Delenda Cavaco

Cavaco lançou a recandidatura. Apresenta-se como o Presidente que vive num humilde prédio de classe média. Tem sofrido muito neste Inverno porque a casa não tem aquecimento central, queixa-se. Também ficámos a saber que nada lhe dá mais gostinho do que a comida caseira, simples, portuguesa. Leituras da imprensa só as que os assessores seleccionam e marcam. Viu-se um exemplo: 3 parágrafos de um certo texto estavam assinalados a traço vertical, os restantes 10 já não valia a pena ler – e ainda há quem diabolize os assessores…

Os melhores momentos deste tempo de antena, se esquecermos todas as outras gargalhadas do princípio ao fim, centram-se em Sócrates. No primeiro deles, Cavaco quer passar a imagem de ser tão superior ao engenheiro que nem sequer dá atenção à sua entrevista a Miguel Sousa Tavares. O intento já era primário, a execução foi penosa. No segundo, Cavaco diz que sempre se deu às mil maravilhas com Sócrates e que o suposto conflito entre ambos não passa de má-língua. Um dia explicará o que se passa, falará do amor que se faz semanalmente numa certa sala do Palácio de Belém. Mas, por agora, tem de ficar caladinho enquanto o Primeiro-Ministro é queimado pelos amigos do Presidente. Porquê? Porque Cavaco não se mete na política, apenas a tolera às quintas-feiras.

Não era preciso este favor de Balsemão a Cavaco para descobrirmos como é necessária a derrota desta nefanda personagem. Representa um Portugal que se limita a usufruir dos privilégios, sem qualquer solução de interesse para a comunidade. Merecemos um Presidente de que nos possamos orgulhar, não uma figura que traiu o seu juramento.

52 thoughts on “Delenda Cavaco”

  1. Sobre o Cavaco nada, absolutamente nada, de novo.
    E sobre a independência, a “liberdade” e honestidade da comunicação social, neste caso, privada, também não!
    Embora os tamborzinhos, de um e de outro lado, rufem sincronizados com as tropices que estes comunicadores e seus patrões se afadigam a trejurar, tudo está dentro das regras:
    Os pasquins de serviço destratam o governo que se atreveu a tocar em privilégios, mesmo que levemente…
    As corporações, todas, associam-se a qualquer coisa que se mova para insultar o governo
    Os chamados jornalistas armam-se em comentadores e não há uma notícia, um título, que não seja, só e apenas, um chorrilho de opiniões e de mensagens subliminares contra o governo.
    Numa palavra, esta comunicação social constitui-se, ela própria, em oposição e não pretende menos do que a destruição dos resultados das últimas eleições. Tudo o resto é treta para enganar meninos da escola!
    Daqui para a frente, até às próximas eleições, sejam ou não antecipadas, vamos assistir a campanhas gratuitas em benefício dos “valores” e dos candidatos, apenas e só, escolhidos pela comunicação social. Quer dizer, pelos interesses que a dominam, que a pressionam e a que se submete.
    Tudo o que disserem em contrário é tão falso como aquilo que escrevem!

  2. o engraçado é que tentou passar a ideia de que ainda não pensou na recandidatura mas foi traído pelo preciosismo do nº de dias que faltam para a eleição. o gajo todos os dias pensa no assunto!

  3. Estava a jantar na altura em que estava a passar essa “reportagem” e digo-vos que me deu a volta ao estômago. Tive de mudar de canal… Tamanha hipocrisia daqueles personagens e de uma, mais uma vez, “reportagem” aos dias do pobre presidente que chega ao Palácio às 10h da manhã mas só sai depois das 20h, onde nem as portas tem ele de abrir… Deve ser do plano de contingência da gripe A. O discurso de “coitadinho”, muito trabalhador, muito aflito com o que preocupa os portugueses, o homem simples que gosta é de comida caseira… Que nojo me deu. E eu estava a jantar! É coisa que não se faz.

    Nunca simpatizei com Cavaco Silva, então depois daquela história das escutas, notícias plantadas, assessores para trás e para a frente, ora afastados ora promovidos, discursos sem nexo, acusações fortuitas e preocupações com segurança informática… É caso para dizer… O que é que este suposto Presidente ainda lá está a fazer?! Tenho a certeza que em qualquer país com uma Democracia sã, esta historieta não teria o desfecho que teve. Parece que por cá tudo se passa e ninguém é responsabilizado…

    Espero que ele não apresente recandidatura embora esta “peça jornalística” seja nada mais do que campanha eleitoral. Se apresentar que seja totalmente ESMAGADO para ver se ao menos assim toma alguma vergonha na cara ao não representar todos os portugueses deste também seu país!

  4. “….oh, tu que rodas o leme e olhas a barlavento, lembra-te de Phlebas, que em tempos….”

    O seu silêncio cúmplice, face aos blasfemos da raça de Caim, não ficará impune, uma Providência mas Esta não cautelar, fará cá nesta terra a justiça, que não depende dos homens, mas por causa deles.

    ” T. S. Eliot em: A Morte pela Água.

  5. Antes de mais, quero dar os meus parabéns a ravara.
    E por quê? – Alguém pergunta.
    Porque nunca entendo as suas mensagens e isso deixa-me feliz, no pressuposto de que o saber demais nos torna infelizes. Mas admito que seja por incapacidade minha, com certeza!

    Posto isto, reparo que todos os comentadores concordam com o post e, alguns deles até lhe acrescentam mais uma acha (de lenha…). Ou seja, nem uma palavrinha a contrapor.
    Estão todos de acordo com o texto de Valupi?
    Esqueceram que Cavaco Silva era o candidato preferido de José Sócrates? Se não, por que motivo apoiou Mário Soares em detrimento de Manuel Alegre, quando este tinha todas as condições para ser o actual PR?
    “Mas Manuel Alegre não era alinhado com a Direcção do PS” – Dizem lá do fundo.
    Pois não. E Cavaco Silva, é socialista desde pequenino?
    Ou alguém acreditava que Mário Soares ressurgisse do nevoeiro, qual tardio D. Sebastião?
    E quando se afirma que “Representa um Portugal que se limita a usufruir dos privilégios, sem qualquer solução de interesse para a comunidade” estão a esquecer-se que esta frase se aplica a muita gente e também da área do PS.
    Ou seja, querer fragilizar Cavaco Silva desta forma é quase um tiro de pólvora seca e, para além do resto, atacar agora Cavaco Silva é reconhecer que, ainda que muito tardiamente, o PS – diga-se os seus dirigentes – cometeram um erro grave e que nunca foi assumido.

  6. Nunca simpatizei muito com o Cavaco nem nunca votei nele.
    Mas parece-me que criticar as opções pessoais de qualquer um, ou pensar que alguém, só porque é o PR, não pode gostar de comida tradicional portuguesa é de uma estupidez incrível e demonstra muita ignorância.
    Dizes tu que ele se apresenta como o Presidente que vive num humilde prédio de classe média. Achas que ele esteve 42 anos à espera desta reportagem para tirar proveito disso ou que ele tem uma grande mansão secreta e o apartamento é só para enganar? Qual é o problema de ele não se importar muito em não ter uma mansão? Se o pessoal da alta mostra as mansões para a Caras é porque são uns foleiros exibicionistas, se vivem em apartamentos têm falta modéstia.
    Não mintas, ele não disse que sofre muito sem aquecimento, apenas disse que nalguns dias mais frios não está tão confortável como poderia estar. Mas ele lá terá as suas razões, não lhe apetece fazer obras, etc.
    Só te falta dizer que nos dias em que não tem os repórteres em casa não come torradas e laranjas mas começa logo a abrir com caviar!
    No que toca à impressa também estás a exagerar, viu-se ele, durante o serão, a ler o Economist, de livre vontade . Não sei se ele não tem bastante razão em não dar grande importância aos jornais portugueses, que são todos, mais ou menos, uma boa merda, como às vezes também é aqui dito.
    É evidente que quem tem coisas importantes para fazer não pode perder 2 ou 3 horas por dia a ler todos os jornais de ponta a ponta, isso é bom para os reformados ou os bloguers que gostam de mostrar que estão absolutamente por dentro de todos os mexericos mais desinteressantes.
    Alguém que leia muita imprensa de ponta a ponta acaba por se auto-pacheco-pereirizar, ou seja, fala sobre tudo e não diz grande coisa que se aproveite, coisa que não é muito boa em alguém que queira ser competente, que domine perfeitamente determinados assuntos, como um pr.
    O homem não disse que não ia ver a entrevista do MST ao Sócrates, apenas que não a ia ver em directo, que não estava ansioso por vê-la. Sabes, se calhar o homem não tem um blogue onde no dia seguinte tenha que mostrar a correr todos os seus grandes dotes de analista político e dar um grande show de perspicácia, pá, o homem é apenas um simples pr.
    Tens que me dar um exemplo dum gajo que esteja perfeitamente a par de todos os novos pratos da nouvelle cuisine, que consiga discorrer à vontade sobre toda a literatura, sobre todo o tipo de artes, sobre todo o tipo de último grito de descobertas das várias ciências, e que não seja apenas um bloguer armado aos cucos mas um grande especialista mundial numa determinada área.
    Se encontrares um gajo assim, avisa, armamos-lhe uma candidatura às presidenciais.
    A propósito, ó Val, o que é que fazes na vida e qual é o teu grau de sucesso na tua profissão? Também és catedrático nalguma coisa?
    Às vezes gosto de te ler.

  7. Da minha parte, não me interessa se o PS assume ou deixa de assumir o erro de apoiar ou deixar de apoiar, aberta ou ocultamente, Cavaco Silva.

    Eu defendo aqui, outras questões à parte, que este “senhor” já mostrou que simplesmente NÃO serve para Presidente. Já mostrou toda a falta de imparcialidade, toda a falta de sentido de Estado, a máscara já caiu há muito…

    Esta reportagem é campanha nítida sem o fazer de forma aberta para sondar as reacções a uma possível candidatura do “homem simples e caseiro” e tão amigo do povo português que ele é… Por mim, bem pode ficar na sua casinha e aproveitar a acumulação de reformas que já conseguiu para tratar dos netos. Neste homem eu não votei nunca, nem nunca votarei. Sempre houve algo nele que nunca me inspirou confiança… E parece que a minha “intuição” não estava longe da realidade. Eu não sou militante PS. Nem nunca fui simpatizante. Aliás, sempre me mantive bastante longe de questões políticas. No entanto, a partir dos últimos tempos, com a possibilidade de uma pessoa como Manuela Ferreira Leite poder vir a chegar a Primeira-Ministra deste país, com toda a oposição irresponsável que os vários partidos têm feito, com todas as opções do Governo, com as quais no global concordo, comecei a estar muito mais alerta e indignada e até, veja-se só, fazer campanha pelo PS. Quem me conhece sabe ser estranhíssimo eu me interessar e mobilizar por estes assuntos que são, infelizmente, tão lamacentos…

    Tenho uma forte convicção que, se Sócrates governasse com esta mentalidade e esta força (e como já li e concordo: com pele de sapo e vida de gato) no tempo em que tínhamos como Primeiro-Ministro Cavaco Silva, Portugal poderia hoje muito, muito bem posicionado a vários níveis. Tanto dinheiro dado na altura de bandeja pela CE para tantos empresários amiguinhos poderem comprar Mercedes, BMW, mansões e casas de férias e terem hoje as empresas obsoletas e fechadas na falência… Ou alguns até estarem a ser investigados pelo Ministério Público com notória falta de destaque pela comunicação social para seleccionados casos. Estranho… Ou talvez não!

    Isto é que é triste. É ver esta gente que tanto afundou o país ainda chegar a altos cargos, a pensar em recandidaturas… Fora toda a sua “actividade” recente como referi no post acima…

    Estou desejosa de sair deste país e encontrar verdadeiras oportunidades e com todo o orgulho poder contribuir com o meu trabalho, impostos, dedicação e profissionalismo para um país que me respeite como cidadã já que no meu não é isso que encontro.

  8. Ai, ai…

    Eu também não sou muita coisa mas se começo a falar dela e a defender a sua génese acabo por lhe pertencer, por muito que o negue.
    Se Sócrates governasse naquele tempo, ai que bom seria!
    Os milhões para os Mercedes e BMW, mansões e casas de férias e para empresas obsoletas seriam todos aplicados com rigor e parcimónia, pois então!
    E não haveria “amigos” espalhados pelo Estado e pelas Empresas Públicas, tal como Fernando Gomes e Rui Pedro Soares, por exemplo
    Sim, porque Sócrates nunca (?) teria amigos a ser investigados pelo Ministério Público, por muito que a Comunicação Social tentasse inventar casos. E a fundação para a Prevenção e Segurança foi um sonho numa noite de pesadelo.
    E também é verdade que esta gente afundou o País, se esquecermos que o PS, tal como o PSD e o CDS, estiverem sempre no Poder, alternada ou isoladamente.

    É triste constatar que ao fim de alguns anos de governo PS não tem um País de que se orgulhe; onde possa ter verdadeiras oportunidades; possa contribuir com o seu trabalho; impostos, profissionalismo e onde seja respeitada como cidadã.
    Aí estou inteiramente de acordo e até direi mais:
    É muito triste mesmo!
    Mas é como diz. Não importa isto nem aquilo, até porque quando nos convém não importa nada, desde que esse nada seja o nosso tudo.

  9. Eu não entro discussões sobre política por causa disso mesmo. Em todos os partidos há médios, maus e péssimos políticos. Bons serão raros, mas justiça lhes seja feita também existem. Mas não ponho as mãos no fogo por nenhum. Disso pode estar certo.

    Disse-lhe que concordo com a visão de Sócrates para o país, muito mais do que aquilo que vi de Cavaco Silva enquanto Primeiro-Ministro. E agora enquanto Presidente. Acho que precisamos de medidas de médio e longo prazo.

    Mas eu sou uma leiga nestas coisas, sabe? De qualquer forma, permita-me se faz favor dar a minha opinião com base no que conheço, no que sei e no que leio. Embora não seja nenhuma especialista em matérias de política, tento sempre manter-me informada. Especialmente lendo em várias fontes, porque já se sabe como anda a informação em Portugal.

    A razão do post do Valupi, pelo que percebi e foi exactamente o que me fez comentar, foi a base hipócrita daquela “reportagem”. Cavaco Silva não pensa em recandidatura mas sabe exactamente quantos dias faltam para as eleições. Tenta uma aproximação ao comum do português porque “até vive numa casa típica da classe média e gosta da boa comida tradicional”. Não digo que seja mentira nem que tenha de o esconder. Mas vamos ser honestos: AQUILO é campanha eleitoral nítida.

    E diga-me lá.. Então se eu concordo com algumas medidas deste Governo, especialmente com a postura de José Sócrates, passo a ser automaticamente apoiante PS? A sério? É que nesse caso, daqui a uns tempos, se deixar de concordar com o rumo que tomam e não os apoiar, já sou traidora?… Não gosto muito de rótulos, percebe? Apoio medidas ou posições porque concordo com elas, não apoio se não concordo. Independentemente das siglas…

  10. …ainda a propósito da reportagem sobre Cavaco Silva, recordo aos mais desmemoriados que a SIC já transmitiu uma muito parecida sobre José Sócrates.
    Eu não vi nenhuma delas porque essa ficção sobre a suposta vida real dos nossos governantes não me interessa mesmo nada. Novela por novela, prefiro as do Brasil. Pelo menos tem “gajas”…
    Nestas caseirices para o povoléu ver eles são sempre simpáticos, bons chefes de família, levam os filhos à escola e até são capazes de dizer que fazem a lida da casa enquanto a mulher vê a novela, entre outras muitas e excelentes qualidades.
    O que a mim importa e diz respeito são as decisões que tomam no recato dos gabinetes, sem os holofotes da Comunicação Social, e que determinam a minha vida, actual ou futura.
    Se um dia for possível eleger alguém por aquilo que faz e não por aquilo que diz que faz irão verificar que não mais serão necessários esses programas publicitários, cujo único objectivo é vender-nos gato por lebre.

  11. O gajo é um parolo. Como diz um amigo meu: Cavaco saiu de Boliqueime mas Boliqueime não saiu de dentro dele.

  12. Nesse aspecto estou de acordo. É um parolo mas não é o único.
    Quando me lembro que mudaram o nome da povoação onde nasceu, de Poço para Fonte de Boliqueime, só me apetece emigrar.
    Mas tenho de concordar que a palavra fonte é muito mais chique do que poço!
    Dou até um exemplo:
    Eu conheço uma Fonte que é das Almas e um Poço que é do Inferno.
    Xiça!
    Que venham as Almas e que o Inferno vá para o diabo que o carregue!

  13. É evidente que se o cavaco sabe quantos dias exactos lhe faltam para acabar a presidência (e para as eleições) é porque é uma pessoa com uma agenda bem organizada e que também pensa no que faz. Qual é a dúvida?

  14. Q que dizer de tudo isto?! Em primeiro lugar, que é agradável ver que há gente capaz de trocar ideias, por vezes contraditórias, com ironia, com convicção mas sem a agressividade ranhosa (acho o termo muito adequado) da maior parte da direita desta terra. Apetece-me concordar em absoluto com Daniela quando diz ter “uma forte convicção que, se Sócrates governasse com esta mentalidade e esta força (e como já li e concordo: com pele de sapo e vida de gato) no tempo em que tínhamos como Primeiro-Ministro Cavaco Silva, Portugal poderia estar hoje muito, muito bem posicionado a vários níveis”. Aliás, tenho para mim que só a inveja, a invejazinha tão portuguesa e tão bem analisada por José Gil, aliada a uma partidarite exacerbada e desonesta, só elas impedem que isso seja assumido sem problemas.Desculpem-me mas não resisto a citar José Gil: “às vezes basta que alguém manifeste em público uma satisfação, um contentamento de si, uma ponta de orgulho (logo qualificada de arrogância) por qualquer coisa que tenha feito, para se tornar um alvo imediato de invejas”.

    Depois, isto a que estamos tão habituados, vem de mãos dadas com um outra atitude que José Gil também caracteriza com muita precisão:”A ausência de intensidade na admiração em Portugal ou talvez mesmo a falta de verdadeira admiração em relação com o obra, um autor, um acontecimento. Se alguém exprime uma admiração “excessiva” ou desmedida, o seu entusiasmo é logo considerado suspeito”.

    Bem-haja pois a Daniela por não ter medo do entusiasmo com que se refere a Sócrates e no qual eu alinho sem reticências.

    Termino com uma pergunta que para mim é uma certeza: Não será também esse medo de ser considerado “suspeito” que leva muito boa gente a calar-se quando se trata de “defender” Sócrates?! Creio bem que sim. Se não, como conciliar este opressivo ambiente de crítica maldosa e insidiosa em que o país vive com o que parece ser a convicção generalizada e apoiada em sondagens de que, em eleições, Sócrates, voltaria a ganhar e, porventura, com melhor resultado?! Sabe-o o bem toda a oposição, da direita à esquerda do passado. Por isso, opta pelo golpe de estado encapotado e hipócrita como está nos seus genes.

  15. “Não será também esse medo de ser considerado “suspeito” que leva muito boa gente a calar-se quando se trata de “defender” Sócrates?!”

    Não tenho a menor dúvida que isso aconteça. Eu já leio o Aspirina há muito tempo e também outros blogs nos quais por várias vezes me abstenho de comentar porque assim que uma pessoa diz que concorda com a posição de Sócrates, que acredita em Sócrates, que apoia Sócrates ou simplesmente que até simpatiza com ele ou o acho quiçá charmoso, está imediatamente apelidada de “vendida”, “socretina”, entre outros…

    Aos que ousam apoiar Sócrates ou o Governo actual, em todas ou apenas algumas das suas medidas, está sujeito a rótulo e à descredibilização da sua opinião. Não o fazem refutando argumentos, com outros argumentos (válidos, claro). Fazem-no com base naquilo que acham (porque não sabem de facto) que a pessoa é.
    Penso que é por isso que há tanta preocupação com os anónimos e os pseudónimos e etc. Porque interessa descredibilizar a pessoa e não discutir a ideia ou a posição que ela defende. E acredite que isso cansa… A mim cansa-me de ler o que dizem a outros, mais me chatearia se o fizessem directamente a mim.

    Por isso vou lendo e dando-me por feliz por haver tanta gente de olhos abertos e que dá mais valor a ideias e não apenas a quem o diz. Se todos os que apoiam Sócrates e o Governo recebessem algum dinheiro por isso, por pouco que fosse, ele teria de ser multimilionário para pagar a todos tendo em conta os resultados das sondagens mais recentes…

  16. Se só quem apoia José Sócrates anda de olhos abertos, então Portugal é um país de cegos, algo que a mim não admira dados os resultados eleitorais…

  17. Anda de olhos abertos quem não se deixa enganar facilmente, quem está atento ao que se passa e não olha para os acontecimentos apenas por um único prisma (ou cor), basicamente quem não se deixa manipular por meias verdades, argumentos falaciosos, “notícias” como as que nos são presenteadas todos os dias.

    Isso é o desejável independentemente de apoiar A, B ou C ou até nenhum. Estar devidamente informado é o caminho para se decidir em consciência.

    Eu aqui não apelo a nada nem tento convencer ninguém. Dou a minha opinião e falo do que eu acredito. Mas acho que ninguém é dono da verdade. Cada um defende o seu ponto de vista. Uns com melhores, outros com piores argumentos…

    Quando falo em dar valor a ideias é disso mesmo que se trata: ideias, posições, posturas.

    Em relação aos últimos resultados eleitorais, a mim admirou-me imenso que tantos milhares tenham votado no PSD… Eu até entendo que muitos sejam militantes e outros até estavam descontentes com o PS mas votar naquilo que este PSD defendeu, votar em consciência com base na campanha que fizeram, com base no que apresentaram… Isso, sim, admirou-me bastante.

  18. A minha avó contava muitas vezes a estória da costureira que um dia foi viver para o palácio real.
    Ao fim de muitos desgostos, e de regresso a casa, terminava assim:
    “Lar, doce lar, meu pucarinho de mijar, merda para a rainha que eu quero é aqui estar”.
    As estórias da minha avó eram, incomparavelmente, muito melhores que as de Cavaco.
    Até porque ela nunca me contou a do avarento….

  19. Para quem não percebe nada e nem sequer se mete em discussões sobre política até que nem está nada mal. Tento imaginar como seria, se fosse – de facto – uma pessoa entendida no “assunto”.
    Só não entendo este rodear da questão, do género “gosto mas não gosto ou não gosto que saibam que gosto” ou “eu nem sei nada disso, enfim…não gosto da política porque eles são todos iguais, os malandros…”.
    Se vivemos num País livre por que motivo não devemos nós assumir as nossas ideias em vez de assobiarmos para o lado?
    É assim tão difícil?

  20. cavaco tem, para mim, todos os defeitos e mais alguns. não tem estaleca para presidente, é falso, é sonso, debaixo daquela capa de simplicidade sabe bem como fazê-las. está sempre a dar conselhos, que por acaso não seguiu quando era 1º ministro e o dinheiro corria a rodos. dinheiro esse que, como ele bem sabia, não estava a ser gasto na modernização do país mas na compra de bens pessoais. criou ou manteve todos os problemas com que o país hoje se debate – educação, justiça, etc. não me lembro de uma única medida (falha minha, certamente) destinada a mudar realmente alguma coisa. uma coisa é certa: no seu tempo não havia corrupção. eram todos muito sérios, os seus assessores, os seus ministros, os seus amigos. só quando o ps está no governo (longe de mim pensar que aqui são todos santinhos) se fala de corrupção. até pedófilos, nos outros partidos não há. coisa estranha.

  21. Claro que as assumo. Não tenho nenhum problema com isso. Concordo consigo quando diz que estamos num país livre.

    E o que disse nos posts anteriores foi:

    Gosto da actuação deste Governo no seu geral mas não sou militante PS, nunca fui nem pretendo ser porque tento avaliar as propostas dos vários partidos quando as apresentam em campanha e pelo trabalho (ou falta dele) que já mostraram;

    Digo que não percebo de política porque realmente não percebo… Vou discutindo aquilo que conheço, do que não conheço prefiro não meter os pés pelas mãos;

    E, sim, nunca gostei de política. Mas também não gosto de peixe… Sei lá, são gostos… Tenho-me interessado mais recentemente por estes assuntos por me aperceber o estado lastimável em que nos encontramos a nível de valores morais/éticos e do que os nossos representantes nos vão passando diariamente… Mas a verdade é que é tanto o circo que a vontade que dá é mesma essa de assobiar para o lado… Infelizmente, mesmo que o faça, as coisas vão continuar na mesma, a realidade vai continuar a ser esta e eu prefiro, pelo menos estar a par do que vai acontecendo.

    E se muitas vezes me abstenho de comentar é porque não me sinto no dever de ter de justificar a minha opinião porque alguém resolve desvalorizá-la porque sou uma suposta “socretina”. É a tal história do cansaço… De tão repetitiva que é… E comentar, sabendo que esse comentário irá muito provavelmente enveredar por uma discussão desse tipo, não ajuda… E a minha vida também é mais do que andar em discussões em blogs. Embora saudáveis, sem dúvida.

    O fim de semana, que muitas vezes também é de trabalho, está já a acabar… E lá se vai o tempo livre.

    Mas em relação a esta troca de pontos de vista consigo, não o dou como tempo perdido. Gostei mas agora está na hora de preparar o dia de amanhã.

    Boa noite…

  22. ó ana…
    Não há pessoa alguma que tenha tantos defeitos assim, nem mesmo sendo do PSD.
    E sabe que mais, quando os defeitos são muitos, estes quase que soam a elogios.
    É como aquele ditado que diz que “quem desdenha quer comprar”…

  23. a coisa que achei mais estranha foi a reportagem ter sido feita por Cãndida Pinto.

    pensava que ela era uma repórter acima destas “miudezas”, confrangedoras e ridiculas, porque o Cavaco não tem jeito nenhum para estas coisas, nem tão pouco para ser presidente.

  24. Na história do homem o comercio é anterior à política, prova disso são as cidades-estados, as feitorias; também a CEE é anterior à UE.

    A moeda, a troca enfim; o capitalismo, pode existir sem democracia, mas a democracia não existe sem capitalismo. A economia é fundamental numa sociedade, permite criar riqueza ao estabelecer as diferenças, entre as boas e as más políticas, para permitir as escolhas certas. O sr Cavaco nos anos oitenta também fez as suas escolhas, hoje estamos a pagar por elas; oito mil milhões de euros ao ano. É o monstro da despesa pública, com um valor deste montante não há milages económicos, nem ciência que nos valha, o futuro está condicionado.

  25. é um sonso sim, lamento aqui no Aspirina ter dito umas poucas de vezes que achava que ele era muito conservador, mas boa pessoa. Essa coisa da inventona das escutas acoplada às acções da SLN e etc., mostrou-lhe a alma.

  26. Mário Pinto, essa do ‘quem desdenha quer comprar’ só se aplica a Cavaco ou também a podemos aplicar a Sócrates?
    É que (como é que eu hei-de dizer?) parece que o PSD está com um problemazito com os candidatos a líder. Cada vez que os imaginam a defrontrar-se com Sócrates só lhes apetece mandá-los desistir a favor de outro. O ideal seria alguém com a determinação do… primeiro-ministro.

  27. O maior problema é Portugal, não é Cavaco! O Povo português escolheu e voltaria a escolher um Presidente vaidoso, mal-pensante, mal-falante, avarento, mesquinho, inculto, estreito de horizontes, firme e hirto, rafeiro e espertalhaço porque, bem vistas as coisas, é tal e qual como ele. Cavaco é bem o espelho do Povo que somos e só quem não conhece o Povo senão de longe e de alto e dos livros do Júlio Dinis vai continuar a apontar ao lado do problema.

    Há mais Portugal para além do que se espelha na figura baça mas sólida de Cavaco Silva. Resta saber se esse Portugal a mais conseguirá herdar o Portugal que nos transportou até aqui, ou se o Portugal da piolheira continuará a chegar e sobrar para o Portugal dos eternos estranjeirados. Por melhores intenções que todos tenhamos, só o tempo pode operar o milagre…

  28. Pois é Guida, é isso mesmo! Os que desdenham de Sócrates no fundo, no fundo bem gostariam de ter pelas suas bandas alguém do género. Mas anda com eles o azar. Os três que lhes sairam na rifa não parecem ser flor que se cheire. Nem pela gente do próprio partido que até parece ter um olfacto não muito apurado, quanto mais pelo comum dos mortais. Por isso se voltam agora, à laia de tábua de salvação, para o Marcelo. A este ao menos não pode ser negada inteligência e esperteza. Por vezes um pouco saloia por tanto gostar de fazer dos outros, parvos. Mas, adiante! Quanto ao primeiro-ministro já viram há muito de que cepa é. Por isso tanto dizem agora que, sem ele à frente, até poderiam entrar numas tréguas muito profícuas com o PS. É isso: querem comê-lo vivo como ele disse há dias, com muito espírito, em Maputo. Questionado pelos jornalistas no fim do seu diário footting matinal respondeu: “Temos que manter a forma, senão…comem-nos vivos!!”. Digam lá que não tem razão.

  29. O Mário Pinto tem razão quando diz que a eleição do Cavaco foi patrocinada pelo PS. A “coisa” depois correu mal. Paciência.

    Agora isso não invalida que se olhe e analise a mediocridade da figura em questão, sobretudo o tom da falsa modestia com que faz o favor de nos brindar vezes sem conta.

    Já agora alguém me consegue explicar aquela pindérica visita de estado a Andorra???

  30. A pindérica visita a Andorra é fácil de explicar. Cavaco gosta de parecer acima das quezílias políticas. Acontece que graças aos ranhosos com que se rodeia, a merda atingiu tal nível que a Serra da Estrela já não tinha altura suficiente. Daí Andorra…

  31. luis,
    dizes:”Tens que me dar um exemplo dum gajo que esteja perfeitamente a par de todos os novos pratos da nouvelle cuisine, que consiga discorrer à vontade sobre toda a literatura, sobre todo o tipo de artes, sobre todo o tipo de último grito de descobertas das várias ciências”.

    Caramba, não passa pela cabeça de ninguém exigir isso do Cavaco. Mas convenhamos que tendo o cargo que tem, fazia-lhe bem utilizar um pouco mais do que 20 vocábulos, saber articular, fazer um apequena incursão na literatura de vez em quando, enfim só um cheirinho de cultura, só um pedacino para não falar em raças e portugueses que apoiam os madeirenses, aprender a fechar a boca quando come, distinguir Thomas More de Thomas Mann, sei lá, coisas triviais.

    Ninguém lhe pede que seja um intelectual.. Só se pede que seja honesto…. O povo é exigente, que se há-de fazer?

  32. guida e as suas sempre complicadas perguntas…
    É verdade. “Essa” também se aplica a Sócrates, mas com uma diferença:
    Se “comprasse” Cavaco Silva, mantê-lo-ia por cá para encher de pesadelos as mentes socialistas, tal como parece estar a acontecer mas se “comprasse” José Sócrates seria para revenda, caso algum povo ou país masoquista o quisesse comprar.
    Espero bem que um dia destes me dê razão, da mesma forma que não perde uma oportunidade de me “puxar as orelhas”, ou será que só escrevo “coisas” erradas? (piscadela)

    A Carmen Maria agradeço o apoio, uma vez que foi a única comentadora a dar-me razão num aspecto que considero muito grave na actuação do PS.

  33. Cavaco tem e sempre terá um grande handicap aos olhos de certas elites urbanas bem pensantes: é um rural. Um rural, um parolo, filho modesto do modesto barlavento algarvio. O tal que, ó blasfémia, não soube dizer quantos cantos têm os Lusíadas. O que não sabe articular não sei quantas palavras seguidas. O que não fecha a boca quando come bolo-rei. O que comete o pecado de dizer em público que gosta de comida caseira. Há muita gente a falar de Cavaco condicionada por uma mesquinhez preconceituosa e inconfessável, pelo que muitas destas discussões acabam por se tornar não mais de que um achincalhar puramente pessoal, que fragiliza a razão que se pode ter por criticar o Cavaco político.

  34. Ó Hugo,

    Se o Cavaco politico alguma vez tivesse sido bom, Miguel Cadilhe, seu ministro das finanças, nunca teria dito que ele foi “o pai do monstro”.

    É que vocês, quando vos dá jeito, esquecem-se algumas coisas.

    Já agora, rurais somos todos nós, ou não fiquem completamente vazias as grandes cidades sempre que ocorrem as grandes festas de calendário. (fraco argumento)

  35. Não concordo nada contigo, Hugo. Cavaco, bem pelo contrário, sempre assumiu a postura de austero e inquebrável Professor de Finanças, cujo paradigma político e cultural era Salazar. No Cavaquismo, exerceu o Poder com pose sofisticada, cultivou uma imagem de executivo quase apolítico. E quando lês as suas memórias, o que encontras é um discurso auto-laudatório, onde se arroga capacidades ardilosas acima dos seus adversários.

    Tu, e outros como tu, é que estás a introduzir uma carga preconceituosa, como se agora não se pudesse falar de certas características do homem sob pena de o estar a reduzir a uma caricatura inferior.

  36. Mário Pinto, a minha pergunta era muito simples, a sua resposta é que, lá está, nem com dicionário. :)

    Com que então mantinha o Cavaco para nos encher de pesadelos. Deve dar cá um gozo. Vou abrir uma excepção e concordar consigo (uma vez sem exemplo), mas para isso tenho de dizer que esta reportagem só faria sentido se fosse para exibir no Fantas. Concorda? :)

  37. Essa de “quer passar a imagem de ser tão superior ao engenheiro que nem sequer dá atenção à sua entrevista a Miguel Sousa Tavares” é muito fraca.
    Só mesmo um mero bloguer é que acha que alguém que está por dentro das coisas da política fica à espera de uma entrevista na sic para saber o que o adversário pensa.
    E se a sic não tivesse decidido fazer a entrevista? Ai que desgraça, já não se sabia nada!
    Isto é o mesmo que dizer que um cientista faz fraca figura se não ler a imprensa diária para saber novidades sobre ciência!
    Concluindo: a imprensa e a tv são fontes de informação mais importantes das pessoas, não interessa o que elas fazem nem que outros meios tenham para se informar.
    Muito fraquinho, Val.

  38. guida

    Sabe muito bem que estou sempre de acordo consigo, a guida é que nunca aceita os meus argumentos…
    … e já que refere o Fantas, a Cavaco Silva poderia juntar José Sócrates porque ambos fariam uma boa dupla, nas interpretações de Mr. Jekyll and Mr. Hyde ainda que eu tenha dúvidas sobre quem seria quem.

  39. Está a apanhar o jeito, Mário Pinto. Mas, lamento desapontá-lo, volto a discordar. Concordo é com o Valupi. Quando a dupla se junta, às quintas, naquela sala, naquela mesinha tão especial, ali colocada só para aquele fim, Cavaco transfigura-se e não há terror nenhum, é só amor. :)

  40. guida

    Eu só queria que concordasse comigo quando refere que não concorda e nisso já estamos de acordo…
    Eu compreendo a transfiguração de Cavaco.
    “(…) naquela sala, naquela mesinha tão especial, ali colocada só para aquele fim (…)” imagino Cavaco Silva em frente a um primeiro-ministro de voz melíflua e gestos de vendedor de banha da cobra já rançosa, a pensar, feliz da vida e ar radioso:
    Até que enfim que apareceu alguém que consegue ser mais “troca-tintas” do que eu.

  41. Porque razão foi criada a taxa euribor? Os governantes das finanças, devem acreditar tanto na ética comportamental dos banqueiros, como eu na verdade na boca do Zénega. Tem sucesso, é fundamental? É!
    Mas não fiáveis são apenas os capitalistas? Logo, seja onde for e onde quer que seja, faz sentido ponderar, da vantagem daquela aplicabilidade sempre que os mesmos pressupostos se apresentem.

  42. Mário Pinto, então para atacar Sócrates precisa de insultar o Presidente? Está com alguma ruptura no stock de munições?
    Ainda por cima, o senhor não é troca-tintas, é sempre igualzinho a ele próprio. :)

  43. guida

    Lamento, para para esse peditório eu já dei.
    Continue a enviar cupões, pode ser que acerte.

  44. Acabo de ler o comentário da ana, aliás os comentários (pois são dois) e fiquei deveras surprendida. Por que razão alguém se quer fazer passar por outra ? Só se for para confundir os leitores ou para me irritar. A sua atitude revela total falta de ética. Fique a saber que considero os qualificativos com que brinda o PR uma autêntica tontice da sua parte. Compreendo que queira lançar poeira sobre a imagem do homem para ver se pega, ainda para mais parece que tencina recandidatar-se ao cargo que ocupa. Ou então causa-lhe espécie que o PR com todo o poder que lhe é conferido pelo cargo que desempenha se mantenha pessoa de bem. Pois é, ana (sósia) seja qual for o seu objectivo falhou o alvo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.