Dominguice

Idealmente, a democracia é o regime que mais inteligência pode introduzir no sistema político graças à liberdade concedida para se apresentarem propostas alternativas de governo. Nesta aspiração, haveria um nivelamento por cima, onde os eleitores poderiam escolher os candidatos e as ideias que lhes parecessem melhores na comparação com a concorrência. Empiricamente, a democracia é o pior regime à excepção de todos os outros por causa da liberdade, a qual é aproveitada para introduzir disfunções várias no sistema político. Nesta realidade, há um nivelamento por baixo, onde a generalidade dos eleitores são enganados e preferem o engano, abdicando de pensar, sequer conhecer, as propostas da concorrência à sua afinidade tribal ou emocional.

Mais importante do que a ideologia e o programa num qualquer candidato político, à presidência da República ou à junta de freguesia, é constatar o seguinte: serve-se das técnicas da estupidificação ou dos instrumentos do pensamento crítico?

20 thoughts on “Dominguice”

  1. Os eleitores não são enganados porque a estupidificação está no sistema político. Os eleitores ficam é indecisos na escolha. A estupidez é tanta que a alternativa é votar no menos estúpido.

  2. E desde quando é que o troll tem inteligência para votar?
    O troll segue a manada e vota onde o querido líder manda.

  3. se apostassem no pensamento crítico nem a escola se tinha convertido num enorme recreio nem pretendiam uniformizar a educação da malta. na variedade está o fun .

    por exemplo , abomino a moda dos bichos em casa , ora , em lugar de assumir o desgosto pessoal relativamente aos escravinhos domésticos e a barulheira e porcaria que fazem , pois iria sublinhar a catastrófica associação entre aquecimento global e animais de estimação – montes de indústrias supérfluas tipo comida , roupinha ( há quem vista os bonecos) , coleiras , e bla bla bla , que os pais humanos dos coisinhos adoram comprar para os seus filhos peludos patudos etc etc palavras fofinhas-, exigindo que parem imediatamente com a moda de substituir a fauna selvagem por esses aquecedores ambulantes do ambiente , causadores , em última instância da submersão de Lisboa no Atlântico -:)

    entretanto , o Pan está lixado , porque esta associação surgirá mais cedo ou mais tarde , porque até a há.

  4. Vejamos, estamos a cerca de uma semana do Natal e a duas da passagem de ano, do ano 2021.
    Nao tem sido um ano fácil, mas atribulado: a pandemia, o chumbo do orçamento e a crise que lhe adveio, a generalidade da corrupção, monetária, bancária, financeira, tão falada e comentada, por vezes sem nexo, nem sempre bem tratada, controlada, punida. E o ano que aí vem, o 2022, pelo menos no seu início, não vai ser mais calmo e sossegado: ainda a pandemia, a crise, a corrupção, e agora também, as eleições legislativas a mobilizar o país. Não sei quem será o vencedor, naturalmente, mas sei que só há dois favoritos,
    000certos: o PS, de esquerda, democrático, socialista, e o PSD, de direita, reclamando-se social- democrata. Voto no primeiro, com a esperança, não optimista, duma maioria absoluta. Porquê? Porque só nessa situação, se<m entraves, com possíveis apoios, o PS poderá lutar, quero acreditar que o fará, pela prioridade governativa, que é, que deve ser: melhorar as condições d vida do povo português (eliminar a pobreza, assegurar o rendimento, desenvolver a economia, fortalecer o SNS, melhorar os serviços públicos: educação, transportes, habitação, água, gás, electricidade) não esquecendo que para tal ´é essencial o investimento, a inovação, não descurando um relacionamento justo que um Estado forte, para melhor o ser, deve ter com o sector privado.

  5. é mesmo isso: é preciso ir ao fundo para perceber tudo com sabedoria. depois pensar, também sentir – a intuição é um dos nossos melhores sentidos porém descurado -, cruzar e construir outros pensamentos por cima dos pensares. e é aqui que se distingue a sabedoria do mero conhecimento: no cruzamento. depois, claro, como aquilo que eu fui ler ontem na fonte da posta anterior, existem aquelas coisas que se baseiam apenas na maldicência do outro – o que não é nem conhecimento nem sabedoria, apenas imbecilidade. e a frase em que referi tratar-se de picanço à melhoria contínua é disso prova: onde está o mérito de criticar o outro se não se apresenta solução? aqui a sugestão de melhoria contínua serve tanto para o que critica como para o criticado se este souber aproveitar a oportunidade. paradoxalmente, nisto que disse, não existe custo de oportunidade porque ambos, neste caso os partidos, saem a ganhar se forem finos.

    (mas às vezes também acontece não percebermos o que fazemos de errado quando, em nós, fazemos o melhor e com bem querer. são coisas que acontecem. e ficamos tristes por não percebermos. é uma espécie de douta tristeza. adiante. :-))

  6. Se houvesse pensamento crítico, bastava a nomeação do Durão Barroso para presidente da aliança global das vacinas para a malta desconfiar da seriedade da vacinação.
    Mas como a malta prefere dar graxa ao cágado à espera sempre dum favorzito, fecha os olhos e prefere juntar-se à carneirada.

  7. de todos os modos , a democracia foi concebida por homens de e para sociedades simples e pequenas , e , digamos , vestir roupa de anão a gigantes complexos que já nem conseguimos controlar é capaz de não ser lá muito eficaz ; por outro lado ,em sociedades pequenas , como a Finlândia , continua a dar provas de funcionar.

    além disso o poder mudar de 4 em 4 anos de projecto governativo não sei bem se será positivo: andar aos zig zags , sem rumo definido , é bom?

  8. Assisto diáriamente ao programa “Noticias às 6 ” da BBC.Invariavelmente nele aparece Boris mascarado de qualquer coisa: Já o vi como policia,como cientista de bata branca absorto na criação de vacinas,como pedreiro assentando tijolo, como empregado de supermercado carregando prateleiras,como motorista conduzindo camiões,etc. A lista é infindavel como infindavel é o ridiculo a que se presta.
    A verdade é que a palhaçada resulta em certos grupos da população Britânica e faz-lhe ganhar votos. A mesma população que, sendo tida como culta e civicamente exemplar, tem no seu seio uma percentagem não dispicienda de xenófobos e racistas, de gente profundamente ignorante. Se a isto acrescentarmos os media controlados a 75% pelo grande capital que,no minimo, apoiam com o seu silencio, temos a resposta como foi possivel um desqualificado como Alexander Boris de Pfeffel Johnson foi capaz de juntar o seu nome à prestigiosa lista dos Primeiros Ministros Britânicos.

  9. Enquanto os povos da Europa lutam contra as ditaduras sanitárias, na defesa das liberdades, os portugueses não passam de cornos mansos que assistem, impávidos e serenos, ao genocídio das suas crianças. É vê-las, alinhadas como rebanho a injetar, anestesiadas com palhaços e balões.
    Façam alguma coisa, PORRA!!!

  10. genocídio não obrigado, genocídio é facultar tablets, smartphones e mcdonald’s às crianças – não é administrar vacinas.

  11. genocídio não obrigado :
    Não te vejo desde a manifestação que fizemos para,além do melhor, irmos chamar assassino ao Almirante das barbas ! A tua voz máscula e o teu porte atlético não me saem do pensamento !
    Quando apareces para irmos deitar ao lixo mais uma carrada de vacinas e de outras sobras ?

  12. Ó troll tás com sorte o teu querido líder já fala em dar a quarta dose.
    De certeza que ele foi colega do Relvas para já estar um especialista em ómicron, só pode.

  13. micróbio negacionista preocupado com “genocídio não obrigado”.
    desobriga-te e abriga-te, pode ser que te passe.

  14. … para acabar com a peste xungóchatos, parece-me correcto, adequado e proporcional.

  15. têm de ter paciência e consideração pela admirável abnegada e solidária indústria farmacêutica , que com esta pandemia mata idosos e doentes ficou com muitos menos beneficiários dos seus baratos produtos e necessita urgentemente angariar novos , de aí a vacinação das crianças. em principio , com a vacina , ficarão capazes de substituir os idosos no consumo de venenos.

  16. Avancemos, pois, sem hesitação, contra os émulos do fardado dos submarinos, que, aquando da visita a um dos matadouros sob a sua alçada foi justamente chamado de assassino e genocida. Na altura, parece ter ficado incomodado, não por ter razões de alívio na consciência, mas devidos aos danos provocados na sua imagem. Está à vista de todos que o submarinista acalenta sonhos de bonaparte.

  17. Companheiros o nosso querido líder vai anunciar amanhã mais restrições para a quadra Natalícia.
    Se estavam a pensar comer o bacalhau com todos, esqueçam, ou comem o bacalhau ou comem as batatas, mas tem de ser com a janela aberta que é para o ómicrão não entrar.
    Obrigado querido líder por seres o nosso pastor.
    Mééééééé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.