Cercados

Está publicado um capítulo do livro “Cercado“: A queda de Sócrates começou aqui. As escutas do curso mal explicado. É uma leitura instrutiva para o estudo de Sócrates enquanto fenómeno, sem paralelo conhecido em Portugal, de obsessão, exploração e manipulação por profissionais da imprensa e da política.

O texto abre com a descrição da trip egóica do António Caldeira, um fulano que se imaginava a despistar uma legião de agentes secretos ao serviço do super-criminoso Sócrates. Tempos maravilhosos. Injecções de adrenalina. O coração a recuperar a frescura dos 12 anos e aquela certeza de que os “Os Cinco” existiam em carne e osso algures na Inglaterra.

Seguem-se as peripécias conhecidas, desde o lançamento da calúnia no blogue do Caldeira até ao seu relançamento pelo Público de um Zé Manel em modo vendetta, contadas por Fernando Esteves num estilo Corín Tellado a merecer justo aplauso. É sempre de elogiar quando um autor veste a farda do vendedor de atoalhados na Feira da Malveira e se mostra orgulhoso com a obra feita. Basta dar um único exemplo:

Se o ódio e a irritação fossem material inflamável, Lisboa ardia nesta manhã, no preciso micromilésimo de segundo em que Sócrates olha para a peça assinada por Felner. Tanta conversa, tanto tempo, tanta pressão, frenesim e excitação para nada. O texto sai – e o socialista explode.

Não estamos perante a excepção mas face à norma. Todo o capítulo – donde, todo o livro, e esteja lá o que estiver – obedece a esta lógica sensacionalista e delirante onde o autor repete ad nauseam a sua visão caricatural de um Sócrates iracundo, tiranete e falho de carácter. Nas declarações que tem feito na promoção livro, este Esteves não se preocupa em esconder ao que vem: trata-se de garantir que Sócrates está politicamente morto. Haja ou não haja condenação na Justiça, a obra aí fica para que ninguém possa alegar desconhecer a natureza do monstro. Entretanto, se fizer uns cobres com a pulhice, também não virá daí grande mal ao mundo.

Ricardo Costa apresentou o livro no seu lançamento. Não faço ideia do que disse. Sei que o seu endosso a mais este produto da indústria da calúnia ilustra à saciedade, e à sociedade, como estamos cercados pela decadência.

43 thoughts on “Cercados”

  1. nem de propósito…

    MÁRIO SOARES sobre o mesmo tema:
    “No dia 14 de maio, quinta-feira, houve à volta de José Sócrates a primeira página de uma revista e de um jornal e ainda o lançamento de um livro. Nenhuma destas coisas tem algo de especialmente interessante e não esclarece nada. É pura maledicência.

    Em qualquer dos casos é alimentado por violação do segredo de justiça. O segredo de justiça que foi feito para proteger a honra das pessoas. Vê-se, assim, que afinal o segredo de justiça serve apenas para vender papel.

    O juiz Carlos Alexandre não deve estar nada confortável com o que está a suceder, dado que é ele o principal responsável pela segurança do processo.”

  2. o livro é a peça que faltava juntar aos autos para sustentar as teorias da acusação e via servir de inspiração os próximos acordãos. se o morais mandou os seus artigos de opinião à procuradoria para justificar as denúncias que fez, porque é que este babuínocaldeira2 não há-de fazer o mesmo? como é que se fazia prova da ressonância da verdade se não houvesse material publicado?

  3. Tenho acompanhado (e comentado com a minha débil literacia) esta rocambolesca “peça” da prisão de Sócrates e tudo e todos os que à sua volta se alimentam da dita.
    Não sei como tudo isto vai acabar, quer para Socrates, quer para o PS, que sobretudo para a democracia em Portugal, mas há uma coisa que do alto da minha multifacetada experiência de 66 anos de vida eu sei, melhor, tenho a certeza: – Isto vai acabar mal, muito mal mesmo.

  4. o que me preocupa,é ver a “justiça” a cagar setenças no correio da manha, gente, e sábado.tudo gente com o mesmo patrão.pergunto: já voltou haver almoços gratis?

  5. Lixo sempre se publicou e há-de publicar. Como o Val assinala, o relevante, neste caso, é ver Ricardo Costa juntar-se a ele. Sem bancos próprios, sem empresas próprias, sem política externa própria, cercados de Josés Antónios Saraivas e Marcos Antónios Costas. Portugal acabou.

  6. “Ricardo Costa apresentou o livro no seu lançamento. Não faço ideia do que disse. Sei que o seu endosso a mais este produto da indústria da calúnia ilustra à saciedade, e à sociedade, como estamos cercados pela decadência.”

    O Valupi parece que só agora reparou na posição de ricardo costa como um dos mais assanhados em defender o ti bolsanamão e iguais e por tal querer evitar a todo custo que o irmão chegue a 1º ministro de Portugal.
    E não percebeu que o tal de vieira é subdiretor do jornal de que rc é diretor e que, portanto, o artigo do vieira não sairia nunca sem a conivência do ricardinho fedorento.
    Logo, pensando racionalmente, o tal sms de António Costa nunca foi para vieira, o que assinou o texto, mas para o alvo acima e chefe do vieira fretista.
    AC disse o que disse ao vieira para recado ao maninho reacionário e fdp que o pai lhe deu; não se tratou propriamente de maus fígados contra a liberdade de imprensa mas contra a filhdaputice íntolorável do maninho insuportável.

  7. Mas, então, cada um tem direito à sua opinião. Se esta é difamatória, haverá que processá-la.
    O curioso é que haja tanta alma omnisciente e omnipresente – a tudo assistiram e tudo sabem. Tem de ser, caso contrário não qualificavam ab initio qualquer escrito como difamatório. Será que a verdade fática no que concerne a José Sócrates é sempre objetiva?

    Mas mais curioso é que os FERRACOLHOS e IGNORANTEZES assistem, pois o afirmam e não admitem quem contra eles vá, ao linchamento de um ser humano que, em boa verdade, corre riscos de ser canonizado. Beatificado já está. E nada fazem…limitam-se a gastar as energias nos que publicam as suas ideias.

  8. José Sócrates foi posto na situação de bode expiatório dos problemas nacionais. Ele foi forçado, pela crise de 2008 e pelas pressões das elites económicas internacionais e nacionais, a assinar o Memorando de com a troika, cuja consequência previsível era o aniquilamento social e económico do país, e que arrastaria o PS para o mesmo buraco que engoliu o PASOK, na Grécia.

    Porém, não contaram com Marco António e restante laranjal — bem representado por Miguel Relvas — que se lamentava, em desespero, durante os seis longos anos em que Sócrates os havia impedido de chegar aos lugares VIP da governação. Vai daí e Marco António, em contra-mão com os interesses tácticos das elites internacionais e nacionais, envia um ultimato a Passos: ou liquidas tu o Sócrates — chumbando-lhe o PEC-4 — ou o PSD liquida-te a ti. Esse ultimato desgraçou o estratagema das referidas elites; que, quais amigos de Peniche, esperavam sujeitar Portugal a uma golpaça populucha, ao estilo Ucrânia 2014. Ora, não fora a precipitação do laranjal, Passos não teria precisado de chumbar nem o PEC-4, nem todas as seguintes prestações do Memorando, que estavam na calha; nem o “asset” português número um das elites internacionais, Vítor Gaspar, um homem devidamente evangelizado nas artes económicas neoliberais, haveria de ser desperdiçado a tomar conta dos nubentes Passos e Portas.

    Ainda por cima, desgraça das desgraças, o malfadado Vítor Gaspar acabou sendo o alvo primeiro dos mimos das multidões iradas, em Setembro de 2012; quando, nos planos dos nossos “amigos” de Washington DC e de Berlim, deveria ter sido Sócrates a ser linchado pelas multidões iradas, nesse mesmo Verão. E assim perderam Vítor Gaspar, ele que era apontado como um futuro Salazar, capaz de governar o país com o suporte da propaganda do ditador e da teoria económica neoliberal, em substituição das colónias! (Com os tugas a substituir os “pretos”, obviamente).

    Quanto à prisão de Sócrates ela foi, tão só, uma vingança irreflectida, que talvez venha a causar graves danos às elites internacionais, num futuro que se avizinha. A Ucrânia e a Grécia irão falhar os próximos pagamentos da dívida. Neste momento, já lhes servia que a Ucrânia acabasse como país — Kerry até foi, de urgência, falar com Putin — mas o tempo escasseia. A partir do “default” da Ucrânia, da Grécia, ou de ambos em conjunto, o que vai acontecer ao resto das dívidas? Se olharmos para o passado, o mais provável é haver uma onda de reestruturações de dívidas. Quanto maior for o pânico, nos mercados financeiros, mais favoráveis poderão ser essas reestruturações (para os devedores). Líderes aguerridos — e com sede de justiça — irão ser precisos, durante as negociações.

  9. Vá lá, mexam-se. Tendes tantos «argumentos» e estais tão cientes da V/razão. Dizei-me: sois masoquistas? Pois, então, deixais estar um homem inocente, perseguido, preso? Como sobreviveis com a V/ consciência? Ou tão só preferis criticar e derramar distrações perante desafios como este? Fazei-vos conhecer, vós os fortes que qualificais os que se vos opõem como algo a não considerar?

  10. Onde quer que seja que se manifeste uma opinião dissonante relativamente à tese que defende ser a Justiça confiável, lá aparece alguém em representação do celebrado movimento ” Magistrados Unidos VIP” a chamar a plebe à ordem ! E a ordem é clara : quem tiver dúvidas sobre a justeza da Justiça, pois que peça esclarecimentos à…Justiça ! Como se as engrenagens ficcionadas na RTP 2 ( sob a péssima tradução ” Crime e Castigo” ) não tivessem nada a ver com a realidade! Comparada com o modus opereandi desta esta gentinha, qualquer máfia é uma brincadeira de crianças !

  11. numbejonada, nunca dissemos que socrates é inocente.simplesmente lamentamos que se tenha detido com o argumento do perigo de fuga, e volvidos estes meses (para quem não lê o correio da manhã) ainda não conhecemos do que é acusado.lamento tambem o seu silencio perante tanta fuga de informação para um único jornal.termino com a pergunta que fiz anteriormente. já há almoços gratis?

  12. Ó cegueta segue o link do rodrigues e se não perceberes o que lá está escrito, não percebes nada.

  13. Inteiramente de acordo como joaopft. Vamos ter de enfrentar tempos muito complicados e na UE nada vai ser como tem sido com esses líderes que ninguém elegeu e que tudo pisam. Entretanto, na cena doméstica, é esta miséria de governo e a completa lama dos caluniadores da estirpe do Balbino Caldeira, um pide falhado.

  14. O Nunbejonada deu-me uma ideia brilhante. Porque não fazer uma petição, onde conste: “Sim á canonização do 44” ?
    Vou já tratar disso. :)

  15. Verdadeiramente, confirma-se que continua a haver quem se sujeita a viver com um pulha dentro de si.

  16. Caro Fifi,

    Quanto aos almoços, eu pago sempre os meus e até pago os dos parasitas que se encostam no desemprego. Pago os abonos de família deles, os livros dos filhos, etc, etc. Portanto essa sua questão é inadequada e inoportuna. Quer que eu pague mais? A comunas e xuxas desocupados e tesos?

    Quanto à inocência do homem e agora estendo o comentário aos IGNAROS que por aqui crassam, tal qual baratas tontas…eu digo que o homem é inocente até prova em contrario. Pois não acha que a presunção de inocência é um princípio constitucional e até transnacional? O que é INCRÍVEL é que os SABEDORES CRÍTICOS que se espalham por aqui PERSISTAM na ASNEIRA e promovam a ignorância. É que a prisão preventiva tem vários requisitos, sendo o perigo de fuga UM deles. Todavia, quanto a este, é óbvio ( ao homem médio) que não basta o simples facto de regressar a Portugal para eliminar um dos requisitos! É evidente que Sócrates pensa que o país é burro, e de facto há uns marrecos que não passam disso, que se mexem tal qual os fantoches do teatro. Só que o perigo de fuga tem de deve ser interpretado como FOI e MUITO BEM. Basta atender ao circunstancialismo que precedeu toda a situação.
    Os IGNORATEZES que andam a semear links e tretas em jeito de fonte fidedigna, esquecem-se da verdadeira fonte -a legal – que legitima a prisão do homem.

  17. O FERRACOLHO lá sabe o que vale. Hum, by the way, parece que há quem precise de ser exorcizado. Isso de se viver com um pulha dentro de sim parece-me abusivo. Aqui já vimos que há um que tem vários derivativos e todos eles, de facto, bem pulhíticos….

  18. numbejonada,perigo de fuga de um ex primeiro ministro? para onde ia? quantos do bpn estiveram em prisaõ preventiva depois de nos terem fodido milhoes? e o duarte lima em que momento foi preso? tem todo o direito de não gostar do socrates e da sua governação,mas por essa razão não pode esquecer o tratamento dado a terceiros.crucificar socrates e esquecer o bando socialdemocrata do bpn bpp,bes é um insulto à nossa inteligencia.socrates foi um bom Pm ,e só perdeu as ultimas eleiçoes na reta final,por que a extrema esquerda quer o quanto pior melhor,e por isso não disse o que o portas disse,que formava governo com o psd.isto é tudo verdade. tenho por lema pautar as minhas opiniões na verdade e nas minhas conviçoes politicas quando a materia é ideológica .

  19. ora bem, juntar aos factos alguma fantasia com objectivo comercial – ou outro – não é novidade chocante. para mim o choque foi, e é, ser com o Sócrates. continuo em pulgas com o desfecho da história e se na verdade há ou não há monstro.

  20. Vi parte da entrevista do autor na TVI24 pelo que ouvi até foi
    contraditório na apareciação que faz sobre o feitio de José Só-
    crates, começa por afirmar que este, quando as coisas não es-
    tavam como queria era muito temperamental e quase destra-
    tava as suas “vítimas” mas, por outro lado das opiniões colhi-
    das junto de quem com ele trabalhou todos gostaram de lá es-
    tar ! Mais, nas pesquizas feitas conseguiu saber que desde
    muito jovem o visado sempre mostrou carísma e aptidão de
    liderança … talvez aqui esteja a razão próxima para os ataques
    de carácter que tem sido vítima! Logo de forma indirecta pôs
    em causa uma alegada afirmação da investigação que diz ter
    notado nas escutas que, José Sócrates não pedia … antes orde-
    nava seguramente, pelo tom da sua voz! Também, não se
    atreve a dá-lo como “morto” para a política pois, tem uma resis-
    tência invulgar e sabe que está a ser vítima de uma injustiça!!!

  21. Caro Fifi, a sério? Para onde iria? Bem, para a Covilhã não iria, certamente.

    Note, porém, que o preceito menciona mais requisitos. O perigo de fuga é um deles e não deixa de se colocar a hipótese quando atendendo ao circunstancialismo, ele regressou com outros objetivos, sendo esses um deles.

    Eu não gosto de Sócrates nem desgosto.Não o conheço. Acho sim que foi um aldrabão. E continua com uma postura errada, TOTALMENTE errada. Quanto aos outros casos que invoca, mas acha que o MP não está a tratar disso? Caso do Sócrates, pensa que foi de um dia para o outro? Eu também me pauto pela verdade – a processual ( por enquanto), pois a material, essa havemos de lhe aceder.
    O que acontece aqui é que a ideologia de alguns simpatizantes prima sobre a justiça possível nesta altura, o que é reprovável. Não lhes seria mais adequado esperar em vez de insistirem em argumentos que, por sua vez, não passam de bagatelas de escrita? Porém, se essa é a verdade, AVANTE- vão lá defender o homem.

  22. @ saloia: Tenho más noticias, estás à espera do desfecho mas o desfecho já aconteceu e é só mijo.
    Puff! Ainda não é desta que te vens.

    Daqui para a frente é só descompressão manual ao retardador e com lubrificante, até ao dia da inevitável libertação e depois hão de publicar uma carta no CM com as 28 perguntas que se esqueceram de fazer.

    @ lacaio do Miguel Relvas: se não vês nada experimenta tirar as pálas, sua mula!

  23. o que mais gostei foram os 50 colaboradores anónimos próximos do sócras, em cujas entrevistas se baseia o livro, que não deram a cara por medo de represálias????… só se for do ministério público!!!!

  24. Ora para os que vêm tudo…então, ó pa eles a sair da toca, claro, sem argumentos. O palavrão, a ordinarice são aquilo que os alimenta. Admirai-vos pois da sua ignorância? Por alguma razão o burro escoceia, e o ignorante também…

    OLINDA, ora mande aí uma receita a condizer para esta malta. Quanto ao chá, bem não sei, talvez o de tília que acalma, mas quanto ao banho é de sal e preferencialmente com arruda.

  25. O melhor que se pode dizer de um político (aliás de qualquer pessoa) é que as pessoas que trabalharam com ele, os seus próximos, continuam a admirá-lo, mesmo depois de afastados e, neste caso, apesar da violentíssima campanha de assassínio de carácter.
    Quanto ao livro, vi hoje no supermercado (Continente) em prateleira de grande destaque, o exemplar já com oferta de desconto de 10%. Num banco perto, alguém aproveitava para satisfazer a sua curiosidade … de borla.
    Pior do que a situação económica é a do espírito. O País está mesmo doente.

  26. oh bimbo do caralho! se tás mal, desampara ou apresenta queixa ao super calex. não dás uma prá caixa, só foleirada e arredondamentos à treta do regime.

  27. IGNORANTEZES, óbe, não escouceies tanto, pá. com a penca que tens ainda a partes. Atãoe, já fizeste o requerimento…cum tantos linques, pá, ainda não arranjaste nenhuma ideia?

  28. ó ernestina, oube, isso de pipis e pirilaus confunde-te, num È? ignatezes, manda aí uma desinteligencia tua, pá, preciso de me rir e acabou-se-me o stoque,

  29. a receita, numbejonada: ler o estudo que saiu em livro, uma novidade ainda em potência, que relaciona directamente os intestinos com o cérebro e, por conseguinte, às emoções, ao medo, ao stress. maravilha. :-)

  30. Encaro com redobrada apreensão o facto de ainda haver por aqui quem alimente o ego e o extremismo neonazi do radical cegueta.
    Expressões como a que ele expressa acima (e transcrevo abaixo) são elucidativas de quem verdadeiramente se trata:

    “…Quanto aos almoços, eu pago sempre os meus e até pago os dos parasitas que se encostam no desemprego. Pago os abonos de família deles, os livros dos filhos, etc, etc. Portanto essa sua questão é inadequada e inoportuna. Quer que eu pague mais? A comunas e xuxas desocupados e tesos?..”

    Simplesmente inqualificável e só comparável às expressões dos seguidores do Hitler.

  31. a entrevista da renanscença ao fernando esteves revela bem o grau de alienação justicialista em que vive a comunicação social em comunhão com a justiça, uma verdadeira obra de fanáticos conduzida pela maluca e bêbada a quem entregaram o ministério da justiça. já nem há preocupação em disfarçar as aparências, é assim e quem não gostar que reclame, que nós estamos cá para indeferir.

    pergunta da renascença: “Mas isso também é um risco para este caso, deixar de se discutir o caso e os alegados crimes, em concreto, e passar a estar em causa algo de maior, que é a credibilidade do sistema judicial… ”
    resposta do esteves: “Claro, e isto pode ter um efeito pernicioso. Mais do que ninguém, o sistema judicial sabe que a sua credibilidade depende em grande parte do desfecho deste processo. E isso pode ser prejudicial para José Sócrates. Temos de ser justos. É evidente que acredito na independência dos juízes que vão julgar o caso se houver lugar a uma acusação, mas é uma situação complicada para José Sócrates porque parece-me a mim que só por milagre. Não acredito em Deus, sou ateu, mas se isso acontecesse reconsideraria a minha posição. Parece-me que só por intervenção divina é que ele pode não ser condenado, uma vez que a sua condenação é também uma defesa por parte do sistema judicial.”

    http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=1&did=187987

  32. Tenho um conhecido que conviveu profissionalmente com o 44, no inicio da sua carreira na Covilhã. Aliás era seu superior. Este disse que o 44 já na altura era um sem carácter.

  33. “Tenho um conhecido que conviveu profissionalmente com o 44, no inicio da sua carreira na Covilhã. Aliás era seu superior. Este disse que o 44 já na altura era um sem carácter.”

    poizeu conheço um gajo que conhece o irmão duma gaja que viveu com o passarólas. este disse que o passólas na altura já era um drogado, proxeneta, caloteiro e aldrabão.

  34. Corvo Negro,

    A minha filosofia vai mais para os lados marianos, santíssimo sacramento etc. Anti – cristo é mais com comunas e xuxas que nem sequer se apercebem do significado e o objetivo da globalização. Tu és apenas uma diabito ignorante, pelo que a tua observação nem vale o que vale. Deixa-me, porém, traduzir-te o que escrevi acima: não alimento, não governo CHULOS. Alguma dúvida sobre isto?

    Já agora, o neo – nazismo não é, nunca foi nem será definido por ti. Para isso, terias que ler muito, ponderar na leitura e concluír. Ora o que tu escreveste revela que deves ser daqueles que cultua a informação de pacotilha, quem sabe, quando vais ao barbeiro ( se tiveres barba…evidentemente) ou à taberna enquanto bebes a zurrapa do dia.

    Sabes qual é a minha apreensão? Que gajos como tu votem. Marrecos, ignorantes e muito focados no umbigo ( seu próprio umbigo). Vai trabalhar comuna, xuxa desnorteado.

  35. Cara Olinda, veja bem, essa será a receita, de facto. Note que os Ignorantezes que por aqui andam e muito se incomodam, têm sido recorrentemente remetidos para tal estudo. Porém, como vêm tudo, o que os qualifica, desde logo, como cegos inteletualerdas, ainda não concluíram que personificam o mal que comentam.

    Faz muito bem em abdicar das palas, ou não as considerar. Mas, faça, como diz o outro, o FERRACOLHO, olhe sempre para trás, que personagens como ele pululam e estragam a imparcialidade.

  36. Cercados estamos nós! E de que maneira!

    Escrevo hoje, 6ª feira, e basta ler o artigo do Luis Osório no “I” de hoje para concluirmos que a situação da Justiça em Portugal está mesmo muito, muito grave!

    Os dois “maiores ou super”, como lhes queiram chamar, entraram em roda livre ao prenderem Sócrates e agora está toda a direita – é curioso ver o SILÊNCIO ENSURDECEDOR DA “ESQUERDA VERDADEIRA” – a montar o esquema de raciciocinio que leve a opinião pública (populaça para eles) a concluir que Sócrates tem de ser culpado de alguma coisa! É que se não for, é todo – e digo todo! – o sector da Justiça em Portugal que está completamente desviado do que deve ser a justiça num Estado de Direito! E o medo de afrontar isso é maior do que a vontade de combater esta máfia instalada!

    Isto vai acabar mal, muito mal….!

  37. O cerco é de marrecos, que defendem por serem da mesma cor. Se o PS ganha as eleições é evidente que vão rolar cabeças, pois o dito ainda pensa que vai ser alguém na política…ele até fala de Mandela. Mégalomano! A questão é que o tipo está enterrado até ao pescoço. Muito enterrado, documentalmente enterrado e também testemunhalmente enterrado. E quem andou a bufar, quem foi, quem foi?

    Ignorantezes, vocês sabem tudo e esta escapou-vos, hein? Então, quando se sabe cá fora é porque veio de dentro, num é? digo eu de que.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.