Depois de conseguir ligar Sócrates a Maria de Belém, este crânio explica como nascem as perseguições

Outra acusação tem a ver com aquilo que Vera Jardim, Alberto Martins, Manuel Alegre e outros, criticaram como onda de populismo. É verdade! Eu não concordo com a subvenção vitalícia sem condição de recurso (ou seja atribuída independentemente de outros rendimentos), como Maria de Belém e outros deputados pediram. Mas uma divergência política não é, não pode ser, uma acusação de falta de seriedade, de ganância ou de privilégio. Ao mesmo tempo que sinto ser curioso ver alguns dos indignados contra Maria de Belém desvalorizar casos mais graves, como o de Sócrates, sinto que é preocupante esta deriva que leva a considerar a posição política própria como inatacável, íntegra e pura, e a dos outros como desonesta ou impura. É este o princípio da demagogia e da falta de tolerância pelos outros. Começam assim as perseguições.


Henrique “Não contem comigo para denunciar a Inventona de Belém” Monteiro

3 thoughts on “Depois de conseguir ligar Sócrates a Maria de Belém, este crânio explica como nascem as perseguições”

  1. ó. já se sabe que esse é sempre triste e julga que tem piada – é mais um esvaziado com direito a tachos. :-)

  2. óh henrique, vai mas é tomar banho. o ódio a socrates tira-te a pouca seriedade que tens no teu adn. a tua maria de belem naõ justicava no parlamento o que ganhava.lembras-te de alguma intervenção relevante nos ultimos 10 anos? era uma não politica a viver à custa da politica! devia ter abandonado a vida partidaria com o seu camarada josé seguro.esse teve a virtude de reconhecer que estava a mais e foi embora.

  3. Falta de vergonha é o que me parece, pura e simples. Além da vergonha de reclamar direitos que a maioria de cidadãos não pode beneficiar, ainda se servem para causa própria, do privilegio de poderem em causa próprios fazer uma demanda, que à maioria dos cidadãos ẽ vedada. Tenham vergonha na cara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.