Dominguice

O que é um “bom Natal”? O que é um “bom trabalho”? O que é um “bom filme”? Vivendo em sociedade, arriscamo-nos a ouvir estes votos amiúde. A sua ubiquidade, porém, nasce da sua vacuidade. Ninguém sabe o que seja um bom Natal, um bom trabalho ou um bom filme. E se tentarmos discutir o assunto, começando por questionar qual o interesse nesses desfechos entre tantos outros tão mais interessantes e valiosos para as mesmas experiências, seremos corridos com recurso ao “é o que te der prazer” ou a silêncios.

Um filme que não seja cinema é apenas chachada. Um trabalho que não seja apaixonante é apenas servidão. Um Natal que não seja feliz é apenas comezaina.

58 thoughts on “Dominguice”

  1. o que é um bom Natal eu sei -:) é quando a malta faz uma bela e feliz celebração da vinda de Deus , feito homem , à Terra. o resto que fazem é uma adulteração do significado do Natal por uns que queriam ganhar dinheiro e inventaram o pai natal , sendo que o Natal moderno pode ser considerada a festa do lucro.

    Feliz Natal , se acreditas em Deus e que veio à Terra , claro.

  2. !ai! que riso. pois claro que em um universo de significâncias sem fim, bom é apenas mediocre. mas atenção, há outros casos em que bom é mesmo bom por se querer descrever, em expoente máximo, bom.

  3. O adjetivo bom nessas classificações não é sinónimo de “correto”. Ou seja, está desligado do termo q aprova eticamente uma circunstância.

  4. Se considerares que um mau Natal é um gajo partir uma perna já podes ver que um bom Natal é um gajo estar vivo e de boa saúde.
    Val passa um bom Natal e tira as minhocas da cabeça.

  5. Eu mesmo, faça o exercício ao contrário: natal bom é estar vivo e estar vivo é estar com as duas pernas inteiras?

  6. Ó lindinha para esse exercício respondo com uma história.
    Um menino fartava-se de chorar porque não tinha uns ténis, até que olhou para o lado e viu um menino que não tinha pés.

  7. Eu mesmo, o que menino que não tinha pés – e que não precisava de ténis, portanto – poderá não ser não feliz por causa disso. e poderá ser o que tinha pés e desejo de outros ténis a estar morto. pode, por favor, repensar o exercício?

  8. Que é que se passa ó lindinha, estás tantan ou é só vontade de embirrar?
    O que eu quero dizer é que independentemente da situação em que nos encontramos há sempre quem esteja pior que nós.

  9. ora aqui está, Eu mesmo, a definição de um feliz natal: todos os dias fazer renascer, no coração, o amor, a alegria e a bondade – fazer dos fiordes escuros, claridade. porque o mundo está todo fodido. e estar fodido, per si, não traz felicidade a mi.

    lailailai

  10. “Eu mesmo, o que menino que não tinha pés – e que não precisava de pénis, portanto – poderá não ser não feliz por causa disso. e poderá ser o que tinha pés e desejo de outros pénis a estar morto.”

  11. Querem a resposta ? Hoje estreia no Netflix o filme “Don’t look up” . Não acaba bem,mas na realidade quem de nós esperava um fim diferente ? Uma impiedosa caricatura da América, com ou sem Trump. A não perder.

  12. Diz o comentador das 3:16 que formula desejos de ateu. Corrija-se, dizendo que é um ateu a prazo. Ressalvada a possibilidade de uma evolução travada pela cobardia, o seu anti-imperialismo obsessivo saturado de anti-sionismo atávico conduzi-lo-ão não apenas na via do terrorismo, como no caminho da conversão ao islamismo. Com toda a naturalidade.

  13. Ao das 22:21. Já te avisei da primeira vez que aqui apareceste, há alguns meses, saltitando de nick em nick, e a partir de determinada altura enveredaste por acusações graves, confiante na impunidade do anonimato cobarde. Meteste então o rabo entre as pernas e desapareceste durante alguns meses. Mais uma vez confiante na impunidade do anonimato cobarde, e porque não consegues calar-me, voltaste agora a não te contentar com o insulto avulso e estás de novo a enveredar pela difamação e acusação grave a pessoa identificada, com nome e direito ao bom nome. É fácil provar, nos arquivos do Aspirina, que sabes exactamente quem eu sou e, graças a ti, a maior parte dos que aqui andam também ficou a sabê-lo. Acusações de terrorismo e outras saem do âmbito das tuas parvoíces habituais e entram na categoria de crimes previstos no Código Penal. Não tenho, pessoalmente, maneira de te identificar, mas uma queixa-crime por denúncia caluniosa, difamação, injúrias e ofensa ao bom nome levará inevitavelmente a uma investigação de quem dispõe desses meios, que chegará a ti em três tempos. Como também te expliquei da outra vez, enquanto não souber quem és posso sobre ti escrever o que me apetecer, não estou a ofender pessoa identificada mas apenas um bully cobarde que recusa assinar os insultos que debita diariamente. A partir do momento em que tiveres nome, dirigir-me-ei a ti sem infringir leis nem qualquer tipo de regras e não cometerei o erro em que mais uma vez estás a cair. Tudo o que escreveste na outra “edição” está convenientemente arrumado e arquivado e o que acima escreves vai juntar-se ao pacote, pelo que reitero o conselho: tem cuidado, vê no que te metes, porque, além do mais, quando o processo deixar de estar em segredo de justiça toda a gente aqui ficará a saber quem és, o que és e porque te escondes.

  14. o caluniador-mor ameaça recorrer ao código penal para defesa do seu direito à calunia, difamação, injúrias e ofensa ao bom nome.

  15. Ó bully residente, pide ranhoso, cobardola escondido, que “nome” é que eu ofendi, porco? Agora chamas-te “bom nome… eheheheh!”, daqui a dois minutos chamas-te “na peida senhor almeida”, o teu namorado, o mabeco n° 2, como invertido que é, inverte-me o nome para assinar ou bota uma javardice à cabeça e eu é que estou a ofender o bom nome, porcalhatz?Que cabrão de nome estou eu a ofender, idiota? Não te cansas de ser burro, aldrabão e vigarista? O único nome que anda aqui é o meu, e graças a vocês, pides ranhosos, o nome está claramente ligado a uma pessoa, uma profissão, até um local de trabalho. E é essa, aqui, a única pessoa com direito ao bom nome, javardo, vocês dois não passam de bullies cobardolas, como são todos os bullies, escondidos nos viadutos a atirar pedras a quem passa em baixo. Eh pá, mas com as tuas javardices não há problema, podes continuar a peidar-te à vontade, basta-nos tapar o nariz, o teu namorado é que fez mal os cálculos e reincidiu noutro campeonato, e pagará caro se insistir nele. Vai-te foder, cagalhoto!

  16. Ó idiota sem nome das 13:07. Escrever que as opiniões que eu, Joaquim Camacho, aqui assino sobre política internacional me conduzirão, “com toda a naturalidade”, à “via do terrorismo” é no teu catálogo apenas “opinião adversa”? Que direito tem o caluniador de tentar impedir-me de exprimir opiniões, as minhas, no exercício de um direito, escrevendo que essas opiniões me conduzirão, “com toda a naturalidade”, ao “terrorismo”? Os cagalhotos anónimos pespegam aqui continuamente a minha profissão e local de trabalho e a mentalidade pidesca é a minha? É natural que não compreendas, és um cobarde anónimo como eles.

  17. O lugar da mula russa é entre os que, como ele, são hipócritas no humanitarismo pseudo-democrata e pseudo-anti-imperialista, porque branqueadores de ditadores e criminosos. Entre caluniadores nos seus moralismos transviados. Entre os que envergonham a ética jornalista no elogio que dedicam a pseudo-jornalistas aldrabões, sendo correia de transmissão da propaganda merdiática da sua escolha. Entre conspiracionistas de toda a laia e negacionistas de diverso quilate. Entre anti-sionistas que fazem coro com anti-semitas da pior espécie. O lugar da mula russa é entre os escribas dos “pensamentos nómadas”, esse blogue que dá voz , entre outros, aos aldrabões Bartlett e Meyssan e que gratifica o leitor com deliciosos artigos “anti-sionistas” dignos de figurarem em antologias dos nazis Rosenberg ou Streicher.

  18. A RT não é fonte onde se beba. E se Mo manifestou um sentimento ecuménico só lhe fica bem.Quanto ao tal backlash não dei por nada,eu que bebo da BBC e Guardian.

  19. A RT, tirando um ou outro desvio um pouco mais faccioso, é tudo aquilo que a BBC ganhou forma de ser e há muito não é. Do que conheço, a RT, presentemente, é o lugar onde se faz melhor jornalismo no panorama mediático internacional. E não apenas nos conteúdos mas também na qualidade técnica, imagem, enquadramentos, etc. Os documentários da RT deixam para trás, a anos-luz, os “60 Minutes” pomposos e pretensiosos da América e a maior parte dos “Panorama BBC”. As entrevistas da RT a políticos e outras personalidades sem qualquer simpatia moscovita são um modelo de respeito e tolerância pelo entrevistado, que consegue sempre expor o seu ponto de vista, por merdoso que seja, até ao fim, a anos-luz das vergonhosas interrupções constantes dos “jornalistas” da Tugalândia, da Amerdilândia, da pérfida Albion e resto da família quando lhes parece que o entrevistado mija duas pinguitas fora do penico e incomoda a digestão dos donos. A RT tornou-se no porto de abrigo de muitos jornalistas ocidentais de quem os merdia de reverência fogem como o Diabo da cruz, porque fazem jornalismo e não fretismo, porque querem mostrar realidades e não montagens truncadas e aldrabadas, porque respeitam leitores e telespectadores e não se limitam a enfiar-lhes pela goela abaixo o que os chefes, depois dos telefonemas matinais dos donos, lhes mandam despejar. O que a RT faz menos é propaganda moscovita, pois merda não falta por lá também e muita dela é pela RT apontada, como têm feito exaustivamente com os casos de agressões policiais e tortura em esquadras da bófia russa. Quem lá vive que lide e tente acabar com ela. O que a RT faz mais é mostrar a merda do lado de cá e é isso que quero, porque do lado de cá vivo e pretendo continuar a viver, e quero que, no lado onde vivo e quero continuar a viver, a merda seja apontada como merda, para que merda haja cada vez menos. Obrigado, RT, keep on the good work!

  20. A mula russa desfaz-se em elogios à RT, no exercício despudorado de desonestidade intelectual. Julgando os outros crédulos quanto à idoneidade do seu juízo jornalístico, insiste e persiste na ruminação de pseudo-verdades, concedendo, para simulacro de integridade, que a RT tem “um ou outro desvio um pouco mais faccioso”. É delicioso verificar que esta constatação é produzida por um faccioso que, embora assine com nome próprio, bem podia ser o luís garcia deste sítio. Pelo menos, o resultado é igual.
    https://larevuedesmedias.ina.fr/rt-russia-today-influence-chaine-information-continu-media-alternatif-mainstream-occident
    https://www.franceculture.fr/numerique/rt-sputnik-cctv-ces-organes-de-propagande-qui-reussissent-a-se-respectabiliser
    https://www.nouvelobs.com/rue89/rue89-sur-les-reseaux/20170102.RUE6087/rt-france-sputnik-dix-choses-a-savoir-sur-les-medias-russes-en-france.html
    https://www.liberation.fr/futurs/2016/04/08/russia-today-allo-paris-ici-moscou_1444970/
    https://www.letemps.ch/opinions/russia-today-media-detat-chaine-combat
    https://www.nouvelobs.com/rue89/rue89-sur-les-reseaux/20170102.RUE6087/rt-france-sputnik-dix-choses-a-savoir-sur-les-medias-russes-en-france.html#modal-msg
    https://academic.oup.com/joc/article/70/5/623/5912109
    https://www.politico.eu/article/russia-propaganda-disinformation-rt/
    https://archives.cjr.org/feature/what_is_russia_today.php
    https://thebulletin.org/2020/11/heres-how-russias-rt-spread-propaganda-in-the-lead-up-to-the-election/
    https://www.routledge.com/Russia-Today-and-Conspiracy-Theories-People-Power-and-Politics-on-RT/Yablokov-Chatterje-Doody/p/book/9780367224677
    https://www.ft.com/content/9efbeac4-8dde-4e51-bb47-d4ae9d504d92

  21. Ah grande Kamachov!
    Postaste uma catrefada de links para impressionar e ficaste todo contente contigo próprio. Apenas fiquei com a impressão que só deves ter lido as “gordas” e nem percebeste metade do que dizem.
    Dei-me ao trabalho de verificar alguns e, na minha modesta opinião, a maioria são apenas contra propaganda.
    O que é que isto tem de especial, ou o que é que achas que consegues provar?
    Que a RT ou a Sputnik são instrumentos de propaganda russa?
    São, e…?
    Que apresentam versões alternativas alinhadas com a política externa do Kremlin?
    Qual é a novidade?
    Agora, num dos links consta que as duas estações divulgam “Fake news” e avança que a Sputnik disse que a Clinton era um robô, mas que esta notícia tinha sido retirada.
    Dãã, que conveniente, não deu para confirmar.
    Ou que a RT apresentou uma jornalista que arrasa a versão dos mérdia ocidentais dos ataques a Alepo e depois minimiza os post de uma blogger de 7(?)anos que denuncia as condições de vida na Síria? Qual é o problema?
    Ó Inácio: Achas que existe algum mérdia, hoje em dia, que não tenha uma agenda?
    A BBC, I24, FR24, CNN,etc, etc, estão aqui para te apresentar a verdade absoluta sem qualquer viés?
    Dream on, my friend…
    Achas que a CNN emite em Portugal porquê?
    Eu digo-te: É para preencher uma lacuna que existe na informação internacional e endoutrinar (mais ainda?) os tugas deslumbrados como tu.
    Portugal deve ser o único país onde o governo (de esquerda, claro) não consegue controlar um meio de comunicação que seja. Nem os públicos!

  22. Acode à mula russa um imbecil auto-denonimado “vieira”, a formular perguntas conformes à sua sonsice de hipócrita e ao cinismo da sua eleição . Que em boa altura confessou ser “avariado da corneta”, não existindo motivos alguns para discordar dessa excecional franqueza.
    A identidade da mula russa ou do cínico vieira não tem a mínima relevância. De facto, independentemente da singularidade de cada um, o que neles prevalece é a norma duma tipologia, ou melhor, duma patologia. Que o transforma em heterónimos de idiotas de igual quilate, que os há às resmas: desde roger garaudy, passando por thierry meyssan, até ao lusitano luís garcia. A escolha é múltipla, mas a merda é a mesma.

  23. yah meu… há quem faça propaganda a ditaduras e quem defenda a democracia.
    os primeiros cagam nos direitos humanos e no estado social, promovem racismo e xenofobia, governam com políticas neo-liberais e ultra-conservadoras. os segundos são pela liberdade e protecção social, igualdade de direitos e coesão social, governam com políticas sociais-democratas legitimados por votação em eleições livres.
    aquilo que tu e o teu amiguinho defendem são ditaduras e tão-se cagando para a democracia, só não o admitem por razões estratégicas & estéticas, querem vender populismo bacoco em embalagem democrática. na minha opinião a cnn portugal é pior do que a antiga tvi24, mas é de longe melhor que a rádio sputnik ou a voz da coreia.

  24. Se eu disser a alguém que na Austrália existe um marsupial chamado wombat cujas caganitas são perfeitamente cúbicas, quem me acredita ? No entanto, apesar de ser um facto establecido, o meu suposto interlocutor irá procurar confirmação, muito provavelmente no Google. Nas revistas cientificas um artigo publicado vem normalmente acompanhado pelo caveat se foi ,ou não, peer reviwed. E assim vamos separando o trigo das fake news.
    É obvio que nem tudo o que a RT publica é falso, ou grosseiramente manipulado, seria muito pouco professional. Mas não devemos esquecer que é totalmente controlada por um regime que sob os nossos olhos está a fazer a transição de regime autoritário para regime totalitário, e que logo tudo o que publica deve ser tomado with a strong pinch of salt.
    A troca de insultos entre comentadores é assim perfeitamente descabida e apenas diminui o Aspirina e a vontade de lá voltar.

  25. “Achas que a CNN emite em Portugal porquê?”

    porque a lei portuguesa o permite. somos um país onde não existe censura e a comunicação social é livre, coisa que não acontece em muscovo, ongue-congue ou pionguiangue.

    “Portugal deve ser o único país onde o governo (de esquerda, claro) não consegue controlar um meio de comunicação que seja. Nem os públicos!”

    afinal já tinhas dado a resposta. não dei por isso porque o meu conceito de liberdade é diferente do teu.

  26. ‘Tá-se bem, Soixante.
    Os insultos criam dinâmica na discussão- digo eu, enquanto enquanto bebo o meu “cházinho”de limão- e é o lado para onde durmo melhor.
    Só tenho penha de ter confundido o Inácio com o outro paspalhão, embora,no essencial, estejam afinados pelo mesmo diapasão (rimou outra vez, lóle!). Sorry lá pelo lapso.
    Lamento discordar dos meninos mas fico com a sensação que dois de vós acreditam sinceramente naquilo que dizem, enquanto o outro é macaco. Tem um discurso demasiado elaborado, pseudo intelectual e, quando espremido, as poucas gotas de sumo resultantes revelam uma agenda. Já o apanhei noutras intervenções, conheço o animal. Já agora, lembram-se do que o Jack Grapes diz, um ou dois posts atrás, sobre o discurso literário? Ora aí está.
    O Inácio, dá-me a sensação que nunca vai mudar porque é teimoso (estou a ser brando) que nem uma bigorna e não quer ver nada do que lhe escarapacham nas trombas.
    O soixante, já parece um pouco mais ponderado e, tenho a certeza, que se utilizar o mesmo “pinch of salt” para analizar as notícias do maistream, junto com as intenções económicas, financeiras e geoestratégicas de quem os alberga ou financia, tem capacidade para se aperceber da parte submersa do iceberg.
    Longe de mim tentar evangelizar alguém,… ‘m just saying.

  27. O lugar da mula russa e do seu amigo, o anão cínico, é a dar palestras aos deserdados da URSS, aos nostálgicos do Fidel e do Kadafi, aos kamikazes de kafieh, aos branqueadores de Maduro, Putin e Assad, a toda a fauna de conspiracionistas e negacionistas aldrabões que pululam na blogosfera. Pago para vê-los no próximo congresso do IHR a lamberem o cu do israel shamir.

  28. Ó Inácio, fodasse, tu exasperas-me. Nem percebes o que digo, meu.
    Achas que não há censura e a comunicação social é livre quando TODOS os órgãos fazem campanha a favor da direita contra o governo?
    Já agora, googla lá a liberdade de imprensa na Alemanha no que concerne à RT.

  29. E o Navalny, Vieira?! O grande herói Alexei Navalny, Prémio Sakharov dos Direitos Humanos 2021 e xenófobo e racista em part-time? O lutador incansável contra a corrupção da Moscóvia putinista, que agora, com o mesmo à-vontade, acusa também de corrupção a Tugalândia costista, pá?! O racista modelo de virtudes Alexei Navalny, que, sem que lhe caiam os dentes, afirma que a Tugalândia costista concedeu a nacionalidade tuga a um judeu sefardita de que o herói não gosta apenas porque com esse objectivo foi corrompida pela Moscóvia putinista? Porque, como São Navalny decreta e os borregos engolem, todos os judeus são iguais, Vieira, mas alguns são menos iguais do que outros. E as provas da corrupção? Quem precisa disso? Tal como o Ministério Público da Tugalândia, o Navalny “acredita”, o Navalny “suspeita”, o Navalny “está convencido” e mais não é exigido, só os excêntricos e (obviamente) os corruptos se atreverão a pedir mais. Mas o que dizes, meu, já que quem habitualmente sobre nada diz tudo, agora, aparentemente, sabe nada e diz nada? É absolutamente ensurdecedor o silêncio sobre a corrupção da Tugalândia costista desmascarada pelo grande herói mal-novichokado. Exige-se uma investigação e um pedido urgente ao Alexei Ventura moscovita das provas que certamente tem sobre o conluio judeo-maçónico-costo-putinista. E o que falta saber, Vieira, é se o supercoiso de Mação já reservou bilhete para a Moscóvia, em busca das provas que o Navalny lhe facultará de bom grado. Espero que sim… mas espero sentado, claro.

  30. A mula russa e o anão cínico presenteiam-nos com mais pérolas da sua indigência intelectual. Sem saberem, são uma anedota. Ou melhor: duas anedotas, ao preço de uma.

  31. Cuidado Camachô que o Kamashov está à escuta.
    Ele até está caladinho, acerca do tema, porque se se começar a investigar muito, ainda se descobre a podridão que está por detrás dessa palhaçada e, dos MILHARES de agentes, terroristas, mafiosos e outros criminosos que se infiltraram na nossa sociedade com plenos direitos de cidadania.
    Estou-me cagando para o Abramovich e nunca gostei dele, mesmo quando os deslumbrados lhe cantavam loas. O gajo amochou perante o Putin e foi-lhe permitido continuar a fazer negócio. Grande novidade.
    O Khodorkovsky, o Guzinsky e o late Beresovsky queriam continuar na mama após o Yeltzin, foderam-se.
    O que me está a assustar é o monstro que se está a criar com este suposto acto de reparação histórica.
    Então e os mouros? Não têm direito ao mesmo tratamento? Não foram perseguidos, mortos ou expulsos?
    Há qualquer coisa, aqui, que não cola…

  32. “Achas que não há censura e a comunicação social é livre quando TODOS os órgãos fazem campanha a favor da direita contra o governo?”

    pois fazem, até o diário do governo, que é do estado, faz nomeações de gajos de direita.
    campanhas custam dinheiro, a esquerda que compre jornais, jornalistas e sindicatos da especialidade ou queres convencer os donos da imprensa privada a promover governos de esquerda. contenta-te com o avante, esquerda.net e acção socialista. o problema é haver liberdade e não haver censura, pode ser que um dia os trabalhadores da comunicação social tenham problemas de consciência social e se recusem a escrever a liberdade editorial imposta pelo patrão.

    a alemanha tem um grande trauma com nazismo e tudo o que cheire nacional socialismo é fortemente reprimido.

  33. Já agora, como diz o tosco do Milhazes (desta vez com razão) ainda se estão para ver as provas da ascendência sefardita do dito cujo.
    Se houver muito barulho a coisa vai dar merda, lóle!
    Aguardo as cenas dos próximos capítulos.

  34. A questão que se põe agora, Vieira, é a seguinte: se tudo o que o Navalny diz sobre a corrupção na Moscóvia putinista é e sempre foi para os borregos de cá verdade bíblica, incontestável, ao ponto de merecer um dos mais prestigiados prémios da “civilização ocidental”, por que porra de carga de água mentirá quando faz acusações idênticas ao que se passa cá? Eu acho que mente, mas isso sou eu, que o tenho por oportunista e vigarista, além de declaradamente xenófobo e racista. Mas por que motivo os que por cá sempre o aplaudiram acefalamente, e dão como automaticamente provado tudo o que diz da Putinlândia, não tugem nem mugem quando acusa do mesmo a costista Tugalândia?

  35. Pois eu acho que essa fraude, neste caso, não mente.
    Sei que baralha o facto do gajo ser racista e falso, mas basta veres a reação da comunidade para perceberes que o que eles mais precisam, agora, é manter um “low profile”.
    O Kamachov até já foi instruído para fechar a cloaca e não dar bandeira.

  36. PS- Claro que o governo (infelizmente) não teve quaquer controle no processo e quando o Blogger diz que o estado recebeu subornos é por pura ignorância. O milionário financiou foi a criação do Museu do Holocausto no Porto. Achas que alguém vai investigar ou reverter essa merda? Naaahh!

  37. A questão é precisamente essa. As investigações necessárias e a condução dos processos de aquisição da nacionalidade portuguesa por judeus sefarditas foram entregues às comunidades judaicas de Lisboa e do Porto, tanto quanto julgo saber, e nisso não me meto, não faço a mínima ideia sobre a seriedade e rigor dessas investigações e desses processos, nem isso me interessa. O que me interessa é que o pseudolutador contra a corrupção Alexei Navalny, que cumpre pena por desfalque e desvio de fundos de empresas privadas (uma delas a Yves Rocher) e não por motivos políticos, e que para os borregos de cá é um herói apenas porque não gosta do Putin, não apresentou até agora, que eu visse, quaisquer provas das acusações de corrupção que faz às autoridades portuguesas (e não às comunidades judaicas de Lisboa e Porto). O que isto diz sobre a seriedade e rigor de acusações semelhantes que faz às autoridades do seu próprio país é para mim claro. Dito isto, não tenho a mínima dúvida de que a corrupção é um problema na Rússia e, ainda que possa estar errado, estou convencido de que o problema é bastante mais grave lá do que cá.

    E, para ser franco, apesar do nojo e revolta que sinto pela política de esbulho da ladroagem nazionista do Estado de Israel em relação aos palestinianos, na maioria muçulmanos sunitas, é quanto a mim preferível que um eventual crescimento demográfico da Tugalândia se fique a dever mais ao aumento da percentagem de judeus, sejam eles sefarditas ou askhenazes, do que ao do número de muçulmanos, nomeadamente sunitas, cuja visão do mundo (chamemos-lhe assim), capacidade de integração e tolerância de visões diferentes deixa, quanto a mim, muito a desejar, por mais parvoeiras sonsas e inconsequentes que o xeque Munir debite de vez em quando sobre o Islão como “religião de paz”. E por mais boas intenções que as boas consciências e o politicamente correcto debitem, o ateu que sou, e apenas por ateu ser, corre muito mais perigo de ter a cabeça cortada por um muçulmano sunita do que por um judeu ou um cristão, ou mesmo por um muçulmano xiita. Basta ver a ainda bastante grande comunidade judaica que professa a sua religião sem restrições no Irão, protegida pelo Estado, com sinagogas abertas e uma sensação de segurança que os judeus iranianos afirmam não sentir, por exemplo, quando vão a Nova Iorque, onde são necessários guardas armados (ainda que disfarçados) para proteger sinagogas, ao contrário do que acontece em Teerão e noutras cidades iranianas.

  38. A mula russa e seu amigo anão cínico reciclam e ruminam a sua ciência néscia, sábia dosagens de meias-verdades, adulterações conscientes e obsessões paranoicas. Dois exemplares de degradação ética. Pago-lhes a inscrição no IHR, com carta de recomendação do Noah Chomsky e entrevista de Eva Bartlett .

  39. Pois é Camachô, quando toca a criticar a moçada lá da ponta do mediterrâneo o pessoal tem tendência a deixar um selo na cueca. Mas eu compreendo porque também tenho que me conter quando toco no assunto, apesar do anonimato. Ironicamente, todos temos noção de que certas afimações que nos podem trazer dissabores e não me refiro ao Islão, porque, como se vê, estamos todos à vontade para cascar nos “facínoras muçulmanos” sem medo de ser degolados, ou prejudicados de qualquer forma. Acho que todos sabemos a quem temos que prestar vassalagem, principalmente agora que os nossos “amigos” se vão infiltrando à ganância na comunidade. É que a gente conhece a história, passado e presente, para termos noção do pacifismo dessa malta.
    Por mim, a melhor opção era acabar com essa treta e não entrava ninguém porque parece que a intenção não foi reparar historicamente o que quer fosse. Há algo que não está bem explicado e não é coisa boa.
    Sabes que há quem diga que a verdadeira terra do leite e do mel é a Tugalândia?
    Ah, não liguem ao que eu digo porque sou avariado da corneta, está bem? (just in case…)

  40. A mula russa e o anão cínico reconfortam-se mutuamente, denunciando o que neles existe de cumplicidade. Cumplicidade intelectual, dirão os mais benevolentes. Mais do que isso: trata-se de partilha da mesma degradação ética hipocritamente intelectualizada. Com inevitáveis laivos de auto-vitimização indulgente.

  41. é, é Kamachov , quando a realidade se sobrepuser , sem margem de dúvida, ao que os donos dos merdia global e cagaliwood mandam pró globo , tal qual nuvem de fumo intoxicante , sempre quero ver para onde vai imigrar .

  42. O Eduardo Ricardo comentou bem o texto na perspectiva linguística da ética de Wittgenstein. O “bom” não existe como categorização, mas a única resposta valida está incluída no texto: o silêncio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *