93 thoughts on “Contra a pulhice, a bufaria e o vale tudo”

  1. Já li. Os cães raivosos querem atacar, mas: “os cães ladram e a caravana passa…”. Não conheço o João Galamba de sítio nenhum, a não ser do que escreve (e bem) nos blogues que leio, mas aqui vai a minha solidariedade. Que não vacile. Ainda há pouco li, num excelente post de Eduardo Pitta que, apesar de perseguido (mais um, não admira, é deputado do PS…) que está a fazer um doutoramento, o que só vem atestar da sua persistência e deverá responder taco-a-taco aos trauliteiros “jornaleiros” (sem ofensa para os verdadeiros profissionais).

  2. A pide morreu(?), mas a bufaria continua entre nós.È uma maldita vinculação genética que atinge muitos portugueses.Não conseguem resistir á tentação de denunciar os outros, com verdades,meias verdades ou mentiras.Apesar de ser genética,a tendencia não tem desculpa e como o seu sinónimo gramatical (bufa) cheira mal e aponta para uma grande baixesa de carácter.

  3. A inveja é o sentimento mais destrutivo que pode haver. Das palavras deste CArlos Bufo Santos transparece inveja e despeito de forma quase pronográfica. Não defende nada, ataca pessoas…com muita insitência nos cargos conseguidos. É transparente.

    Disse Zuenir Ventura no seu livro sobre a inveja, ” Ciúme é não querer perder o que se tem; Cobiça é querer o que o outro tem; Inveja é não querer que o outro tenha”.

    O que é um bufo? Um invejoso.

  4. “Carlos Santos é uma decorrência e um sub-produto do fim da ditadura, porque só existindo verdadeira liberdade (e muita inconsequência) alguém assim pode perdurar. Assim encerro este assunto.”

    Isto é lindo.

  5. É triste que haja quem pactue com um comportamento destes. Prova que de facto vale mesmo tudo para denegrir o Governo. Mas também prova que se estão a acabar as armas de arremesso, só assim se percebe que isto, que para além de ser uma nojeira, é uma treta, chegue aos jornais. Já estão por tudo.

  6. Pinto Monteiro, PGR, hoje à Visão:

    «Não encontrei, nem nenhum dos magistrados que comigo colaboraram encontraram indícios que apontem para o cometimento do crime de atentado ao Estado de Direito, que não foi certamente previsto para casos como este.»

    «Para se poder falar desse crime [atentado ao Estado de Direito], é necessário que existam factos adequados a pôr em causa o Estado de Direito, apontando para a sua destruição, alteração ou subversão. E esses factos não existem.»

    «(…) a divulgação total e completa das escutas (e não partes ou arranjos), se fosse permitida – que não é – mostraria que não existem indícios de crime contra o Estado de Direito.»

    «(…) o chamado caso das escutas, no processo Face Oculta, é neste momento meramente político. Pretende-se conseguir determinados fins políticos utilizando para tal processos judiciários e as instituições competentes.»

    Contra a pulhice, a bufaria e o vale tudo, destaco a SEGUINTE FRASE ASSASSINA:

    «(…) a divulgação total e completa das escutas (e não partes ou arranjos), se fosse permitida – que não é – mostraria que não existem indícios de crime contra o Estado de Direito.»

    Finalmente alguém com elevadas responsabilidades vem trazer alguma ordem a esta triste República de 100 anos.

    O estado de direito democrático só pode agradecer a quem mais não fez que a sua obrigação.

  7. Para quem gosta de ser informado e encornado de uma determinada forma, uma proposta simples: pois que façam um manifesto a exigir ao SOL, a publicação, de uma só vez, na totalidade, do material que tem na sua posse, de preferência sem truncagens e comentários ou interpretações à maneira de MMG.

  8. PG,

    É “estranho” que os ranhosos se estejam todos a cortar perante essa hipótese da publicação na íntegra…

    E também não querem que o Fernando Lima e os jornalistas do complot do Público implicados na inventona das Escutas vão à comissão parlamentar de inquérito.

    Tenho pena, gostava de ver se o lima também levava prendas para os deputados e mostrava a roupa interior com que dorme…

  9. Depois do fiasco de ontem do JMF e do Crespo, aposto que alguns já perderam o apetite para ouvir quem quer que seja naquela Comissão de Ética.

  10. Depois de ouvir, em directo, um sr professor doutor, ex-dirigente máximo do segundo partido do País e Conselheiro de Estado efectivo, a insultar o Primeiro Ministro de Portugal, chamando-lhe mentiroso, já nada me pode admirar vindo da gentalha que rasteja à volta destas «sumidades» como Marcelo Rebelo de Sousa. Revolta-me o estômago ver um companheiro do insultado, no dia seguinte e no mesmo espaço televisivo, desfazer-se em sorrisos perante alguém que deve ter rido às gargalhadas com a prestação do Conselheiro de Estado. No mínimo, António Vitorino consentiu no insulto ao PM. Que gente rasteira se arrasta pelos corredores da política!
    Por tudo isto não posso deixar de manifestar a minha satisfação pela candidatuta a PR de Fernando Nobre. Bem precisa aquela casa de Belém ser arejada, pois desde muito antes de Agosto último que tresanda.

  11. para além da visão, o jornal de notícias é hoje todo ele uma desmontagem desta urdidura judiciário-jornalística que tentou (mais uma vez sem conseguir) afastar o socras do governo. vejam então a pérola: parece que há uma escuta a 25 de junho em que dois escutados conversam sobre o estado de profunda irritação do sócrates por não ter sido informado (apanhando-o desprevenido) da possível compra de 30% da média capital pela pt. ou seja, uma converseta de caracacá manda p’ró galheiro todo esta palhaçada intragável que os média e os partidos da oposição nos têm brindado nestas últimas semanas. ah, é claro que a escuta não saiu no sol nem no correio da manhã (nem sai!) e que em lisboa não lêem o jornal de notícias (só o correio da manhã) e portanto ninguém vai ligar a isto. mas fica a prova provada daquilo que nós já sabíamos: este esquema conspirativo das escutas foi preparado para rebentar em cima das eleições (de modo a não se poder saber a verdade em tempo útil) e como isso não foi possível (porque o pgr&noronha quiseram analisar a coisa como deve ser) então passou-se ao plano B, o limagate: já que não és escutado então és tu que escutas. ou seja, não foi uma conspiração para uma conspiração ao quadrado (isto das filhas-da-putice não obedecem à soma mas à multiplicação). veremos a tv à noite e os jornais da manhã.

  12. Mário,

    Não deixas de ter razão, quer no comentário quer na escolha do voto no Fernando Nobre. Agora vê isto, o Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa disse o que disse do PM de Portugal e, depois, sai-se com esta:

    “Não penso que qualquer estratégia eleitoral seja mais importante que tirar o país da crise. Não faz sentido uma crise do governo neste momento pela urgência do pacto”, (afirmou em Madrid, onde participou, com António Vitorino, num almoço da Câmara Hispano-Portuguesa)

    É caso para dizer: “está ali um cú onde jamais se sentou um homem”!

    Triste República centenária que produz altas patentes destas.

  13. Pois é, zangam-se as comadres e descobrem-se as verdades. Mas há quem insista em querer esconder o óbvio e quem continue a defender o socretino-mor Pinto de Sousa. È o caso do Valupi-comedor-de-parvos, que quem sabe se não estará daqui a dois meses a dizer o contrário do que diz agora? Porquê? Porque a memória é curta, mas na internet nada se perde e pelos vistos tudo se transforma.
    Ora vejam lá os comidos-por-parvos o que é que o dito escreveu há dois meses acerca do agora bufo e pulha: «Abraços para o Carlos Santos, que devia ganhar o Prémio Revelação – Blogosfera 2009. As suas competências analíticas e expositivas, tanto no campo da economia como da política, aliadas à extraordinária capacidade produtiva, fizeram dele um sucesso instantâneo na primeira metade do ano. Depois, foi a consagração, tornando-se uma nemesis para a direita que aceitou debater com ele. Acresce ainda ser uma das mais simpáticas figuras no meio, sempre à procura de pontes de diálogo e cooperação entre adversários, e distribuindo esmerada educação e classe por onde passa.».

    E então? O comedor-de-parvos perdeu a memória ou enganou-se? Não está com vontade de debater com uma figura tão simpática, dialogante, educada e politicamente competente? Até seria interessante esse debate entre um «bufo» e o Val-tudo (bem escolhido o título do post).
    Larga o vinho, pá!

  14. DS,

    Porque o amigo está em negação e, até ver, ninguém me tira que é um anão cabeçudo cheio de mazelas, cá vai algo para se entreter:

    PGR alega que tentar controlar imprensa e TVI não é crime
    Pinto Monteiro não encontrou provas de plano de Sócrates para interferir na comunicação social
    01h19m
    ANTÓNIO SOARES E NUNO MIGUEL MAIA
    Tentar alterar a linha editorial de órgãos de comunicação para não serem hostis ao Governo não é crime de atentado ao Estado de Direito. Este é o principal argumento usado pelo procurador-geral da República nos despachos que arquivaram o caso que envolve José Sócrates.

    De acordo com informações recolhidas pelo JN, Pinto Monteiro, após analisar as escutas telefónicas efectuadas no caso “Face Oculta”, chegou à conclusão de que pressões e interferências visando imprensa e restantes órgãos de comunicação social favoráveis ao primeiro-ministro não são, por si só, comportamentos puníveis no plano criminal. E deixou tudo escrito nos despachos de arquivamento, cujo conteúdo era, até ao momento, desconhecido.

    Em concreto, enquanto o procurador do Ministério Público, João Marques Vidal, e o juiz de instrução criminal de Aveiro, António Costa Gomes, argumentam pela existência de um plano em que estava directamente envolvido o Governo para interferência no sector da comunicação social, com o objectivo de afastar jornalistas incómodos, Pinto Monteiro considerou, nas suas decisões, que o problema está em saber se a actuação dos envolvidos ultrapassa os limites aceites no relacionamento empresarial e da luta político-partidária.

    Neste contexto, contrariando a visão dos magistrados de Aveiro, o PGR entendeu que, nas escutas – 146 intercepções aos telemóveis de Armando Vara, então vice-presidente do Millennium-bcp, e Paulo Penedos, advogado e consultor jurídico da PT, que tinham como principal interlocutor Rui Pedro Soares, administrador da PT considerado próximo de Sócrates e do Partido Socialista – não existem indícios de tentativa de destruição, alteração ou subversão do Estado de Direito, nomeadamente direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, como prevê aquele crime.

    Aliás, ao que soube o JN, José Sócrates não foi apanhado a falar especificamente no negócio da TVI com Armando Vara.

    Pinto Monteiro sublinha que não lhe cabe analisar eventuais responsabilidades políticas do primeiro-ministro. E perante os indícios até àquela altura recolhidos pelos investigadores do caso “Face Oculta”, o responsável máximo do Ministério Público entendeu que não deveria mandar investigar José Sócrates.

    Aliás, considerou, até, que a gravação e transcrição das 11 primeiras conversas do chefe do Governo, escutadas pela PJ, sofrem de nulidade, por não terem sido validadas pelo presidente do Supremo Tribunal de Justiça.

    Rejeita conspiração

    Para sustentar a decisão de arquivar as escutas e indícios remetidos pelos magistrados de Aveiro, Pinto Monteiro fez notar que foi Rui Pedro Soares quem informou Armando Vara dos pormenores do negócio de compra da TVI pela PT. Nomeadamente, dúvidas sobre financiamento, o controlo do poder da informação, a situação da jornalista Manuela Moura Guedes e do director-geral da estação, José Eduardo Moniz.

    O PGR conclui, inclusive, que a alusão à preocupação em saber-se da existência de um “esquema” – expressão usada por Vara, enfatizada pelos magistrados de Aveiro e já tornadas públicas – pretendia abranger unicamente o negócio da PT com os espanhóis da Prisa, donos da TVI. Rejeita, até, uma dimensão conspirativa em relação a interferências noutros órgãos de comunicação, como o “Público”.

    Monteiro apoia-se, ainda, em referências sobre um alegado desconhecimento do negócio por parte de Sócrates, em conversa de Rui Pedro e Paulo Penedos, para acentuar não estarem clarificadas as circunstâncias em que o primeiro-ministro teve conhecimento do negócio. Sustenta não haver indícios de que Sócrates tenha proposto, sugerido ou apoiado a compra da TVI pela PT.”

    http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1497808

  15. Guida

    O DS escreveu aquilo porque está bebâdo.

    É, quase sem se dar por isso, a opereta barroca está a desconjuntar-se.

    Mas nada ficará como dantes. Desta vez, para quem viveu o freeport, a opereta de merda foi longe demais. Foi muito longe.

    A pergunta é: o que faz o PGR que não investiga o verdadeiro atentado ao estado de direito, i.é, a tentativa de depor um PM através da mais nojenta das campanhas?

  16. Os traidores são assim mesmo, por isso são assim chamados, hoje, palmadinhas nas costas, amanhã facadas nas mesmas costas… Eu também, 1 ou 2 vezes na vida, fui enganado por quem julgava meu amigo, mas uma só vez, e pelos mesmos nunca mais serei enganado, porque meus amigos deixaram de o ser! A quem é que ds’s e c.ª julgam que enganam?

  17. Mas então, foi ou não verdade que o Valupi escreveu o que DS diz que ele escreveu acerca do Carlos Santos? Há para aí um PG que está certamente sóbrio. O que seria se estivesse “bebâdo”?

  18. Mais uma peça do infotainment luso caminha para o fim.A tristeza nota-se até no olhar contristado dos pivots, já não há chispa, o circo está a acabar e os ultimos palhaços começam a sair de cena, agora só lá mais para Abril…cheap thrills.

  19. j,

    Certamente por estar sóbrio é que compreendo a desilusão de que quem fica desiludido.

    Ora, se o Val ou outro qualquer, já tivesse conhecimento do real valor da “fera” que dá pelo nome de Carlos Santos, o post “Contra a pulhice, a bufaria e o vale tudo” não teria razão de existir, ou não será?

    Agora, não largues o vinho que não é preciso.

  20. Pronto, o PGR declara que não há qualquer crime, e o PG (Procurador Geral do Pinto de Sousa?) entende que já não há mais nada para dizer acerca do Pinto de Sousa, dos seus boys colocados estrategicamente em determinadas empresas, e das relações promíscuas entre o poder político e o poder económico. Talvez fosse melhor o PG do Pinto de Sousa ler Kant para perceber a distinção entre o que é legal e o que é moral (e por arrastamento entre o que é político), porque quem está em estado de negação é, precisamente, quem se esconde atrás das decisões judiciais. Mas como Gondomar e Oeiras mostram, nem seriam quaisquer decisões judiciais a abrir os olhos aos socretinos. Como é costume dizer-se, os povos têm os governos (e os governantes) que merecem: se estes reflectem aqueles, então é normalissimo que um aldrabão seja o governante (e o ídolo) de aldrabões e cabeças ocas (que lá vão sendo enchidas com a propaganda socretina).

  21. PG, De acordo com o que v. diz, é porque não sabia ainda quem o sujeito era que o Valupi disse o que o Ds diz que ele disse. No entanto, os encómios do texto citado ao tal fulano que ele ainda não conhecia bem, explicam à saciedade os frequentes arroubos ao Sócrates. Será que ele o conhece bem? É que é sempre possível vir a dizer que não o conhecia, né?

  22. Caro Jota,

    Primeiro, respiro fundo… Tens razão. Leva lá a taça que esse pensamento tem porras. Irra, não é que o tipo é génio. Agora, jotinha, vai lá brincar com as bandeirinhas laranjas…

  23. O que escrevi do Carlos Santos, incluindo a ironia do “Blogger do Ano” (ironia porque eu não alimento nenhum desses prémios e não passou de uma referência metafórica), voltaria a escrever. Lembro que a transformação do Carlos Santos ocorreu após as eleições, com espectacular ênfase a partir de Dezembro. Por isso ele reuniu tantos apoiantes do PS no Regra do Jogo. Imagino que para eles a mudança da figura tenha sido ainda mais dramática.

    Mas o que o Carlos Santos fez ao longo de 2009 foi notável. Ele passou de completo desconhecido para figura de referência (boa, má ou suspeitosa, não importa) na blogosfera política. Não conheço outro caso similar no que a este aspecto de alcançar popularidade diz respeito. Também é verdade que ele sempre primou pelo bom trato e pela tentativa de estabelecer pontes com os então adversários políticos. Isso é factual, e independente das motivações que tenha tido (as quais continuo a ignorar, pese estes recentes acontecimentos).

  24. K,
    as últimas chispas fraquitas giram agora à volta do Tagus Park. Acontece que o Figo tem um contrato publicitário com o Tagus Park e a PT é uma das accionistas do Tagus Park. E a PT tem uma golden share do Estado. E o Figo fez campanha pelo Sócrates… Tás a ver o esquema mafioso?

  25. DS,

    Ler kant, Marx, Nietzsche ou Sartre, não ajuda a coisa nenhuma quando quem lê faz questão faz questão de acumular leitura, sem qualquer tipo de interpretação, o que julgo ser o teu caso. Se assim não fosse, já terias percebido o que motiva esta polémica, cujos pés nem tenho a certeza que sejam de barro.

    Nestas conversa estéreis, convém deixar os filósofos no seu pedestal, sobretudo quando a capacidade para os perceber é diminuta.

  26. Sim, eu sei isso, Carmen… O que interessam Kant, Marx, Nietzsche ou Sartre quando temos um comedor-de-parvos e a propaganda sócretina para explicarem tudo à carmen? Até porque, como lá diria o Nietzsche, esta polémica é motivada apenas pela inveja em relação àquele que está para além do bem e do mal: o grande Pinto de Sousa! O único senão é também ele ter um rebanho…

  27. concelho, ds? Olha o s.

    Ainda bem que a história está a virar e que já não se afigura fácil, porventura viável, a vitória dos injustos perversos sobre os justos, seria uma enorme facada no coração da Republica logo no centenário e no nosso. Mas pela parte que me toca isto não fica assim, não preciso de convocar os diabos para dentro do psd porque já lá estão. Só preciso de animá-los, seja então. Menezes: não esqueças que o congresso é a última oportunidade de saíres por cima, dando um pontapé nos cavacos.

  28. (apanhaste-me, boa, não tinha visto em cima; confesso que tinha estranhado, tu escreves em bom português; para compensar vou por aqui uma citação do W. do T. para te perguntar se concordas, mas só amanhã :)

  29. Esta converseta está a tornar-se muito estéril. Ainda não viram que os “argumentos” do “ds” se resumem a meia dúzia de patacoadas de tasca. É filoSofia barata. Os nomes que cita viu-os na montra da Bertrand.

  30. Val, será que o Carlos Santos viu a luz?

    Já agora, quem é o João Galamba? É um novo reforço do SCP? Não acredito que o Sporting vá substituir o Paulinho!

  31. Na Bertrand, não. Na Fnac, que aqui ainda é mais barato. Mas sê bem-vindo à tasca do Valupi, porque eu não me lembro de te ver por aqui. É sempre agradável ver desconhecidos aparecerem só para beberem copos comigo. Mas diz qualquer coisa…

  32. ( ai , & , mas onde encontras tu , nestas histórias de políticos massificados , justos para ganharem aos injustos? . eu cá acho que andam , os injustos , a comerem-se todos , o que já é bem bom. quem sabe a maioria relativa nos surpreende a sério e tira os esqueletos do armário de todos. e nos deixa uma série de cadáveres fedorentos para enterrar? até já respiro melhor , só de imaginar !)

  33. ds

    não me vê por aqui, mas desloco-me por cá, com muito gosto. Beber “copos” não. Consigo muito menos. Eu só falei na Bertrand porque é uma livraria com montra… alinhados nas montras quis eu dizer. Que eu saiba a Fnac não a tem.
    Leio com assiduidade estes/os blogs que escolho e de que partilho as opiniões… não embarco no lamaçal jornalístico. Para o peditório dos “público” e ‘CIA’ já dei, e muito, mas curei-me… até lhe posso dizer que este jornal me convidou para um painel de leitores em que participei…
    Foram evidentes os objectivos que estes jornais “independentes” pretendiam atingir. Vejam-se as estórias que se seguiram à falhada compra da Sonae. Desde essa altura até as fotos escolhidas para ilustração das notícias passaram a ser motivo de achincalhamento.
    Decididamente não bebo “copos” consigo.

  34. Não bebes copos comigo? Já estás é amnésico, pá!
    Quanto àquilo que fazes na vida, e por onde andas, isso não me interessa para nada. Larga mas é o vinho, pá!

  35. vim cá cheirar depois de me ter dado vontade de comer bombons de ginja: já marcharam três, agora é um cigarro…

    Mf: tira-me as peneiras e sou a modos que ‘especialista’ em teoria da informação baseada na incerteza, as plicas é por causa daquilo que nem sei que não sei, mas é só para dizer-te que, nesse quadro, não tenho qualquer dúvida em dizer-te que a actual situação – maioria relativa do PS – é muito mais rica em informação do que uma maioria absoluta. Mais rica em termos de informação baseada na incerteza comporta os dois sentidos, surpresas para o bom e para o mau, mas tenho muita confiança que se consiga remar o barco para um bom porto, ou seja muito melhor do que o que temos vivido em termos de ética política nos últimos tempos. Até lá há que esfregar o chão com lixivia.

    No entanto o BCE tem que se dispôr a financiar a dívida pública dos Estados-membro, esta já sei que é comigo e com o tricheur que raio de sina, vá lá que o Constâncio vai andar por lá.

  36. Que lindo que vai o desfile…
    Já agora deito também um foguete, que mais ou menos barulho não incomoda quem é cego (sim, eu sei que seria surdo…).
    Então é assim.
    O Sr. PGR declarou, entre muitas coisas, que não encontrou “não encontrou provas do plano de Sócrates para interferir na comunicação social” assim como esta autêntica pérola “Pretende-se conseguir determinados fins políticos utilizando para tal processos judiciários e as instituições competentes. É velho o esquema. Como facilmente se constata na Procuradoria-Geral da República, poucos políticos relevantes ‘escaparam’ a esta armadilha política”.
    Muito bem! Afinal, o Sr. PGR mais não fez do que uma leitura política das escutas!
    E pensava eu, na minha ingenuidade, que em Portugal havia a separação de poderes. Haver há, mas só quando convém.
    É evidente que esta leitura não preocupa as virgens ofendidas, que choram baba e ranho na defesa do PM. Porque a “sentença” lhes é favorável, fazem de conta que não repararam.
    Depois, o caso Freeport não valia porque tudo se baseava numa carta anónima (lembram-se?). Agora temos escutas – validadas por um juiz -, que são verdadeiras, e acontece o que acima refiro. Ou seja, já não basta ser um juiz a levantar suspeitas porque há um PGR muito a propósito para as desvalorizar.
    Boa! E viva a justiça!
    Cuidou o Sr. PGR de, pelo menos, abrir um inquérito para averiguar aquele conteúdo? Tal procedimento é norma para casos de muito menor gravidade.
    E temos assim umas alminhas (os boys) que quiseram fazer uma surpresa ao PM e acabaram despedidos, feitos bodes expiatórios. Já não há gente agradecida neste vale de lágrimas…
    Fico à espera que o PM processe esses anjinhos (?) por uso do seu bom-nome, da mesma forma que processou alguns jornalistas pelo mesmo motivo.
    A título de espuma que sempre fica no areal, refiro a questão das escutas em si, que 1º eram falsas, depois passaram à condição de “conversa privada” antes de figurarem como “jornalismo de buraco de fechadura” até serem desvalorizadas devido ao célebre segredo de justiça.
    Mas que jeito dá, este “segredo”!
    …ah! E quem escuta o PM ou os seus amigos é bufo, pois claro!

    Esclareço que dispenso os insultos como resposta, tal como por aqui se vê.
    Se disse alguma mentira corrijam-me.
    Se não concordarem não se aflijam. A discordância é saudável.
    Eu, enquanto cidadão que alimenta esta gentinha, tenho direito a ser esclarecido de forma cabal e não aceito esta “coisa” de que o jogo político tudo justifica e que o julgamento detes prevaricadoores ocorrerá nas próximas eleições.

  37. Eu não chamaria bufo a este sujeito. Chamava-lhe antes chibo como é o calão no meio prisional. Se fosse lá e depois de se saber que tinha sido ele, não queria estar na sua pele. Nesses lugares têm um código de honra. Embora digam que ali só está a ralé presa, mas em questão de honra, dão meças.

  38. Embora não concorde com o ds, há que reconhecer uma coisa, é uma pessoa educada. Em todo o lado é “o Sócrates” para aqui e para ali, mas o ds, respeitosamente, trata-o sempre por Sr. Pinto de Sousa. Gosto de ver assim tratados com respeito os governantes.
    Calculo que o ds seja um senhor a dar para o idoso, educado no tempo da outra senhora, sem desprimor para a actual, em que o respeito pelos altos magistrados da nação era de bom tom.
    E fica-lhe bem citar nomes de filósofos. Embora confesse que só os conhece pelas idas à fnac, eu considero que o facto dele saber que são filósofos é um argumento a seu favor. Há muitos atacantes de Sócrates que confundem Kant com a Alexandra Solnado, o ds não é desses, pode não saber o que Kant escreveu, mas sabe que foi sobre coisas sérias.
    Por isso peço aos meus colegas de comentários para não atacarem muito o senhor, já não há muita gente assim, com essa educação dos anos 50 e que se esforçam para dar um ar erudito ás palermices que escrevem.

  39. Mais um desconhecido «acidental» a querer beber copos comigo… Foda-se pá, esta «juventude» dos dias de hoje é mesmo apanascada!
    E depois são de compreensão lenta, como o primeiro, ou não sabem aprender com os mais velhos, como este segundo! Não é Sócrates, nem Sr., ó palerma! É mesmo só Pinto de Sousa! Ou Sócretino…

  40. OK, peço desculpa a este último comentador «acidental», pois de acordo com o google o tipo nem é assim tão desconhecido: pelo menos lá para os lados dos jugulares. Para além disso, depois de o conhecermos e lermos, percebe-se que ele até consegue aprender depressa e bem o que os outros dizem: o gajo não passa de um papagaio dos jugulares e do comedor-de-parvos. Mais um animal de estimação, portanto…

  41. Mário Pinto

    “Agora temos escutas – validadas por um juiz -, que são verdadeiras, e acontece o que acima refiro. Ou seja, já não basta ser um juiz a levantar suspeitas porque há um PGR muito a propósito para as desvalorizar.”

    Se bem percebi, estranha o facto de neste caso haver juízes com interpretações diferentes. Isso é que é estranho, já que em tudo quanto é julgamento, quando a sentença é proferida, há uma palavra que ouvimos inevitavelmente: recurso.
    Creio que isto significa que em Portugal a coisa mais natural é pôr em causa as interpretações dos juízes, e não há cão nem gato que não recorra das suas decisões com a esperança de que se os factos forem analisados por outro a sentença seja diferente, o que acontece em muitos casos.
    Por que motivo com o caso das escutas basta a interpretação de um juiz?

  42. Isto tudo por causa de um Carlos Santos???
    Um indivíduo com um aspecto e uma vozinha, que lhe denunciam a “ausência testicular” e as preferências anais…
    Já não se fazem bufos como antigamente…

  43. Ainda tenho tempo para mais uma coisa… Disse o papagaio de serviço que eu pelo menos sei que Kant escreveu «sobre coisas sérias». «Coisas sérias»… Não me lembro de ver na Fnac qualquer livro cujo título fosse «Critica das coisas sérias», mas, lá está, devia era ter ido à Bertrand… É sempre bom começar o dia com a leitura destas tiradas cómicas.

  44. &,
    passaste-te? dois minutos depois da meia-noite e ainda andavas aqui? (eu sei, às vezes dá uma espertina, é por isso que convém não ler muitos disparates antes de ir xonex) :)

  45. Pois é Edie, até fiquei preocupado comigo. Já ando há dois dias a adormecer depois da 1h, mas é porque descobri uma coisa linda lá dentro duma fórmula matemática que vou agora escrever, até estou com a cauda a passar acima das orelhas. E também devem estar a rebentar as auxinas por aí abaixo, já que temos genes de árvores.

  46. Ds: ponho aí a citação hoje, mas só depois de a descobrir, estou imerso num mar de livros e vai à vez, seja como fôr era aparentada à navalha de Occam,

  47. Mário Pinto,

    Talvez o amigo saiba dizer com que traços de pitoniza adivinhadeira, a Manuela Ferreira Leite, muito antes de tudo, antecipou a questão da compra da TVI pela PT, e de uma forma, digamos, tão assertiva, tão sabedora, tão de quem está por dentro do assunto.

    Não desconfia nadinha? Ok, pense agora nisto: o SOL (jornal) é governado por alguém que pertence à comissão política do PSD, esse alguém, é uma pessoa sinistra. Estou a falar de um empresário que esteve metido em vários negócios (incluindo a SLN, SIRESP, etc), tem metido o dedo em tudo o que mexe no PSD, mas, ainda, fantásticamente, passa relativamente despercebido nos mídia. Joaquim Coimbra. Conhece? É o dono do Sol e co-accionista no mesmo jornal de negociantes de armas e diamantes em Angola, angolanos portanto.

    Este senhor, vá-se lá saber porquê (julgo que o facto de ser um qq coisa de qq coisa regular terá alguma coisa que ver, mas adiante), este senhor, embora metido em negociatas que deram tribunal, nunca foi escutado, ouvido, sequer beliscado pela PJ, mais, ficámos todos a saber um pouco dele, somente quando o bode expiatório do BPN dele falou na comissão de inquérito. Este senhor manda na Felícia Cabrita e, por conseguinte, por via disso, manda em algum(s) inspectores da PJ.

    Continua sem desconfiar de nada? E não é que a MFL é mesmo uma pítia, que só falhou ao não antecipar que seria líder para queimar.

  48. Pois é edie,

    Verdadeiros companheiros de estrada. Os dois e outros, ilustres cavaquistas, cresceram e fizeram-se homens de fortuna com as ligações e compadrios. Mas o Coimbra sempre foi o mais ajuizado. Tem muito tino para o negócio, aquele moço.

  49. Pergunta inocente:

    Que raio de promessas se fizeram a “um certo clube” em Angola? Está bem que quem negoceia em armas, diamantes e vai lá saber que mais, pode rasgar dinheiro e ainda fica com muito, mas por mil dragões, investir num jornal à beira da ruína e num país que tem o mais baixo índice de leitura do hemisfério norte, é ser muito, digamos, muito…

    Bom, mas o facto é que saíu investimento angolano, dinheiro lavado e secado em folha de jornal. Está a render… Semana a semana… Evidentemente, existe um risco. O risco do povo português, que aqui anda à mais de 800 anos, não ir em patranhas.

    Mas a pergunta mantém-se: Que raio de promessas se fizeram a “um certo clube” em Angola?

  50. O empresário Joaquim Coimbra.

    – Sócio do Sílvio Santos (conhecido e antigo deputado e empresário madeirense ligado ao Alberto João) nalguns empreendimentos, incluindo o fracassado Columbus Resort no Porto Santo, e por alguns apontado como uma bóia de salvação de quem investiu dinheiro ali;

    – Os tempos do Cavaquismo foram bons para os negócios, concederam a este empresário de Tondela uma dimensão nacional e abriram-lhe as portas da fama e da fortuna;

    – Joaquim Vieira Coimbra (JVC), ganhou tanto dinheiro e abriu tantas portas, que surge como o accionista comum aos dois bancos portugueses (BPN e BPP) que correram mal;

    – Nos dois casos, entrou por ter acumulado excesso de liquidez, numa altura em que diversificava investimentos e estruturava um conglomerado com participações em 70 empresas, distribuídas por oito sectores — indústria farmacêutica, refrigeração e painéis isotérmicos, finança, turismo residencial, energia, tecnologia, agro-indústria e, note-se, comunicação social;

    -Assenta a expansão dos negócios em parcerias como a que o liga ao grupo madeirense Siram, de Sílvio Santos ou à família Leitão Amaro na Nutroton SGPS (agropecuária);

    – É um dos sócios do Colombo’s Resort, um projecto de 200 milhões em Porto Santo que ameaça acabar mal. As obras estão paradas e a Siram procura investidores árabes para viabilizar o empreendimento;

    – Em 2008, a sua JVC Holding, SGPS decidiu aplicar mais 1,5 milhões no semanário ‘Sol’ e a Global Wines surge como candidata à compra das empresas de vinhos da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), quer num caso quer noutro temos dinheiro fresco vindo de Angola, com ligações à filha do Sr. Presidente e de homens com muita “muamba” (dinheiro fácil);

    -Indústrias do seu universo, como a Coldkit Ibérica (refrigeração), e sectores como as tecnologias ou energias renováveis continuam em forte expansão, mas aqui, o governo e o Sócrates não lhes fez a vontade, não os beneficiou, e a concorrência acabou por ganhar concursos públicos;

    -No conjunto, as empresas em que participa facturam mais de 220 milhões em 2008, apesar da crise;

    – No entanto, o país, retém deste empresário-político a imagem de investidor financeiro. A indústria farmacêutica tornou-se residual, apesar de manter operações comerciais na Península Ibérica e ser sócio da cabo-verdiana Inpharma;

    – É injusto vê-lo apenas como um investidor, antes, é sensível aos apelos dos amigos. Terá sido este o caso da sua entrada no BPN. Coimbra é militante do PSD desde os anos 70 e pertenceu a várias direcções nacionais do partido;

    – Recentemente é patrão de Marques Mendes, após a sua derrota na corrida à liderança do PSD. Mendes conduz os seus negócios das energias renováveis (biomassa, fotovoltaica e energia eólica), que pulo;

    – Mendes e Coimbra foram fundamentais no desenvolvimento do semanário ‘Sol’ tal qual ele é;

    – Nisso convenceram investidores muambeiros angolanos;

    – Têm um projecto, têm dinheiro e mandam na comunicação de merda que se faz neste país.

    Este é o verdadeiro poder. Aqui é que se manda a sério e à séria. Agora venham lá com estórias de querer controlar uma TV para despedir uma bocas.

  51. Guida

    Eu compreendi a sua mensagem e decerto que também terá compreendido a minha.
    Eu escrevi e mantenho que no caso Freeport nada valeu porque o processo, dizem, teve origem numa carta anónima e forjada. Tudo bem.
    Mas este caso é diferente. É baseado em escutas legais e validadas por um juiz.
    Será porque o PGR as desvalorizou que deixam de ter relevância?
    A análise do juiz de Aveiro não tem valor?
    Será que o PGR é um iluminado por Deus e que, tal como alguém que conhecemos, “nunca se engana e raramente tem dúvidas”?
    Posso especular dizendo que, a ser assim, se o PGR as validasse viria depois o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça dizer que não Sr.. Que ele é que mandava e que por isso as escutas iriam direitinhas para o caixote do lixo.
    Não são legítimas as dúvidas de quem assiste a este triste espectáculo?
    Reafirmo que os indícios, ainda que não passem disso, apontam para a culpa do PM e não o inverso.

    PG

    Acredite no seguinte. A mim não interessa de que é ou deixa de ser o SOL nem me parece que esse aspecto seja o mais importante. É que se vamos por aí temos também de desconfiar da RTP e da RDP. Afinal de contas, a quem manda nelas convém que muitas notícias não sejam publicadas.
    Não acredito que os donos dos órgãos de comunicação social condicionem os jornalistas a esse ponto porque se isso fosse assim também teríamos de aceitar como verdadeiras as supostas e sempre desmentidas pressões do Governo sobres esses mesmos órgãos de comunicação.
    E depois, PG, você faz um género de análise que aqui vejo amplamente condenada – com ou sem razão – e que é o suposto e o pressuposto (texto das 12:49).
    Afinal como é?
    Quando é contra o PM tem que haver abundantes provas mas para o defender tudo serve? Ou será que tem os documentos que provam as suas suposições? Ou existem escutas que comprovem a sua tese????
    Já agora, e por uma questão de igualdade, refira também o nome dos militantes do PS que estão espalhados pela máquina do Estado, para não falar nas empresas privadas. Isso sim, seria um acto demonstrativo da sua boa fé.
    Aproveito para lhe dizer que não sou militante (de nenhum partido) nem simpatizante do PSD.

  52. Mário Pinto, por acaso, acho que não me percebeu, culpa minha certamente, que não me devo ter explicado correctamente. E eu também não o percebi. Diz ter dúvidas e a seguir escreve isto:”Reafirmo que os indícios, ainda que não passem disso, apontam para a culpa do PM e não o inverso.”

    Obviamente, não ouvi as escutas, nem sequer leio o Sol, mas o que vou lendo por aí acerca das mesmas não me deixa certezas nenhumas, pelo contrário. Por exemplo, diziam os entendidos que nas escutas quando se falava do ‘chefe’ era a Sócrates que se referiam, quase como se fosse o líder de um gang ou coisa parecida. Mas hoje vi algures a capa do iluminado jornal e reparei que nas escutas que lá estão alguém se refere a um ‘chefe’ que não é o Sócrates, é outro. O Mário que fala como se conhecesse o conteúdo das escutas de trás para a frente, talvez até melhor do que o PGR e o presidente do STJ juntos, sabe dizer-me, afinal, quantos chefes são mencionados?

  53. Guida

    Já está mais perto de me entender porque, parece-me, a sua dúvida (agora) apenas tem que ver com o número de chefes, algo que eu acho deveras importante! Recorde que a sua anterior questão se prendia com o facto de a decisão de um juiz poder ser alterada ou não aceite…! Ainda assim, lamento mas não sei informá-la. O meu conhecimento das escutas, ainda que – e no seu entender – seja “(…) melhor do que o PGR e o presidente do STJ juntos (…)” não me permite sabê-lo.
    Mas sei outras coisas, apesar de também não ser leitor do Sol. Eu até sei que Vasco da Gama viajou até à Índia e não precisei de ler o seu diário de bordo…
    Sei que as escutas foram validadas por um Procurador e por um juiz, ambos de Aveiro.
    Sei que nas escutas se fala em negócios que implicam a PT e um boy seu administrador, entre outros assuntos.
    Sei que o PM sabia – “informalmente”!!! – que o negócio estava em andamento, quando no Parlamento disse que não sabia.
    Sei que o Sr. PGR “não encontrou provas do plano de Sócrates para interferir na comunicação social”.
    Sei que agora já não bastam as opiniões dos juízes.
    Sei também que em Portugal há, ou deveria haver, separação de poderes, de que a seguir dou dois “exemplos”:
    1 – Sei que o Sr. PGR disse que “Pretende-se conseguir determinados fins políticos utilizando para tal processos judiciários e as instituições competentes. É velho o esquema. Como facilmente se constata na Procuradoria-Geral da República, poucos políticos relevantes ‘escaparam’ a esta armadilha política”.
    2 – Sei que do elogio que o Ministro da Justiça fez ao Sr. PGR.
    Sei também, tal como milhões de pessoas, que as explicações do PM não convenceram e que as declarações do Sr. PGR (que hoje já admite haver nas escutas indícios de ligações perigosas entre empresas e políticos) só fazem aumentar as suspeitas de que anda por aí um gato escondido, cujo rabo é tão grande que fica sempre de fora.

    E se depois de todo este “palavreado” continua a não me entender é melhor desistir porque o nó górdio das suas “dúvidas” tem tudo a ver com o excesso de factos e também com a falta de argumentos e, aí sim, nesse aspecto nunca estaremos de acordo.

  54. Mário Pinto o amigo é mesmo de ideias fixas. Olhe a Guida já lhe perguntou se sabia o que era um recurso para uma instancia superior. Todos os dias decisões de juizes são anuladas por recursos a outros juizes. Mas este é que é estranho!

    Já agora leu o despacho do PGR ou não lhe interessa o que lá vem? Pronto eu sei que a última parte do despacho lixa a sua teoria toda, mas ignorá-la parce-me desonestidade intelectual. Para que não diga que não sabe do que estou a falar então aqui vai:

    “Em primeiro lugar, nas referências, explícitas ou implícitas, feitas ao Primeiro-Ministro nos produtos das alíneas a), g), l), m), o), p), s), f), u), v), e z), do n.º 8 não existe uma só menção de que ele tenha proposto, sugerido ou apoiado qualquer plano de interferência na comunicação social. Não resulta sequer que tenha proposto, sugerido ou apoiado a compra pela PT de parte do capital social da PRISA, tal como se não mostra clarificado o circunstancialismo em que teve conhecimento do negócio. Ao invés, há nas escutas notícia do descontentamento do Primeiro-Ministro, resultante de não terem falado com ele acerca da operação; “devia ter tido a cautela de falar com o Sócrates… não falei e o gajo não quer o negócio. Era isto que eu temia. Acho que o Henrique não falou com ele, o Zeinal não falou com ele… eh pá… agora ele está ‘todo fodido’. ‘Está todo fodido e com razão'” [n.º 8, alínea u), produto nº 5291, de Rui Pedro Soares para Paulo Penedos; v. ainda os produtos das alíneas x) e z)].”

    Mário Pinto vá ao Dn que está lá as conclusões do despacho do PGR. Aqui só lhe deixo a escuta que prova que sócrates nada soube, nem formal nem informalmente.

  55. Parabéns Mário Pinto! Não adianta muito ensinar o pai nosso a quem nasceu filho de pai incógnito mas ainda assim vale a pena tentar explicar que incógnito ou não, ninguém nasce por partenogénese natural a não ser no mundo da mitologia!
    Dito de outro modo, continuaremos a ser comidos por parvos que querem tapar o sol com a peneira mas gritar Aqui del rei vai nu pode ser uma criancice mas alguém tem que meter o pausinho na engrenagem para que o mundo pule e avance!

  56. Quanto aos argumentos do Jose Gil…ilariantes!
    1º não há instancias em faze de inquérito
    2º em faze de inquérito ao minimo indício de crime investíga-se
    3º Uma suspeita de um juiz de instrução que apenas pede autorização para investigar só não deve ser atendida provando que esse juiz está louco o que o PGR não provou!
    4º A lógica mínima exigída para que uma suspeita suporte uma investigação não pode ser confundida com a dúvida razoável necessária para fundamentar uma cusação!
    5º Uma o valor de prova indiciária não decorre apenas da literalidade dum documento mas do seu contexto num conjunto de outros indícios e provas.
    6º agora ele está ‘todo fodido’. ‘Está todo fodido e com razão…apenas prova que esse todo fodido gosta de controlar tudo e todos e também gostará eventualmente de controlar a informação!
    7º Para que este agora ele está ‘todo fodido’ esteja neste estado depreende-se que já estaria informado e mentiu quando disse que não estava!
    8º Quem mente perde credibilidade.
    9º Tal que mente foi cumplice com os que o f***am, para manter o mesmo nível de registo semantico!
    10º Como este não se redimiu denunciando o golpe dos que o f***am a sua cumplicidade fica reforçada pelo que a falta de investigação no mínimo foi uma leviandade senão uma flagrante conivência com o crime de atentado ao estado de direito o que, vindo de um alto magistrado torna a situação num caso sério de denegação de justiça e num crime de lesa-constituição nos termos do artigo artigo 37.º da constituição.
    11º Nestes termos este assunto, em meu modesto entender de detentor de 1/10 milhões de soberania, deveria passar para o Tribunal Constitucional por proposta da comissão de direito liberdades e garantias da A.R.
    12º No limite, o Supremo Magistrado da República poderá declarar um estado de crise nacional assim que o entender o que (em termos políticos, que é afinal o que releva desta conspiração de Polichinelo) só veio reforçar a ideia de que ou o regime está todo ele em crise ou o PR tem o governo e a agenda política na mão (como o comprova a revelação de um caso já revelado ha um anos pela casa civil do PR a respeito duma carta de há 1 ano sobre o jornalista M. Crespo).

  57. Mário Pinto, como é que soube “que as escutas foram validadas por um Procurador e por um juiz, ambos de Aveiro.”? Está a falar das escutas que envolvem o primeiro-ministro, certo? É que a única pessoa com autoridade para as validar, o presidente do STJ, disse numa entrevista que só validou uma, parece que o juiz de Aveiro finalmente lá atinou e a mandou a quem de direito para validação, mas mesmo essa foi mandada destruir por ser inócua, julgo que foi esta a palavra que usou.

    Outra coisa, então não tem importância saber quem é o tal chefe, mas isso não é um dos ‘indícios’ que provam a culpa de Sócrates no tal plano?

    Para não lhe parecer que só tenho dúvidas, também partilho consigo uma ou duas coisas que sei. Sei que Sócrates tem um plano, basta vê-lo e ouvi-lo para se perceber que é pessoa para ter um plano ou mais (até chateia), mas este a que me refiro está escrito, chama-se Programa de Governo. Também sei (desconfio, pronto) que a oposição por total falta de ideias para rebater o tal plano até punha o Sol a girar em torno da Terra outra vez para impedir Sócrates e o Governo de o levarem para a frente. Mas a coisa não está fácil. :)

  58. Curiosamente o processo Face Oculta que andava àvolta de negócios entre um sucateiro e elementos de empresas públicas transformou-se num processo que NÂO EXISTE, o processo contra o Primeiro Ministro por ter um plano maquiavélico para controlar a comunicação social. Parece-me que a face oculta era um meio e um pretexto para chegar a outro lado. A um lado ao qual não se chega judicialmente, porque judicialmente não há nada para lá chegar. Não havendo, o que se faz?Manda-se o material para a comunicação social e que o futuro se decida aí…qualquer jornalista se sentiria inchado de orgulho pela confiança depositada pelas forças judiciais!

  59. Sei que as escutas foram validadas por um Procurador e por um juiz, ambos de Aveiro. Está a falar das escutas que envolvem o primeiro-ministro, certo? Pergunta a “Guida”! Sabemos lá quem era o escutado! A Guida não diz adiante que tem importância saber quem é o tal chefe? Pois para o saber havia que investigar, o que o PGR e o J do S. decidiram não fazer? No mínimo estranho não lhe parece? Quem faz investigação, seja ela qual for, sabe que há indícios directos e indirectos. Nesta história, que veio no sol, existem suficientes indícios indirectos que apontam para uma conjura de incondicionais de Sócrates para suspeitar de um atentado contra a liberdade de imprensa que deveria ser investigada porque pelo artigo 329º do CPP Sabotagem Quem (…) desviar dos seus fins normais, definitiva ou temporariamente, total ou parcialmente, meios (…) de comunicação, (…), com intenção de destruir, alterar ou subverter o Estado de direito constitucionalmente estabelecido, é punido com pena de prisão de 3 a 10 anos. Esta lei penal compromete todos os cidadãos portugueses e o Estranho é que o PGR tenha passado por ela como cão por vinha vindimada. Bom, para o PS o mais importante não é o conteúdo mas a forma. O formalismo é a desculpa dos maus pagadores! Por isso se invoca a lei que possibilita anular escutas ao Primeiro-Ministro e bloquear com este formalismo legal meramente processual o apuramento da verdade! No entanto esta lei é polémica de dois modos: 1º Porque há quem a considera inconstitucional por colocar as pessoas ali visadas como acima da lei geral porque pelo artigo 13.º da constituição, 1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei. Mas até se pode dar de barato que o artigo 11 do PCP se refere a cargo e não a cidadãos, mas isso levanta a questão: as escutas feitas em Aveiro foram feitas ao cidadão Sócrates que falava como secretário-geral do PS e não como 1º ministro! O que estes pretendiam era que o Presidente do supremo validade escutas ao P.M. para o esclarecimento de eventual cumplicidade do P. M. no crime se sabotagem contra o estado de direito, nos termos do artigo 11.º (uma lei processual criada pelo governo de Sócrates em 2004): b) Autorizar a intercepção, a gravação e a transcrição de conversações ou comunicações em que intervenham o Presidente da República, o Presidente da Assembleia da República ou o Primeiro -Ministro (…) Dicionário: OU = ( Lat. aut), conj. designa alternativa ou incerteza. Uma lei que se aplica a três pessoas no país é uma lei muito excepcional. A 3ª é o PM e está em alternativa ou de forma incerta! Numa série de 3 entidades que carecem do aval do supremo para serem escutadas aparecer o PM em disjunção com o presidente da Assembleia pode ser um erro insanável de redacção o que tornaria nulo e inexecutável este artigo. Mas a conjunção “ou” também pode significar incerteza ou seja, não é certo e seguro que o PM tenha que ter o aval do supremo, logo…o melhor é apelar para o Tribunal Constitucional para esclarecer o caso…quanto mais não seja para o PS começar a aprender a redigir as leis. Por fim ficamos a saber pela “Guida” que Sócrates tem um plano chamado Programa de Governo como se ainda não soubéssemos todos que das boas intenções dos Programa de Governo de Sócrates não estivesse o inferno cheio!

  60. Carlos Pedro, confesso que enquanto lia o seu comentário me passou pela cabeça, insistentemente, uma frase muita famosa neste blogue. :)

    A “Guida” não quer saber do chefe, ou chefes, que constam das escutas para nada, a pergunta era em resposta ao Mário Pinto, exactamente para demonstrar que não dá para acreditar no que vem nos jornais acerca disso. A “Guida” ao contrário do “Carlos Pedro” não percebe nada de Direito e deixa essas coisas para os tribunais, podia ser para a Felícia Cabrita, mas não. Manias.

    Só percebia tanta indignação no hipotético caso do PGR e do presidente do STJ se terem recusado a ouvir as escutas por estas serem ilegais. Nem sei se podiam fazê-lo, mas imaginemos que mandavam destruí-las e nem sequer as ouviam. Não foi isso que aconteceu. O PGR ouviu-as todas e o presidente do Supremo ouviu aquelas a que era obrigado e muitas outras. Ambos (calculando que as escutas podiam aparecer publicadas nos jornais) discordaram dos juízes de Aveiro e afirmaram não ter encontrado quaisquer indícios, nem fortes nem fracos. Vá lá saber-se porquê, acredito mais neles do que no Sol. Sou bem capaz de ir parar ao inferno…

  61. hilariante e fase… Se fores ler com olhos de gente vais ver que na escuta Rui Pedro Soares diz que o Sócrates não foi informado antes e por isso estava todo fodido. Será que isso indica que Sócrates sabia antes? Não e por isso estava fodido. É o que está na escuta!!! É mentira que decisões de juízes são anuladas todos os dias? É? Portanto a ti que ninguém conhece temos de dar razão aos teus argumentos… Nem sabemos se estás ligado à justiça ou se és mais um papagaio que se entretém a dizer umas coisas, mas devemos dar-te toda a credibilidade. Ao Procurador Geral da República e ao Presidente do Supremo não. Esses perderam toda a credibilidade quando desmontaram toda esta farsa, que visava unicamente, levar o PSD ao governo, sem ser preciso ganhar eleições. Esses são maus profissionais que não merecem credibilidade. São uns vendidos só porque defenderam um inocente.

    Carlos Pedro e Mário Pinto vocês vão ter que aguentar mais uns anos, pois ainda não foi desta que levaram a vossa avante. Aliás desconfio que depois desta, não voltam a tentar mais nenhuma, pois já perceberam que o povo não vai na vossa cantiga

  62. “Sócrates não foi informado antes e por isso estava todo fodido. Será que isso indica que Sócrates sabia antes?” Antes de quê ou de que data? Que importa se sabia antes ou depois e porque ficou ou não f***? O que importa é que soube e nada fez para demitir Rui Pedro Soares dos cargos que ocupava nem denunciar o seu crime de sabotagem contra a imprensa! Logo, e não sabendo senão o que foi possível saber pela imprensa de «buraco da fechadura» só podemos inferir racionalmente que, no mínimo, houve cumplicidade. Ao PS já só falta o ridículo de dizer que afinal Rui Pedro Soares é um infiltrado do PSD na entourage de Sócrates. Não se trata de teorias de conspiração mas de racionalidade! Essa de afirmar que decisões de juízes são anuladas todos os dias e outra hilariante! Claro que são mas em fase de recurso e que se saiba não era o caso. não é preciso estar ligado à justiça ou ser ou não papagaio para se saber o abc do funcionamento da justiça! A cultura geral e cívica bastam e como ninguém pode alegar o desconhecimento da lei para fugir a ela significa também que é um dever cívico conhece-la.

  63. Não é preciso estar-se ligado à justiça ou ser ou não papagaio para se saber o abc do funcionamento da justiça, (só e preciso ter um bom advogado para fugir porque para os inocentes é fácil conhecer a lei, basta saber português e ter um pouco de senso e de juízo)! Como ninguém pode alegar o desconhecimento da lei para fugir a ela significa também que é um dever cívico conhece-la e a cultura geral e cívica de natureza jurídica fica bem a qualquer papagaio e sobretudo as metralhadoras falantes que chefiam os deslumbrados do PS. O contra-argumento delirante de que é tudo uma cabala sem que haja o mínimo de bases para a fundamentar é dos mais ridículos de que há memória. Só mesmo tontos poderão cair nesse argumento. Ao PS já só falta o ridículo de dizer que afinal Rui Pedro Soares é um infiltrado do PSD. Até parece que se o PSD soubesse destas escutas teria andado a perder tempo com as de Belém e não as teria utilizado durante a campanha e tido a vitoria assegurada porque quase de certeza teriam a fazer campanha contra o PS até muito boa gente do PS.

  64. Ao José Gil

    Será pedir muito que me esclareça quanto ao significado da sua frase “(…)e Mário Pinto vocês vão ter que aguentar mais uns anos, pois ainda não foi desta que levaram a vossa avante” ?
    De que avante fala? Refere-se ao jornal do PCP? Só pode!

    Quanto ao resto, meu caro José Gil,só desejo que você tenhas as mesmas razões que eu tenho quando me pronuncio sobre este ou outros temas idênticos.
    É que eu,felizmente, tenho emprego e estou de bem com a avida, pelo que não preciso de nenhum trampolim.
    Sim, eu sei. O meu caro José Gil ainda está melhor e, por isso, também não precisa nada de se pôr em bicos de pés…

  65. A “Guida” não quer saber do chefe, ou chefes, que constam das escutas para nada…porque chefe só há um do PS e mais nenhum, hahahahahahaha! Também sei (desconfio, pronto) que a oposição por total falta de ideias para rebater o tal plano até punha o Sol a girar em torno da Terra outra vez para impedir Sócrates e o Governo de o levarem para a frente…Mas alguma vez algum governo do PS levou o que quer que fosse para a frente sem recuar depois para trás ainda mais? E se alguém anda a querer “tapar o sol com a peneira” são os incondicionais do PS, não a maioria das pessoas que ainda pensam (e têm ideias também a poucas de que o PS se aproveita e por isso está sempre a pedir à oposição que apresente propostas e alternativas para poder fazer alguma coisa de jeito com elas) neste país. Por último esta pérola da lógica da guida: Ambos (calculando que as escutas podiam aparecer publicadas nos jornais) discordaram dos juízes de Aveiro e afirmaram não ter encontrado quaisquer indícios, nem fortes nem fracos. Vá lá saber-se porquê, acredito mais neles do que no Sol. Sou bem capaz de ir parar ao inferno…A continuar assim ai vai, vai…O contraponto era ente juízes da casa e juízes da província e não entre juízes e o sol. Quanto ao Sol, não a que querer nem descrer, basta olhar para ele sem óculos partidos, lê-lo desapaixonadamente e ficar no que melhor lhe parece de acordo com a lógica e o consenso.

  66. Carlos Pedro, já me tinha fascinado com os seus conhecimentos acerca de leis e artigos, mas a sua lógica deixa-me praticamente sem palavras. :)

    Engana-se, também gosto muuuito da chefe do PSD, a Ferreira Leite. E o Carlos repete a teoria dela em que defendia que tinha ideias mas que não as revelava para o Governo não as copiar. Como se viu pelos resultados que o PSD obteve nas eleições, a teoria não pegou. Para além de chamar mentiroso ao primeiro-ministro, parece que as pessoas não vislumbraram ali ideia nenhuma. Mas quem a ouviu, na última entrevista à Judite, confirmar que o seu objectivo, afinal, não era ganhar eleições, lá está, percebeu que a teoria tem a sua lógica. E, pelos vistos, consenso, já que não vi ninguém surpreendido com tais declarações.

  67. edie, obrigada, mas não é preciso coragem nenhuma. Isto é apenas uma amena cavaqueira com alguém que por acaso repete o que leio e ouço a muito gente.
    Não pretendo ganhar nada… só umas gargalhadas. :)

  68. Para chamar idiota a alguém que não conhecemos nem contamos vir a conhecer é que é necessária muita coragem. Diria mesmo que é um acto quase heróico!
    Ah valente. Dá-lhe agora, que está de costas!

  69. Está enganado Sr./a edie. Ganhar discussões com uma pessoa idiota á a coisa mais simples deste mundo. Basta dizer-lhe que se votar no PS perde o Rendimento Mínimo. Quando à lógica medida a votos que a guida refere da Ferreira Leite sempre lhe direi que não é preciso ir por aí porque há mais mundo nos 2/3 da oposição, para além da deputada M.F.L. porque as pessoas também não vislumbraram no PS muito mais ideias que no PSD.

  70. eu também não tenho dúvidas nenhumas sobre o que aí anda: um golpe de Estado constitucional (?) urdido pela trama de belém, favores profundos,

    os únicos secretários-gerais ou equivalente(s) que foram devassadoas em escutas tornadas públicas até hoje foram o Ferro Rodrigues e o José Sócrates. Nunca ouvi falar de escutas relativas ao caso Moderna, ou agora aos mochos do BCP e quejandos, só para dar dois exemplos.

    Mas teremos tempo de falar. Hades, dá-lhes.

  71. e para ti Socrates um conselho: aproveita o tempo de governação que vai restando para corrigir injustiças, por exemplo, porque, para além do mais, em alturas de turbulência tudo o que é insignificante arrisca a tornar-se significativo. Capicce?

  72. Ao que parece, as escutas só são condenáveis se forem feitas aos nossos amigos. Muito bem.Apoiado!
    Quanto às queixas contra o actual PR, já esqueceram que José Sócrates tudo fez para que Cavaco Silva ganhasse, ao apoiar Mário Soares em detrimento de Manuel Alegre.
    Até se dizia que o facto de Cavaco Silva ser economista seria uma mais valia para Portugal, tendo em conta a nossa má situação económica. Uma vez mais, esqueceram a sua acção enquanto PM.
    Espero bem o PM siga os bons conselhos dos seus muitos amigos, que Portugal bem precisa. Ele que corrija as injustiças e ponha os grandes lucros, as grandes fortunas e as mais valias bolsistas a pagar mais impostos, porque aquele que vive do mísero Ordenado Mínimo já não tem mais pele para continuar a ser esfolado.
    Eu cá entendi muito bem. Agora só me resta quem quem pergunta saiba o que pergunta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.