Dos fracos não reza esta história

A direita está furiosa com o PS mas a presente situação política teve origem no PCP. Era para este partido que os ataques deveriam estar a ser dirigidos pelos direitolas caso a política fosse um exercício de lógica ou implicasse módico respeito pela causalidade.

PSD e CDS não anunciaram em 2011 que iriam coligar-se no après-élections, apesar de ser mais do que certo ambos os partidos terem esse cenário como previsível, desejável e meio combinado antes da votação pelos escudeiros e conselheiros de parte a parte. E as razões para tal são evidentes. O PSD teria o poder para condicionar o CDS na exacta medida da sua diferença eleitoral e parlamentar. Inclusive, porque é sempre tudo possível numa eleição, poderia obter maioria absoluta, situação que dispensaria a coligação. Por sua vez, o CDS jamais anunciaria que o voto em si era inútil por já se saber qual o desfecho do panorama à direita. Mais, o CDS poderia legitimamente reservar-se o direito de ir para o Governo com o PS num eventual cenário onde tal fizesse sentido para Portas. Isto não é assim tão difícil de entender, pois não?

No caso presente, a situação é ainda mais clara. O PCP e o Bloco fizeram uma campanha onde atacaram o PS com a gana do costume, não existindo ninguém neste planeta, ou em qualquer planeta vizinho até onde os telescópios alcancem, que admita ter existido um acordo, ou vestígio dele, prévio às eleições entre os três partidos da esquerda. O que se viu, aliás, foi bem outro fenómeno. Na viragem para a segunda semana da campanha, surgiram notícias que davam conta de protestos populares em eleitorado comunista contra a obsessão de Jerónimo com o PS. Em simultâneo, saiu na imprensa que o PSD teria avisado o PCP da perda de votos para o PS, o que estaria a justificar a fúria veterotestamentária do patriarca da gente séria. De imediato vimos o PCP a travar a fundo, como se de repente tivesse pressentido o que viria a acontecer no dia 4 de Outubro. Do lado do Bloco, a proposta de Catarina a Costa no debate não passou de uma encenação que ninguém levou a sério tamanha a contradição com o restante das mensagens antagónicas espalhadas copiosamente, as quais retiravam credibilidade ao convite. Assim, estar a exigir retroactivamente que Costa devia ter anunciado as suas intenções de coligação com BE e PCP é acusação irracional para broncos ruminarem.

Acaso alguém, inclusive dentro do PS, concebe que Costa pudesse recusar o gesto mais importante do PCP desde o 25 de Novembro? Acaso não é óbvio que as presentes circunstâncias de diálogo à esquerda, mesmo que venham a resultar num fracasso imediato ou a médio prazo, são objectivamente históricas? Queriam que Costa fugisse da responsabilidade que os cidadãos portugueses lhe confiaram soberanamente? Até para os interesses do secretário-geral socialista que se segue, venha ele quando vier, é necessário que o PS esgote as possibilidades para a criação daquele que pode ser o primeiro Governo da III República onde se consagra a solidez do nosso regime e a maturidade da nossa democracia.

26 thoughts on “Dos fracos não reza esta história”

  1. “No caso presente, a situação é ainda mais clara. O PCP e o Bloco fizeram uma campanha onde atacaram o PS com a gana do costume, não existindo ninguém neste planeta, ou em qualquer planeta vizinho até onde os telescópios alcancem, que admita ter existido um acordo, ou vestígio dele, prévio às eleições entre os três partidos da esquerda.”

    Que choradeira patética.

  2. Evidente que falta conhecer na totalidade as exigências do PC e BE, mas por aquilo que se percebe, não têm nada de transcendente, porque perceberam que a alternativa ao PS será muito pior para todos.
    Tudo para além disso é desinformação, com um objectivo claro, tentar que a desgraça continue.

  3. “O ponto de honra para o PS é poder ter, para levar ao Presidente da República, um acordo que garanta a estabilidade, mas que também tenha presente a necessidade de restrições orçamentais. Um deles é colocar o país fora do procedimento de défice excessivo …”
    http://www.ionline.pt/artigo/417320/ps-quer-programa-comum-pcp-acordos-pontuais-?seccao=Portugal_i

    As negociações com o PCP e o BE deviam precisamente ter começado por este ponto específico. O problema não é a NATO, a permanência no Euro (em abstracto), ou o Tratado Orçamental (em abstracto). O problema está no concreto: “… colocar o país fora do procedimento de défice excessivo …”, ou seja, que o PCP e o BE estejam dispostos a aceitar viabilizar medidas orçamentais neste sentido que, da parte do PS, não serão de natureza muito diferente das da Coligação (talvez no grau). Medidas essas que correm o risco de ser consideradas “austeritárias” pelo PCP e BE, logo inaceitáveis.

    Em vez de perder tempo com o acessório (deste ponto de vista) era urgente que PS, PCP e BE decidissem rapidamente se convergem nesta questão. Basta esta. É necessário acordo nesta. Tudo o resto pode ser posteriormente alvo de acordos pontuais.

    Deixem de perder tempo! Decidam-se!

  4. é evidente que se não fosse a pcp a dizer que o ps “só não governa se não quiser” nenhuma destas negociações eram possíveis. e, suspeito, que só o fez para desafiar o bloco, agora que (facto novo) o bloco ultrapassou a cdu: vá venham também para a arena da governação, não é só mandar bocas. e o bloco, claro está, não quis ficar como o desmancha-prazeres da união da esquerda. vamos lá a ver no que isto vai dar…

  5. Como diz, independentemente, do resultado imediato das conversas
    ente PS- BE – PCP e restantes forças o mais importante será a criação
    de pontes para num futuro,mais ou menos próximo, correr com esta
    gentalha que se alaparou no Pote, com as nefastas consequências para
    País, estando agora muito pior do que em 2011 em todos os aspectos
    mais relevantes (financeiro, económico, saúde, educação, justiça, etc.)!!!

  6. Val,
    ou o Costa é o mais estúpido e incompetente dos políticos, ou, pelo contrário, é um estratega brilhante e sagaz?
    Olhar para o seu percurso político aponta mais para a segunda suposição do que para a primeira.
    Parecemos esquecer tudo o que ele afirmou no passado, e até algumas coisas no presente, para nos concentrarmos apenas na espuma mediática.
    Costa afirmou que nunca faria uma coligação ‘negativa’ para derrubar governos, como todos os restantes fizeram estendendo a passadeira vermelha à direita mais descarada desde o 25. Por outro lado afirma-se do lado dos valores básicos da nossa estrutura democrática (!) – europeísta, Atlântica, comunitária.
    Se não existir, finalmente, um compromisso válido, documental e ajuramentado por parte do PCP/PEV e do BE, todas as negociações terão sido em vão, mau grado o tom com que nos são transmitidos os seus resultados.
    Ele está a fazer o seu papel, o Coelho está a espalhar-se com declarações precipitadas, a Mortágua dá tiros nos pés, o candidato do PCP à presidência espalha-se, o Portas faz-se desaparecer…
    A procissão ainda vai no adro. Aguardemos. Vivemos tempos interessantes.

  7. Sempre tive um forte feeling que o bloco vai roer a corda ,arranjando desculpas esfarrapadas para culpar o PS. Não é sequer uma questão de eu preferir ou não… Não confio no bloco, muito menos agora. E pelas declarações de Pedro Filipe Soares , hoje, na Renascença isso é sintomático. Viabilizarão o PS até 2016, e depois logo se vê…
    SE Alguém esperava o contrario é melhor desiludir-se.

  8. “ou o Costa é o mais estúpido e incompetente dos políticos, ou, pelo contrário, é um estratega brilhante e sagaz?”

    Costa perdeu as eleições.
    Se a estratégia de negociação à esquerda falhar (começam a avolumar-se os sinais – “Sempre tive um forte feeling que o bloco vai roer a corda” – F Soares e eu concordo) Costa demite-se para dar lugar a alguém que negoceie com a Coligação “sem perder a face”: Francisco Assis.

  9. Ficará assim o BE desmascarado finalmente! Depois, os ‘inteligentes’ que foram a correr votar neles para não votar PS, podem tentar limpar as mãos, mas sairão sempre castanhas e a cheirar mal…

  10. Os votos no BE, independentemente de tudo, serviram para levar o PS para a esquerda.
    A alternativa é o PS mudar de nome e deixar-se de socialismos…

    Mas agora com o Zé em liberdade, a coisa vai rodar outra vez à direita.

  11. “Os votos no BE, independentemente de tudo, serviram para levar o PS para a esquerda.”

    Posso estar enganado mas o PS não se vai mover um milímetro.

  12. “José Sócrates e Santos Silva libertados”

    Já não há presos políticos em Portugal!!! Agora já podemos pressionar Angola!!!

  13. o calex foi humilhado duas vezes pela relação e no dia que é obrigado a mostrar o processo e libertar o sócras diz que se tratou da revisão das medidas de coacção porque os indícios já estão consolidados. araújo processa o estado e pede vários mil milhões que eu contribuo de boa vontade se esses exemplares de incompetência forem corridos da justiça e se os obrigarem a devolver os ordenados e despesas que receberam até hoje, ainda melhor.

  14. Como se o Sócrates tivesse estado de cana por razões políticas…
    Logo ele, que foi seguramente o primeiro ministro que Portugal teve mais desprovido de qualquer ideal político.

  15. Ninguem segura a loucura do Costa!

    Os classicos do PS já deixaram o Costa a falar sozinho.

    Ninguem aparece ao lado dele, só o açoreano que nem abre o bico.

  16. Então paga aí, ó IGNATZ, quem sabe quanto mamastes?
    Já agora, convida o JOSÉ LELLO, o MONTE DE MERDA, que notícias na Internet dão como beneficiário de milhões de euros à custa de adjudicações do governo no tempo do Zezito .
    IGNATZ e Lello será o mesmo ?
    Humm …

  17. Ó Tostas, essa é PIRAMIDAL !

    He he he …

    Acrescento :

    Será que está vivo ou morto ? Das duas é uma .

    He he he

    Mais outra :

    Será que quer que o PS suba para cima ou desça para baixo ?

  18. TOSTAS,

    O Palácio de Cristal, que dizias não existir, já reaparecer, vai lá ver !
    Não lestes os comentários aqui que referem o cerco ao congresso do CDS em 1975 ?
    Parece que foi o Zandinga, ou o … Luís de Matos, ou o caraças, que o fez reaparecer .

    He he he .

  19. Tu derramaste-te pelo soalho sob a forma de cálcio estratificado, uma forma rara de, como dizes, câncaro radical .
    Já deste o NIF DO PRIMEIRO MINISTRO COMO SENDO TEU, e assim sendo és bem capaz de crimes bem piores .
    Sabes o que são mentes criminosas ? Claro que não desconheces .
    É capaz de haver criminologistas por aqui , sabes .

  20. Só bebo champanhe pá !
    Mas bebo normal.
    Tu será mais clisteres de champanhe, a avaliar pela tua conversa apaneleirada .
    Uma aguardentezinha de medronho também não é mau, tu bebes de MERDONHO .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.