De facto, o carácter de Sócrates tem muito que se lhe diga

Ângelo Correia, numa declaração que ainda não foi desmentida por ninguém, afiança que isto aconteceu:

No segundo mandato, José Sócrates terá oferecido a Pedro Passos Coelho o lugar de vice-primeiro-ministro com a garantia de que não se recandidataria às eleições seguintes, mas o actual chefe de Governo declinou o convite.

Sócrates abdicava de concorrer a eleições só para garantir uma solução governativa que melhor defendesse o interesse nacional. Passos preferiu trair o interesse nacional provocando o resgate só para forçar eleições.

30 thoughts on “De facto, o carácter de Sócrates tem muito que se lhe diga”

  1. acho que o socras tirou um curso de tortura política da science po, basta-lhe enunciar um tema para os culpados anteciparem a confissão. esta entrevista é esclarecedora das reacções recentes e do suposto mau feitio do ex-1º quando a(s) entrevistadeira(s) armam em espertas e cagam nas respostas que não lhes interessam ou resolvem destacar as informalidades do conteúdo da entrevista.
    http://www.rtp.pt/antena1/?t=Entrevista-a-Jose-Socrates.rtp&article=7012&visual=11&tm=16&headline=13&source=mail

  2. Foi um Passos empalhado presidente do PSD a dizer não ao convite de Sócrates. Todos sabemos que foi manipulado como se fosse um boneco de feira. Sabia l’a ele o que é o interesse nacional e o que estava a trair. A nossa infelicidade chega a este ponto!

  3. é uma perspectiva. a outra é precisamente a falta de carácter de Passos Coelho lambuzado na ambição de ser primeiro ministro derrubando, para isso, por vias indignas, quem estava a gerir o país.

  4. na entrevista de jose ao expresso,clara ferreira alves,podia muito bem não ter escrito o comentario sobre o “bandalho” do santana lopes.mas pelos vistos ela achou que isso era fundamental e justo e como tal foi em frente,para desgosto das “virgens ofendidas” como a “senhora reacionaria” da renascença que alinha no barometro semanal. lopo xavier gostava que socrates em vez de escrever sobre a tortura, (isso é só para os outros) falasse sobre nosso senhor,que pelos vistos está em todo lado mas só protege os filhos da puta. voltando a socrates e ao bandalho.eu chegava à beira de um amigo e dizia-lhe: “sabes o dr santana lopes insinuou que eu era paneleiro” ponto final.pergunto faz sentido esta frase? digam lá qual a que tem mais logica perante tamanha calunia: o “filho da puta” do santana…. ou a: sabes o bandalho do santana….se uma delas não levasse a “cereja em cima do bolo” o amigo perante tanta calma do ofendido até pensava que santana tinha razaõ.socrates foi muito educado,porque se o caso fosse passado com 90 % dos portugueses a mãe de santana tinha entrado na conversa sem culpa nehuma disse.

  5. Não sei se é verdade, mas se fôr apenas confirma que a tua lenga-lenga de “o Socrates não governou nada à direita, nem fez nada que se aproximasse das politicas preconizadas pelo PSD” é um disparate pegado, tal como a vossa postura actual de “o PSD é o diabo, nos vamos fazer outra coisa completamente diferente nem nunca pactuaremos com a direita ranhosa” não passa de uma cantiga.

    Ja sei o que me vais dizer : “mas ele não queria, foi obrigado a isso pelas circunstâncias”.

    Tretas ! Socrates pode até ser boa pessoa, mas governou objectivamente no sentido de se tornar refém da direita e acabou por ser comido. Eu sei que vocês acham o maximo esta façanha, que vos permite tomar hoje a pose de apostolos da nova Paixão, dita “crucifixão no PEC IV”, mas a verdade, bastante mais simples : em vez de procurar apoios nas forças que se identificam com os fundamentais do PS, e da social democracia, o PS de Socrates cedeu terreno porque, no fundo, não acredita minimamente nos valores de que se reclama.

    Como explicas que as circunstâncias impeçam SEMPRE transigências com os valores da esquerda e NUNCA cedências aos nossos mediocres liberais de trazer por casa ?!? E ja agora, na altura, onde é que andavam os vossos teoricos da austeridade contraproducente, e os do respeito do principio da confiança legitima nos eleitores ?

    Ai não, espera ai, não é nada disso !

    Afinal foi a crise de 2008. Foi isso mesmo, agora mesmo lembrei-me. Foi a crise de 2008. Era preciso um paladino para agrarrar a besta pelos cornos e o Socrates sacrificou-se. Foi isso mesmo que se passou.

    Hosana

  6. “a verdade é bastante mais simples”

    “confiança legitima dos eleitores”

    Enfim, vocês perceberam e sabem que eu so teclo com uma mão, para poder segurar no garrafão com a outra.

    Boas

  7. é mesmo isso, joão viegas, aqui é um local de culto manhoso a que assistem e participam galinhas hipnotizadas, quais pessoas, e tu és o abr’olho. antes, quando ainda era tudo mais implícito e só os audazes liam e descodificavam para contar, havia sempre o argumento da esquizofrenia intelectual. agora, que os factos são cada vez mais ao léu, há o argumento do não argumento pela argumentação.

    ou então tiveste apenas uma noite péssima.

  8. “… em vez de procurar apoios nas forças que se identificam com os fundamentais do PS, e da social democracia…”

    … e que forças são essas, amigo?

  9. Ola,

    @ sérgio godinho : os eleitores de esquerda

    @ olinda : ok, ponhamos então de parte as caricaturas. O que a noticia evidencia são duas coisas

    1) Quando se trata do “interesse nacional”, o PS vai a correr para a direita em nome de um “realismo” que é precisamente aquele de que se reivindica hoje o PSD, e que vejo criticado dia sim, dia sim, neste blogue (com uma coerência admiravel…). Por principio, a esquerda do PS não existe, ou é irrealista, ou é intransigente. Abstraindo da questão téologica dos méritos desta posição, não havera aqui, obviamente, um erro politico ?

    2) A total incapacidade do Valupi de olhar para o episodio relatado com olhos de ver, é simplesmente impressionante. Na historia contada no texto, nenhum dos dois fez sacrificio algum, muito menos em nome da “defesa do interesse nacional” com que o Valupi enche a boca. Ambos “sacrificaram” um hipotético futuro politico, em troca de garantirem o presente (reparem que eu não disse o “poleiro”, deixo este tipo de argumentos baixos para os meus adversarios). Isto em nome de acharem, um como o outro, que o “interesse nacional” consistia principalmente em… serem eles a chefiar o governo. Ora, foda-se !(*) Portanto a pequena cena de opereta desvendada pelo Angelo Correia apenas poderia servir para mostrar que um é o retrato chapado do outro. Mas o Valupi não vê isso.

    No meu proximo comentario, vou procurar escrever 7 vezes a palavra Valupi no mesmo paragrafo.

    Boas

    (*) = Esta frase é totalmente desnecessaria.

  10. joão viegas:

    1. não. quando muito há um erro apolítico – o de omissão, pelo Passos Coelho, pelo bem comum;

    2. o Valupi enfatizou, e muito bem, o outro lado que anda a ser camuflado – ao que eu ironizei por me parecer que nestes tempos, lamentavelmente, é o óbvio que temos de defender e apontar.

    no teu próximo comentário deves usar sete vezes a palavra verdade, que é a chave, e meta em si, já que é disso que o texto trata.

  11. “@ sérgio godinho : os eleitores de esquerda”

    nem pões os nomes dos partidos, deve com vergonha de grandes cenas dos clássicos operários, anaclecto e avó jeropinga que poderiam servir para revelar os retratos das esquerdas, dura & design. quando socras, governo minoritário, propõe uma solução para tornar esta merda governável, a direita e aquela coisa a que chamas esquerda dizem que não, uns porque querem ser governo e outros porque não querem ser governo, mas todos querem derrubar o governo socialista. depois ficam indignados quando lhes chapam estas merdas na cara em vez de assumirem as asneiras que fizeram.

  12. Isso prova, acima de tudo, que nessa altura PCoelho já tinha certificação dos “mercados” para ocupar lugares importantes na governação de Portugal.

    E prova que a maioria do PSD preferiu, a pesar de não gostar de PC, tê-lo como PMinistro do que como vice.

    E prova que a campanha de descrédito lançado pelo tio Balsemão e muitos outros, contra JSocras, foi concebida e financiada pelo PSD. A ajuda do CDS também foi preciosa e deu o resultado que estes últimos desejavam.

  13. Ignatz, a parte mais importante da entrevista do Sócrates à Flor Pedroso que indicas é aquela em que ele aponta indirectamente os perigos do excesso de confiança em entrevistadores fracos mas superficialmente simpáticos, durante longas conversas de várias horas, sem desconfiar a priori dos critérios editoriais dos ditos, que podem ir da simples tentação sensacionalista até à bandalheira pura e simples, quando a entrevista não é por escrito, com tinta indelével, sem linhas em branco e com reconhecimento notarial.

    Ou seja, o formato da entrevista-armadilha da Ferreira Alves (há armadilhas de todos os tamanhos e feitios, e não apenas de cariz letal) e o modo como decorreu, foram exactamente aqueles que eu desde logo adivinhei. Tudo bem explicado aqui, aos 37:50:
    http://www.rtp.pt/antena1/?t=Entrevista-a-Jose-Socrates.rtp&article=7012&visual=11&tm=16&headline=13&source=mail

    Ainda não li o livro, mas a entrevista à Flor aponta outras curiosidades, como seja a manifestação de um ponto de vista revisionista (04:00 em diante), referindo concretamente a história mal conhecida (sic) do uso sistemático (e não reconhecido) da tortura pelos aliados ocidentais durante a 2ªGM, o que mostra que o entrevistado está a par de alguns livros recentes muito importantes e de facto ainda muito mal divulgados (procura por «Ian Cobain» e «Thomas Goodrich», por exemplo). Não satisfeito com isso, ainda vai buscar — silêncio e suspense, que se vai cantar o fado — o torturador ISRAEL!

    Por este caminho, depois do Sócrates «namorado do Diogo Infante», do Sócrates «bandido e ladrão dos outlets» e de todos os outros Sócrates, iremos agora ter o Sócrates «nazi antisemita» com os muczniques à perna?

    As atitudes descontraídas e brejeiras perante o tópico da tortura entre nós ou aqui mesmo ao lado — do género das do Lobo vácuo da Quadratura — indicam que livros sobre o tema estão mesmo a fazer falta.

  14. “em vez de procurar apoios nas forças que se identificam com os fundamentais do PS, e da social democracia, o PS de Socrates cedeu terreno porque, no fundo, não acredita minimamente nos valores de que se reclama.”

    Rejeitar o PECIV já foi a saída da crise.

  15. Uma pergunta. Será que alguém leu o texto de 10 páginas, e só ligou aos palavrões. Eu não sou nenhuma virgem púdica, não me interessa nada que chamem bandalho a um bandalho, estupor a um estupor, embora politicamente inconveniente, e outras coisas do género. Já coisas como nomear uma ex-namorada; menosprezar Teixeira dos Santos que depois de fidelidade canina, se portou mal connosco (leia-se comigo); Gabar-se de desprezar os históricos do PS, de quem disse derrotaria a todos, e venceu com enorme orgulho; depois da vitória, claro que os respeita muito; diz que disse para o meu secretário de estado, “vamos incendiar as naus”, ameaçando demitir-se se o PECIV fosse chumbado. Demitiu-se. Era preciso? Talvez não, mas JS achava que ia voltar a ganhar as eleições. Admito que esta conclusão possa ser abusiva. Na altura achei isso e entretanto tinha-me esquecido. Acho que Teixeira dos Santos ficou culpado de ter furado este plano.
    Mais do que os palavrões são outras coisas que definem o caracter de JS. Arrogante, megalómano, mau caracter… Acho um absurdo a fixação em palavrões.. pintelhos como diria o Catroga.

  16. Ficamos a saber que contactos amigáveis com a Ferrreira Alves, o melhor e menos arriscado é por escrito. Amigos, tomem nota.

  17. Portanto, o querido líder convidou o Passos para ser o seu vice-primeiro-ministro, o que revela que o seu projecto de ser “o chefe que a direita sempre quis ter” esteve perto de concretizar-se. Para o querido líder, o Passos era aliado natural de que precisava para defender o “interesse nacional”, e para dar continuidade ao seu plano “reformista” da economia e do Estado. A “tese” para enganar tolinhos de que o BE e o PCP entregaram o poder à direita é desta forma refutada, na medida em que, com ou sem eleições, a direita pura e verdadeira iria sempre pôr as mãos no pote e nos lugares deixados vagos pela direita disfaraçada.

  18. Era só para lembrar que no post em comentário o patrão do nosso primeiro confirma as afirmações do Socras e confirma que o Coelho é um grande mentiroso. Espero que isto não ofenda a esquerda verdadeira que ajudou o mentiroso quando ele precisou. Claro vem daí um, post a argumentar que o socras é de direita mas então porque razão se queixam, está tudo como querem e contribuíram para estar. O resto é paleio de pretensos esquerdistas à la Barroso, que também passou muito tempo e afirmar-se de verdadeira esquerda e a chamar social-fascistas aos pcs.Esquerdas que objetivamente põem escumalha desta no poder ou se arrependem, ou são mesmo estúpidos.

  19. “Esquerdas que objetivamente põem escumalha desta no poder ou se arrependem, ou são mesmo estúpidos.”

    Se as palavras “esquerda”, “concordância” e “construtivo” tivessem a minima hipotese de vir a fazer algum sentido em Portugal, estariamos todos de acordo com esta afirmação, e até poderiamos ter uma discussão frutifera a partir dela.

    Mas isso é num pais imaginario, como é obvio.

    Boas

  20. “a minha opinião”,acha que em direto nas tvs ou radios socrates se referia a santana lopes naqueles termos? claro que que não.clara ferreira alves como deve ter mais odio a santana do que socrates escarrapachou o bandalho na entrevista.recordo que socrates hoje não tem responsabilidades politicas.

  21. “o chefe que a direita sempre quiz ter”,quanto a esta frase,quando se cruzar com socrates,peça-lhe para ele lhe fazer um desenho. quanto ao pedido a passos coelho,lembro que tambem foi feito ao pcp e ao bloco .para distinguir a direita do ps dêsse ao cuidado de ler as votaçoes na feitura da constituiçao e durante estes anos as votaçoes no plenario e verá quem esteve com quem!quantas vezes o pcp votou com a direita com o ps no poder muitas? e as manifs da cgtp com a direita trauliteira ao lado dos defensores da classe trabalhadora? muitas. e dos dos derrubes aos governos do ps.para terminar, para a sua esquerda os portugueses e a europa estão positivamente cagando.na alemanha nem no parlamento têm assento.olhe, os cubanos e coreanos, adoravam ter um socrates um lula um filipe gonzalez um hugo chavez tudo gente que nem jeronimo de sousa conheçe. ganhe mas é juizo enquanto é tempo.

  22. Tens toda a razão, pá! Tenho mesmo de perguntar ao querido líder se ele é o chefe que a direita sempre questionou/”quiz” ter, porque apesar da sua governação “moderna” e “reformista” ter sido elogiada por muitos tipos de direita e da banca, a certa altura estes mesmos tipos decidiram tira-lhe o tapete, e só então começaram a questionar se o querido era mesmo o líder de que eles estavam a precisar. E claro que o querido vai fazer-me um “dezenho”, um desenho muito colorido onde o tipo convida o Passos para primeiro-vice-primeiro-ministro, o Louçã para segundo-vice-primeiro-ministro e o Jerónimo para terceiro-vice-primeiro-ministro, né? E depois foram todos no comboinho ao circo!
    Quem está a precisar de ganhar juízo e de voltar à escolinha primária és tu, pá! Até podes chumbar em Português, mas não vais ter dificuldades em decorar a tabuada, já que tens jeito para papaguear cassetes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.