Contra a pulharia, pensar, falar

O “Dilema” é um segmento do espaço noticioso “Noite 24”, na TVI24, onde alguns convidados discutem um assunto do dia durante 25 minutos. Nesta quarta-feira, André Coelho Lima (pelo PSD), Pedro Delgado Alves (pelo PS) e Joana Amaral Dias (com o estatuto de “comentadora TVI”) foram os protagonistas de uma simulação de debate acerca do tema “As nomeações do PS”.

No final do vídeo, exactamente nos últimos 13 segundos, podemos ver a jornalista Sara Pinto a rir-se com os risonhos Joana e André. E vemos o Pedro a desinfectar as mãos com uma expressão séria e recolhida, talvez até crispada, sem olhar para o trio que galhofava. O motivo imediato da risota nasceu do atropelo da Joana ao André, impedindo este de falar na sua vez e ficando o senhor sem tempo para uma última intervenção. Mas havia mais e bem mais fundos motivos para os folguedos de satisfação nestas três figuras.

Quem viu, ou for ver, pode comprovar: a ex-bloquista boicota a suposta finalidade da rubrica ao impedir o Pedro de completar, ou sequer começar, os seus argumentos. A forma como o faz, de acordo com a caricatura em que se tornou nos últimos anos para ocupar um lugar na indústria da calúnia e do populismo mediático, é abjecta até à agonia, uma mistela de chungaria mentirosa com soberba incontinente. Porém, todavia, contudo, essa dimensão teatral da sua persona mercenária reduz-se à irrelevância quando comparada com o efeito conseguido junto das audiências. Esse efeito consiste no triunfo da irracionalidade violenta e persecutória. A essência mesma de um monstro, portanto.

Daí o riso final. Porque há vantagens nessa irracionalidade e nessa violência para certos agentes. Vantagens para o opositor político do Pedro, agradado com a má-fé e sujidade que diminuiu a eficácia do discurso da concorrência. Vantagens para a jornalista, que serve um patrão interessado na política-espectáculo, para quem o espaço público pode e deve ser envenenado desde que haja uma miragem de lucro nisso. E vantagens para a artista, a “comentadora TVI”, que fornece ao mercado um produto com muita e poderosa clientela. Veja-se em quantos palcos tem actuado aquela que já foi uma das mais queridas estrelas de Louçã e da sua auroral “esquerda grande”.

Este tipo de programas onde se permite fazer da chicana e da protérvia armas de arremesso, como o Pedro chega a conseguir formular debaixo da intoxicação emocional lançada para o confundir e inibir, atenta contra a democracia ao provocar repulsa pela política e pelos políticos. O que em muitos, bem-intencionados, leva a uma reacção higiénica em que se pede distância de figuras como Joana Amaral Dias, André Ventura e quejandos. Para mim, tal desiderato não pode ser mais errado. Do que precisamos é de expor os demagogos, os populistas e os pulhas na sua miséria intelectual e moral. Fazê-lo de modo implacável, em nome da República e como serviço de auto-defesa e pedagogia comunitárias. Infelizmente, não existe um único espaço mediático onde tal possa acontecer. Porque pede tempo, porque exige coragem. Tempo para desmontar, rebater, expor, relacionar, apresentar. Coragem para subir às muralhas da cidade quando esta está cercada e em vias de ceder.

30 thoughts on “Contra a pulharia, pensar, falar”

  1. O povo é sereno !
    Então qualquer patarata cai na esparrela da galdéria dos grandes decotes e mini calções ? Como te enganas, Valupi… fala com as outras profissionais do mesmo ramo e elas contam-te das dificuldades em arrastar os clientes para o quarto!
    Estas venturices, estes desmanches, nem os profissionais daquele ramo os apreciam: sabem que não colhem, que são desmontados no terreiro da feira, cansam-se as pernas nas retiradas estratégicas …lembram a retirada dos fascistas no 25 de Abril…
    Tão seguros que eles estavam no dia 24/74 !!!!

  2. Eu não acho que o povo seja assim tão sereno. Acho mesmo que as massas são manipuladas à custa destas técnicas, nota-se no dia a dia pelas opiniões nos forums, blogues e nas conversas mundanas.
    Basta ver, por exemplo, como cresceu a onda merdiática anti Sócrates – manobras evidentes que eu denunciei desde o início- e as consequências políticas ou criminais daí resultantes.
    No entanto, o karma é uma cena lixada:
    O Pedro Delgado Alves, que sempre achei um gajo assertivo e com potencial, deixou-se embriagar pelo estrelato e caiu na asneira de embarcar na narrativa puritana crítica do ex PM sem ter em conta a manipulação merdiática. O mesmo se passou com o vaidoso Medina.
    Agora, sentem o bafo quente dos mérdia no pescoço e queixam-se de uma dôr aguda no ânus.
    Temos pena.

  3. este quer parar um comboio com o dedo…. primeiro terá de se proibir malta de falar sobre certos temas , como este aqui do José

    https://portadaloja.blogspot.com/2021/06/a-missao-do-adao-e-silva-e-simples.html

    de outros modos , sem censurar noticias sobre modos de vida de pessoas que não se percebe o que fazem mas de quem se sabe a percentagem absurda que ganham do nosso suor , vamos continuar a achar que são todos parasitas dos quais nos devemos livrar.

  4. o problema são as abéculas cristalizadas a três quartos (25/75) que estão tão seguras das asneiras que dizem e do alto da sua superioridade moral não vêem o que a direita está a preparar. nem precisas levantar o cu do sofá, é só ligares a televisão e sintonizares o sonotone para veres e ouvires a vaga de merda que desvalorizas.

  5. Coisinho das 11 20 mudas de nome de hora a hora para disfarçar um personagem idiota que sofre de coprolalia e não sabe.

  6. Coprolalia, hehe…
    As coisas interessantes que se aprendem neste pardieiro.
    Melhor do que as Selecções do Readers Digest.

  7. o problema são tipos como tu , os que preconizam paninhos quentes para gangrenas. sabes o que vamos ficar a pensar das comemorações ? é isto : os tipos aproveitam essa data para andarem na festa , fazerem adjudicações directas de bens e serviços a empresas de pub e eventos criadas na hora , , e embolsarem milhares por cima ( como esse senhor adão) e por baixo da mesa. já vimos o filme montes de vezes.

  8. Cicciolina no Parlamento. Deputada que se entretinha a divulgar atributos que não tinham nada a ver com política mas que era vista com bons olhos na época pelas feministas, pelo menos por algumas. Eis provavelmente a referência de Joana Amaral Dias para o seu percurso desde há uns anos.

  9. Joana Amaral Dias e a TVI não têm culpa da plateia apreciar o espectáculo de peixeiras mamudas aos gritos. Metem na mangedoura a palha que o gado come com gosto.

  10. Vieira:
    o povo é sereno, acredita. Até diz que o diabo nunca é tão feio como o pintam !
    Os USA, esses grandes democratas, quando chegam a um sítio que querem conquistar , tratam logo de espalhar o choque e o pavor! Está nas NEPs deles, (vai vero que é uma NEP,se até não sabias o que era coprolalia…)
    Querem dominar pelo medo ! A que porta eles batem ! Vê o exemplo magnífico do Sócrates ; toda a canalha a gritar tanto que se coproafoga , e ele impávido, exigindo o cumprimento da lei,mandando o choque e o pavor para a puta que os pariu !
    Não temais ! O exemplo dos melhores de nós reduz a cinzas os dentes da alcatéia piolhosa

  11. Ainda a propósito do livro de anedotas do José Gomes Ferreira ler a crónica de Antônio Ferreira , Objectos destinados a vencer, no Público de hoje. É isso sim andamos a chocar ovos de serpente.

  12. pleased to meet you
    hope you guess my name
    but what’s puzzling you
    is the nature of my game

    até há quem se alie ao diabo por aritmética eleitoral duvidosa e não veja mal nisso porque acredita na conversão do diabo caso CHEGUEM ao governo.

  13. “Metem na mangedoura a palha que o gado come com gosto.”

    o teu padrinho camacho é especialista em fardos de palha e o teu tio trump foi eleito com palha.

  14. valupi, não li o post mas se o tema é sobre a nomeação do anão e silva, personagem sobre quem tenho vaga ideia de teres escrito mais ou menos isto “é uma pessoa – daquele género de criaturas, acrescento – que depois de ter falado não me consigo lembrar de algo que tenha dito “ é para manifestar o meu protesto por tal nomeação e regalias associadas – só faltam as despesas de apresentação.
    na altura, alguém, sobre anão e silva, disse, “é o ISCTE, os do ISCTE estão lá todos” .
    anão e silva é duma vacuidade que para mim só encontra paralelo com ana catarina mendes, outra artista da arte de falar sem dizer nada . e o grave, é que, dizem, – no PS, quem manda é ela. o que não é bom .

  15. O texto do Valupi é excelente.
    Não vi esta edição do “Dilema” porque depois de assistir a outras, em que o comportamento de Joana A. D. foi igualmente um espetáculo de má-criação e berraria de ignorância atrevida, ante a complacência da moderadora, saco do comando logo que a figura abre a boca. Além do que diz , aquela pose de quem engoliu um garfo, o tom de tia de Cascais, o estilo revisteiro compõem uma caricatura do que deve ser uma participante num debate político.
    A culpa não é dela, mas da moderação. Infelizmente há muitos outros debates em que os moderadores optam por ser figuras de corpo presente.
    Resta saudar a coragem de Pedro Delgado Alves.

  16. Amigo Lucas, protege bem a braguilha! O bully mariconço não pode ver a nesga que seja de uma, nem que seja metade de um botão, que não se ponha imediatamente a saltitar à frente dela de boca aberta, a guinchar que tem sede!

  17. A vozearia mamalhuda de Joana Amaral Dias está ao nível da gritaria histérica multiplicada ad nauseam na opinião publicada a propósito da comunicação à Embaixada da Rússia de dados pessoais de manifestantes pró-Navalny .
    Tivessem alguns mais discernimento político e outros vergonha na cara e não comparavam o que não tem comparação.
    Se nos conforta saber que os dados pessoais de gente hostil à China ou à Rússia chegam ao conhecimento daqueles países, já coisa bem diferente é verificarmos um comportamento similar, relativamente a Israel.
    A mera possibilidade de entidades públicas portuguesas agirem em conluio com o regime sionista é, pura e simplesmente, intolerável. E quem diz Israel, diz EUA, que são farinha do mesmo saco.

  18. Em nada me “conforta saber que os dados pessoais de gente hostil à China ou à Rússia chegam ao conhecimento daqueles países”. É uma sacanice de bufo, que só não envergonha quem não sabe o que vergonha é, e não há diferença absolutamente nenhuma em relação a “comportamento similar relativamente a Israel ou EUA”. A tua revolta não obedece a princípios e por isso não vale nada. Estás na trincheira errada.

  19. Pergunta de escolha múltipla.

    O bardino Merdina é:

    a) um tiranete infantilóide e incompetente, cretino passa-culpas e sem vergonha.

    b) um tiranete incompetente e infantilóide, cretino sem vergonha e passa-culpas.

    c) um cretino passa-culpas e sem vergonha, tiranete infantilóide e incompetente.

    d) um cretino sem vergonha e passa-culpas, tiranete incompetente e infantilóide.

  20. A abelardização da população portuguesa avança !
    Ninguém pergunta se os dados referentes a manifestações publicas são enviados a outros países, por exemplo, França , Alemanha,USA, Inglaterra… eu quero saber a resposta.
    Adão e Silva foi nomeado por menos tempo que a maioria de Comissários anteriores, e o ordenado que terá é semelhante ao de um professor de Liceu , em fim de carreira: 2.300 € líquidos !!! Desmintam ,se puderem !
    O desnorte da pobre direita só cresce com as sondagens que se vão conhecendo ! O Passos Coelho matou a direita por 20 anos! E ainda só lá vão 6. .. Paciência, paciência…

  21. Que alguém explique ao soldado Camacho que o egoísmo do interesse particular é incompatível com a ética militar.
    Vir Camacho dizer a um camarada de armas que este está na trincheira errada é intolerável. Mesmo descontando-lhe o seu longo histórico de mentiras avulsas, inevitáveis sempre que chega a sua vez de fazer a faxina ou a limpeza da retrete. Desculpas de todos os géneros e feitios: desde a infestação súbita de piolhos até à necessidade urgente de ir a Aljustrel fazer não se sabe o quê com os porcos…
    Mas o que me deixa ainda mais revoltado não é verificar que Camacho desmente a sua fama de coxo, ele que é, sem sombra de dúvida, o mais lesto entre os lestos a fugir do fogo inimigo.
    O que verdadeiramente mais me revolta é outra coisa: saber que enquanto os seus companheiros de armas arriscam a vida e morrem para salvar o couro do soldado Camacho, este aproveita para se refugiar no canto mais protegido da trincheira e aí, de cócoras e braguilha aberta, desfrutar das novidades da sua sexualidade tão tardia quanto equívoca. Assim, não admira que lhe sobre tempo e descaramento para produzir perguntas idiotas de idiota escolha múltipla.

  22. revoltadinho :
    Camacho é livre de escolher o ombro onde apoia a coronha para disparar sobre o monstro que quer crescer.
    Monstro fraco, que não vale as buchas, quanto menos o cartucho do disparo.
    Os paladinos do choque e do pavor tem de saber que a estratégia que usam os leva ao telhado da embaixada, de onde fogem no helicóptero da ultissima hora. Não há paleio,por mais diletante, que esconda a evidência.
    E se um camarada, palavra que tem todo o respeito, está num momento,na trincheira errada, a verdade é que esse dispõe de outro campo de tiro, quiçá mais proveitoso que o nosso.
    Nós sabemos que vós sabeis para que lado cairá a Vitória : para o lado de quem a merece

  23. sabes quem é laplaine guimarães?
    procura por: submarino russo do cds.

  24. Samuel, este tipo é o mesmo que há umas duas semanas andou por aqui camuflado com um arbusto a que chamou “De Abril nasce Maio” e não passa de um infiltrado, um provocador, um “revoltado” de contrafacção. Estou a falar a sério. A sua missão é a do polícia à paisana que se infiltra numa manifestação pacífica, por uma causa justa, e desata a berrar slogans incendiários a despropósito, encenando um falso clima de excitação colectiva descontrolada. Depois, fingindo-se cada vez mais indignado e “revoltado”, começa a atirar pedras aos seus coleguinhas da bófia do outro lado da rua, os fardados, de modo a justificar a carga policial que se segue e a repressão e desmobilização da manifestação. Como infiltrado, como provocador, é essa a sua missão: desacreditar, enfraquecer, desmobilizar e desmoralizar o campo a que finge pertencer, imitando-lhe a linguagem, mas misturando distorções e exageros caricaturais que cobrem o discurso de ridículo, estupidificando-o e desacreditando-o. Creio até que sei quem é o gajo, um indefectível da quadrilha de Massamá que conheço pessoalmente, concretamente um ex-criado do Relvas que, quando este foi afastado da manjedoura, ficou momentaneamente desempregado. A confirmar-se, é tipo que, por dever de ofício, conhece muito bem o Aspirina, cuja leitura, por lhe conhecer as afinidades passos-coelhistas, lhe sugeri por mais de uma vez, provocatoriamente, há uma carrada de anos. Armado em Sherlock, chegou até a dizer-me, convencido de que me destapara a careca, que eu, Joaquim Camacho, era um dos autores do blogue. E, por mais que eu negasse, nessa altura acreditava nisso, o burro do caralho! Tal como parece continuar a acreditar, como todos os estúpidos, que estúpidos são todos os outros.

  25. E tens razão quanto a “camarada, palavra que tem todo o respeito”. O provocador infiltrado, como todas as putas, não tem camaradas, tem colegas.

  26. Mais benignidades humanitárias do império do bem. E, já agora, onde estão as indignações selectivas?

    https://www.rt.com/op-ed/526406-venezuelan-arrested-alex-saab/

    “The US’ persecution of Venezuelan envoy Saab, arrested in Cabo Verde, has nothing to do with alleged money laundering

    (…) And how is the US ensuring Cabo Verde’s compliance in all this? It’s using old-fashioned ‘gunboat diplomacy.’ Thus, as the Times explains, the US has anchored the navy cruiser USS San Jacinto off the coast of Cabo Verde to make sure Saab doesn’t somehow escape. While US officials claim they are doing this in response to “threats” by Venezuela to take all measures to protect Saab’s human rights, the presence of the gun ship appears calculated as much to coerce Cabo Verde as it is to prevent some rescue attempt by Venezuela or its ally Iran.

    And, so, while Saab remains in indefinite lockup with untreated cancer at the insistence of the US, Cabo Verde itself is suffering its own bullying at the hands of the US. The US’ actions in this regard are nothing but the last gasps of an empire in distress and impending collapse. As such, they must be resisted.”

  27. “… que me destapara a careca, que eu, Joaquim Camacho, era um dos autores do blogue. E, por mais que eu negasse, nessa altura acreditava nisso…”

    dass… topa-se e cheira à distância, nem percebo a necessidade de continuares a negar.

  28. Camarada Camacho:

    De uma vez por todas, deixa-te dessas tretas para entreter o pagode. A ti, que és relapso e coxo não apenas no corpo, mas também no pensamento, não resta alternativa que não seja a de, finalmente, cumprires o teu dever. Por isso, trata de dobrar a espinha e de ires trabalhar, que a latrina do regimento está à tua espera. Cheia e pestilenta, segundo dizem. E, em grande medida, por tua culpa, que lá deixas o melhor de ti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.