Costa e a verdadeira tralha socrática

Os episódios de Álvaro Beleza e de Isaura Martinho, se outros méritos não tivessem, serão de inclusão obrigatória num futuro estudo da estratégia da direita para chegar ao poder em 2011. Tendo consistido apenas numa campanha de ódio começada em 2008, a que se acrescentou o arsenal clássico do logro eleitoralista para obter os efeitos desejados, reuniu um albergue espanhol de bestas raivosas felizes da vida por terem um osso enorme para roer. Mas que pensava a esquerda pura e verdadeira, a qual alinhou febril com os direitolas, que iria acontecer depois de conseguirem derrubar o homem? Não pensava, é a resposta. E cá estamos no pós-socratismo.

Ao recuperar essa estratégia, Seguro não acrescenta uma caloria ao que conhecemos de Sócrates ou ao que deva ser avaliado. Fica é à prova de estúpidos a evidência de que o único propósito da exploração do fantasma socrático, antes como agora, na direita como na esquerda, consiste na pulsão caluniosa. Assim, Costa aparece como alvo porque alguns dos que o apoiam já apoiaram Sócrates. Não é preciso dizer mais nada. Aliás, é preciso é que nada mais seja dito, não vão os broncos que consomem essa ração começar a fazer contas de cabeça.

Costa seria então o socrático que não só nunca atacou Relvas no auge das polémicas em que esteve envolvido como até o elogiou. Costa seria então o socrático que decidiu ajudar o Correio da Manhã a vender mais do seu belo produto e que aceitou meter ao bolso o dinheiro obtido dessa bela maneira. Costa seria então o socrático que gosta de ver Campos e Cunha ao seu lado na apresentação da candidatura a secretário-geral do PS. Mas que socrático tão sui generis este Costa. Que se seguirá? Costa a convidar a Helena Matos para um jantarinho público? Costa a contratar a Moura Guedes para directora de campanha? Costa a tirar uma selfie com o Crespo?

22 thoughts on “Costa e a verdadeira tralha socrática”

  1. Post muito elucidativo. Sugere, parece-me, que em Costa não temos homem. Por isso aceitou umas “primárias” que ninguém, à esquerda ou à direita, sabe o que é nem como se faz. Por isso “encaixou” uma estrondosa derrota na Comissão Política Nacional sem tugir nem mugir, depois de ver rejeitadas as suas propostas de exigências mínimas para um processo eleitoral com alguma transparência. Cedeu e vai continuar a ceder. Tanto ele como Jorge Coelho encararam “na desprotiva” a provocação dos cartazes da propaganda de Seguro, provocação imediatamente branqueada pelo Coelho, ao considerá-la um simples equívoco.
    Ainda alguém espera algo do Costa? Eu não, a não ser a sua nova desistência. Ainda cheguei a pensar que ele ia dar o “murro na mesa”. Pelos visto, não é homem para isso. Também não sei se ia adiantar alguma coisa, neste tempo em que a finança manda e desmanda nos políticos. Aqui e por essa Europa.

  2. Todos sabem quem é o homem do PS capaz de dar o murro na mesa.Todos sabem quem foi o melhor primeiro-ministro da República. Uns odeiam-no,outros temem-no,ainda outros esperam a sua volta,mas todos sabem que,agora,não há quem se lhe compare no PS em rasgo,audácia e resiliência. A tal ponto que todos sabem de quem falo, sem uma só vez ter referido o seu nome!

  3. Neste post é que faz todo o sentido afirmar:

     … quem pelo conflito e soberba se relaciona e se afirma, no seu autismo arrogante e Salazarento, pelo falhanço, odioso e humilhação geral vai acabar.

    Lei Universal … e invariável.

    Amen.

  4. A tal ponto que todos sabem de quem falo, sem uma só vez ter referido o seu nome!

    Não voltes Pinoquio … não estás perdoado. FDP

  5. Ui Gustavo…

    Escreves tão bem… Pede umas vírgulas emprestadas ao Duarte Marques…

  6. Gustavo, escreve aí uma prova, uma só, que faça Sócrates merecer a alcunha de pinóquio. Já agora: sabes que a alcunha vem do processo inventado do Freeport?

  7. Peço paciencia ao administrador pela repetição de parte do texto de um comentário de um póst abaixo, , mas aqui é que faz todo o sentido.

    Sócrates é passado e por essas e outras razões e incompetências falhou redondamente e perdeu. FINITO ..
    Foi ele é o seu governo que mandaram vir a Troïka !!!! Ou não ??? É que deixaram o país chegar à miséria conhecida !!!! Ou não ???? Apesar dos supostos grandes feitos e inovações planetárias surpreendentes, no final perdeu o jogo . !!!!! Com ajuda da direita ou da esquerda ou da mulher da limpeza … FALHOU CLAMOROSAMENTE, PERDEU, FALIU O PAÍS E FOI CORRIDO..
    SIMPLES, JUSTO E HIGIÉNICO
    DEMOCRACIA A FUNCIONAR, APENAS.

    HABITUEM-SE …

  8. gustavo abreu ,não foi ele que mandou vir a troika.vai ao youtube e revê a reaçao de angela merkel,ao chumbo do pec 4 pela direita pcp e bloco.podia vir mais pecs (austeridade) mas não eramos resgatados.resumindo: pinoquios são todos aqueles filhos da puta que faltam à verdade!

  9. não acho correto atacar um comentario pelos erros de ortografia.se é assim e levado ao rigor,quantos poderão andar na blogosfera? é só para gajos catedraticos? já vi muita boa gente, dar pontapes na dita.podem não gostar do que escrevo e como escrevo,mas com virgulas fora do sitio ou tempos de verbos mal colocados,acho que quem me lê percebe.

  10. mario,o otimo é inimigo do bom.se não gostas do costa vota no seguro!costa já foi ministro sem criticas.ganha a camara de lisboa por maioria absoluta.tem um estilo que leva as pessoas acreditar nele.pergunto: o que queres mais? diz o que lhe falta,pois ele pode ler-te e corrigir as suas lacunas.todos estamos sujeito a criticas e o a.costa tambem está. mas não chega dizer que não gosto dele,é preciso justificar. olha ,eu gostava que ele fosse do sporting,mas nada posso fazer!

  11. O grande problema da “tralha” resume-se ao medo
    que, a direita tem com um possível regresso do tão
    invocado “Malévolo” a começar no Pilatos de Belém
    e acabar no Tozé Inseguro … porque todos eles não
    valem um “mindinho” de José Sócrates! Prontos!!!

  12. ó Abreu, tanto ódio só pode significar amor. Anda-lá admite… sentes-te atraído pelo Sócras.

  13. Parafraseando um vosso ilustre “padrinho” : este não é o site oficial das viúvas , órfãos e adolescentes aguadas pelo “animal” feroz ? E tu és o quê? Noiva de São SÓCRAS? À espera da noite de S. Joao para a boða grupal?

  14. Gustavo Abreu, não sei o queres dizer com este ser o “site das viúvas do Socras”. Mas por mais que esperneies, vais ter de curvar-te perante um homem, um PM de Portugal, que levou de vencida toda a direita, toda a esquerda radical e meio-PS, sendo derrotado, apenas e só, pela maior crise financeira dos últimos oitenta anos. Tu e o bando imenso de abutres que ainda se atiram, sem cessar, à figura do “Sócras”, de que têm medo? Vocês são a multidão dos ressabiados que engoliram em seco três anos de governação como Portugal não conhecera desde a instauração da democracia. Depois a veio a crise financeira e o artificio das crises soberanas. Foi a vossa hora, a hora dos bandalhos recalcados. A raiva não vos deixa ler o números e ver a obra? Talvez seja pior do que isso.

  15. Não alimentem o troll.
    Tá-se mesmo a vêr que o Abreu é um dos donos de farmacias que ficou a arder com a chulice que julgava eterna.
    É a vida , temos pena. Mas entende-se porque tanto ódio. Agora tem mesmo de trabalhar e fazer pela vida para comer. Habitue-se !

  16. Se e quando for possível (porque parece que a TVI-24 se está a cortar na colocação online dos seus melhores programas de comentário político) não deixem de chamar a atenção para o último «Prova dos Nove» em que Pedro Silva Pereira cilindra as alegações de Paulo Rangel sobre as culpas socráticas da crise que nos caiu em cima.

    Isto digo eu que desde logo percebi que os erros e/ou disparates de Sócrates, onde existiram, não foram diferentes dos então perfilhados e entusiasticamente defendidos pela totalidade da classe política e económico-financeira portuguesa [sim, é verdade, alguns de nós vemos mais cedo e mais longe…

    :)

  17. Já agora: não me peçam exemplos, para eu não ter de ir buscar mais 500 quilos de estatísticas. Ainda recentemente o nosso salomão televisivo que dá pelo nome de Medina Carreira espumava de ira perante a diferença abismal do custo da energia em Portugal e em França, e daí partia para, mais uma vez, desancar os políticos «que não sabem colocar o “que” na frase» [*] nem ousam mandar prender os corruptos todos, mas não proferia uma única palavrinha sobre a gigantesca diferença de fundo que faz a opção nuclear francesa da opção pelos tradicionais — e de longa data! — moinhos de vento lusitanos, que tantos encômios (e tresloucados custos) nos têm merecido…
    ======================
    [*] Ainda estou para perceber que regra de «colocação do “que”» é essa, mas infelizmente nunca explica.

  18. Essas dos PEC’s é a descupa esfarrapada que ainda hoje alguém tem a lata de vociferar. Já íamos no PEC4…depois era o PEC5, o PEC6…o PEC16, etc. Estes PEC’s não eram austeridade (às postas)…eram só felicidade.
    Não queiram estes idiotas que tal ideia defendem, fazerem-nos todos parvos. O sapatilhas da Covilhã (Sócrates), sem experiência e sacrifício de vida era um vaidozito que quis safar-se na política, já que no resto ele sabia que era um frustrado e um indigente da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.