Costinha

Costa surpreendeu ao não ter surpreendido. O seu discurso de candidatura é fraco por ser vago e superficial. Um conjunto de banalidades donde não salta qualquer ideia que suscite debate, sequer polémica.

Em vez de termos um Costa capaz de chamar os bois pelos nomes, saiu-nos um Costinha politicamente correcto que está a confundir o centro com a mediocridade. Esta, nivela por baixo. Aquele, dá força ao meio.

Sim, Costa é mil e uma vezes preferível a Seguro. Essa parte está mais do que resolvida, até por ser evidente. Mas a liderança continua a ser a expressão da coragem. E para sempre o será. Em 2014, em Portugal, a coragem é um bem mais raro do que a esperança.

40 thoughts on “Costinha”

  1. Porém, Val, Sócrates também fez muitas cedências, no meu entender demasiadas e demasiado graves, como aquelas, por exemplo, de ter desvalorizado a “inventona” cavaquista e ter aceitado governar em minoria quando a Europa metia ‘agua por todo o lado devido à crise. Apesar disso foi talvez o maior lider político que a nossa democracia teve. Ora, Costa já mostrou, à frente da câmara de Lisboa, que é um bom lider. Esperemos que venha a ser muito bom à frente de um governo. Duvido é que lá chegue. Repara, tal como Sócrates, tem meio PS contra ele, além da direita coligada com a esquerda do costume. Brevemente, o PCP vai apontar os canhões. Aguarde. E depois, todo o poder do dinheiro e dos jornalistas e magistrados amansados. Que vai ser de ti, Costa! Costa? Não; já vai em Costinha, Val…

  2. val,não concordo com o poste. costa, não ia ali apresentar um programa de governo, mas dizer entre outras coisas mais ou menos isto: cito de memoria do pouco que ouvi “se pensarmos como a direita acabamos por governar como a direita” acho que isto quer dizer qualquer coisa.já sei que os ideologos do “syriza portugues” e os social fascistas do pcp,acham pouco,mas nós das promessas deles estamos fartos,porque fazem-nas, por que sabem que ninguem as vai cobrar!

  3. maria abril, socrates o que podia fazer mais no caso da inventona das escutas? ia ao focinho do inventor? fazer queixa à policia judiciaria? era uma hipotese,mas o inventor ao fim de um tempo de dificuldades vingava-se e punha-o na rua.quanto ao governo minoritario ele tentou arranjar parceiros,mas o poder queima,e para esse peditorio os ” suspeitos do costume” não dão. o costa cada dia que passa vai ter mais gente.as imagens que vi na tv julgo que não são possiveis de se repetir com seguro.aquilo estava a abarrotar,havia gente ouvir fora do auditorio.

  4. os analistas low cost já se queixam de cóstite aguda. oh pá, enxerga-te… queres um líder para fazer ou um jeropinga para cagar discursos gloriosos de amanhãs com sabor a caldo knorr? dáss… só estão bem onde não e de preferência a dizer mal do que existe elogiando o que não há.
    aestam.https://www.youtube.com/watch?v=mADiz_vn0RQ

  5. oh val, andas há tanto tempo a beber zurrapa que acabaste por gostar de martelados. consulta o enólogo da marmeleira ou vai ao bruxo de fafe.

  6. Maria Abril, consta que Sócrates é humano. A acreditarmos nisso, não espanta que tenha feito cedências, que tenha exibido fraquezas, que tenha cometido erros. Mas do que aqui estamos a tratar é da estratégia de António Costa para a conquista do PS e do País. O que ele mostrou no discurso de lançamento da candidatura é a imagem de um político que não se quer comprometer com nenhuma ideia mobilizadora. E isto tanto pode ser o resultado do seu talento para ganhar eleições como pode ser a expressão da sua natureza mais genuína. O facto é o de que espremido o discurso não fica nada que alimente uma dinâmica de vitória para além da sua própria e estimada pessoa.

  7. Deixem-se de merdas, no PS só Sócrates tem tomates para enfrentar os capatazes da direita.

    Nem sei como haja quem considere que Costa é melhor que Seguro. Dizem ambos a mesma coisa; generalidades. Só entretantos, nada de finalmentes, de coisas concretas.

  8. Pronto(s), o Val não gosta do Costa, temos o caldo entornado! Ora como eu gostei bué do discurso dele (com as generalidades necessárias nesta fase do campeonato) vou-me já ali meter num buraco.

  9. Val,
    A ideia de @nuno cm parece-me correta: nada de expectativas demasiado elevadas (irrealistas) para não acontecer o mesmo que Hollande.
    Mas de uma coisa temos a certeza: o pior governo do PS será sempre melhor do que “isto” que temos agora…

  10. Se vocês tivessem ouvido o Costa nos últimos anos (em especial na quadratura) não ficavam surpreendidos. Nada.

    O Costa é melhor do que Seguro? Infinitamente. Basta respirar.

    O Costa é o lider do PS que precisavamos? Não. Sorry…

    Existe outro melhor no PS? Não estou a ver…

    estamos lixados. é o que é.

    Miguel

  11. Manuel Heredia, desculpa lá, mas o Costa tem obra feita na maior autarquia do país. Governe ele o país como governou a Câmara de Lisboa. Seriedade, rigor, competência. Não precisamos de um “messias”, mas de um homem que saiba governar com o que temos para conseguir o que nos falta.

  12. Val, para já é o que há. Melhor que o empata do Seguro? Definitivamente. Demasiado à defesa para o meu gosto? Também. Mas repara, o tempo não lhe corre de feição. A coligação de direita já pratica nele o tiro ao alvo. A comunada coça-se, sarnenta. Os teóricos do caviar, dizem talvez, mas…
    O epíteto do socratismo ainda causa comichões porque a propaganda foi boa e ainda dá frutos. Colar a etiqueta no Costa é fácil, é barato e dá votos.
    Vamos dar-lhe o benefício da dúvida. Não. Prefiro apoiá-lo e arrepender-me depois, do que virar-lhe as costas e ser enterrado pelo Seguro, até porque dizem que o seguro morreu de velho.

  13. Caros, se dizem que o discurso de apresentação de António Costa é igual ao discurso de seguro não ouviram tudo.

    A defesa da história e ideais do partido já seria diferença suficiente face aos últimos anos. A capacidade de enfrentar o status quo no partido só lhe atribui mais valor e dignidade.

    E dignidade, assim como respeito, podem ser palavras pequenas, mas que fazem toda a diferença face ao comportamento titubeante do partido ao longo dos últimos três anos internamente e na política nacional.

    Val, a única forma que tenho de entender o seu post é como provocatório. Pretende mais de Costa. Todos nós pretendemos, mas um primeiro discurso de unificação do partido com a sua história e ideias, os seus militantes e “simpatizantes” (como agora se diz), não é fraco, pelo contrário afronta as narrativas criadas pela direita, ventiladas pela comunicação social e por algumas esquerdas. Mais grave, permitidas pelo silêncio amedrontado do partido socialista e do seu actual líder.

    Venha António Costa.

  14. Não creio que Val estivesse à espera de um discurso
    com 80 ou 40 medidas! Todavia, nas actuais circuns-
    tâcias, pré-preparação de um Congresso, foi dito o
    mais importante como aqui já foi assinalado por ou-
    tros comentadores e, apesar da falta das tais idéias
    fortes, no meu modesto entender, foi bastante mo-
    bilizador, teve força, deixou o Tozé a falar com o FB!!!

  15. Desta vez não concordo consigo, Val.
    Costa, inteligentemente, dirigiu-se a um eleitorado que ultrapassa as fronteiras partidárias. Definiu linhas de estratégia fundamentais. Ergueu bandeiras das melhores políticas dos governos de Guterres e de Sócrates. Assumiu uma postura de combate. Determinado, mas sem farroncas, que são próprias dos fracos em situação de desespero.
    Além do que vi nos diferentes canais da TV, li toda a mensagem.
    E por isso só posso tirar esta conclusão.

  16. apoiado ò agá, excepto a pequenez da dignidade e respeito. o costa sabe o que diz, tem capacidade para liderar o partido e governar o país, coisa que não acontece com o seguro. há sempre uns parvos que julgam que esta merda é carregar no botão vermelho e coisa implode numa sociedade sem impostos e à medida dos desejos do val e restantes treinadores de bancada.

  17. mudando de agulha.um boa parte dos espanhois defende o fim da monarquia.eu compreendo,mas acho que deviam manter o novo rei,até à renuncia ao cargo.a partir dessa data passa a vigorar a republica.lembro que o rei de espanha tem muito menos poderes do que o nosso palhaço.o que não deixa de ser importante.uma rainha vinda do povo,merece sentir os prazeres do trono.

  18. Tu a interessares-te pelo fundo de um discurso ?!? Deves ter apanhado alguma ma corrente de ar. Estas com suores ? Não sentes tremores ? Estamos cansados de te dizer, cobre-te bem à noite que ainda não é verão !

    Boas

  19. costa, costa, tinha toda a coragem do mundo ontem. assim que se assume como candidato a candidato ao cargo de núncio da troika num órgão que de Governo tem só o nome, costa treme logo e rodeia-se de cautelas. esta gente está agarradinha by their balls e não há margem para coisa nenhuma. bilderberg manda, costa obedece e os valericos comentam fingindo que ainda existe democracia e que o problema é só falta de coragem política. antes fosse só isso. costa, tem contas para pagar, precisa da massaroca que recebe do balsemão, isto não está fácil, há que ser um homem bem considerado na praça pública e para isso é preciso agradar aos media que como bem se sabe pertencem aos mesmos grupos financeiros que investem nos tais “mercados”.

  20. oh enaparvo, o pessoal acredita nessa treta quando o avô jeropinga disser que quer sair do euro e o o partido comunista for a votos com a bandeira da foice + martelo. até lá, andam a imitar o cds e a paulette feirante com um pé de fora e outro dentro. a despropósito, o novo look do aspirina b é um bocado pró insípido. o gerente acordou hoje virado para a asneira.

  21. O discurso de António Costa não foi dirigido aos portugueses em geral, mas ao interior do PS, aos camaradas e amigos, e assim, penso eu, deve ser entendido e percebido.

  22. Nem a declaração de reabilitação firme e directa do recém-passado governo de Sócrates e, implicitamente do próprio, foi coragem indiciadora e suficiente para amolecer a fúria ajaxiana de Val. Tal como Ajax se rebelou e enfureceu porque se achava com direito à espada do herói também Val exige que Costa empunhe a espada de Aquiles e demonstre uma coragem épica.
    Mas fazer tal seria tomar-se de coragem homérica ou platónica?
    Já exprimi aqui a ideia, num comentário, que Costa não é o político bravo das rupturas redentoras mas sim aquele cuja convicção e perseverança faz como a água que tanto mostra o e insiste no caminho até que o abre e faz.
    Na actual situação, cá dentro e na UE, Costa não pode nem deve fazer promessas, e desse modo será mais convincente porque o seu passado político e na CML atesta a sua capacidade e honestidade e fala por si. Para promessas mentirosas já temos que baste em seguro, passos, be e pcp.
    Costa só tem de ser PS social-democrata inflexível na luta pelo bem-estar dos portugueses, pois é nessa faixa ideológica que as pessoas vivem necessariamente por natureza.
    Costa só tem de ser igual a si próprio e ter apoio e tempo para
    pegar, não pelos cornos que não é desses, mas pelo rabo para imobilizar o touro, atordoa-lo e depois amansa-lo e traze-lo pela arreata.
    Com um pouco de sorte Costa pode levar a carta a Garcia, e para se ter sorte é preciso saber e inteligência, o que não lhe falta.

  23. “E isto tanto pode ser o resultado do seu talento para ganhar eleições como pode ser a expressão da sua natureza mais genuína.”
    Não há uma terceira hipótese mais favorável a Costa, como por exemplo que é da sua natureza genuína ser corente com o que diz e faz e que o que diz e faz o levou a ser o maior líder actual do PS?

  24. “Apresentação das linhas estratégicas” chamou se ao evento.

    Deve ter havido algum engano.
    Importam-se de repetir?

  25. Caros amigos e alguns palhaços,

    Tudo o que digam a favor de Costa tem o meu apoio. Só que essa é uma batalha que já está ganha faz tempo. Não são precisos mais argumentos para estabelecer a sua superioridade face a Seguro e a bondade da sua iniciativa.

    Acontece que o governo de Portugal pede mais do que essas dimensões e características. E num País onde há um Presidente da República que organiza inventonas e onde a direita tem uma máquina judicial-jornalística que organiza golpadas e campanhas de ódio e onde se permite prejudicar gravemente milhões de pessoas só para meter as beiçolas no pote, eu espero mais dos meus representantes do que apenas generalidades mesmo que estejam acertadíssimas. Muito mais.

  26. Manojas, não creio que tenha de o justificar. Aliás, o teu sectarismo está-te a diminuir o entendimento. Quem dera ao António Costa que o povo o associasse ao saudoso Costinha.

  27. Essa do sectarismo fez-me rir. Não sou militante de nenhum partido, mas voto sempre, à esquerda, e não obrigatoriamente no mesmo partido, e nunca idolatrei ninguém, mas desagrada-me que, injustamente, se alcunhe alguém com tanta displicência.

  28. Manojas, mas qual displicência? Qual é a parte em “Costinha” que te parece displicente? E, já agora, tens noção de quão ridícula é a tua reacção? Achas que não tenho o direito a discordar do que o António Costa diga ou faça?

  29. Val, o meu reparo, pertinente, e por isso incomoda, não foi à discordância relativa ao discurso de António Costa, à qual já me referi, mas ao título dado. Eu sei quem foi o Costinha actor, vi-o muitas vezes representar, mas chamá-lo agora à baila, com a intenção que o faz, nem sequer tem muita graça.

  30. prontes, o costa não serve e o discurso é frouxo. tens alguém a propor? pensa nisso, ainda faltam 4 meses para as primárias e se calhar nem é necessário ser militante socialista para apresentar candidatura.

  31. Este momento seria caricato se não fosse trágico para o futuro do país: temos um senhor Seguro que se segura como pode ao seu posto de trabalho, com os seus seguidores deslumbrados com as manobrazinha propostas.
    Não veem, porque não querem , que há uma única possibilidade de derrotar claramente o senhor Passos, que é ter o António Costa como líder do PS.Puseram-no como Presidente na Câmara de Lisboa, o que contribuiu para trazer ao PS uma das maiores vitórias nas autárquicas de 2013 e acusam-no de traiçao por querer ter o lugar, que todas as sondagens mostram que os Portugueses querem que ele tenha.
    o habilidozinho apresentou a brilhantezinha sugestão das diretas: agora, antes não eram boas.É de genizinho, espera-se até setembro, o sujeitinho já explicou que é por democracia e até lá pode esperar que o seu amiguinho do outro lado , o senhor Passos, faça este governo cair. Mas , se tal não acontecer: «Habituem-se» porque surge certamente outra ideiazinha.
    Até quando é que os militantes e simpatizantes do PS se vão deixar engronhar pelas ideiazinhas desta direçãozinha. Tivemos e continuamos a ter o pior Governo desde o 25 de abril,a coligação prepara 2015, e o PS espera até 28 de setembro por mais alguma manobrazinha?
    Espero bem que não. Contudo , receio que sim.

  32. Manojas, o teu comentário é pertinente para ti. O que me incomoda é o absurdo que ele configura, como se “Costinha” fosse alguma ofensa quando não passa de um diminutivo que, por acaso, até se associa a uma das figuras mais queridas da memória lisboeta e portuguesa.
    __

    ignatz, larga o vinho.

  33. A última vez que o vi, ao actor Costinha, foi em Campo de Ourique, na Rua Ferreira Borges, acompanhado pela mulher, a Luisa Durão, a esbracejar, algo rídiculo, contra uns miúdos que se teriam metido com eles. Quem é que se lembra dele, além de si e de mim e de mais uns poucos? Deixemo-lo em paz que ele nada tem haver com este nosso diálogo que, penso, já deu o que tinha a dar. E façamos votos, sem sectarismos, que o António Costa consiga àquilo a que se propôs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.