Dama de Cortiça

Não há melhor epitáfio para a desgraçada passagem de Ferreira Leite pela liderança do PSD do que a hilariante lei da rolha aprovada em Mafra.

Mas se eles nem sequer conseguem respeitar a liberdade dos militantes, que estragos querem ir fazer para o Governo?

51 thoughts on “Dama de Cortiça”

  1. E eu pergunto: se depois desta lei da t(r)ampa, como vão os candidatos debater, discordar ou opôr-se se um dos candidatos for o presidente recandidato?
    Ao abrigo de tal lei, aplicada à letra, qualquer candidato contra o presidente recandidato está obrigado a ficar calado ou dizer bem do seu concorrente. E os delegados em congresso como podem criticar, discordar ou opôr-se à direcão em exercício?
    Talvez nem o Fídel se tenha lembado ainda de uma lei tão “democrática”.

  2. de facto Valupi é mesmo como dizes: epitáfio, para a ferrugenta asfixiante, lei da rolha pela mão do peneiroso flopes, e com a hipocrisia dos outros que diziam ser contra mas os ‘respectivos’ delegados votaram a favor. Enfim: hipocrisia, insídia, mentira, é o subtrato do psd, que para cúmulo chama-se social-democrata, a cereja no topo do bolo da dissimulação, uma agremiação de direita ‘democrata-cristã’, se tanto…

  3. Eu acho isto bonito. Demonstra até, da parte da manela, um grande amor à pátria. Nós já tivemos um Presidente da República que ficou conhecido como o rolhas agora veio a manela oferecer-se para Dama de Cortiça. No país dos sobreiros acho que deviam ser aproveitados para uma campanha internacional.

    (isto é tão estúpido, tão estúpido, e estúpido no sentido de pouco inteligente, que só consigo imaginar o Santana a rebolar-se a rir depois de ter deixado um presente envenenado aos irmãos mais velhos que tanto lhe bateram)

  4. ah, bem visto Tereza, se calhar foi de propósito ao contrário e eu nem me tinha lembrado disso. Mas ficou simbólico em pleno!

  5. É obvio que este congresso se insere na luta inter-municipal sendo uma indisfarçavel tentativa de Mafra conseguir destronar Torres Vedras como a rainha do Carnaval. Apesar dos fatos e costumes serem muito sóbrios (quaresma oblige, não convem alienar os sectores mais cristãos) tambem não deixa de ser verdade que a opção do desfile ter lugar num palco e entrar noite dentro faz render muito mais o peixe e concentra o evento num acto continuo muito mais ao gosto dos novos consumos media a que os cidadãos estão habituados. Note-se no entanto a falta de baldes de pipocas entre a assistência, sinal de que existem aspectos a melhorar na captação de receitas.

    Estiveram presentes todas as tendências destacando-se de entre aquelas que não formalizaram uma candidatura, a presença de F.Seara em representação da Judite de Sousa, do Ricardo Costa em representação de Balsemão e o PPereira fazendo o pleno dos restantes (Fernandes, Crespo, Saraiva, MMGuedes,etc…). Na área dos media o melhor reporter/comentador foi o MRSousa, que ainda teve tempo para discursar logo de inicio aproveitando para colocar aos candidatos as perguntas que lhe facilitariam a posterior análise. Bem topado.
    O evento terminou repondo os verdadeiros valores internos do partido que foram desbaratados externamente por MFLeite. O partido está primeiro, seja no que for.

    Aguarda-se a reacção de Torres Vedras a este poderoso ataque que poderá levar para Mafra uma importante receita e um simbolo da cultura popular democratica.

  6. pois se calhar, não me tinha lembrado do lado perverso, vão ardendo …

    a Primavera vai estar um mar de Oxigénio que não te digo nada, deixá-los andar pela estrada,

    um dia destes vou à praia.

  7. Custa a crer que ninguém neste partido tenha pensado no efeito que a aprovação duma lei destas teria na opinião pública depois de tudo o que se tem dito acerca da liberdade de expressão. Acho extraordinário que os candidatos à liderança, sendo contra, não tenham tirado um bocadinho para o afirmarem antes de tal aberração ter sido aprovada por larga maioria dos congressistas, é revelador. Vêm agora brilhantes opinadores dizer que isto é um pormenor secundário e que tal coisa nunca será posta em prática, que já nem sabiam bem o que estavam a votar, nem sei que diga. O que penso é que nas proximidades de futuras eleições nunca saberemos se a opinião ‘favorável’ em relação ao líder do partido é verdadeira ou resulta desta lei. E creio também que assistiremos a um aumento significativo dos anónimos na internet. Calhando até o Pacheco vai ter de optar por um pseudónimo.

  8. Guida, ontem pensei também que os anónimos na net vão ser como cogumelos…. Mas acho que esta regra está de acordo com o PSD. Eles adoram as fontes não identificadas, as campanhas negras do diz que disse, portanto vão sentir-se em casa….

  9. não esquecer que o filho da outra vive em Londres, the Portuguese diamond apareceu à venda em Londres em 1926, a Inglaterra recuperou o padrão-ouro para o esterlino à conta das reservas de Portugal,

  10. Tens toda a razão, Tereza. Isto é a cara deles. O Santana Lopes pode ter tido a ideia e a Ferreira Leite achar ‘muito bem’, mas nenhum dos dois apontou nenhuma arma a ninguém para que a lei fosse aprovada. E aprovaram-na nas barbas de todos os queridos líderes. Os antigos e os futuros.

  11. Caro Val, mas o que é que se pode esperar de quem defendeu a interrupção da DEMOCRACIA? A hilariante lei da rolha foi o corolário lógico de um sarau de província abrilhantado, entre outros, pelo “Ponto Negro Piquinino” e o Coelho, este último economicamente alimentado a Leite Gordo UHT. Só de os ouvir até me treme a placa, a dentária é bom de ver.
    Aguardemos os comentários do Crespo na sua porqueira, do Pachecão no seu ponto e vírgula,do Monteiro no semanário do number one e de outras alimárias cá da aldeia. Continuo a usufruir do SOL(Astro Rei) na mesa junto à janela.

  12. olha o paladino da produtividade e da competividade gosta de usar o úlimo dia do prazo. Registe-se. Assim como todos os escandalos sexuais do Vaticano. Hades, confio em ti.

  13. A Sra ex-Camarada agora Companheira Zita encontrou a explicação para os 300 e tal votos a favor da proposta do Menino Guerreiro: os militantes, estavam distraídos! Os companheiros estavam num «congresso alegre» e por isso «distraíram-se»!

    Onde é que nós vamos parar!?!?!?

    http://politicaevida.blogspot.com/2010/03/mais-do-mesmo.html

    É preciso ter lata!… quase 400 pessoas distraídas!! Não passou duma alucinação colectiva, com certeza!

    ai mãe…

  14. Val, o PSD já estava morto e o Congresso foi a missa do sétimo dia, tal o estado depressivo/suicida do partido (a lei da rolha, mais do que um tiro no pé, é um autêntico tiro na cabeça).
    Pode ser que apareço alguém capaz de o ressuscitar (como Carvalhal fez no Sporting), mas não vejo ninguém (talvez Rui Rio…) com capacidade pra tal empreitada. Se o partido nasceu em torno de uma ideologia, de valores e princípios, actualmente o partido roda em torno da sede e vontade de poder. As maiorias absolutas de Cavaco Silva criaram milhares de tachos, permitindo muitos boys obterem cargos bem remunerados. Com Guterres e Sócrates, os boys laranjas tiveram que dar lugar aos boys rosas e estão esfomeados para lá voltarem. É esta a razão das lutas internas dos últimos anos, pois sabem que não há lugar para todos e o primeiro a dar uma facada nas costas dos adversários é o primeiro na linha, caso os freeports e os faces ocultas resultem.
    O PSD chegou a este estado por estar longe do poder. Podemos, pois, imaginar o que farão caso lá voltem.
    Quando ainda andava no liceu, tinha uma enorme simpatia pelo PSD, na Faculdade já me tinha inclinado para o PS, pois a social-democracia, com a vitória de Guterres em 95, praticamente desapareceu do partido. Fernando Costa, sábado em Mafra, tocou nas feridas abertas do partido e denunciou os pecados recentes do que foi, em tempos, o maior partido português e que o deixou de ser por culpa própria.
    Este não é o meu PSD e neste conjunto de estilhaços recuso votar. Se Sócrates é mau, então a alternativa é péssima. E entre o mau e o péssimo, sempre prefiro o mau…
    Abraço.

  15. ..…e enquanto se fala na “lei da rolha”, que ao que parece já existia no PSD e existe também no PS, não se fala no PEC e nas medidas gravosas que ele contém, tal como a redução do subsidio de desemprego para, diz o ministro, obrigar os desempregados a procurar trabalho. Mas onde é que há trabalho para procurar?
    Também se poderiam fazer uns post sobre as privatizações que se anunciam e onde se deveria perguntar onde vai o Estado buscar mais dinheiro quando já nada mais tiver para vender.Recordem, já agora, a tradição que o PS tem nas privatizações.
    Nem o PSD se atreveu a tanto.
    Ai se não fossem as “nacionalizações selvagens do gonçalvismo”! Que jeito que elas continuam a dar, para esconder a incompetência de muita gente!
    Também se poderia/deveria falar sobre o corte no rendimento disponível da classe média, devido fim dos benefícios fiscais, possibilidade essa que tanto escandalizou José Sócrates aquando do seu debate com Francisco Louça.
    Ou no congelamento dos salários da Função Pública, como se estes fossem os culpados da crise, crise que primeiro foi negada pelo Governo (lembram-se?) e que agora serve de desculpa para tudo.
    Ou nos prémios fabulosos – apesar da crise – dos gestores das empresas públicas, as tais em que o Estado manda mas pouco, ao que parece.
    Mas aqui eu compreendo. Os boys têm que ser recompensados.

    Entretanto o PS, que não deve ter mais nada que o preocupe, decidiu levar a “lei da rolha” à Assembleia da República! Nem mais!
    Alguém falou em crise económica? Quem? Onde? Crise, qual crise?
    As cabecinhas do partido do governo (?) estão mais preocupadas em fazer chicana política com a Oposição – ainda que de oposição nada tenha – do que com os reais problemas de Portugal.
    Da minha parte ficaria esclarecido, caso ainda tivesse dúvidas acerca das verdadeiras motivações dos nossos políticos.

    Peço se desculpa se estraguei a “festa” a alguém…

  16. é o paradoxo perverso de Espanha, Grécia e Portugal, governados por partidos socialistas quando quem manda são os bancos e as elites financeiras,

    Uma vez li um artigo no i em que Portugal tinha entrado em incumprimento umas poucas de vezes, talvez 7, mas muito menos que a Alemanha e a Espanha.

    Algures no século XVI a península declarou falência e os Fugger foram à vida, como banqueiros, não como linhagem.

  17. “Também se poderiam fazer uns post…”
    “Também se poderia/deveria falar sobre…”

    Pois é, Mário Pinto, a lei da rolha não resolve o problema todo. O passo seguinte devia ser a orientação do pensamento alheio. Parece que o Mário Pinto não concorda com a forma como funciona a blogosfera. E tem razão. Os bloggers são muito teimosos, só falam daquilo que lhes dá na gana, os malvados. O Mário acredita que alguns, apesar da grave situação do País, estão entretidos a falar do lindo dia de Sol que está hoje? Pois. Alguém devia fazer alguma coisa. Também há a hipótese do Mário se juntar a eles, cria um blogue e discute o que muito bem entender. :)

  18. minha senhora, tentei fechar as contas consigo numa boa, mas não dá. O seu ‘acho muito bem’ a propósito da lei da rolha aprovada no seu partido, quando a senhora andou a contar a história da asfixia ao contrário, tiraram-me as hipóteses – a senhora representa tudo o que abomino neste país: a hipocrisia, a dissimulação, a mentira e a traição, coroadas numa aura de quem é muito séria e por issso tem tantas pensões. Portanto velha ferrugenta de um raio, de uma vez por todas e para sempre, onero-te com o anátema do roubo da rivière das rainhas de Portugal.

  19. ah, e sorte sua que o Valupi é um cavalheiro, chama-lhe de cortiça e já me esquecia que era isso que me fez voltar cá. De cortiça uma ova, a cortiça é um material nobre, o ritidoma do suber, grande criqueza nacional. A senhora é ferrugenta mesmo!

  20. Mário Pinto, de todas as dúvidas que poderia ter tido essa baralha-me. É claro que lhe quis dizer alguma coisa, senão não constava “o” seu nome no meu comentário, nem o Mário me respondia.

    Começo a ficar curiosa, no outro dia mandou-me enviar cupões, agora manda-me tentar de novo. Quando converso consigo parece que estou a participar num concurso. Ganha-se alguma coisa de jeito? :)

  21. guida

    …ok, eu clarifico a minha dúvida.
    De tudo o que escrevi e que vale o que vale, a guida sintetiza e manda-me ir cantar para outra freguesia, referindo que eu lá cantaria o que quisesse.
    Agradeço a sugestão, que declino.
    Eu sinto-me aqui muito bem e escrevo aquilo que me apetecer, com a certeza de que não digo mentira alguma e que consigo manter um nível que por aqui se vê pouco ou até muito pouco, por vezes.
    Posto isto, permita que me retire reiterando o prazer que me dá “conversar” consigo.

    (entretanto continuo à espera dos cupões…) :) :)

  22. Mário Pinto, cá vai cupão. Espero que o prémio valha a pena, já sabe como são os socretinos, não nos contentamos com qualquer coisa. :)

    Ó Mário quando é que o mandei ir cantar para outra freguesia? O Mário, vá lá saber-se porquê, não estava com grande vontade de discutir o tema deste post e limitei-me a dar-lhe a minha opinião acerca da forma como sugeriu outros temas. Acha que este não deve ser discutido? Porquê?

    Faz muito bem em escrever o que lhe apetece. Com certeza que não se importa que façamos o mesmo, pois não?
    De resto, sabe que também gosto de conversar (sem aspas) consigo e fico contente por saber que se sente bem por aqui… apesar do nosso baixo nível. :)

  23. guida
    A ingenuidade fica mal, após certa idade, não concorda?
    Eu concordo e por isso sinto que não vale a pena perdermos tempo a discutir a oportunidade do post em questão.
    Depois também poderia escrever que ser “socretina” (palavras suas, não esqueça) é contentar-se com qualquer coisa, mas não vou escrever, juro.
    A guida bem sabe que podem e devem (repare, refiro-me ao seu grupo, já que a guida não fala apenas em seu nome, vá lá saber-se por quê) escrever tudo o que lhes aprouver. A liberdade que vos permite escrever é a mesma que possibilita a minha resposta.
    É um bem imprescindível, a Liberdade.
    Eu sei que gosta de conversar comigo? Com certeza que sei! Tivesse eu outras certezas tão certas quanto esta!?
    Acredite que quando sugeri algum nível menos recomendável não pensava em si e a prova está em que nunca lhe dediquei palavras menos correctas, penso eu.
    Mas a guida sabe do que estou a falar, sabe sim.

    E pronto(s). Mais uma corrida, mais uma viagem.
    Ocupem os seus lugares e apertem os cintos.
    …e não se esqueçam de entregar o cupão à saída, por favor.

  24. Mário Pinto, ingenuidade? Mas de quem? Dos que inventaram a lei da rolha, dos que a aprovaram, dos que dizem que vão acabar com ela no próximo congresso? Ou dos que a discutem?

    Quanto aos socretinos, pois, há para todos os gostos, somos muitos, mas eu não me contento com qualquer coisa. É que o meu socretismo é da pior espécie, por mim era um Governo igual ao anterior, com maioria absoluta e tudo. E quanto mais oiço a oposição de esquerda e de direita, seja nos congressos, em debates, a solo, seja onde e como for, mais socretina me sinto. Nem lhe digo o que me passa pela cabeça quando oiço os candidatos a líder do PSD. Olhe, por exemplo, ouvir o Passos Coelho comparar-se às mulheres bonitas cuja inteligência é desvalorizada… não se fie no meu nível. :)

  25. guida

    Agradeço o aviso quanto ao seu nível e prometo estar atento.
    Como já deve ter reparado, o meu é ajustável ao nível do meu interlocutor. Por norma não costumo abrir as hostilidades mas, e porque não sou de dar a outra face (deixo essa nobre postura para Jesus Cristo), tentarei sempre ripostar.
    E agora que já nos “conhecemos” um pouco mais, avancemos (sem medos…).

    A guida, com o seu socretismo (palavra sua, não olvide) exacerbado (aqui o adjectivo é meu, assumo) faz-me lembrar a malta nova e bem intencionada que durante o PREC participava naquelas já saudosas manifestações de puro fervor político.
    Quase que me imagino a vê-la, de boina na cabeça, com a estrela de cinco pontas, lenço vermelho atado no pescoço, de rosto afogueado e olhar fixo; de braço esquerdo levantado e a gritar “por mil anos!; por mil anos!”, como resposta a alguém que clamava “vivas” a um qualquer líder, fosse ele da China, da URSS ou até da pequena Albânia.
    Acha que estou a ir mal? Se sim, corrija-me, por favor.
    Eu não sou assim. Não sou de me deixar hipnotizar por quem quer que seja.
    Acredita que eu só olho para um espelho fazendo com ele um ângulo de 45º?
    É verdade. Faço-o para minha protecção, já que sou a única pessoa que conseguiria hipnotizar-me.
    Mas eu compreendo a guida.
    Se eu tivesse que escolher entre José Sócrates e Pedro Passos Coelho também balancearia, para no fim escolher…nenhum deles.

    A “lei da rolha” existe em todos os partidos e só a qualidade da cortiça é que os poderá distinguir. Por isso considero mais não é do que um “atirar areia para os olhos” o tempo que se perde a discutir se a rolha é maior neste ou naquele partido.
    Era isso que eu queria dizer e só lamento que a guida não o tenha entendido…

  26. Mário Pinto, convenhamos que está em franca vantagem. Diga-me lá quem é gostava de ver no Governo, para ver se também dou gás à minha imaginação. :)

  27. guida

    Como é?
    Não creio que tenha falta de argumentos, para que me responda apenas isso!?
    Se é por falta de tempo eu espero, com certeza.

    Vá lá…ou será que eu não mereço um esforço da sua parte? :) :) :)

  28. Eu é que estou à espera , Mário Pinto.
    O Mário apoquenta-se muito com determinados vocábulos, eu é mais com a desonestidade intelectual.

  29. guida

    Apoquenta-se com a desonestidade intelectual? Mas eu também me preocupo com ela.
    Só não entendo o que tem ela que ver com a nossa conversa, mas tenho a certeza de q

  30. …que a guida me vai explicar.
    Se tiver tempo, porque se não for o caso, por mim dou-me por satisfeito :):)

  31. Mário Pinto, está satisfeito com o quê? Só se for com o estado, não de hipnose, mas de esquizofrenia em que se encontra o PSD. Até parece que a lei da rolha funciona nos dois sentidos, não se pode criticar nem declarar apoio a nenhum dos candidatos. É pena, todos eles são excelentes alternativas ao grande ditador que nos governa. :)

  32. guida

    Agora entendi, a guida voltou à “lei da rolha”. Muito bem.
    O PSD, tal comos os demais partidos, só me preocupam se não cumprirem a sua missão, enquanto Oposição ao Governo. E para mim, ser opositor não significa que se seja contra tudo. Com certeza que há pontos comuns a todos os partidos.
    A tal “lei da rolha” existe em todos os partidos, de uma forma ou de outra e eu entendo que quem pertence a um partido tem direitos e deveres e por isso a porta deve estar sempre aberta, para entrar e também para sair.
    Mas façamos de contas que essa “lei” do PSD é de facto muito gravosa. A guida concorda com o espalhafato que o PS fez à volta dela, ao ponto de querer debater na Assembleia da República? Concorda sim, já sei.
    Será que, como já referi, Portugal não tem mais nada que o preocupe?
    Bem sei que se fosse ao contrário seria o PSD a fazer a algazarra só que eu quando critico o PS não é para defender o PSD nem o inverso.
    Eu critico como um cidadão comum que sabe que existem muitas leis, umas melhores que outras, sejam ou não de cortiça, “vedem” melhor ou pior.

    Não considero José Sócrates um ditador mas se ele convivesse melhor com as críticas, que são um direito que a Democracia nos faculta, ele teria uma vida muito mais facilitada, disso não duvido e se José Sócrates se sente insultado, que processe os caluniadores. É um direito que lhe assiste, também.
    A crítica maior que faço ao actual PM é ele pertencer a um partido que se diz de Esquerda mas que pratica uma política de Direita.
    Mas há quem goste, não é guida?
    Leia as palavras de João Cravinho e atente nas de Paulo Portas.
    Não vê aqui nada de estranho?

  33. guida,

    voltando um pouco atrás, quero agradecer-te por me representares e falares em meu nome. Estás a fazê-lo exemplarmente e muito mais pacientemente do que eu conseguiria.
    Tens mandato renovado, se ainda continuares com pachorra.

    Obrigada

  34. edie, apanhaste-me… desprevenida.
    Estás a falar de… mas como é que tu…? Não vale a pena, não tenho jeito nenhum para isto.
    Se for o que estou a pensar, não me agradeças, eu é que peço desculpa por me ter metido na conversa. Não acho piada nenhuma àquele tipo de comentários. Foi contigo mas podia ser comigo ou com qualquer outra pessoa, e quando a coisa me ocorreu não resisti.
    Agora, por razões óbvias, não estava nada à espera deste teu comentário. :)

  35. Não me conformo, apanhada logo na primeira curva. Ainda bem que não sou militante do PSD, nem o anonimato me valia. :)

  36. Deixa, guida, às vezes tenho assim uma intuição, por pequenos sinais: já quase acertei na idade do valupi, na da tereza e agora descobri-te o heterónimo botânico…Mas tu ajudaste, que te descoseste logo :))

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.