7 thoughts on “Comparado com isto, o Joe não passa de um gatinho”

  1. Miau!

    Que é isso, a versão feminista do Tiger King?
    Duas tigresas e um leão. És um corrector incorrigível. :)
    Boa Páscoa pipol.

  2. A insanidade das pessoas, desrespeitando alarvemente a Ordem Natural, brincando com algo que é agora ainda mais claro (vírus que passam de animais selvagens para pessoas), apenas porque podem, apenas porque memorizam linhas de texto muito bem e aparecem bonitas nos ecrãs, apenas porque sim, apenas porque são privilegiadas e podem muita coisa. Resume-se a isto o desperdiçado talento destas duas degeneradas atrizes. Os anos 60 e 70 do século xx serão lembrados pela selvajaria a que remeteram a civlização ocidental e pelo torpe uso, ao serviço dos mais bestiais instintos humanos, do enorme avanço cientifico que o final do século xix e primeiras décadas do séc. xx nos trouxeram. O século xxi está, até ao dia de hoje e continuará certamente a estar, sintetizado naquele olhar de Bush filho para o vazio da sua consciência moral e intelectual, quando, em 2001, numa escola, foi informado do ataque às torres gémeas. O filme Vice é também um impressivo retrato de como a génese deste século foi marcada por uma perversidade ética, moral e intelectual que só tem paralelo com a do regime nazi.

  3. Joe Strummer, é no que dá ter sido alvo de assédio sexual pelo Hitchcock.
    __

    eu, trata-se do mesmo Joe que aparece no vídeo mais abaixo, o qual é a sensação do momento por causa de um documentário sobre a sua inacreditável pessoa na Netflix: “Tiger King”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.