Deixa vir a ti os jornalistas, Costa

A cena de Costa com a jornalista da SIC não pode passar sem reparo. Ela relaciona-se com duas dimensões sob permanente escrutínio num líder político: o controlo emocional e a coragem guerreira. Quanto à primeira, o que ali vemos é um completo disparate. Já seria um erro de imagem estar a fugir crispadamente perante a câmara, mas a decisão de tirar desforço com a jornalista é uma estupidez inexplicável. Para quem ia alegando que não queria falar por falta de tempo ou por não aceitar o modo como foi interpelado, acabou a oferecer um episódio mediático onde a única mensagem transmitida foi a da sua fragilidade emocional naquela situação. Quanto à segunda, há mérito e benefícios estratégicos em tratar qualquer questão que envolva eventuais falhas legais ou morais de Passos Coelho com o máximo rigor institucional, deixando para os tenentes no Parlamento, preferencialmente, a primeira linha do confronto político. Isso fará sentido, tanto como demarcação da cultura caluniosa da actual direita, tanto como afirmação da cultura republicana e democrática do PS – na qual a defesa do Estado de direito deve ter um papel sacrosssanto. Todavia, essa manifestação de força guerreira, onde se resiste ao impulso da baixa política gritado pela turbamulta, acabou boicotado numa ocasião em que podia ter sido realçado.

Costa já tem referido que é preciso acabar com a agressividade reles no trato entre adversários, escusando-se a fazer uma campanha de casos e de bacoradas para o taxista aplaudir. Nada de mais louvável, para a cidade, e nada de mais inteligente, para o PS, pois também por essa postura o eleitorado irá avaliar os agentes políticos em 2015. Compare-se com a actividade diária do PSD e CDS, cuja concepção do jogo político não ultrapassa a dimensão da chicana. A forma com diabolizaram Sócrates e os seus Governos, para além de os atacarem para os marcar como bode expiatório da própria crise que provocaram ao afundarem o País e assim esconderem o logro eleitoralista de 2011 e suas promessas de “fim dos sacrifícios”, ou a forma como agora se tratou as banais afirmações de Costa aos chineses, numa bebedeira de gozo já próxima da demência, não são epifenómenos inócuos, castiços, adereços no espectáculo. Antes, revelam uma natureza política que depende da menorização intelectual e cívica da sociedade. Não é um acaso que a tabloidização da comunicação social portuguesa esteja ao serviço de uma agenda de direita. A razão é simples: esta direita chafurda na cultura da calúnia e da bronquite asnática e obtém ganhos directos e indirectos dessa indústria.

O PS irá apresentar as suas propostas quando as tiver, sendo que já anunciou que as vai referendar para chegar a um programa final. Essa poderá ser uma boa ideia. Até lá, Costa passará por muitas ocasiões para mostrar o seu carisma de chefe e para gerir sabiamente os silêncios. Diz-se que Colin Powell tinha uma frase espúria atribuída a Tucídides visível na sua mesa no Pentágono, a qual rezava assim (numa tradução aqui do pilas): “De todas as manifestações de poder, a que mais impressiona as gentes é o autodomínio”. A parte gaga com a jornalista não o revelou. As palavras acutilantes que exibem Passos e Cavaco no mesmo barco, sim. É escolher.

11 thoughts on “Deixa vir a ti os jornalistas, Costa”

  1. tretas, o costa tem é de arranjar um serra que afaste os jornaleiros que saltam de trás dos automóveis e que vá aos cornos de quem se aproximar. querem entrevistas? tirem senha e aguardem chamada. vê lá se alguém chega um micro ou uma câmara ao cavacoise, é ó chegas, quando muito berras a 500 metros e não publicas as imagens para não ires para a lista negra. o resto é folclore para tansos como tu que vão na cantiga da jornalista vítima agredida pela falta de resposta do costa e depois fazer postes destes.

  2. É. Qualquer um tem direito a 5 minutos de cabeça perdida. E o momento não está para grandes divisões. O inimigo faz jogo reles e o António Balbino Caldeira já está a encher os seus baldes de lama para municiar as linhas avançadas.

  3. que texto bom, cáspite! pelos vistos o homem não sabe lidar com imprevistos, ou seja, não temos líder. por mim, pode ir dar uma volta nos carrinhos de choque na senhora de matosinhos. :-)

  4. Saltam de trás dos automóveis e já vêm com as câmaras e microfones ligados para, à trela de fazer uma entrevista rápida, tentarem apanhar uma dica qualquer em surdina que dê uma cacha jornaleirista pró-passos em aflição; tanto mais que Costa vinha acompanhado de Medina e “apanhar” um nico da conversa entre ambos podia ser salto acrobático gigante para a jornaleira, o expresso do mano costa e para a sic do ti balsemão.
    Foi assim que o mano costa se vangloriou de ter lixado as eleições ao carrilho em Lisboa a favor do santana e depois uma santinha alma imunda apanhou Sócrates a ensaiar o discurso que preparava.
    Claro, ignatz, Costa tem de ter muita atenção e cuidado com quem, em plena rua sob o pretexto de uma entrevista, o assalta bandoleiramente para lhe roubar palavras imprevistas e pessoais.
    toanti manchete

  5. “[…]Nada de mais louvável, para a cidade, e nada de mais inteligente, para o PS, pois também por essa postura o eleitorado irá avaliar os agentes políticos em 2015[…]”

    Tu Valupi…. és um lirico. Ou maluco.

    miguel

  6. Pois é, Val
    Se estás a querer tranformar este blogue numa espécie de 31 da Armada, estás à vontade. Já tens residentes como a bécula e o cegueta de merda para te ajudarem.
    Por mim, acho que já chega de apaparicar os coitadinhos dos jornalistas e começar a tratá-los como merda de vendidos que são. Já que mais ninguém se indigna, reserva o direito aos lesados de o fazer, se não te importares. Não queres frontalidade? Ou também já estás na onda de reabilitação do seguro que os direitolas e ressabiados andam a lançar?

  7. ó BIEIRA, eue num te cunhesso, mas pla cunberça debes sere o IGNORANTEZES cum cueca labada.
    Atãoe táze a atacar o Balupi, pá, só porquele assume a sua eboluçãoe e respeita a upiniãoe dus ótros? hum? Qualé o teue pruvlema cumigo, pá? já fizestes o requerimento, ó bieira, hum? Residente éze tu, que num largas o dispençário, ó gaju, e se tibesses tomadu atenssaoe, debias sabere que isto é antinaljézico e inflamatório. tás cum as peles iscaldadas, é? hum? oqueie.

  8. O Costa gagueja, mas sabe governar. Vê-se na Câmara de Lisboa. Mas a verdade é que Passos, falando grosso, com acutilância puxou, em 2011, o eleitorado para o seu lado, no debate com Sócrates. E era Sócrates. Se o Costa for a gaguejar deste modo par um debate com Passo, leva uma abada.

  9. oh abrileira, é só para lembrar que foi com argumentos parecidos com esses que o pcp e bloco empurraram a direita para o poder. se os direitolas forem reeleitos metade do partido socialista vai preso e a outra metade vai para campos de reeducação do pensamento único.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.