Chá, café ou laranjada?

“São momentos de angústia para muitas pessoas em Portugal, é preciso dizer que nós não nos deixamos vencer por essas dificuldades”, disse hoje Passos Coelho, discursando na sessão do 38º aniversário do PSD.

“Mais, as pessoas esperam que quem está no Governo não ande a chorar, mas, pelo contrário seja mobilizador, para que aqueles que têm capacidade para acrescentar valor e para mudar as coisas no país se sintam mais confortados, mais confiantes de que esse é o caminho que vale a pena fazer”, frisou.

Fonte

__

Com o PSD no Governo, as pessoas esperam força, virilidade, garbo, diz-nos Passos. O discurso tem de ser mobilizador, de forma a confortar aqueles que acrescentam valor e mudam as coisas, esses heróis da revolução laranja. São esses que têm de se encher de confiança de forma a conseguirem resistir à angústia dos outros e evitarem o contágio da sua fraqueza, esses muitos que não acrescentam valor e não mudam as coisas.

Com o PS no Governo, as pessoas esperam a verdade e nada mais do que a verdade. A verdade, como se sabe, não é bonita quando governam os socialistas, porque os socialistas estragam tudo, desperdiçam recursos, abandalham a fazenda pública, mentem, roubam e levam o País à bancarrota.

E é isto. O PSD é isto e não mais do que isto.

3 thoughts on “Chá, café ou laranjada?”

  1. E o discurso penetra até no mais recôndito do Portugal Profundo, no povo que sempre viveu da terra e para a terra e agora se recrimina impiedosamente por ter vivido acima das suas possibilidades, que são as facilidades do facilitismo socialista comuista e outros esquerdismos. Foram enganados e arrastados para o abismo por irresponsáveis esquerdistas e o pior de todos foi o último a governar durante seis anos de desvario completo que conduziu o país directamente ao abismo.
    A forca é pouco, mas como já não se usa, esventre-se o homem com o punhal da calúnia!
    E o trabalho está a ser feito meticulosamente e com sucesso. Portugal Profundo aprecia, aplaude e só não entra e delirio porque está anémico pelos sacrificios que a esquerda o faz agora suportar às mãos da direita redentora.

  2. Estadeando uma pose que só os grandes estadistas usam e nas grandes ocasiões,o láparo que gramamos no (des)governo,saiu-se com esta proclama:Vai trabalhar com Holland numa agenda ambiciosa!Quem lhe emprestou o dicionário de sinónimos descuidou-se e não lhe reviu as provas.É que a da “agenda ambiciosa”para lá do ridículo de um pressuposto tu cá,tu lá com uma personalidade que foi eleito por defender o oposto do seguidismo do láparo,é de um bacoquismo que não só envergonha, é patético.

  3. como é??? então já não é o eixo Merkozy, passa a ser o Coelhande?

    Ó balha-me deus, internem o senhor, isso não é patetice, é demência. Entrou em burnout, pobrezinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.