Coisas do arco da velha

Confiança das empresas melhora mas a dos consumidores continua a cair

Fonte

*

O fenómeno tem singela explicação: enquanto os consumidores estão sob barragem cerrada da artilharia mediática e suas agendas comerciais e políticas, as empresas estão a produzir riqueza num mercado internacional que recupera mais rápido do que o previsto.

A oposição transformou o Parlamento numa esquadra salazarista. A perseguição ao Governo não é uma fiscalização porque quem fiscaliza não parte de uma convicção de culpa. Fiscalizar é uma actividade silenciosa, rigorosa, demonstrativa. Nas variadas comissões de inquérito, ao invés, os deputados da oposição são panfletários, comicieiros, debochados na sua arrogância conclusiva. O que os motiva e anima é o frenesim da caçada, o tiro ao alvo.

Esta oposição negativa, cujas raízes ultrapassam a dimensão política, vê roubalheiras em qualquer acto do Governo, tantos os que são razão de orgulho popular, como o projecto Magalhães e inovação escolar associada, como os que nem sequer dependem do Executivo nem chegaram a realizar-se, como o negócio PT/Prisa. Os que alimentam esta forma de fazer política, constantemente pondo em causa a honorabilidade dos governantes, são de um primarismo animal. Fanáticos.

Como é velha, e relha, a nossa oposição.

48 thoughts on “Coisas do arco da velha”

  1. Cristalino Val.A agenda mediatica é obviamente um imenso PSD.
    Nestes ultimos dias com a crise do abaixamento da divida publica pelos abutres internacionais, apareceram os lobos internos a exigir a paragem do lançamento das grandes obras publicas, que afinal foi e é o unico motivo de preocupação da agenda cavaquista e da direita neste ultimos anos. Caso o governo deixe cair esta aposta no investimento publico para relançar a economia e dotar o país de estruturas necessários a obviar a sua periferização, então o PS já lá não está a fazer nada.

  2. Não é bem assim, Sinhã. Por essa ordem de idéias as sondagens eleitorais, que também são inquéritos qualitativos de conjuntura, não valiam nada…

    Por outro lado, os técnicos do INE são altamente competentes, logo não me parece justa a analogia com a oposição.

  3. e valem o que valem. isto das probabilidades é tudo muito relativo. também eu sou muito qualificada e basta querer – ou enganar sem querer – para um estudo sectorial sair enganado. :-)

    (e a relatividade dos conceitos de competência, eficiência e eficácia, até na oposição, são uma realidade). :-)

    conclusão: os frequentadores do aspirina gostam de politica – uma estatística verdadeiramente relativa. e eu não gosto – uma verdade absoluta. :-)

  4. K, que radical. Então, quem é que estás a ver a substituir o PS no Governo?
    Que alternativa tem um governo minoritário, debaixo de ataques (baixos) permanentes de toda a oposição e agora esta guerra dos ratings, que não passe por reavaliar os projectos de investimento?
    Não há dúvida que são presos por ter cão e por não ter…

  5. Guida, é radical achar que um cão deve continuar a ser um cão e não uma serpente? Achas que o PS deve governar com o programa da direita? Eu não sou radical a merda deste mainstream é que já perdeu todo o sentido de tão subvertido que está. Contra a mão invisivel uma mão morta.
    Adolfo sempre!!!

  6. O governo aqui peca por não fazer mais divulgação do que está a correr bem na parte empresarial e que leva a esse aumento de confiança.
    Porra, façam barulho, também! E depois que sejam acusados de fazer campanha…so what?

  7. Depois de me teres feito ver o vídeo dos mão morta (só aguentei ver o primeiro), ficas obrigado a explicar-me melhor essa passagem de cão para serpente.
    O ministro não falou em suspender coisa nenhuma, falou em reavaliar prioridades. Parece-me normal que tenham de fazer cedências em relação ao programa, a oposição não lhes dá alternativa. Mesmo o Passinhos, tão colaborante e preocupado com a ‘situação’ do País, vai para Espanha dar entrevistas a dizer que se Sócrates continuar com políticas arrogantes não acaba a legislatura. Umas no cravo e outras… ao lado. Se calhar o Adolfo tem razão ‘é mais fácil fazer voar um avião’ do que entender a oposição (até rimou). :)

    ‘Governar com o programa da direita?’ Isto tem o seu quê de esquerda radical, não tem?

  8. Também só aguentei ver o primeiro, que aliás é muito eighties…
    Quanto a berraria dissonante, já chega.
    Continuo a dizer que agora me apetecia uns berros vindos, desta vez, dos “culpados” do costume.

    Guida, dizes que eles não estão em condições de levantar muito a voz…Será?
    Ontem uma analista dizia que quanto mais vontades fizerem à especulação financeira, mais alimentam a insegurança que lhe está associada (do género, “afinal havia razões para a insegurança dos mercados”).

    Eu cá não sei de especulação financeira, mas não me lembro de ter votado nela para governar o país…Cenas.

  9. Guida, o que eu disse (e mantenho) no 1º comentario é que “caso o governo…” ie “se…” não disse que iam fazer isto ou aquilo. E não tem nada de esquerda radical tem a ver sim com o programa do governo. A forma como se age em termos de relançamento da economia adoptando os principios mais keynesianos e menos os de Hayek (que por vezes se confunde com a espera de Godot..) é uma diferença ideologica fundamental e que com a margem estreita que hoje os governos têm para exercer o poder, absolutamente crítica.
    A questão do cão e da serpente é que o Ps tem que respeitar a sua natureza como partido social democrata e não adoptar a natureza de outros partidos.só isso.Se quiseres que te explique melhor tens que ver o outro video dos Mão Morta:))

  10. edie, dadas as circunstâncias (de governo minoritário), penso que o Governo tem tido o tom de voz certo e, para mal dos pecados da oposição, tem aguentado todos os ataques e, pasme-se, tem governado.

    Também não percebo nada de especulação financeira, mas o que vejo são os partidos a desvalorizarem os elogios, que por exemplo o PEC teve por parte de algumas entidades internacionais e a delirarem com estes ataques especulativos que, diga-se, lhes caíram como mel na sopa. Assim, não admira que Portugal se torne um alvo deste tipo de ataques, digo eu.
    Portanto, os tais sinais que têm de ser dados aos mercados, provavelmente, têm de incluir negociações com a oposição e reavaliações de alguns projectos.

    Maioria absoluta, volta estás perdoada. :)

  11. K.
    Compreendo o que dizes e concordo. Mas estou em crer que a situação actual é um pouco mais complicada e de repente até parece que os partidos de direita ganharam razão e, também por isso, é absolutamente fundamental o mundo perceber quem está a mandar nas agencias de rating. O que está acontecer tem consequências devastadoras, como temos vindo a assistir e faz-me muita impressão não serem desenhadas soluções. Parece que uma parte do mundo está à espera que a outra parte “abra falência”.

  12. K, qual é o motivo para o actual estado das contas públicas, não foi exactamente por o Governo PS não ter abdicado da sua natureza e ter investido forte no apoio às famílias, aos desempregados, às empresas, enfim, às vítimas daquela crise internacional que andou ou anda por aí, sem, contudo, ter esquecido o investimento público, nas escolas, nas energias, etc.? Parece que já todos se esqueceram da crise e das suas consequências. Aliás, ainda ontem ouvi um desses catastrofistas de serviço (já não lembro qual) dizer que este ataque especulativo é muito mais grave que a crise, desvalorizando-a, portanto.

    Não me convenceste, vou ver o vídeo. Manda jogo. :)

  13. Carmen, não penses que não tenho isso em conta. Ainda assim a direita está a aproveitar esta crise especulativa para fazer vingar o seu programa, e o PS não pode ceder no fundamental.Tudo passará assim que a senhorita Merkel se chegue à frente apos as eleições
    internas. Quem manda nas agências de rating? Os especuladores!! A questão é mais profunda e tem a ver com a vontade de os lideres mundiais quererem reformar ou não o sistema financeiro mundial.

  14. Mas Guida eu estou de acordo com tudo o que disseste…o que eu digo é que o PS não pode ceder a esta chantagem/pressão que está a ser feita p/que abandone o seu nucleo de politicas fundamentais de cariz marcadamente social democrata, como as que tu resumiste que foi feito no passado.

  15. K, antes de os acusar do que quer que seja, temos de esperar para ver que medidas vai o Governo tomar. Essas pressões e chantagens tem sido constantes desde que o Governo tomou posse. Agora, não é possível é fazer omoletes sem ovos (e sem uma oposição digna desse nome), não é, K?

  16. Parece-me óbvio que a direita está a utilizar uma nova “mise en cène”, nomeadamente o PPC, que vai metendo a “estopa” de que o PM está cansado e já não governa e repetindo, repetindo, repetindo, até que já se vai ouvindo algumas pessoas que têm sido apoiantes deste Governo a “entrar” na patranha. O argumento deles é que há Ministros que não se sabe onde estão, que estão desaparecidos, etc, etc. O que seria se falassem muito. Propaganda.Mas como toda esta situação dos vampiros não fosse grave, ainda temos tacticismos rascas. O PS tem de se fazer ouvir com força e o “K” tem razão quando diz que não se deve submeter ao programa da direita!

  17. val, há um ano atrás a situação era a oposta. as empresas na agonia (sem encomendas e sem crédito, lá teve que ser o estado a entrar com a massa e consquentemente a dívida pública a aumentar) e as pessoas cheios de confiança (excepto os desempregados, novos e velhos) devido à inflação negativa e consequente aumento do poder de compra. sendo optimista, a economia nacional vai melhorar (até porque vêm aí os novos modelos da autoeuropa) a não ser que algum rubini&associados queira rebentar com esta cena toda (a crise do subprime não foi suficiente para essa malta).

  18. guida,

    coragem e resultados não têm faltado a este governo (incluo o anterior). Mas parece que falta voz. Tu própria dizes que os partidos desvalorizam os elogios que vêm de fora e que isso contribui para que Portugal se torne alvo dos ataques especulativos. Não deveria o PS e o seu governo fazer-se ouvir na valorização desses elogios? O que chega aos ouvidos já um pouco empedernidos da opinião pública é um sussuro. Não chega. E os indicadores de falta de confiança interna aí estão.

    Não digo que não se negoceie, mas é o governo que tem de impôr as condições de negociação e não o contrário.

  19. ah claro , devem ser os 100% de confiança da mota e engil e da sá couto que elevaram a média de confiança das empresas para valores upa upa… mas tenho ideia que trabalham com dinheiro dos contribuintes/consumidores no mercado estatal . deve ser por isso que estes últimos estão tão em baixo…compram o que não querem e não piam .

  20. mf,

    não digas disparates. Sabes que estamos no top 2 de exportação de tecnologias de informação na Europa? Basicamente são empresas portuguesas de dimensão média.Trabalham para o mercado privado internacional.

    presentaram projectos de inovação e de exportação, o estado apoiou e a coisa aconteceu.
    Neste sector exportamos mais do que importamos. Chega de bota-abaixo básico. Hoje quero fazer barulho.

  21. edie, se tivermos em conta a gritaria que se tem feito, nestes seis meses, à volta dos ‘casos’ é natural que a voz do Governo não se faça ouvir nas melhores condições. Primeiro foi a Face Oculta. A atenção mediática estava toda virada para a Felícia Cabrita e para o Sol que brilhava a cada sexta-feira. Entretanto, são as comissões parlamentares e respectivas peripécias, que têm sido muitas. Não tarda os jornalistas não podem passar sem elas. Agora, um ataquezinho das agências de rating, que calha mesmo bem, não vá a malta fartar-se das comissões, há que diversificar os ataques ao Governo. De vez em quando, há alguém que acorda e tem a lata de perguntar o que andam a fazer os ministros, como se a comunicação social (aquela que o Governo tem toda controladinha) quisesse saber. Pelo contrário, quanto mais pessimista for o discurso de qualquer opinante mas impacto tem.

    Mas no meio desta algazarra, Sócrates conseguiu aprovar o orçamento e o PEC. Não consta que tenha sido o PSD a impor-se, foram criticados por não o terem feito. Pelo que percebi o Passos Coelho também já está a ser criticado, parece que não se impôs e deixou o Engenheiro avançar com a construção de uma auto-estrada. Mais uma tragédia… parecem cogumelos. :)

  22. Bom, vamos lá ver. Se a comunicação social só liga o microfone quando há peixeirada e criação de pseudo-casos, concordo que não é fácil atravessar essa barreira de ruído.

    Por outro lado, e pelo que se vê, em política não basta fazer, é preciso mostrar que se fez.

    Uma conferência de imprensa ou outra para explicar os avanços e sucessos que tenho de saber pela imprensa estrangeira não fazia mal a ninguém…

  23. Olha, o Ministro das Obras Públicas parece que deu uma hoje. Talvez tenha algum impacto, é capaz de ter dado cabo dos nervos a uns quantos. :)

  24. “As empresas estão a produzir riqueza”. Confirmo. O meu singelo testemunho no ramo da carga aérea:

    Março 2010 versus Março 09 – 27%
    Jan/Mar 2010 versus Jan/Mar 09 21%
    No mês de Abril as cinzas foram uma oportunidade/vantagem em direcção a África e Brasil. Não se registaram quebras em relação a Março … antes pelo contrário.

    Sendo a minha actividade muito temperamental, na medida em que é a mais onerosa no ramos dos transportes, presumo que a via superfície tenha incrementado ainda mais … veremos. Acredito que estamos a sair da crise … mas não interessa aos media revelá-lo. A função destes é incentivar a depressão colectiva… “Coisas de Arco da Velha”!

  25. É isso Margarido. Até porque para as grandes obras públicas tem apoio parlamentar à esquerda.O PS não pode só negociar à direita tem que negociar com todos conforme as leis/projectos. Dar só a mão à direita é um suicidio.
    Mas o que é certo é que começa a existir uma certa aculturação ao discurso mediático de direita que vai influindo na percepção politica das situações.

  26. Mas é o PS que não quer negociar à esquerda ou é a esquerda que não quer negociar com ninguém?
    E quanto a isso de o PS não poder submeter-se ao programa da direita, devo andar muito distraída, mas o PSD já tem programa? Já têm ideias para o País? Coitados, ainda se fazem ouvir pior do que o Governo, tirando que querem alterar a Constituição, e adiar/suspender o TGV e o aeroporto, não tive conhecimento de outras ideias. Lapso meu, com certeza. Ah, também querem privatizar a RTP, uma excelente medida para resolver os nossos problemas económicos e não só, lá está.

  27. Guida, todos têm que negociar com todos. Não acredites muito na mercearia mediatica ou nas ideias força que os aparelhos partidários querem fazer passar para marcar espaço politico. Convem não confundir os niveis.Governar em minoria é isso mesmo, gerir equilibrios de modo a fazer cumprir um programa e para isso é preciso negociar tanto à esquerda como à direita. Isto vai para alem dos ódios e traições, dos amores e desamores e da coreografia politica.
    A direita não é só o PSD, é o PR é o CDS e um conjunto de forças politico/economicas ( O Compro isso Portugal por exemplo) que dizem claramente que não querem as grandes obras publicas (entre outras coisas) querem a privatização da saúde etc… e têm um lobby muito forte que se espelha em toda a comunicação social. O programa da direita toda a gente sabe qual é, os programas do PSD ou do CDS são (na minha opinião) somente pormenores com algumas diferenças de grau.

  28. K, não percebi o teu comentário. Queres que acredite em quê? Não no que vejo o BE e o PCP fazerem e dizerem? Encho-me de fé e acredito (porque sim) que lá no fundo, estão ali para ajudarem o Governo a resolver os problemas do País. Os ataques que têm feito, por exemplo, através das comissões parlamentares, afinal, são só para despistar pessoas como eu, crédulas na ‘mercearia mediática’. Não deixa de ter a sua piada, se for para atacar o Governo, a direita e a esquerda fazem coligações negativas (negativas é favor), sem que daí venha mal ao mundo. Se for o Governo a aliar-se a qualquer deles para poder governar, cai o Carmo e a Trindade. Talvez pelo mesmo processo de me encher de fé, alcance a lógica disto. :)

    Pois, eu não devo ser gente, é que desde a campanha para as legislativas, onde não se vislumbrou ideia nenhuma da direita (há quem diga que foi por isso mesmo que perderam), continuo sem conhecer o programa da direita (os ataques ao carácter do primeiro-ministro não contam). Se têm planos para privatizar a educação, saúde, etc. que os ponham preto no branco. Estão à espera de quê? Que Sócrates caia primeiro? Ai os malandros…

  29. Não, guida. A ideia é mesmo não ter programa, porque ter programa pode tornar-se impopular e faz perder votos (ainda mais votos). Por isso, o Pedro Passos Coelho já se preparar para deitar pelo cano as ideias soltas que tinha (arremedos de programa), já que a revisão constitucional que pede, não passa, e, por isso, as medidas não serão possíveis.
    E ele até queria, mas não deixaram, e tal…

  30. mf,

    eu – mas isto sou eu – quando já não posso ouvir falar num assunto, não salto para dentro da respectiva discussão, cheia de convicções e assim…

  31. Tens razão, edie. Não precisam de programa para nada, agora têm o Passos Coelho, que é todo um programa, até vai à frente nas sondagens. Dizem que há muito não acontecia o PSD à frente do PS. Mas eu acho que há muito mais tempo que uma sondagem não tinha tanto impacto. Já me fartei de rir com uns malucos numa rádio que lhe dedicaram uma cantiguinha. Começava com o Passos a ver-se muito ao espelho e acabava tudo na Foz do Arelho, para rimar. :)

  32. Guida, eu não disse que o BE e o PC não são irredutiveis, nem que não existe ou existiram coligações negativas,etc…alías já aqui bastas vezes exprimi a minha opinião quanto a isso. Agora a realidade, a dura realidade, é que é ao Governo que compete assegurar a governabilidade e criar condições para aplicar o seu programa e para isso tem que negociar, e eu digo que o deve fazer igualmente à direita e à esquerda, sem ficar refem de nenhum deles.Qual é a tua duvida, afinal??

  33. K, negociar significa o quê? Aplicar o programa sem cedências?
    Quem ontem disse que se o Governo deixasse cair a aposta no investimento público, já não estaria lá a fazer nada, foste tu. Não admites cedências, isso não é negociar. Além disso a tua crítica foi precipitada, já que o Governo afinal não deixou cair coisa nenhuma.

    Estamos de acordo que a negociação deve ser à esquerda e à direita, mas acontece, e repito, que a esquerda não está interessada, são irredutíveis, como dizes. Achas que o Governo deve negociar com eles à força? Já agora diz lá como fará tal coisa.

  34. Percebo-te K. pelo menos há que tentar, concordo. E de repente parece que nem tentativas existem.

    O que irrita é que a nossa estrutura de direita não é completamente retrógrada. Fixam-se demagogicamente num certo discurso que nunca é construtivo, é por várias vezes fico espantada pelas acusações que são feitas ao PS. Historicamente, quem “salva” país é o PS, quem o afunda é o PSD. Isto deveria ser dito com maior ênfase.

  35. Guida, acho que deves tentar ler outra vez o que eu “disse” ou então veres outro video dos Mão Morta.

    Carmen, é isso. E repara, a direita ainda não quer governar, só quer impôr o máximo das suas propostas p/que o Ps assuma os custos negativos da governação p/depois no próximo com Cavaco eleito tentar o assalto final.

  36. Mais Mão Morta não, K. Ainda por cima tenho a música dedicada ao Passos Coelho na cabeça. Nada feito. :)

    És muito pedinchão, agora é reler. Então e as tuas respostas às minhas perguntas? Como é que se negoceia com quem não quer? É que é por isso que se critica o Governo por estar a ceder à direita, ou não?

  37. Só se for nos vídeos dos Mão Morta. As papoilas e o vento, a liberdade e um polícia que prende toda a gente. Pois, tenho de os ouvir mais vezes. :)

  38. Pois é, caro Valupi.
    O termo fiscalizar já tem essa carga policial e pidesca.
    Usaria o termo auditar.
    Quem já fez auditorias ou já foi sujeito a auditorias sabe que as mesmas não partem do pressuposto que há culpados ( outro termo a rever, já que relembra o cheiro bolorento de confessionários de igreja, eu substituia-o por : responsáveis ).
    Auditar presupõe objectividade e uma check list que premita identificar o que funciona mal para depois se definirem accões correctivas.
    Dir-meão que isso não se aplica à actividade política.
    Eu diria que estão errados os que assim pensam.
    Bom fim de semana.

  39. Estou deveras ansioso que o PS vá para a oposição para que esta deixe de ser “velha e relha”.
    Sim, porque todos nós sabemos que o PS actua sempre de forma moderna, transparente, e nada politiqueira, quer esteja no governo ou na oposição.
    Deste modo, e uma vez que nunca teremos um governo de jeito, que tenhamos ao menos uma oposição responsável e isso só será possível com a colaboração do PS.
    …e por mil anos, peço eu!

  40. Quem não pede não ouve Deus, Mário Pinto.
    Não seja tão pessimista, claro que teremos um Governo de jeito. Um país que dá à luz alguém com a sua clarividência não há-de ter um dia um primeiro-ministro de jeito. Então, acha que a Natureza só foi generosa consigo? :)

  41. guida,

    eu, que até sou crente, acho que estás a dar maus conselhos ao Mário Pinto. Isto não vai lá com preces. Se ele quer ver o PS na oposição, vai ter que pôr a cruz e no papel, lá no psd…e por mil anos!

  42. Nesta questão sou meio crente. Ou seja, acredito que o PS aguenta tranquilamente mil anos ou mais na oposição, já o PSD no Governo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.