2 thoughts on “Coisas que valem o que valem”

  1. «And those who DO want, can they all?» E lá voltamos ao Assange (?)… Tanta coisa para dizer. Espero que a Susana não ande por perto.
    Se te referias às convulsões mediterrânicas, não sei se esses e essas que se manifestam nas ruas querem mudar o mundo… em geral. Mas aquela partezinha do mundo, sem dúvida. Hoje ouvi alguém dizer numa rádio francófona, em resposta a quem exalta a importância da Web na mudança do mundo, que (cito de cor) «as novas redes sociais, Twitter, Facebook, etc., não fazem as revoluções, apenas melhoram a comunicação. Para fazer uma revolução é preciso suor e coragem física. As revoluções não se fazem com lutadores sentados, no conforto do lar». Um ponto para discussão.

  2. Não me referia aos mediterrânicos em especial. É apenas uma platitude que faz bem recordar de quando em vez pois nos ajudar a contemplar o conjunto de que somos parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.