os tempos não estão para esquesitices! A verdade é que os intelectuais que integram a “irmandade católica” estão cada vez mais hipócritas e só abrem o bico quando são os laicos salafrários do PS que detêm o poder. Infelizmente, faça-se lhes esta pequena justiça, parece terem esquecido aqueles tempos (o Louçã lembra-se disso) em que foram capazes de se atrever a tomar partido contra a guerra colonial!

  2. Val, há muito que não venho ao “Aspirina B” comentar, pois é tudo tão grave e sem solução à vista, que considero ser inútil juntar mais um comentário inútil aos tantos e tantos que aqui leio.

    Mas só por ler a sua primeira frase não resisto a deixar uma nota – “cum camandro!” é uma expressão que me agrada muito pela força vocal que contém!
    Quanto à ausência de reação da SEDES sobre a tragédia social que vivemos, não é de admirar, pois os seus mentores sofrem do mesmo mal da actual direita – são mediocres como os partidos que sustentam a actual maioria. Uma maioria que tem o seu ponto máximo neste Presidente da República como pode ser outra coisa…!

  3. Aonde anda a SEDES?
    No pote, pois claro.
    Vitor Bento, no Conselho de estado, na presidência da SIBS e recentemente na GALP.Proveitos, talvez uns 60 000 € /mês. E continua com a rectaguarda segura no Banco de Portugal, onde é regularmente promovido “in absentia”.
    Campo e Cunha, ex-ministro de Socrates, reformado do Banco de Portugal, Prof numa universidade pública e recentemente eleito para um tacho de administrador não executivo de uma empresa ex-pública. Proveitos, um pouco menos, talvez 40 000 €/ mês.
    Estes os presidentes. Fora os outros.
    A conspiração foi de facto muito bem pensada e trabalhada ao longo de uma década.
    Os resultados estão prestes a ser alcançados:
    -A vingança contra o 25 de Abril
    -A destruição do estado democrático e social
    – A vitória do capitalismo selvagem e dos seusinspiradores os banqueiros

  4. ‘uma ética da responsabilidade’ …. o tanas!
    Pulhice, vigarice e uma absoluta merdice.
    Chega a meter dó, ver o que estes sacripantas conseguem fazer para encher o bandulho.
    Qual ‘coesão nacional’ qual carapuça.
    Mas há mais. Que saudades de ouvir o António Barreto dizer :’tem de se falar a verdade às pessoas… não se pode tratar as pessoas como animais’. E agora pá!? Não há nada a acrescentar?
    Vi mesmo agora na TV a mota do ministro Soares estacionada em cima do passeio junto à sede do CDS. E pronto. Mais nada. É preciso dizer mais alguma coisa? Mobilidade urbana?
    A SEDES que se pronuncie.

    Parabéns pelo texto Val.

  5. E a SEDES, pá?

    E o Merdina Caganeira, pá?

    E o Broges, pá?

    E o João Duque, pá?

    E o Marco António, pá?

    E o Catroga, pá?

    E o Barrete, pá?

    E o V. Graça Moura, pá?

    E os papagaios todos, o Gomes-Ferreira, o Camelo Lourenço, a Bouca Guedes e o Mário «Passos Coelho: um novo Sá Carneiro?» Crespo, pá?

    E O LOUÇÃ, PÁ?

    Onde pára essa canalha toda agora?

    Puta que os pariu a todos!

  6. O Val anda muito distraido carago!

    A SEDES continua a bombar profundas reflexões essenciais para a gestão da pocilga (que são os outros que não fazem parte da SEDES…).

    Veja-se por exemplo, o “projecto de Reflexão sobre a Reforma do Sistema Político Português”.

    uma cena importante.

    E o que dizem os sábios? As partes mais importantes, são partilhadas em comunicado:

    O presidente campos e Cunha, diz que:” é “fundamental uma reflexão profunda sobre estes temas”.

    Digam lá que o homem não merece palmas! O sistema politico? è preciso uma refelxão profunda…

    O coordenador do project diz que: ““temos a esperança de conseguir resultados concretos e exequíveis, através da força e da vaga de fundo despoletada por todos estes parceiros”.

    Quer ver os parceiros a Despoletar (sic) uma vaga de fundo. lindo… romântico até.

    E quem são os parceiros que vão “despoletar” vagalhões de fundo? tsunamis talvez…
    Bem… são a Cinemateca, o Inatel, o “Alentejo de excelência” e até a fundação do Sr. das mercearias.
    Um grupo e peras onde nao faltam uns jornais amigos…

    a SEDES está em grande. só não vê quem não quer.

    Ali’as suspeito mesmo que foi desta profunda reflexão que resultou a ondazona que afogou o cérebro do Sr. de boliqueime quando inventou o plano que está em curso.

    Eles é que fazem as ondas quem se afoga somo nós.

    miguel

  7. Não percebo, o Campos e Cunha foi ministro de um governo socialista, é preciso dizer mais alguma coisa sobre a difusão ideológica deste último?

  8. oh cagadela de mosca! o cunha foi erro de casting, prontamente corrigido com pontapé no cu, o que justifica o ressabiamento do moço, colega de aposentação, banco de portugal, do otário teixeira. a sedes serve de agência de empregos bem pagos desta escumalha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.