Defender o Estado de direito é bestial

André Macedo escreve sobre uma dimensão da prisão de Sócrates – A justificação – que também me levou a planear um texto para este domingo. De facto, o argumento acerca da suposta desconfiança de Sócrates no sistema bancário para assim justificar as entregas em dinheiro através de terceiros até poderá ser verídico, quiçá por excelentes razões adentro da sua mónada existencial, mas ao chegar à praça pública torna-se excêntrico, primeiro, e, logo de seguida, fatalmente incorrecto para a generalidade dos seres dotados de inteligência dado o perfil da figura em causa e o seu papel na História de Portugal pelos cargos ocupados e decisões tomadas.

Isso significa que mesmo sem a formalização de uma acusação, ou com absolvição em eventual julgamento, há uma realidade que fica incontornável: o comportamento privado de Sócrates terá permitido o seu envolvimento num caso judicial que em muito ultrapassa a importância da sua pessoa enquanto vulgar cidadão – pois aquilo que lhe está a acontecer afecta o PS, e a própria qualidade da democracia por esta e outras correlações. Logo, estamos perante uma questão de regime.

Também será uma questão de regime avaliar a acção da Justiça neste caso, havendo neste momento questões graves em aberto sem que se saiba quando, ou se, terão esclarecimento. Porém, admitindo-se a hipótese de uma qualquer intenção política na origem da “Operação Marquês”, fosse por motivação partidária e/ou corporativa, ainda assim tal possibilidade não ilibaria Sócrates perante a sua responsabilidade, pelo contrário, pois seria sua obrigação prever que tal lhe pudesse acontecer por todos os factores e mais alguns.

Posto isto, haverá melhores ocasiões para fazer esse julgamento moral (no sentido em que a política é também uma prática moral) sobre as consequências do que aparece como uma deslealdade de Sócrates à cidade. Por agora, a bela batalha trava-se nas muralhas dela. De um lado estão as bestas do ódio, para quem só o linchamento daquele que mais temem conseguirá satisfazer a sua pulsão de morte. Do outro, uns poucos que defendem Sócrates como defenderiam as próprias bestas caso elas fossem vítimas de injustiça – aliás, caso se temesse que essas bestas viessem a ser vítimas de algum tipo de injustiça.

142 thoughts on “Defender o Estado de direito é bestial”

  1. qual é o mal de desconfiar do sistema bancário português?
    é crime?
    quem é que acredita?
    quem é que ainda não foi vítima de abuso ou trafulhice bancária?
    as virgens do politicamente correcto que façam sondagens sobre a idoneidade da banca e divulguem os resultados e poupem-nos paleio de sacristia.

  2. Preso por ter cão e preso por não ter: se os empréstimos tivessem sido por transferência bancário há muito que teriam vindo escarrapachados nos jornais (parece-me que é essa a “desconfiança” no sistema bancário). Em dinheiro vivo, demonstra apenas uma ingenuidade um bocado surpreendente (não sei se a moral tem alguma coisa a ver com a modalidade de empréstimo, ou antes com o dito). Basicamente, falta o próprio pronunciar-se. Por mais empenhados que sejam os advogados, esta dimensão das justificações não é tanto criminal mas política (como o Val reconhece no post), pelo que se calhar já iria sendo tempo de o ouvirmos na 1ª pessoa (que será feito daquela cena das entrevistas proibidas/permitidas, nomeadamente do expresso?)

  3. ignatz,
    O próprio argumento do “macedo” é ele em si mesmo, um verdadeiro paleio de sacristia proferido por um velho moralista sacristão que, de tanto paleio fazer frete, chegou a director.
    Paleio a que desgraçadamente Valupi vai aderindo paulatina e convictamente.
    O macedo, o tal que já antes criticava Sócrates pelo corte de cabelo, pelos fatos, pela gravata, pelos sapatos, pelo andar, pelo falar e só faltou olhar para as cuecas côr de rosa que vestia para deduzir “paleio de sacristia” contra o gajo argumentos de falta de seriedade e sexualidade.
    Volta agora o macedo prostituto a insinuar que receber dinheiro emprestado em envelopes denuncia falta de carácter do então PM, entatizando deste modo a falta de capacidade e honestidade para ser PM; com mais esta subtileza sacrista continua na senda dos fretes aos donos.
    É evidente que o facto de desconfiar da banca é um acto do cidadão indivíduo Sócrates, aquele que fora perseguido e acossado desde a primeira hora que teve poder e foram anos seguidos sem interrupção. Outro facto corriqueiro é que, precisamente, tratando-se de dinheiro emprestado o primeiro cuidado a ter é evitar rastos.
    Este macedo, prostitudo moralista, faz lembrar o outro macedo ministro de riso alarve na AdR quando ouvia Sócrates e agora se veio a saber que é, ele sim, um corrupto miserável, aliás; como o são, duma maneira geral que a História comprova, todos os que são exorbitantes a apontar o dedo e acusar outro, no fundo, para esconder a corrupção própria.

  4. Segundo, as crónicas iniciais a operação “Marquês” foi espoletada por
    uma comunicação da CGD, sobre uma transferência da conta da mãe
    para a conta de José Sócrates, creio não ser preciso dizer mais para jus-
    tificar a desconfiança no sistema bancário!
    Acontece que, nos sucessivos recursos apresentados pela defesa de
    Sócrates, o ministério público farta-se de zig-zaguear sobre datas em
    que começou a investigação, não foi apresentado até agora alguma
    acusação factual a qualquer dos crimes de que o visado é suspeito!
    Quanto ao André Macedo e a sua acção como diretor do DN, conclui-se
    ser muito fraca, dispensou colaboradores na área da esquerda e refor-
    çou a opinião da direita … outra coisa, não gosta de ser criticado manda
    apagar comentários defavoráveis no DN on line por isso, a sua vertcali-
    dade de apreciação é muito curta!!!

  5. Muito bem José Neves, forte aplauso. Gostava de rever por aqui a Maria Abril que tão bem comenta estes temas. Quanto ao nosso amigo Valupi, não percebo o que se passa com ele, neste tema da prisão de Sócrates é uma no cravo outra na ferradura.

  6. Como não sei em que contexto é que o advogado de Sócrates produziu o comentário que lhe é atribuido, não posso avaliar do seu valor como “justificação”. Mas receio bastante que se trate de mais um aproveitamento mediático de qq sound-bite, num processo onde a falta de novidade está a deixar a comunicação social e a blogosfera muito incomodadas. É por isso que as ilacções do Valupi me parecem francamente precipitadas.

  7. Ora beie, cumu já bus disse bezes sem conta, a lógica pastoril cuntém a sentença, tá beie? É só uma questãoe de cumulu juríddico. quanto ao argumento da defesa, ó pás, ó pás, per fabore, num ofendem mais o pedigree da minha inteligenssia, quando um adbogado recorre a isso é quando num teie mais nada, num teie mais nada pás!!! é cu recluso tinha posiçãoe de responsabilidade pulitica pás, e que fez ele para mudar o sistema, hum? hum? nada, pás. já bos disse, a defeza baie de mal a piore, e já num pode boltare atrás, num pode. O gajo já se expressoue no processo, pás, está a registar-se cada bez mais, pás. está tudo errado, pás, está tudo errado.
    fogu, até um estagiário beria isso. oiçem: o MP está debidamente documentado, se num tibesse, estes argumentos da treta num eram uzadso, onde já se biu, num uzare o sistema bancario por num confiare. bergonhooso, bergoonhoso.

  8. tamie posso discutire sobre operações ao curaçãoe, mas eue num seie nada de medcina, é um póco cumós gajos que beiem aqui discutir o processo do marquese, ó pás, até dais dó. oqueie.

  9. MRocha, as declarações do Pedro Dellile estão à disposição seja na versão escrita ou filmada. E o que elas contêm nem é a matéria sobre a qual me pronuncio. O que está em causa é o facto – inegável, nesta fase – de Sócrates ter recorrido a um modo de recepção de dinheiro dito emprestado que, por si mesmo, criou a possibilidade para uma intervenção da Justiça.

    Repara: mesmo que Sócrates venha a sair deste processo sem qualquer acusação judicial, o seu comportamento continuará a ter sido responsável pelo caso nas suas dimensões políticas e sociológicas.

  10. Valupi, se Sócrates se voltar a candidatar a qq coisa que implique o meu voto, cá estarei para ponderar os seus hábitos de receber ou conceder empréstimo, preferencias religiosas, sexuais, opções alimentares, e o que mais quiseres. E pode bem suceder que tudo me pareça profundamente reprovável e contribua para lhe negar o meu voto. Mas o que está aqui em causa é outra coisa: é a prisão preventiva de um ex-PM por suspeitas de corrupção etc e tal. Ora não vejo que outra justificação a possa fundamentar senão o conhecimento exacto, concreto e documentado do acto de corrupção. Sem isso, e disso até ver nada vi, não é o comportamento de Sócrates que é suspeito, mas o de quem o acusa. E repara, se fosse o Portas a estar nesta situação, diria exacatemente a mesma coisa.

  11. MRocha, o texto onde estás a comentar não versa sobre o fundamento da prisão preventiva, embora também a esses aspectos duvidosos e a carecer de cabal e urgente esclarecimento faça referência.

  12. NÃO tem de haver PROVA de factos para JUSTIFICAR a prisão preventiva. Os magistrados não fazem lei. A lei é feita pelo legislador – a AR e/ou executivo ( autorização legislativa relativa). Ao executivo, por isso, cabe propôr a revisão de normativos, a sua publicação. É uma das suas funções – a legislativa.
    Os magistrados APLICAM a lei. BÁSICO.

  13. A minha querida mãezinha sempre me disse para desconfiar de tudo, até da minha própria sombra, portantes…
    … e Sócrates teve todas as razões para desconfiar e temer armadilhas e denúncias de qualquer funcionário cinzento ávido de protagonismo, de Braga ou de qualquer outro balcão. Desconfiar dos bancos é crime? Não, não é crime!

    Quanto ao texto domingueiro, Val, acho que continuas a exigir mais do homem que do político e servidor público.

    Lembro que nas últimas semanas, vários cidadãos portugueses invadiram balcões do Novo Banco em várias localidades do país. Humm, porque será? Foram-lhes cantar as janeiras atrasadas e oferecer-lhes bolas de pão-de-ló?
    Por falar em pão-de-ló, olha só a cidade na vila
    http://www.publico.pt/local/noticia/pode-uma-vila-do-interior-ser-um-exemplo-para-o-pais-arouca-acredita-que-sim-1692015

  14. Ó Val, mas a prisão de Sócrates tem alguma coisa a ver com o estado de direito? Ou também és daqueles que acha que a justiça está a funcionar?

  15. e prontes, a ignatzia num legítimo exercício pré menstrual beio dizer que já está a inchar da cabeça…como tal, os raciocínios da bicha quedam-se, como a trampa nos intestinos, fica ali parada e causa gases e prisãoe de bentre, depois é bere a bentaneira de castanho, quando lhe dãoe autorizaçãoe…
    aie, debemos desconfiare das meias que estas taméie se rompem, ó ignatizia…num é? qoueie.

    Ressalbo ca ignatizia pde estare cum afrontamentos, tá beie? oqueie.

  16. Malandros, meterem o Sócrates na cadeia, e ele está inocente. Inocente. Safados. perseguiçãoe. o pobo unido jamais será bencido. Bora pra rua com o punho em riste e gritar Liberdade e pedir aumento de salários, mas atençãoe, só bamos a trubutare os da direita para alimentar a coelhada da esquerda….

  17. ignatzia, o político, neste caso, é o homem.
    __

    Carlos Sousa, constato que escarrapachaste com dois pontos de interrogação mas não faço ideia de qual seja a pergunta que fazes, se é que há alguma.

  18. “… o político, neste caso, é o homem.”

    o que é que queres dizer? que noutro caso poderia ser mulher? deves andar a beber absurdo da garrafa do picolho.

  19. Já que os juízes, à falta de argumentos sólidos, parecem ter tendência a ilustrar acórdãos com provérbios pastoris e imbecis para justificar o “senso comum”, agora, e neste caso, a defesa poderá aplicar “olha para o que eu digo e não olhes para o que eu faço”. É crime? Não, não é.
    Aos moralistas é conveniente associar o homem ao político, mas, afinal, quem está preso, o cidadão José Sócrates Pinto de Sousa ou o ex-primeiro ministro? se é o cidadão, onde param os direitos, liberdades e garantias individuais? Se é o ex-primeiro ministro, quem o pode inquirir e pronunciar? falta aqui qualquer coisa, não te parece? Ficamos pela responsabilidade civil e criminal do 1º ministro? Pelo vasculhar da sua vida privada nos jornais parece-me mais preconceito, bisbilhotice, perseguição e vingança de gente mesquinha e provinciana. Very typical…
    Bom, isto de usar o “senso comum” para acusar seja quem for, é coisa de quem não consegue fazer o trabalho de casa, uma maria vai com as outras, um medíocre. Sim, temos juízes medíocres. Oh pois!

  20. o gajo que escreve poemas sobre amizade e provérbios bucólicos para os acordeões da relação é este caramelo que oferece serviços de desentalanço aos camaradas embrulhados em vigarice gold e depois chamam a isto juíz natural, justiça a funcionar e estado de direito. pois claro que funcemina, mazé prá tradicional cunha e pró-arrendondamento mensal livre de impostos. a culpa será da transcrição das escutas, o gajo que botou aquilo no papel não entendia mirandês.
    http://www.asjp.pt/2015/02/09/escutas-tramam-tres-juizes-nos-vistos-gold/

  21. Mais pintelhices. Há um julgamento moral a realizar sobre quem recorre a pintelhices para fazer política. E sobre quem não sabe fazer política de outra maneira.

  22. «Desconfiar da banca», neste caso, é visivelmente uma saída para não se ter de dizer o óbvio. E o que é esse óbvio, quando se percebe com toda a clareza das coisas simples, que a implicação gritante dos recursos às cabras e cabritos é que nada de sólido existe por trás das «suspeitas» e «indícios» de crimes?

    Muito simples: é algo de perfeitamente compreensível e simultaneamente embaraçoso, por fragilizante perante a opinião pública e qualquer estratégia de defesa, embora não comportando nada de ilegal ou moralmente condenável . É a desconfiança, mil vezes justificada, no tratamento que os media proporcionariam ao facto de existir circulação (ainda que perfeitamente legal) de dinheiro entre Santos Silva e a proprietária de prédios por ele comprados, e entre ambos e Sócrates.

    Valupi, não vale a pena deformar e complicar o que é simples por natureza. Se não se percebe a lógica e as categorias mentais dos senhores da «justiça» portuguesa, estudem-se, por exemplo, os processos Casa Pia e Freeport. Está lá tudo.

    Mas atenção! Admito como perfeitamente possível — senão mesmo provável — que Sócrates acabe condenado por «ressonâncias de dinheiro» e imperiosa «necessidade corporativa» devida ao processo prévio na praça pública, mesmo sem a mínima prova do que quer que seja de ilegal. Para a justiça mal-formada que temos, herdeira de séculos de obscurantismo, chega. Mas para espíritos bem formados não pode, nem deve chegar.

  23. Testa-se uma lista “vip” n’as financas porque se desconfia que há descontrolo no acesso aos dados de alguns membros do governo, o ps e a esquerda pedem demissões.

    O 44 diz que não passava o dinheiro pelos bancos porque desconfia do sistema bancário, o ps e a esquerda dizem que é um comportamento perfeitamente normal.

    Vocês parecem enguias, sempre em ziguezague, não vos dói a cabeça, não estão desorientados nem nada?
    Para vocês o santo 44 continuava a ser santo nem fosse apanhado com as mãos ensanguentas ao pé dum miúdo morto e caído no chão. “O puto atirou-se para cima da faca só para o incriminar, o juiz não tem provas de que foi o santo 44 a espetar a faca e não o contrário. Isto é uma subversão do estado de direito”

  24. Básico, não há nada de mais assustador na psicologia nacional do que a confiança na autoridade, dobrada de indiferença pelos direitos individuais. E isto não é específico de simpatias à direita ou à esquerda, é geral e amplamente demonstrado por uma continuidade histórica multissecular.

  25. Para o 44 e suas viuvas, sempre houve plena confianca na autoridade e no sistema judicial, excepto agora. Todos louvaram o trabalho da justica quando o ilibou ou nao investigou devidamente a sua intervencao nos processos do Freeport, no aterro da cova da moura, nas escutas com o Vara (destruidas), etc.
    O zizag mental e moral permanente e esquizofrenico e apanagio aqui do ppl que frequenta o blog.

  26. “Testa-se uma lista “vip” n’as financas porque se desconfia que há descontrolo no acesso aos dados de alguns membros do governo, o ps e a esquerda pedem demissões.”

    tu é que atestas a tua testa com serradura lowcost. fizeram uma lista vip para protecção do cavaco, passos, portas e núncio, investigaram criteriosamente quem espreitou e seleccionaram quem processaram. o descontrolo na gestão dos dados informáticos é total, o fisco vendeu informação e acessos ao sistema a empresas de bisbilhotice que por sua vez a vendem a bisbilhoteiros, em qualquer país do mundo a ministra, o secretário, a secretária e toda a mobília já estavam na rua ao som do pedido de desculpas do primeiro-ministro e o presidente da república já teria exigido justiça.

    “O 44 diz que não passava o dinheiro pelos bancos porque desconfia do sistema bancário, o ps e a esquerda dizem que é um comportamento perfeitamente normal.”

    qual são as leis que obrigam a passar o dinheiro pelos bancos e a não desconfiar do sistema bancário? quem é que determina comportamentos normais, serão os anormais que branqueiam as falências bancárias?

  27. O Ignorantz pa, nao percas tempo a publicitar as tuas insuficiencias, i.e., burrice. Caladinho davas menos nas vistas e continuavas a passar por um gajo de olho vivo aqui no pasquim. A continuares assim ja nem no cafe da Bobadela onde tentas engatar sopeiras te safas.

    “qual são as leis que obrigam a passar o dinheiro pelos bancos e a não desconfiar do sistema bancário?”

    Nao sei, vai ver o burro. Se ha coisa que foi legislada e regulada para evitar a lavagem de dinheiro do narcotrafico e da corrupcao foi exactamente isto. So nos cxrnos do pessoal que habita este pardieiro e que se pode acreditar que um gajo anda a receber envelopes com dinheiro para nao lhe espiarem a vida, cxrnos esses onde simultaneamente o facto de se criar um filtro nos sistemas das financas para apanhar gente que quer exactamente espiar dados privados sem autorizacao e crime lesa patria.

    Vai pastar pro campo de cu pro ar, se um boi te apanhar a jeito e fizer o servico, usas um argumento a Socrates, o boi tropecou e caiu-te em cima da peida.

  28. O JP Ferra, vai perguntar a esse energumeno do Nicolau, que de economia sabe pouco, se ja foi saber a opiniao sobre o assunto do outro expert das nacoes unidas, o tal que dizia que portugal daqui a 6 meses estava de joelhos e falido. Ou perguntar aos experts em economia do PS, PCP e BE, que garantiam a pes juntos que o segundo resgate ja estava pronto e assinado.

    Tenta tambem procurar no excelente argumentario desse boi socratico, referencias a artigos cientificos que explorem o tempo medio de recuperacao dum pais que sai da bancarrota, ou que apurem qual e a perda liquida de emprego num pais que entra em falencia, etc.

  29. Valupi, o teu texto não versa sobre os fundamentos da prisão preventiva, mas por alguma razão o intitulaste “Defender o Estado de Direito é bestial”.

    Eu penso que qualquer tentativa de discussão séria sobre todo este processo ou começa por separar as águas ou caímos numa mistela onde ninguém vê nada. É por isso que para meu governo me centro no facto de ter um ex PM preso preventivamente por corrupção há cerca de cinco meses sem que a acusação me consiga dizer em concreto onde, quando, como e por quem é que o gajo foi corrompido! Discutir o comportamento moral de Sócrates acaba por ser uma deriva que serve muito bem os propósitos da acusação se ela pouco mais tiver a que se agarrar. Ora a mim interessa-me saber uma de duas coisas: tivemos um PM corrupto ( e logo e necessariamente, um governo do PS corrupto ) ,ou temos uma Justiça corrupta ?
    As questões morais eventualmente envolvidas, que podemos discutir quer no comportamento de Sócrates quer no da Justiça, pertencem a outro campeonato !

  30. encontrei isto via carlos barbosa e achei que define bem os idiotas residentes:

    óbimba – Ignorante orgulhoso: não se abre à experiência do conhecimento. Repete clichês introduzidos no cotidiano pelos meios de informação que ele conhece, a televisão e os jornais de grande circulação, em que a informação é controlada. Sua formação é “midiatizada”, mas ele não sabe disso e se orgulha do que lhe permitem conhecer. No limite, o ignorante orgulhoso diz “sou fascista”, sem conhecer a experiência do fascismo clássico da década de 30 e o significado atual da palavra, assim como é capaz de defender sem razoabilidade alguma ideias sobre as quais ele nada sabe. Um exemplo muito atual: apesar da violência não ter diminuído nos países que reduziram a maioridade penal, a ignorância da qual se orgulha o idiota, o faz defender essa medida como solução para os mais variados problemas sociais. Ele se aproxima do “burro mesmo” enquanto imita o representante do conhecimento paranoico, apresentados a seguir.

    burro do caralho – “Burro mesmo”: não há muito o que dizer. Mesmo com informação por todos os lados, ele não consegue juntar os pontinhos. Por exemplo: o “burro mesmo” faz uma manifestação “democrática” para defender a volta da ditadura. Para bom entendedor, meia palavra…

    zérolho – Representante do conhecimento paranoico: tendo estudado ou sendo autodidata, o representante do conhecimento paranoico pode ser, sob certo aspecto, genial. Freud comparava, em sua forma, a paranoia a uma espécie de sistema filosófico. O paranoico tem certezas, a falta de dúvida é o que o torna idiota. Se duvidasse, ele poderia ser um filósofo. O conhecimento paranoico cria monstros que ele mesmo acredita combater a partir de suas certezas. O comunismo, o feminismo, a política de cotas ou qualquer política que possa produzir um deslocamento de sentido e colocar em dúvida suas certezas, ocupa o lugar de monstro para alguns paranoicos midiaticamente importantes.
    Curioso é que o representante do conhecimento paranoico pode parecer alguém inteligente, mas seu afeto paranoico o impede de experimentar outras formas de ver o mundo, abortando a potência de inteligência, que nele é, a todo momento, mortificada. Isso o aproxima do “ignorante orgulhoso” e do “burro mesmo”.
    Em termos vulgares e compreensíveis por todos: ele é a brochada da inteligência.

    ler resto aqui:
    http://revistacult.uol.com.br/home/2015/04/a-arte-de-escrever-para-idiotas/

  31. Ignorantz, o Valupi nao precisa dum manual para isso, pergunta-lhe ha quantos anos esta o Aspirina B a servir idiotas com sucesso.

  32. no doubt Ferra, no doubt. da pena ler a generalidade dos comentarios aqui do blog, gente nescia como nunca tinha visto.

  33. oh burro do caralho! acho que não percebeste mesmo 1/2 palavra, mas eu volto a repetir:

    “Burro mesmo”: não há muito o que dizer. Mesmo com informação por todos os lados, ele não consegue juntar os pontinhos. Por exemplo: o “burro mesmo” faz uma manifestação “democrática” para defender a volta da ditadura. Para bom entendedor, meia palavra…

  34. MRocha, constato que não percebes qual é a relação entre o título e o último parágrafo. E entre o último parágrafo e o que tu próprio escreves. Enfim, estás confuso, daí andares à nora nestes comentários.
    __

    Saber se Sócrates é corrupto é uma questão. Saber se Sócrates, no caso de não ser corrupto e ter apenas usado dinheiro emprestado para os seus gastos, foi imprudente e irresponsável é outra questão. Neste momento, não temos como resolver a primeira. Quanto à segunda, já só não vê quem não quiser ver.

    De Sócrates, por causa da sua importância política e das consequências de qualquer exploração de calúnias ou suspeitas sobre a sua pessoa, esperava-se um comportamento exemplar, blindado contra precisamente isto que lhe está a acontecer e que tem vastas consequências para o PS e para a democracia.

    Quanto à avaliação do que tem feito a Justiça neste caso, essa é ainda uma outra questão. Não consta é que seja uma questão que não tenha atenção neste blogue. É preciso ser igual aos ranhosos e aos imbecis para o esquecer na alucinação sectária.

  35. Ignorantz, estas a falar das manifestacoes democraticas previstas para 25 de Abril a frente do estabelecimento prisional de Evora? Essas sao para defender o que? A preversao e a politizacao da justica? A promocacao de uma justica para o PS e outra para o restantes cidadaos do pais?

  36. “A preversao e a politizacao da justica? ”

    yeah meu! isso tudo, as pré-versões e a politização da justiça, é o k’aflige. se bochechasses com priberam antes de publicar os comentários, evitavas mau hálito ortográfico.

  37. Sao as desvantagens de escrever longe do rectangulo do cu da europa, os autocorrects as vezes lixam-me a ortografia.

    Ja as vantagens de viver longe desse paraiso socialista sao inumeras, nao vale a pena listar aqui.

  38. PARA OS SPINS DESTE CANTINHO (mas que pelos vistos vos incomoda!)

    Recolho do ABRUPTO, de José Pacheco Pereira, um comentário que fez na revista “Sábado”, que versa o tema da propaganda governamental, reforçando o texto que publicou no “Público” e que, aliás, já sublinhara nesta página (ver O livre curso da Propaganda). A caricatura que ele faz do situacionismo é certeira e só mostra o estado de doença que está a minar Portugal. Aqui fica:

    “ÍNDICE DO SITUACIONISMO: ORIENTAÇÕES DO SPIN PARA ESTES DIAS

    Sempre que há um bom número, falam 10 ministros e secretários de Estado, com as câmaras de televisão atreladas. Agora fala também o Presidente. Mais o primeiro-ministro, a ministra das Finanças, o ministro da Economia, o homem dos chapéus todos, Paulo Portas, e, por fim ou ao princípio, Marco António e Marques Mendes. Falam pelo menos em três ocasiões diferentes da mesma coisa. Como não podia deixar de ser, cada bom número é um gigantesco sucesso, mesmo que não se repita no mês seguinte. Quando há números assim-assim arranja-se uma comparação estatística que os torne bons números. Fazem-se as comparações convenientes e esquecem-se as mais rigorosas. Compara-se muitas vezes o incomparável. As séries mudam, umas vezes para começar em 2008, outras em 2011, outras na década anterior. Falam os ministros mais habilidosos no exercício, a começar por Paulo Portas, que até um mau número torna num bom número”.

  39. Valupi, «empréstimo» pode até ser para salvar a face e não dizer simplemente «oferta», coisa que seria humilhante e embaraçosa perante a opinião pública, mas nem ilegal, nem incompreensível, dados os enormes meios financeiros do Santos Silva e, não só a amizade de longa data, mas até e sobretudo a sua muito provável dívida de gratidão por negócios (que nada que tenha vindo a público indica que lhe tivessem sido ilegalmentre atribuídos) patrocinados pelo governo, por exemplo na Venezuela, em Angola e alhures.

    E — note-se bem! — sem implicação necessária e automática de alguma «corrupção» pelo meio, como por exemplo num ou mais concursos bem determinados cujos resultados normais tivessem sido falseados a favor de alguém que não o merecesse a troco de pagamento etc.. «Corrupção» não é o mesmo que «favor» ou «facilitação». Para haver corrupção é preciso haver algum pagamento directamente ligado a um favor ou favorecimento ilícito bem determinado.

    E que eu saiba, a simples oferta (ou empréstimo) de dinheiro não é ilegal, nem paga imposto (pelo menos se o emprestador não cobrar juro algum e não houver despesas de notarização etc.). Julgo que as doações que pagam impostos são de outro género, como seja de propriedades.

    E se não parecer normal uma tal amizade e gratidão, como aliás até pareceu de todo impossível (!) aos juízes do recurso, convirá pensar um pouco na normalidade do caso oposto, em que alguém confia uma fortuna a outrém sem qualquer garantia. O que é que acontecia ao «dinheiro e prédio de Paris do Sócrates» se o Santos Silva morresse de repente? Quem é que herdava?

    Acresce a tudo isto que quem tem estado a prestar atenção já deve ter percebido que, apesar da sensação que se procura criar de que todos os dias vêm novos milhões e triliões e ziliões a público, no meio de muita conversa fiada, o único facto concreto é que o «branqueamento» é sempre referido ao dinheiro dos prédios comprados à mãe, e depois dado pela mãe ao filho, e ao prédio de Paris que «é do Sócrates» apesar de estar em nome do Santos Silva!

    Milhões corruptores do Freeport? Nada.

    Milhões do tio e do primo (em escudos que os jornais transformavam em euros) que estavam nas Cayman e eram do Sócrates? Nada.

    Milhões sucateiros do Face Oculta? Nada.

    Então que temos agora de novo?

    Temos o dinheiro e prédios do Santos Silva que — jura o MP e o seu super-juiz — não são dele, são do Sócrates; temos três juízes da Relação de Lisboa eliminados do sorteio para o recurso, dias antes de ele se realizar; temos esta coisa que teria sido absolutamente escandalosa em qualquer parte do mundo que foi o procurador Rosário a exigir fiscalizar em pessoa o sorteio, e depois — suave milagre — temos atrasos (informáticos, ao que parece, pois claro…), avarias e irregularidades durante o dito sorteio que acabou por contemplar os juízes ideais, sob a batuta daquele juiz sindicalista que escreve que chegou o tempo do poder judicial predominar sobre os outros dois poderes do estado e enuncia provérbios de cabras e cabritos porque não tem mais nada para mostrar para além do lixo da Cabrita…

    Motivo para se estar preocupado? Acho que sim.

    Com os possíveis pecados do político Sócrates? Acho que não.

  40. Na cultura judicial portuguesa os juízes não precisam de provas e os procuradores ainda menos: basta-lhes a sua própria convicção.

    O essencial da questão resume-se a isto, e tudo o resto é poeira nos olhos.

  41. Gungunhana Meirelles, empréstimo ou oferta, o problema mantém-se o mesmo. E o problema não é o da legalidade ou ilegalidade disso (embora ainda assim possam existir infracções fiscais), nem o problema é o da liberdade de Sócrates enquanto cidadão igual a ti e a mim. O problema está na dimensão política de tudo o que se relacione com Sócrates, inclusive (e por óbvias razões) a sua vida privada.

    Donde vem esta relação? Pois ofende a inteligência ter de a explicar.

  42. “e ter apenas usado dinheiro emprestado para os seus gastos, foi imprudente e irresponsável é outra questão.”

    desde quando é que é imprudente e irresponsável usar dinheiro emprestado? bora lá fechar os bancos todos e queimar as notas todas.

    “De Sócrates, por causa da sua importância política e das consequências de qualquer exploração de calúnias ou suspeitas sobre a sua pessoa, esperava-se um comportamento exemplar, blindado contra precisamente isto que lhe está a acontecer e que tem vastas consequências para o PS e para a democracia.”

    quem és tu para julgar comportamentos exemplares? isso não existe, há condutas legais e ilegais, o resto é treta que o padre prega ao domingo de manhã e que o marcelo repete à noite no pugrama de apoio à sua candidatura. o sócras anda a ser investigado há 15 anos e tudo é suspeito, de maricas ao seizième vale tudo e nunca provaram nada, só incompetência, má-fé e perseguição de um adversário político que odeiam e temem.

  43. Um gajo le isto e e como se lesse um manual de instrucoes da Mafia sobre o que pode ser legalmente provado em tribunal como corrupcao. Tudo confortavel com o facto dum ex-primeiro ministro tenha andado a viver a conta de prebendas dum empresario que beneficiou do regime.

    A flexibilidade moral dos socialistas e linda CXRALHO.

  44. Não pertenço ao clube dos fãs do 44.
    É óbvio que o dinheiro não passava pelos banco porque era ilícito, não por não acreditar no sistema bancário.
    Porque será que os defensores do clube não questionam antes de tudo: Que serviços fez o 44, enquanto pm (sim, não é coisa recente) para ter ganho tanto dinheiro? Não é preciso fazer um desenho, pois não?
    Curriculum:
    Licenciatura ao domingo, assinar projectos de outros nos tempos da Câmara da Covilã, caso freeport, arranjou um ghost writher para escrever o seu livro (dizendo que foi o próprio a fazê-lo), etc, etc.etc, etc, etc…

  45. Bom, e então, como diria o Lenine, que fazer?

    Conceptualmente, muito simples, mas praticamente impossível de levar a cabo: inserir na nossa constituição um Bill of Rights a sério, feito de “Government shall nots”, de proibições ao estado de que os cidadãos se pudessem valer, em vez das balofas garantias estatais impossíveis de garantir que até a constituição da URSS do Estaline prodigava aos escravos…

  46. oh burro do caralho! manual da mafia é um presidente da república liderar um movimento de opinião para deslocalizar a construção de um aeroporto para terrenos comprados à pressa pelos amigos com dinheiro emprestado pelo bpn e não haver uma investigação sobre esta vigarice.

  47. Diz o MAISRELES

    «Na cultura judicial portuguesa os juízes não precisam de provas e os procuradores ainda menos: basta-lhes a sua própria convicção.»

    Ou seja, o 44, baie chegare lá e o juíz diz assim: estoue cunbencido que este gajo é culpado. Choldra cuntigo.

    Ó Maisrelees, faz aí um projeto de bille obe raites, pra bere se safas o gajo, bá, anda. Bá muda o sistema, que tu sim, tu é que sabes da coisa.

    lole, lole, ainda gustaba de bere o trombile destes gajos, debem ser pequenos, marrecos, e carecas, com unhas compridas pra tirar a trampa dus óbidos.

  48. “O problema está na dimensão política de tudo o que se relacione com Sócrates, inclusive (e por óbvias razões) a sua vida privada.”

    o marcelo disse que só depois de morto é que o calavam e a velha que não dormia descansada enquanto ele andasse por aí.

  49. Básico, já bistes que o IGNORALHO MOR do IGNORANTZ, tameie chamado de JÉ BICOS IGNOBIL, ou JÉ PICOLHO, teie os linques da cabaça inchados, num é? oqueie. Oube, é o cahamdo hillbilly, tás abere, hum, talbez, red neck. nada entra naquilo, e o outro que fala em bill of rights é assim uma espécie de macaco com aspirações a evolução à la minute.

  50. Ó val, eu tiro os pontos de interrogação pois já vi que não percebeste nada, e vou escrever como se tivesses 10 anos.
    A prisão do ex primeiro-ministro da forma como foi feita foi ilegal.
    Manter-se a prisão do ex primeiro-ministro baseado no que se conhece é ilegal.
    Tudo o resto é lana-caprina e só serve para demonstrar como a justiça está corrompida em Portugal.
    Mas acima de tudo o que tenho pena é que a esquerda alimente este espectáculo em vez de o combater desde a sua origem.
    Percebeste agora?

  51. Val, continuas obcecado com os pecadilhos do homem enquanto tal. Lamento que tenhas apostado todas as fichas na personagem que idealizaste. Só os gregos( clássicos ) se deram ao trabalho de esculpir a perfeição e o idealismo no mármore. Acontece, porém, que Sócrates é de carne e osso e tão imperfeito como todos nós.
    Que Fídias me desculpe, mas eu cá prefiro a escultura de Rodin…

  52. =)

    O que eu acho lindo e esta gente a tentar branquear o comportamento dum corrupto, e, ao mesmo tempo vocifera, grita, pede demissoes, pulula que nem macacos de sete rios, contra supostos atropelos a constituicao, listas informaticas, nao pagamentos de impostos em recibos verdes, etc.

  53. Cara Anónima, permita-me V. Ex.ª: o sujeito em causa é um BATOTEIRO, que se deixou apanhar. Até há uns tempos, apesar de saberem da conduta dele, não conseguiam apanhá-lo, justamente por causa do probatório. Ele, porém, simplificou a inteligência de outros, e quando o probatório se tornou o que é – imbatível -, foram buscá-lo.
    Por isso, ele sabe que não sai, a vinda para Portugal foi uma manobra dilatória, anedótica como o argumento da desconfiança dos bancos. Pensava ele que o seu regresso contornaria a medida de coação, em que um dos requisitos é o perigo de fuga!

    O Ministério Público NÃO propõe a medida de coação mais grave do processo penal, se NÃO tiver o que se chama uma convição forte de que é mais provável a condenação do arguido em julgamento do que a sua absolvição.
    Os pseudo – curiosos que andam por aqui a debitar como se fossem grandes teorizadores na matéria, tão só atoardam, e, quando engasgados, recorrem ao trilho das qualificações.

  54. Básico, são limitados, são eles os responsáveis pela democracia. Gritam direitos, esquecem deveres, nunca querem saír da cadeira da crítica, porque lhes é mais fácil criticar. Um gozo. É dar-lhes trela – é vê-los escorregar ao comprido. E no caso do Sócrates, ui, chega a doer.

  55. O´pas, a IGNATZIA que foi ao google buscar o Rodin, diz que o 44 é imperfeito. EUREKA, eureka. Portanto, vamos lá absolver o homem de tudo…e já agora, hum, que tal se se absolver a polícia política do Estado Novo…hum? eles também não eram perfeitos…e o Hitler? E o Judas? Ó pás, a Ignatzia é um gajo que pensa, que pensa como os macacos lá no rabo mais sujo da Terra…

  56. O problema político do processo Sócrates não é dele. É de quem acha que ele representou uma prática política mais séria e eficaz do que todas as que se ofereceram como alternativa. Se esse espaço ficar sem representação, o país ficará politicamente mais pobre e vulnerável do que aquilo que já é. O recurso a outra coisa que não seja a vontade expressa pelo voto, o cumprimento da lei e a força dos argumentos, para silenciar essa representação política não é legítimo.

  57. «A prisão do ex primeiro-ministro da forma como foi feita foi ilegal.
    Manter-se a prisão do ex primeiro-ministro baseado no que se conhece é ilegal.»

    ALGUÉM ME EXPLICA ONDE ESTÁ A ILEGALIDADE DA PRISÃO PREVENTIVA do homem? FACTOS!
    Aos que assim pensam, CORRAM, usemo fax, o email, o PUNHO EM RISTE, mas dirijam-se Á CEDH e façam valer o que dizem. CAMBADA, falar por falar não vale, seus VAZIOS. APONTEM FACTOS….ó IGNORALHOS.

  58. CaroValupi,

    Desqualificar quem argumenta diferente para defender a sua própria tese é uma táctica que qualifica quem a usa.

    Posto isto, vamos ao que interessa.

    O Valupi parece ter dificuldade em entender que exista quem considere mais importante o bom funcionamento da justiça do que a imagem pública do PS. Pois existe, meu caro ! Ao contrário do que V insinua, entendo perfeitamente o impacto que a conduta moral de qualquer nome de referência do sistema partidário tem no funcionamento da democracia. Mas preocupa-me muito mais o impacto que o funcionamento da justiça tem na nossa sociedade e na vida das pessoas concretas. Cenas como a prisão preventiva de menor por pedofilia relatada pelo ultimo “sexta às nove” ( e estas são apenas as que vêm a público ) bastam-me para me sentir confortável com as minhas prioridades. Portanto e concluindo: primeiro o Estado de Direito; depois a moral e os bons costumes !

  59. E evidentemente, quando se está perante um AUTOR que alega ter escrito um livro que designou « Confiança no Mundo», só se pode questionar ainda mais preso. (Logo o homem que vive num mundo onde encontrou um amigo tão altruísta como os discípulos do Mestre – JESUS -, que lhe emprestou ou deu fundos sem intenção de os reaver).

    Será interessante verificar o conteúdo do dito livro, designadamente se se alude ao sistema bancário e à eficiência do João Perna…. O gozo é total. Pobres dos ignorantes e burros que não pescam um centímetro do que está à vista de todos.

  60. Numbejonada: «Ou seja, o 44, baie chegare lá e o juíz diz assim: estoue cunbencido que este gajo é culpado. Choldra cuntigo.

    Nem mais, Numbesmemonada. Desta bez biste!

    Claro que os acordãos dos tribunais portugueses são riquíssimos em «ressonâncias da verdade» e provérbios populares dos mais profundos e culturalmente influentes, mas sim senhor, basicamente tudo indica que vai ser como dizes. E claro que deve haver excepções entre os juízes, mas não é desses que estou a falar. Estou a falar da cultura judicial que observo.

  61. Caro comentador, eu VEJO desde o PRINCÍPIO. Você é que NADA VÊ e, por isso, escreve os dislates que reproduz. A si e a TODOS: venham com argumentos válidos, sustentáveis na lei. Sei que é difícil, porque NÃO A CONHECEM, e pensam – eventualmente – que lendo um preceito, alcançam alguma coisa. Tenho DÓ.

    Para falar de CULTURA JUDICIAL tem de conhecer MAIS. Você nada conhece, e a alegada observação a que diz proceder pressupõe um bom par de óculos graduados, porque avaliando o que por aqui tem escrito, repito, só suscita o RISO. Just simple as that.

    (Mas se sabe assim tanto…porque está tão parado? Dirija-se à instância competente – nacional e supranacional….)

  62. Claro! Persisto na questão: PORQUE dizer ser a prisão em causa ILEGAL? Vamos lá dissecar isso a SÉRIO e deixarem-se de argumentos SOPEIROS de pátio de carneiros amestrados num qualquer Largo alegadamente democrático….

  63. O val achou este link relevante:

    “Stop complaining about the moral decline of western society, expert says”

    Deve ser um consultor do 44.

  64. ó ceguinhos, nós não vivemos num estado totalitário, aqui há direitos individuais, ou deveriam haver. O problema é que inquisidores dos nossos tribunais foram educados na balança da moral e dos costumes do salazarismo. O peso e registo desse catecismo parece ainda não ter sido revogado. Para algumas mentes brilhantes da nossa magistratura, tais ensinamentos ficaramm incutidos para sempre.

  65. Carlos Sousa, agora percebi: não tinhas mesmo nenhuma pergunta para fazer, apesar de teres gastado dois pontos de interrogação.
    __

    ignatzia, larga o tinto.
    __

    Lucas Galuxo, precisamente pelas razões que apontas, entre tantas outras, Sócrates devia ter previsto que os seus inimigos não perderiam uma oportunidade para o entalarem. E as consequências são as que podemos ver, onde aquela direita que traiu Portugal em 2011 consegue ter este troféu supremo: Sócrates está preso e estamos a poucos meses de eleições legislativas onde era suposto estarmos a ajustar contas com os pulhas.
    __

    MRocha, se para ti o Estado de direito está primeiro, queixas-te do quê em relação ao texto? Ou para ti não importa o que lá esteja escrito, tu queres é falar da tua pessoa?

  66. Democracia em accao: “a ajustar contas com os pulhas.”

    Foi para isto que se “libertou” portugal do jugo da ditadura cxralho, 25 de Abril SEMPRE.

  67. Ó Val, percebeste que eu não tinha nenhuma pergunta para fazer, isso é bom, mas não percebeste mais nada?
    Centra-te no essencial, vá lá, faz um esforço.

  68. Valupi,

    Queixo-me de toda a atenção dada ao fait-divers dos costumes e da moral quando a montante há questões essenciais não resolvidas! Apenas isso !

  69. Val,
    Sócrates não tem que prever coisa nenhuma senão fazer o que a sua consciência lhe manda. Se à sua volta abundam a podridão e mediocridade que de um lado e do outro andam à cata de bodes expiatórios para disfarçar as suas incapacidades o problema não é dele. Isso só enobrece a sua provação.

  70. “Sócrates está preso e estamos a poucos meses de eleições legislativas onde era suposto estarmos a ajustar contas com os pulhas.”

    sócrates só não seria preso se tivesse fugido, o que para o caso daria o mesmo folclore e ate era mais cómodo para a justiça que não tinha de apresentar provas para o levar a julgamento. alguns membro deste governo e outros direitolas metidos nos esquemas habituais de roubo-por-esticão-e-negação-dos-factos já tinham prometido que sócras e o governo anterior iriam ser levados a tribunal e julgados, o sindicato dos magistrados jurou vingança e a menistra da cruz quando emborcava umas mines no bar taramelava uns hip-hurras à prisão do sócras.

  71. Pois e, foi tudo um complot contra o 44. ate o dinheiro o obrigavam a receber!! quando o Perna aparecia com mais um envelope ele perguntava logo, “outra vez, isto e para que?”

  72. Carlos Sousa, ok, pá.
    __

    MRocha, talvez esteja na altura de teres o teu blogue e começares a ensinar o povo a partir daí.
    __

    Lucas Galuxo, vejo que estás num estado de cegueira que até dói. Pois eu também concordo muito com a ideia de que Sócrates deve fazer o que a sua consciência manda, e é por essa nobre razão que estou a reflectir sobre as consequências para o PS e para a democracia disso mesmo.

  73. Val, tens razão, prefiro branco seco do Douro.
    A verdade é que te iludiste com a personagem e, agora que lhe vistes as partes baixas, ficaste desiludido. Bem vindo ao clube, porém, há que respeitar as liberdades individuais do cidadão.

  74. “e, agora que lhe vistes as partes baixas, ficaste desiludido. ”

    O 44 nao era o grande homem que o Val estava a espera…

  75. A falencia da empresa e sinal claro que beneficiava do apoio do regime, clarissimo ate.

    Ja o 44 tem grande experiencia empresarial e na gestao de patrimonios (o dele).

    Eu ainda me recordo do seu espirito empreendedor, assinando projectos de moradia sem o poder fazer (isso nao importa nada), ou fazendo negociatas de pneus com gente um bocadinho duvidosa.

    O 44 e mesmo um tipo azarado azarado azarado, por onde andava era sempre suspeitas de corrupcao cxralho, ele tinha ca uma sina!

    http://investigadorcriminal.blogspot.com/2013/01/suspeitas-de-corrupcao.html
    http://expresso.sapo.pt/o-que-une-antonio-preto-e-jose-socrates=f547093

  76. há consciências desfasadas da Cidade, mesmo quando é esta última que lhes dá abrigo – são as que lambem o umbigo e cospem no tecto onde vivem. aqui, na deslealdade, cabem as bestas. e depois chega a responsabilidade. oupas que já se faz tarde.

  77. Meirelles, mas remete-me para links, é? A pergunta persiste: diga-me porque é que a prisão do indivíduo em causa é ILEGAL? Factos? Conhece o processo? Ou está a dizer-me que o link tem o processo?
    Meu caro, eu não vou buscar a ilegalidade da prisão ao link…a ilegalidade retira-se de outra fonte. Conhece-a? Diga lá, qual é?

  78. [Numbêmemonadinha em negrito] Meirelles, mas remete-me para links, é?

    Qual é o problema? Clicar o rato é demasiado difícil? Duh…
    https://aspirinab.com/valupi/septimana-horribilis/#comment-251539

    A pergunta persiste: diga-me porque é que a prisão do indivíduo em causa é ILEGAL? Factos? Conhece o processo? Ou está a dizer-me que o link tem o processo?

    Okay, se é demasiado difícil clicar no rato aqui vai a transcrição:

    Eu explico melhor: «você fica cá porque está fortemente suspeito de homícidio» não chega, e o que falta não é só uma «tecnicidade» nem basta completar (ou confirmar) a sentença preventiva com um provérbio qualquer sobre a vida e a morte. É preciso o quem, o quando, o onde e outras pequenas insignificâncias desse género. Se continua a não perceber isto, vai continuar a não perceber nada.

    Meu caro, eu não vou buscar a ilegalidade da prisão ao link…a ilegalidade retira-se de outra fonte. Conhece-a? Diga lá, qual é?

    A ilegalidade retira-se das leis vigentes a que o link (parcialmente transcrito acima) está a aludir, como deveria ser evidente a qualquer pessoa com um Q.I. superior ao de uma lagarta da couve. Ou seja, retira-se da lei que proíbe a prisão preventiva sem justificação expressa para a mesma, obrigatoriamente apresentada ao arguido e seus defensores. Se são os números e parágrafos dessas leis que pretende, terá que fazer um pequeno esforço suplementar porque não estou aqui para o atender no seu desejável trabalho de casa, que só completará a sua formação.

    Note que não estou sequer a dizer que as leis que temos são boas. Estou só a responder à sua perplexidade, partindo do princípio que essa perplexiade não é um estado inato e permanente insusceptível de correcção.

    Claro que o ideal — repito — seria qualquer coisa como o que se segue, mas o que temos é a prata da casa e é com ela que nos temos de amanhar…

    Amendment IV

    The right of the people to be secure in their persons, houses, papers, and effects, against unreasonable searches and seizures, shall not be violated, and no warrants shall issue, but upon probable cause, supported by oath or affirmation, and particularly describing the place to be searched, and the persons or things to be seized.

    Amendment VI

    In all criminal prosecutions, the accused shall enjoy the right to a speedy and public trial, by an impartial jury of the state and district wherein the crime shall have been committed, which district shall have been previously ascertained by law, and to be informed of the nature and cause of the accusation; to be confronted with the witnesses against him; to have compulsory process for obtaining witnesses in his favor, and to have the assistance of counsel for his defense.

    Tenha uma muito boa noite e mande sempre.

  79. Isto já vai longo, mas ainda vou a tempo de fazer umas perguntas, sendo verdade que os advogados estavam a transmitir-nos o pensamento de Sócrates: Será possivel imaginar que ele (Sócrates) perdera a confiança nos bancários e a mantinha intacta nos magistrados das escutas, os quais, segundo os seus advogados, o espiavam há dez anos? Depois das escutas com Vara e sabe-se lá com quem mais? E se não perdera a confiança nos magistrados das escutas, por que falava em linguagem codificada para pedir dinheiro ao amigo? Era medo dos ladrões? Por mim, tiro a conclusão que já mais do que uma vez escrevi neste espaço: Sócrates tem um defeito que lhe arruinou a carreira, que é uma certa ligeireza no tratamento de questões muito e muito sérias, como foi aquela atitude de desvalorizar a incrível intentona de Belém, em que a pulhice foi patente onde nunca podia, em democracia, ter acontecido. Sócrates assobiou para o lado, esquecendo que a primeira vítima não era ele mas o Estado de Direito. E é destas coisas que trata o post do Valupi. Pelo menos assim o compreendi. Eu sou uma admiradora da obra de Sócrates mas não sou cega perante os erros que lhe custaram a carreira e também contribuíram, a seu modo, para a ruína evidente da democracia. Pelo que fez, e porque é uma pessoa bem intencionada, não merecia ser tratado como um canalha pelos piores canalhas que já vi na minha vida. Não sei por quê, vêm-me à memória os versos de Camões. “Erros meus má fortuna amor ardente//todos contra mim se conjugaram…” Sofro e revolto-me por ver Sócrates vítima da escumalha deste país.

  80. “Eu sou uma admiradora da obra de Sócrates mas não sou cega perante os erros que lhe custaram a carreira e também contribuíram, a seu modo, para a ruína evidente da democracia.”

    já tinha reparado que eras a atirar para o histérico, só faltava a confirmação eubejotudo para te candidatares ao troféu bécula2015.

  81. Se bem percebo a sua escrita , o que penso que Valupi pensa é que Sócrates, ao aceitar dinheiro de um amigo rico e com negócios a precisarem de apoio politico através da agora famosa diplomacia económica, pôs-se a jeito, forneceu as armas, as munições e o alvo aos seus mui poderosos inimigos.
    Concordo! Porém , a meu ver, isso não implica que esse dinheiro tenha sido fruto de corrupção ou de favores ilegais.
    Primeiro porque não me convenço que o homem, sabendo que estava a ser escutado e vigiado desde há anos, fosse tão burro ao ponto de desenhar um esquema de corrupção tão básico . Se fosse assim tão idiota não teria sido o excelente PM que foi. Se fosse assim tão asno não provocaria os ódios que lhe são tão meticulosamente dedicados. Se fosse assim tão incompetente não teria as visitas que tem tido.
    Esses empréstimos, já confessados pelo pelo próprio José e pelos seus advogados embora desmentindo os valores que pingam do cano de esgoto, podem ter uma explicação muito mais simples.
    Suponhamos que vivemos num estado de direito que reconhece o direito ao amor homossexual.
    Suponhamos que o que o pulha do Santana Lopes insinuou há uns anos para ganhar votos é verdade, que JS é mesmo homossexual e que estão, ele e o amigo, loucamente apaixonados um pelo outro. Se for este o caso terão ou não o direito de não falar disso, de não divulgarem essa relação mesmo que para desmentir as suspeitas de corrupção?
    Quantos gajos poderosos e ricos oferecem verdadeiras fortunas à detentora do seu pito preferido, sem que sejam, por isso, constituídos arguidos?
    Suponhamos que não é isso, suponhamos que sejam só grandes e sinceros amigos, homens livres que não têm de dar satisfações do que dão um ao outro.
    Suponhamos até à exaustão, pelo menos até os meritíssimos explicarem quando e como se deu a corrupção, que ministros ou secretários de estado receberam ordens para beneficiar o construtor, que despacho do PM lhes entregou alguma obra, mesmo que merecidamente.

  82. Estoufuribundo, adorei, adorei, adorei.

    Este blog pode fechar para todo o sempre com o teu post, ja nao e possivel melhorar a partir daqui.

    (ok, talvez mais um post sobre o PEC-IV, para o Val se sentir bem).

  83. Estoufuribundo, concordo contigo. O dinheiro recebido pode ter sido ganho pelo Santos Silva com absoluta licitude e, mesmo assim, a embrulhada dos empréstimos aparece como um erro com graves consequências políticas.

    Quanto ao teu interesse pela temática homossexual, diria que não tem relação com o caso. Mas se para ti é importante falares nisso, mesmo que passes por tontinho, não serei eu quem te vai condenar.

  84. “Quantos gajos poderosos e ricos oferecem verdadeiras fortunas à detentora do seu pito preferido, sem que sejam, por isso, constituídos arguidos?”

    Lapidar, tudo resolvido finalmente.

    Soltem o 44 ca pra fora, o rabo dele vale OURO!

  85. Basico, juro que não quero baixar o nível mas porque raio assumes que o homem, a dar-se o caso de ser homossexual, é sujeito passivo?
    A julgar pelos ódios aqui expressos aposto que, sempre supondo

  86. …que é gay, assumiria um papel activo, talvez por engano tivesse enrabado alguém que não merecesse, tanto que os deixou traumatizados para sempre. Espero que não seja o teu caso.

  87. Isto de impostos lunáticos é de facto divertido.

    Depois de alguma investigação, descobri que as doações de mais de 500 € pagam mesmo imposto do selo, a não ser que sejam entre cônjuges, descendentes e ascendentes. E nada mais, nada menos, do que 10%…

    Portanto se alguém resolver oferecer 600 €, o contemplado tem de fazer uma declaração para o fisco e pagar 60 € ! Mas depois há indefinições fascinantes como esta: «a alínea d) do n.º 5 [do CIS], exclui da tributação os donativos em dinheiro ou em espécie, efectuados conforme os usos sociais, até ao montante de 500 euros, não se especificando se este montante é por cada doação (operação) ou se é um valor anual.»

    Como é que isto pode fazer algum sentido? Se é por cada doação, quanto tempo é que é preciso esperar entre duas doações consecutivas? Toma lá 300, espera aí no café uma hora e toma lá outros 300, ainda paga imposto? E se for um minuto só?

    E se o limite isento de imposto de selo for anual, como é que é? Se eu, num ano, oferecer 600 moedas de um euro a 600 mendigos, uma a cada um, alguém fica a dever alguma coisa ao estado? Se é um limite anual como é que funciona? Para cada par doador/recebedor? Para cada doador? Para cada recebedor?

    Se a moda da prisao preventiva por falta de pagamento de imposto de selo pega, vai haver muita confusão. Ai vai, vai…

    :^D

  88. ai que minh’alma está parva! já corre o argumento de relação amorosa para justificar indícios e suspeitas. isto é fanatismo religioso.:-)

  89. Ó MAISRELES, ouça, eu mando, de facto mando sempre, o problema é que o recipiente, V. Ex.ª é tapado que nem um alho, e como sabe, este depois de esmagado, já não oferece interesse algum. Aprenda, leia, e discuta com discurso sério e válido. O Duh foi inventado para espirítos como V. Ex.ª. As for the amendments, my friend, it´s clear to me that you don´t understand a damn about it.

  90. Estoufuribundo,
    não sei nem me interessa saber se JS é ou não gay. O que verdadeiramente interessa é a defesa das liberdades individuais deste cidadão, cuja vida privada está a ser violentada todos os dias na comunicação social.
    Alinhar no frenesim histérico dos “burros do caralho” da comunicação social e dizer que esta estória dos empréstimos prejudica o PS e a democracia é coisa de pura covardia. Não basta defender aqui a cidade. O importante é defender o cidadão e a sua dignidade, custe o que custar.

  91. Oh pá acalmem-se a teoria amorosa foi só uma hipótese de trabalho, não digo que foi assim , só defendo que poderia ter sido. Isto de tentar provar a inocência de alguém dá muito trabalho , é preciso imaginação.
    Olinda, não sou religioso, embora acredite que alguns justiceiros terão de reencarnar várias vezes para atingirem a perfeição.
    Já passou, agora posso confessar-vos que pode ter sido uma ideia tontinha mas que gostei de imaginar o Basico a levar merecido tratamento.

  92. Estoufuribundo, obrigado por ler o blog e dar-nos o prazer de ler os seus comentarios.

    Se houvesse alguma duvida do QI e moral standing do target audience deste pardieiro, tal duvida esta agora mais do que dissipada.

    “Isto de tentar provar a inocência de alguém dá muito trabalho , é preciso imaginação.”

  93. Basico, cada um nasce como nasce, não fiques vaidoso com a tua estupenda inteligência, não creio que seja mérito teu, tiveste foi sorte com os cromossomas.
    Quanto ao que interessa confesso que invejo a tua posição já que, para ti e para os teus, é muitíssimo fácil provar que o homem é culpado, basta ler o correio sempre que o sol sai ao Sábado, decorar o que lá vem e repetir até deixares de respirar. Homens como tu não se rebaixam a verificar miudezas , saber se é ou não verdade o que é publicado ou, pelo menos, ter alguma duvida.
    Para mim essa prudência é a atitude correcta, a única capaz de evitar ao MP embaraços do género do que teve ao manter Paulo Pedroso 5 meses preso preventivamente por ter um sinal de 2mm no pénis. Embora vislumbrado por testemunha, a medicina legal não o encontrou quando examinou o dito. Uma chatice.

  94. “Já passou, agora posso confessar-vos que pode ter sido uma ideia tontinha mas que gostei de imaginar o Basico a levar merecido tratamento.”

    o burro do caralho, ainda combalido do enrabanço, tenta conter os danos de imagem. foda-se, ainda não percebeste que foste comido ou queres disfarçar a tua burrice endossando para “QI e moral standing do target audience deste pardieiro”.

  95. Ignorantz, devias deixar de ler a literatura de cordel da tua mulher, tolda-te o pouco racionio que ainda te resta.

    A continuar assim ja nem os tipos da tasca impressionas com as tuas bujardas e ma educacao.

  96. “basico, já reparas-te que sempre que te calam com factos, tu assobias para o lado?”

    nada disso, vira o gráfico de pernas para o ar, falsifica estatísticas, martela números, traveste opiniões contrárias, não é nada com ele e tudo se resume: o ps faliu o país e o psd salvou-o da bancarrota.

  97. IGNORANTEZES, então?Sabeis que o estrabismo e a miopia têm solução, não é?

    Básico, my friend, just send them to the curb…

  98. hum, ó ferra, oube, bou ensinar-te a escrebere. num é «reparas-te» mas «REPARASTE», pá. precebeste? oqueie.

  99. BÀSICO, o gajo baie aos linques, tás a bere? Oube, já te pedi pra num testicares muito, derrubas os gajos, mas os tipos num teiem bergonha, e beiem sempre possuídos pelo Sísifo, pá,…bá lá, faze as coisas, de modo a que continuemos a rir-nos dos IGNORALHOS. Não os mates logo, pá, precisamos deles pra dar exercício ao riso. oqueie, meue. Comprimentos.

  100. Ele esta a tentar mimetizar os vossos comportamentos e atitudes (quadrupedes). Esta provado que um discurso e atitude normais nao vos entram na cabeca, estao muito formatados pela logica 44.

  101. Mon Cher BÀSICO, que lhe disse eu? O FERRA hoje tá de serviço. Esperneia como as mulas da cooperativa, hum…tipo socialista tá a ver?

    Ó FERRAMBOLHO, sabes a canção do Max, hum? As mulas da cooperativa, ai as mulas da cooperativa..
    Ora bê, lole, lole, fanda mula meue, me saíste, hum?

    A mula da cooperativa
    a mula da cooperativa
    Deu dois coices no telhado
    ai és redondilha
    deu dois coices no telhado

    por causa do zé da adega
    não saber cantar o fado
    ai és tão linda
    não saber cantar o fado

    nanananana
    nanananana
    nananaana
    nananana
    vai bebedo
    nanananana
    nanananana
    nanananana

    A mula da cooperativa
    a mula da cooperativa
    deu 2 coizes no telhado
    ai és tão linda não acho nada
    deu dois coizes no telha-a-a-do

    por causa do zé da adega sempre por causa dele
    por causa do zé da adega
    não saber cantar o fado
    ai és tão linda que disparate
    não saber cantar o fado

    nanananananana
    nananaanananana
    nananananananana

    ai tanto crocodilo

    nanananananana
    nanananananana
    nanananananana
    nanananananana

  102. não é bi, é trio odemirolho. os gajos fazem broches ao regime e a gaja vaza o penico e fornece os toalhetes.

  103. Ignorantz, a coisa esta a piorar, foi o almoco, muitas tacinhas de tintol?

    Sabes por ventura se a Canavilhas ja pagou os 1.9 milhoes ao estado? Eu ontem vi-a na televisao e o jornalista nem uma perguntinha lhe fez sobre o assunto. Gostei tanto de a ver ao pe do Ze Cagalhaes a dizer que iam meter providencias cautelares e o cxralho a sete. Gente dessa devia agora levar no lombo com o custo das suas irresponsabilidades e voluntarismos, helas, e Socialismo cxralho, os beneficios sao para uns, os custos e prejuizos sao para espalhar por todos.

    Ja meteste um post sobre a ideia do Carilho de expulsar o 44 do PS? Olha que o gajo nao fez os cursos ao domingo nem em universidades de 5a categoria, e capaz de ter mais do que um neuronio a funcionar, tas a ver?

  104. Ó IGNORALHO IGNATZ, tudo na tua bida se resume ao olho, num é? é a perspetiba de quem é zarolho, e pega de empurrão – o teu caso, ó JÉ BICOS.

    Ó FERRAMBOLHO, e tu lá saves, bolas, és dois em um….quando fazes a transiçãoe? hum?

  105. “Sabes por ventura se a Canavilhas ja pagou os 1.9 milhoes ao estado?”

    não, nem tem que pagar. o mano do nogueira leite, presidente dos parvolorem é que anda a ser investigado por causa disso e do desaparecimento dos mirós, mas com com a vidaleira a controlar os prejuízos ainda ficamos pelo arquivamento do caso e abertura de um museu de fotocópias dos mirós para o público apreciar.

    olháki a tese de que a tecnoforma faliu porque não era apoiada pelo estado
    http://www.ionline.pt/artigos/dinheiro/tecnoforma-esta-insolvente-deve-400-mil-ao-bes

  106. Nao tem de pagar? Porque? Todas as providencias cautelares foram consideradas improcedentes, logo, nao havia base para as ter requerido. Uma vez que se demonstra que os peticionarios nao sabiam o que estavam a fazer, deveriam pagar por isso, nao? Claro que nao se forem Socialistas cxralho, os camaradas estao sempre acima da lei!

    ” O mano do nogueira leite é que anda a ser investigado por causa disso ” tens provas ou vais chapar aqui um link para um blog?

  107. Tens razao pa, manda uma carta (registado) ao Salgado a avisa-lo que afinal o BES ERA do Estado, e que ele andava sentado a presidir as reunioes do CA por engano.

    Eu nao sei onde e que achas que coisas destas pegam, a julgar pelos teus argumentos e nivel argumentativo, tu nem uma garrafa de agua conseguias vender no deserto.

    Nao seria melhor focares-te em entreter as sopeiras da Bobadela e deixares esta mxrda dos blogues? Nao chega de humilhacoes? Mais dia menos dia de tao deprimido nem com Viagra te safas.

  108. Tu ja devias saber que tens problemas cognitivos, nao devias ser tao apressado.

    Leste por acaso mais do que o headline da noticia, presta atencao a isto

    ” pediu a impugnação do arquivamento da classificação da coleção, segundo as ações interpostas”

    “Assim, nenhuma das decisões judiciais proferidas transitou em julgado, nem existe decisão de fundo sobre as questões jurídicas que se suscitam”, acrescenta a mesma fonte.”

    Nem tal vai acontecer, o burranga. Se o processo de classificacao e arquivado, nao ha base juridica para levar ninguem a tribunal.

    Ja os 1.9 milhoes de custos sao irreversiveis e continuam a crescer. Nos paises decentes e normais, e costume os requerentes e peticionarios terem de pagar custas judiciais de processos improcedentes. Vamos ver.

  109. “… tu nem uma garrafa de agua conseguias vender no deserto.”

    claro, nem sequer tentava, tirando camelos como tu não tinha clientes. mas tu eras capaz de montar um negócio desses a miélas com o passarólas em regime tecnoforma subsidiado por fundos europeus.

  110. Olha que business e com o 44, ele era viagens pra venezuela, telefonemas para angola, telefonemas para o INEM, portfolios de real estate de meter inveja ao Chavez, etc

    Ele ate sangue vendia cxralho, SANGUE pa!

  111. viagens pra venezuela,

    “Desde 2007, as exportações portuguesas para a Venezuela – que vai a votos em eleições presidenciais a 07 de outubro – aumentaram 10 vezes e só no primeiro semestre deste ano foram mais do dobro do período homólogo, passando de 58 milhões de euros para 156 milhões de euros, revelam números da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).”
    http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=2806390&seccao=EUA%20e%20Am%E9ricas&page=-1

    telefonemas para angola,
    para ajudar a desbloquear um problema, coisa que o actual governo português não faz, porque quando liga para angola é para arranjar mais problemas. em caso de dúvida liga ao machete.
    http://www.publico.pt/sociedade/noticia/socrates-acusa-mp-de-violar-segredo-de-justica-para-condenar-na-opiniao-publica-1684941

    telefonemas para o INEM
    isso és tu a confundir os abusos de poder do presidente do inem a requisitar helicoptero para a amiga
    http://www.google.pt/search?client=safari&rls=en&q=presidente+inem+helicopteros&ie=UTF-8&oe=UTF-8&gfe_rd=cr&ei=-JAuVdqUE_Gr8wecpoCwAQ

  112. Ó IGNORANTEZES, andas a pousar em carecas, pá, e as ideias fogem-te. Então, chamas camelo ao BÁSICO, hum? Sabes tu ó sabedor wikipédico, sabes tu, que os camelos, valem muito….? hum?

    É evidente que na travessia do deserto, tu eras logo apanhado por um abutre e lançado no meio de outros da tua espécie, ou tu pensas que aquelas aves raras não sabem o que é bom para a digestão? E tu não és propriamente um pitéu, right?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.