Deixa lá o Chico na santa paz, Ronaldo

O futebol não é causa de alienação política. Isso é um disparate desmentido pelos inúmeros casos de homens, e mulheres, que são tão apaixonados pela bola como pela comunidade que somos e queremos ser. Aqueles que apenas ligam ao futebol e se alheiam da cidade assim continuariam abstencionistas sem a rapaziada de calções a correr de um lado para o outro. Porque desculpas não faltam para a impotência e para a cobardia. E aqueles que adoram a política igualmente adoram um montão de outras coisas. Sem a existência do futebol, ou de qualquer outro desporto, continuariam com a vida cheia de vida.

Estabelecida a doutrina sobre esta matéria, avancemos para a manipulação política que Cristiano Ronaldo fez antes do jogo com a Alemanha:

Hoje, quando a nossa epopeia finalmente começar, seremos muito mais do que 10 milhões. Seremos ainda paixão, emoção, crença, determinação, perseverança. Seremos espírito de vitória. Seremos esperança. Todos juntos, de mãos dadas e corações unidos, a uma só voz. Porque, e parafraseando o Papa Francisco, ninguém vence sozinho, nem no campo nem na vida. Força Portugal!

Se calhar, ou muito provavelmente, nem foi ele o autor do texto, mas para o caso é irrelevante. O que importa denunciar é a utilização da religião para fins comerciais por uma celebridade com a influência deste jogador. Felizmente, as divindades católicas não acharam graça e trataram de o mostrar com quádrupla eloquência. Mas imaginemos que os acasos do jogo tinham resultado numa vitória de Portugal. Nessa situação, a mensagem onde se invoca um chefe de uma religião e o seu deus como caução, ou amuleto, seria amplificada ideologicamente após o jogo de forma completamente acrítica pela legião de jornalistas que vestem estouvadamente a camisola de adeptos. Talvez não viesse daí grande mal ao império português, pois bastaria uma derrota para a doença amainar, contudo o culto da irracionalidade teria conquistado mais uns bons hectares de terreno à inteligência.

Preocupado com estas magnas questões, e querendo ajudar o Ronaldo, ou quem lhe trata da imagem, a escolher umas citações que, essas sim, consigam motivar a Selecção e os adeptos, aqui vão três sugestões para o jogo com os americanos.

i)

Não é que eles não consigam ver a solução. É que eles não conseguem ver o problema.

Chesterton

ii)

Nasce-se incendiário e acaba-se bombeiro.

Pitigrilli

iii)

Quando não sabes para onde estás a ir, podes dar por ti num outro lugar qualquer.

Yogi Berra

É parafrasear como se não houvesse oitavos-de-final. E força nisso, Portugal!

2 thoughts on “Deixa lá o Chico na santa paz, Ronaldo”

  1. Para que o acaso tivesse resultado numa vitória de Portugal era, ainda assim, necessário a equipa dar pelo menos uma ajudazinha o acaso. E não foi esse o caso.

    É que o caso, está bom de ver, vais ser o de fazer mais 2 jogos e regressar a casa na paz do Senhor.

  2. ai que riso! :-)
    na boca do Ronaldo eu não sou portuguesa. ah!

    (estão tão fodidos comigo como estiveram com o espírito santo na baliza) :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.