Com bónus

Quando o caso BPN rebenta, a situação financeira e política mundial era de pânico absoluto. Nenhum governante tinha experiência de um problema cuja gravidade, dimensão e complexidade só comparavam nas suas ameaças com a Grande Depressão. Esse contexto de iminente implosão sistémica internacional, e esse clima emocional correspondente, explicam a decisão de nacionalizar rapidamente um BPN que, também para os decisores à época, parecia estar envolvido em perdas muito menores do que aquelas que depois se vieram a apurar. Talvez outras pessoas tivessem tomado outras decisões perante o mesmo problema. Nunca o saberemos. O que sabemos é que houve um consenso generalizado na sociedade quanto à racionalidade da decisão e um subsequente aproveitamento político à medida que se ia descobrindo o valor do prejuízo.

O caso BPN não foi usado pelo PS para fazer baixa política a propósito da cor política dos seus responsáveis e aproveitadores. O mesmo não se pode dizer da direita pulha e da esquerda pura e verdadeira, as quais se abraçaram exultantes de felicidade e partiram juntas para a caça ao Constâncio. Pouco importava que o Banco de Portugal não pudesse ter feito mais por falta de instrumentos de investigação para descobrir uma operação criminosa daquela tipologia. Atacar Constâncio satisfazia a oposição por inteiro porque a violência política ia toda acabar por atingir o PS, o objectivo comum, e porque tal permitia mitigar, ou até esconder, o escândalo associado à dimensão política daquele banco, objectivo da direita.

Agora, temos a direita calada, ou em aplauso, perante a actuação do Governador do Banco de Portugal. Contudo, 6 anos passaram desde o BPN, o homem está lá há 4 e a Troika está cá há 3. Aqueles que perseguiram, e perseguem, Vítor Constâncio como nunca perseguiram, nem perseguirão, os responsáveis pela roubalheira do BPN estão no Governo e dominam o Parlamento. Falta só acrescentar uma peça a este puzzle: Carlos Costa foi escolhido por Sócrates em 2010. Pouco tempo depois, o novel Governador andava a contribuir alegremente para o desgaste do frágil e cercado Governo que lhe tinha dado o lugar. Pedro Silva Pereira*, num grande momento de candura, chegou a contar a história do processo de decisão. Ele e a sua equipa tinham andado a ponderar alguns nomes e, ao sugerirem Carlos Costa a Sócrates, este respondeu: “Era também nele que eu estava a pensar!”. A história pode não ter sido exactamente assim, pois recordo sem fonte, mas não diverge no essencial.

Que misterioso desatino levou esse génio do crime chamado Sócrates, cujo plano passava por dominar televisões, jornais e rádios, para além de meter no bolso os milhões dos construtores para comprar apartamentos de luxo e sapatos, mais os milhões do BES para meter lá fora, bandido com uma actividade criminosa que já vinha do Governo de Guterres, e que terá começado a violar a lei na Covilhã, mas que o mais certo é ter as suas raízes mafiosas no próprio berço de madeira onde planeou os primeiros golpes ou nos genes que deviam ser estudados pela Judiciária, a escolher tão mal um Governador do Banco de Portugal numa altura em que teria dado tanto jeito ter lá uma marioneta para fazer aquelas falsificações nos números que ele fazia sempre que podia como supremo mentiroso que é?

Responder a essa pergunta tem como bónus encontrar a resposta a estoutra: por quanto mais tempo a direita voraz, protegida pela esquerda imbecil, vai encher a pança de riso de tanto tourear os portugueses?

__

* O nosso amigo assis diz que foi Teixeira dos Santos quem contou a historieta. E diz muito bem, como eu também já tinha referido e de tal estava completamente esquecido: Limites do bom senso. De facto, a matéria competia a Teixeira dos Santos e não ao Pedro Silva Pereira.

20 thoughts on “Com bónus”

  1. quem escolheu o bosta foi o teixeira dos santos, um nome consensual para acalmar pressão da santa aliança no caso bpn e o sócras abanou a cabeça para baixo porque tinha a noção da realidade, o lugar é emblemático e a regulação é póstuma, portanto a direita teria oportunidade de fazer melhor e foi o que se viu, começou a comprar tacos de golfe e acabou a abrir mais buracos no green do bes.

  2. sei ver que o texto encesta. mas não sei responder a essas questões – antes soubesse e talvez não precisasse de trabalhar como uma escrava.:-)

  3. vitor constancio depois do crime do bpn,não o mandaram para o tarrafal por que agora é museu,mas foi para perto com todas as mordomias atribuidas aos competentes.o penultimo governador da direita foi tavares moreira,a quem lhe sacaram a ” carta de conduçao” de bancos por 10 anos!

  4. valupi,a direita portuguesa quiz ter protagonismo ,e para isso, não há melhor do que uma crise sistemica identica à de 1929.tiveram azar.a europa nem uma comixão nos tomates sentiu! faltou-lhes o cherne para os por a coça-los!quem se fodeu foi o mexilhão.temos que ser honestos,esta promessa passos coelho não fez na campnha eleitoral!

  5. Todos os banqueiros e suas famílias em Portugal deviam ser permanentemente nudistas.

    Assim não usavam bolsos para guardar uma simples carteira.

    E mesmo os orificios corporais deviam ser apenas orifícios de saída, nunca de entrada.

    Sempre fui contra as minorias.

  6. Mr. Rato is part of a management team brought in last month to try to stabilize the lender. Mr. Rato, a former Lehman Brothers trader, previously helped run a small London hedge fund called Nau Capital LLP, according to regulatory records. Nau originally was seeded with a roughly €200 million investment from Banco Espírito Santo, according to public statements at the time.

    Mr. Rato’s partner at Nau Capital was João Poppe. Mr. Poppe is the nephew of Ricardo Espírito Santo Salgado, who last month resigned as Banco Espírito Santo’s chief executive and then was detained in a Portuguese money-laundering investigation.

    http://online.wsj.com/articles/espirito-santo-saga-entangles-swiss-company-1407149961

  7. ” Nenhum governante tinha experiência de um problema cuja gravidade, dimensão e complexidade só comparavam nas suas ameaças com a Grande Depressão “.

    Este valupe é de morte!

    Não tinham?? ? Então o k estavam lá a fazer?

    E disse o cabeça de garrafão com beiços de preto, o min das finanças de então, Teixeira qualquer-coisa, que o contrib. português não ia lá pôr um cêntimo, no PBN, não ia custar nada, nem um centavo ao erário público !

    Pois …! Mais ignorante e incompetente que isso, não pode …

    ha ver ;-)

  8. oh berdamerda, não foi o teixeira dos santos que concluiu o processo, que acabou por meter lá mais dinheiro e pagar aos angolanos para ficarem com o bpn, foi o governo do passos e o seu finistro das minanças gaspar.

  9. em resposta a ignatz:

    pois não, mas foi ele que iniciou e já agora, gostava de saber como teria concluído, caso ainda se mantivesse em funções ;-)

    E quem foi que deu cabo dos certificados de Aforro, Série B, e desse modo, escorraçou os aforristas, para os bancos privados ?

    Fui eu ?

    Os aforristas emprestavam ao Estado (dívida pública, portanto) com taxas baixíssimas, mas o Tio dos Santos preferia pagar taxas aos estrangeiros, (dívida pública, mas externa) que chegaram até 17% !!!

    Parece que na altura, estava lá no IGCP, a ML Albuquerque, e, parece que, também existe mãozinha dela, na merda, – isso foi já depois de ter feito a cagada com os swaps na CP ou Carris ou o caralho que foi (leia-se raio).

    O extra-ordinário argumento para destruir os CA – Série B, era de que eram um instrumento financeiro para ricos.
    Isso, não obstante, ter sido desmascarado e até, demonstrado, que média dos montantes lá depositados, era de menos de 1.000 Euros, em média, portanto, era coisa de pequenos aforradores (embora desse taxas atractivas) o verdadeiro motivo, foi, por um lado, abater à dívida e endireitar o déficit das contas do coiso (refiro-me ao desgoverno do PM com nome de filósofo grego), por outro lado, capitalizar os bancos privados, para onde foram transferidos os depósitos escorraçados.

    E não é que com um currículo adolescentemente imberbe, queriam fazer dela Comissária Europeia ???

    Foi o Moedas (mais um do Goldman, infiltrado em altas instâncias internacionais) boa jogada do Passos, tenho uma intuição que a grande ambição dele, é a de, um dia, ir para o Sachs. Vai uma apostinha?

  10. “berda”,fala-nos do actual governador.nunca ouvi vitor constancio dizer que o bpn tinha “almofada suficiente” .ou patrocinar duvidosos aumentos de capital! o que que soubemos,foi que dias loureiro (dignissimo e reverendissimo social democrata)foi queixar-se ao governador de que o bpn andava a ser perseguido pelo banco de portugal.o que se passou neste banco podia ter ensinado alguma coisa à direita,mas pelos vistos nada aprendeu.a banca e os homens da banca saõ homens sempre disponiveis para dar um tacho a um ex ministro do psd,ex deputado do psd ou filho ou filha de um ministro ou deputado do psd.eles até colocam seus altos funcionarios no parlamento como deputados para servir os seus interesses.proteger a banca privada está no adn dessa gente.termino com esta constação: foram aos milhares as pessoas que se dirigiram à (CGD) para depositar o dinheiro recuperado do bes.recordo que este banco é o que passos coelho quer privatizar,para mais tarde ter um lugar, quando for banido para sempre da politica!

  11. ò berdoso, a conversa começou no bes, saltaste para o bpn, não te agradou a resposta, piras-te para os certificados de aforro e antes de levares resposta já vais no moedas. a tua mãe que te ature que eu tenho uma ninhada de cachorros para cuidar.

  12. « nuno cm
    “berda”,fala-nos do actual governador.nunca ouvi vitor constancio dizer que o bpn tinha “almofada suficiente” .ou patrocinar duvidosos aumentos de capital »

    O Constâncio foi Governador do Banco de Portugal entre 1985 e 1986 e, novamente, de 2000 a 2010 .

    11 anos !

    Maior incompetente e F… da P… dificilmente se encontrará.

    Um dos maiores responsáveis pelo status quo. Devia ser pendurado pelos testículos.

    O actual governador, que não defendo, porque é tudo a mesma jorda, exigiu que fossem alertados os potenciais investidores, quanto ao risco do produto que estava a ser oferecido, lembro-me disso perfeitamente, precisamente por causa disso, eu nem sequer me enfiei no BES e naquilo da Dona Inércia que dava juros a 3% etc.

    Que queria que O Gov. do Banco de Portugal dissesse ?

    Que os bancos estão todos em risco de falência ?

    Aliás, você que é um socrático, deve saber isso muito bem, ou seja, que os bancos estão todos em risco de falência, haja em vista a caldeirada em que o seu ídolo nos meteu (bancos a financiar obras do Estado, com capitais próprios, e com reforços de empréstimos de capital estrangeiro, rendas inacreditáveis, impossibilidade de renegociar o que quer que seja, por causa dos interesses estrangeiros associados aos ditos empréstimos aos bancos nacionais, para enfiar nas PPP’s).

    NO dia em que se renegociarem as PPP’s e outras malfeitorias, sem dúvidas que bancos falirão, e , depositantes nacionais perderão o seu dinheiro, incluídos montantes abaixo de 100.000 Euros.

    Tachos ? Não me faça falar: Pina Moura, Jorge Coelho, António Vitorino …

    Foi Mário Soares, que falou com Miterrand, para se arranjar um parceiro/sócio para que o BES arrancasse. Surgiu o Crédit Agricole.

    Se tivesse falado com o caralho! (leia-se, caraças) e em vez de ser o cripto.burguês que sempre foi, e não socialista apenas em nome, muita desta merda, não tinha nunca surgido.

    E já agora, foi também o Median Carreira, então ministro das Finanças de um governo do Marocas, que deu a licença para o jardim Gonçalves abrir o BCP.

    Pois …

  13. « ignatz
    7 de Agosto de 2014 às 18:19

    ò berdoso, a conversa começou no bes, saltaste para o bpn, não te agradou a resposta, piras-te para os certificados de aforro e antes de levares resposta já vais no moedas. a tua mãe que te ature que eu tenho uma ninhada de cachorros para cuida »

    Não lhe agrada a conversa ?

    Cada qual junta-se com os seus “birds of the same flock …) vá lá cuidar da sua cachorrada, tenho coisas mais importantes com que preencher a minha vida,.
    Você e o valupe são dos mais nojentos neste coiso. Guterristas e socráticos ? Puta que os pariu !

  14. oh berdaleja! qual conversa? falas de tudo e não dizes ou provas néria, paraces um carrocel guiado por um taxista-leninista, fartas-te de andar e não sais do sítio. se calhar querias dizer “birds of the same feather flock together”, só que tens plumagem da gomes soeiro e és de arribação aqui no blogue. olha! pega lá um vídeo para aprimorares o estilo.
    https://www.youtube.com/watch?v=DmNKm9oU-Kk

  15. edie, a miss molly, porta voz da matilha manda generosa saudação em forma de mijada que acaba de fazer em cima do meu pé.

  16. Pingback: Com bónus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.