18 thoughts on “Coisas que explicam as coisas”

  1. Estamos em primeiro lugar, apesar da submissão, sem hipótese de fuga e com os olhos postos em nós. Eis o triunfo possível?!

  2. ele há homens assim , vão direitos ao óvulo vencendo as barreiras que as meninas constroem à volta. outros ficam à porta. é o que essa coisa significa , né ? é que para aplicar à política fica mesmo feio para quem desrespeita b e se apropria do poder à don juan , com manhas.

  3. também se pode interpretar assim ( gosto ) o x feminino vai logo direito ao cerne da coisa e o palerma y masculino anda para ali às voltas sem conseguir ultrapassar a casca !

  4. ora deixa cá ver,

    a que se deve a ideia das atitudes assertivas femininas e a palermice masculina? posso perguntar?

  5. Claro.
    Pois.
    Exactamente.
    Óbvio.
    Lá está! São precisas coisas como esta coisa para as coisas serem coisas menos coisas.

  6. Leitura Matemática:
    O conjunto A (X) está incluído no conjunto B (Y).
    O conjunto B (Y) inclui o conjunto A (X).

    Leitura Lógica:
    Todos os A são B;
    Alguns B são A;
    Alguns B não são A
    AIO = não acrescenta conhecimento.

    Leitura Física:
    A = núcleo (protões e neutrões)
    B = electrões
    Conclusão: não existe B sem o A

    Leitura Holística:
    Nenhum A existe sem B;
    Alguns B existem sem A;
    Alguns B não existem sem A.

    Leitura Biológica:
    A e B são interdependentes.

  7. L*,

    A sua leitura lógica apresenta uma premissa a mais, pelo que não é um silogismo, ou argumento, uma vez que visa persuadir. E não só, de duas premissas afirmativas, não pode concluir-se uma negativa.

  8. Certo.

    Parece um silogismo mas não é.

    Aliás, o tal termo médio é justamente o que falta no ‘grafismo’.

    Podemos introduzi-lo assim:

    Todos o A são seres humanos.
    Alguns B não são seres humanos.
    Alguns B são A

    Que tal ? ;)

  9. Ou seja, a sua conclusão inicial, antes de ter mudado a premissa menor, ou o que lhe quiser chamar uma vez que não é um silogismo.

  10. ahaha! é assim que eu me derreto com o povo português, tão giros, eu acho que ali o x e o y são fronteiras, a fronteira é um lugar muito engraçado porque não é lá nem cá, como alguém já disse, topologicamente um ponto é de fronteira relativamente a um conjunto se qualquer sua vizinhança contém ponto(s) do conjunto e do seu complementar,

    ainda assim deixa pra lá que eu não fui à manif fui dar uma volta ao y.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.