Comprem fraldas

Tudo o que Teixeira dos Santos diz das agências de rating, explicando aos distraídos que elas não devem ser confundidas com a Santa Casa da Misericórdia, seria dito pela direita mais vezes, mais alto e mais demoradamente se estivesse no Poder. Nesse caso, apareceriam inchados de nacionalismo bacoco, garantindo que a independência da Grei iria resistir aos algozes da alta finança internacional. Diriam que em Portugal mandam os portugueses, e que para governar existe o Governo.

Como não presta para nada, esta direita faz cocó nas calças e queixa-se da qualidade do ar.

4 thoughts on “Comprem fraldas”

  1. É, de facto a direita, caga-se para o país na maior parte do tempo e quando apanha a oportinidade de alargar a sua cagada diz coisas como disse hoje o “Paulinho das Feiras”, no debate quinzenal “…que Portugal está a ser vigiado…”. Vigiado por quem? Pelas Agências de Rating? Certo. E de que países são esses olheiros? Acaso os “seus” países não estão a ser vigiados, também? Estaremos sozinhos nas dificuldades? Fomos só nós que “prevaricamos”? Que propostas apresentaram esses partidos para inverter a situação? Se foi só o facto de “aprovarem” o Orçamento (o que não é despiciendo!!!)é muito pouco. Espero que não seja “dar” com uma mão e “tirar com a outra”, porque para aumentar despesa e baixar receita é timbre do Louçã e do Jerónimo, não precisaremos de “ajuda” da direita.

  2. Bom, o que não me cabe na paciência é que até há coisa de um ano, toda a gente, pindéricos e escol, não se inibiam de verbalizar aos quatro ventos que a culpa da crise pertencia às agências de rating (como se as mesmas tivessem o comando total e absoluto dos negócios da finança), que haviam introduzido no mercado informações pouco cautelosas e não verificadas, e que era preciso inverter essa situação e conter os fluxos de informação produzidos pelas ditas agências.

    E isto era dito em todos os media, nacionais e internacionais (claro que está que os nacionais limitavam-se a seguir o internacional, fazendo mais ou menos um copy & paste ranhoso daquilo que noutros países era dito. Até a isto já vamos estando habituados, mas inconformados).

    Agora, supreendentemente, as mesmas agências que não prestavam, as mesmíssimas, aparecem a falar daquilo que o gorverno de um pais deve ou não deve fazer…

    Isto cabe na cabeça de alguém ?!

    As pessoas têm dificuldade em aguentar durante tanto tempo, tantas histórias mal contadas.

    Depois admiram-se !… Qualquer dia só votam os filiados nos partidos e os tontos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.