57 thoughts on “Cartazes para as legislativas”

  1. orra beie, já biram cu JÉ BICOS se incontra atras do gaju, disfarssadu ebidentemente, com os olhos meio besgos? é ele, o IGNORANTEZE, e teie cara de quem preziza remédio e num save nada. um burrocrata, portantus, que se aplica cum unhas e dentes à hora do café.

    fogu, fogu, a democracia tá feia.

  2. cuidado com o marido, ham & cheese lollypop, ignatz, ignatzia, Willy Cartier, renato dos baralhos, numxuponada, Prof. Pardal, Leão da Estrela, etc. etc., aviso para toda a gente que frequenta o Aspirina B e que têm a verve do IGNATEZE no micro-cérebro do rústico tirolês, cuidado: fala-se de broches aqui e agita-se o numbejonada. Este é mais rápido do que a própria sombra.

  3. Ó JÉ BICOS, agitadoe ficaze tue, dáze logu o toque, meue. trezandas pazinhu, mas oube tu num isgotastes os teues nomes, pá, fogu debes paçare mal, meue, falaz cuntigo próprio. ganda maluka.

  4. Portugal über alles!

    Cartazes em mupis, spots na rádios e televisões, spam às toneladas e distribuição simbólica de pequenos sacos de batata por Maria Luís Albuquerque e Assunção Cristas no Terreiro do Paço, por um eufórico candidato presidencial MRS acompanhado por Judite Sousa e por um inesperado Medina Carreira (e ainda, porque são à sua medida, por Marques Mendes) na Praça do Império, todos eles militantemente como nas acções em cima dos camiões da USAID e do WFP em África, a atirarem para a populaça faminta da antiga metrópole sacos de ráfia, claro, que a Alemanha do Schäuble de rigores mil aplaude todos os saques do PSD/CDS mas não dá nem + um cêntimo para os 150 milhões da Fiscalidade Verde do ministro Moreira da Silva… E um aspecto fundamental: em local bem visível poderá ver-se o logotipo da GIZ, acrónimo da Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit.
    http://www.giz.de

  5. Talvez com uns balõezinhos, tipo banda desenhada.
    “ Arbeit macht frei” diz o coxo.
    “Mein Führer” pensa a Maria Luis.

  6. “Cunnilingus” Político.
    Veja-se o ar de satisfação do rapaz do quadriciclo e a rapariga em pose “Agioncada”
    Este quadro é um hino a Johan Goethe.

  7. Rigor, …?!
    http://www.publico.pt/n1667701
    «Com oito rectificativos, o Governo da coligação PSD/CDS-PP foi aquele que mais vezes apresentou alterações à lei do orçamento desde 1977» etc., artigo no P.
    … e liberdade?!
    «as três setas representam os valores fundamentais da social-democracia: a liberdade, a igualdade e justiça social, e finalmente, a solidariedade.»
    Glup!

  8. A Miss Pontal, tal como eu, adora fazer bicos. Especialmente fazer bicos a alemães com 4 rodas.

    Falsa identidade – IP bloqueado

  9. Vi agora, porra.

    Isto é tecnologia demais para mim, desculpem, e se são os efeitos especiais ainda a noite dos Oscares vai no adro. O que é, Aspirina B?

    IP bloqueado?

  10. Por falar em reclusos, preparem-se para ver entrar mais uns socialistas na pildra ou em casa com a pulseirinha. Já circula a notícia sobre os membros do governo de Sócrates que terão sido coniventes com a a corrupção do grupo Lena. Isto até às eleições vai ser um regabofe…

  11. a conversa não é comigo, mas publicar um comentário, de forma legível, com um risco por cima e chamar-lhe bloqueio, só me ocorre o bloqueio económico que os europeus, nomeadamente alemães, estão a fazer à rússia. o professor marcelo chamar-lhe-ia um bloqueio inteligente, de forma a respeitar os interesses de ambas as partes, conforme as regras civilizacionais de mútuo respeito entre os povos.

  12. IGNORANTEZE, pá, emburreces qualquer espaço, tipo «barracas», tás a bere? debes pençare que o Balupi é parbo, ié raite. paças a bida a falare cuntigo pá, debes sere bé da triste. oube, bai ao jardim e fala cum as minhócas, meue. oqueie.

  13. O JÉ BICOS continua a atacarre. ó ignorancio da malagueta,eu beie digo que tu éze igual ao gajo da rotunda do marquês,em noites de futebole, poi-çe atras do reporter e fica ali parado a ulhharre prá camara pá, ora bé só, na futugrafia ali de sima tás cum o mesmu ulhare, pá, apenas cum o cavelo arrajo á funxionárria pública. ganda maluka.oqueie.

  14. Algumas (modestas) contribuições para o título da foto: “The bootlicker”; “The shoeshiner”; “In the mud puddle”; “Amor de Perdição”; “The Dog Whisperer”; “My Precious”; “El Precio de una Sombra”

  15. Pessoal, aproveitem que isto está mau para ir a Évora, a gasolina está cara. O querido líder está em Lisboa, aproveitem…

  16. Agora andamos aos empurrões dos Alemães, quando toda a vida andámos aos empurrões dos Ingleses.

    Lá houve aquela interrupção de 48 anos »sós», ao pé coxinho mas «orgulhosamente»

    Mas foi muito pouco tempo esse lapso de 48 anos.

  17. Val, fora do mundo até há pouco.

    O ponto não é o que é um IP, ou o que é um-qualquer-coisa-bloqueado, o ponto é que, aparentemente, não existiu da parte do blogue nenhuma doutrina sobre o que é um IP bloqueado (juntinho), o que é que os teus e os meus olhos viram que aconteceu (aconteceu mesmo?) e para que serve agora o tal IP bloqueado. É que dando uma volta por posts antigos, e também eu passei por lá sem os comentar, perante protestos de sinal contrário, nunca o Aspirina B assumiu (e fez bem) as dores alheias… É isso que mudou na noite dos Oscares, não foi?

    Pergunta suplementar, politicamente perturbadora. Um post de alguém que se apropriou de um nick estranho (que terá sido o que aconteceu, certo?), que é *editado* e rasurado pelo Aspirina B sem se saber porquê e que, a seguir, é exibido publicamente serve que objectivos? Para dar o exemplo, inspirados que também estamos nos sinais desencontrados do pós-2001?

    É este o ponto para mim, só este.

  18. RFC, não sei há quanto tempo frequentas este blogue, mas eu estou cá desde a sua fundação, em 2005. Nunca houve nenhuma política para todos os autores, sendo que cada qual aplica os seus critérios para a gestão das caixas de comentários das suas publicações.

    Ora, sempre apliquei o critério que estou a seguir neste caso da identidade usurpada ao numbejonada. Quem falsifica uma identidade está a violar a única fonte de reconhecimento que temos neste meio digital. Com isso dá cabo das interacções entre todos, comentadores e leitores de comentários. Partindo da suposição que concordas com a necessidade de evitar que tal aconteça, concordarás então com o procedimento: aviso de que tal prática teria uma certa consequência, aplicação da consequência perante a repetição de tal prática.

    O IP bloqueado serve, ou serve durante um certo tempo ou para alguns, para evitar que haja usurpações de identidades. O comentário editado e rasurado assinala a sua falsidade e o facto de o direito de o ter feito não se sobrepor ao direito de ser considerado nefasto.

    Estou, pois, interessado em conhecer a tua opinião acerca da usurpação de identidades – és contra ou a favo? – e também te peço que me expliques a parte do “pós-2001” que me está a escapar.

  19. A boa legenda seria: “Alemaes escolhem para sentar ao seu lado gente com competencia, que salvou um pais aporcalhado por mais uma bancarrota socialista”

  20. Ó JÉ BICOS da MALAGUETA IGNANCIO, pá, fogi cuntinuaze na futugrafia meue com cara de «quero mas num tenhu» ghanda maluka. oube aquele ulháre meio arrevitadu cum bontade dires prá linha da frente dize tudo. oqueie.

  21. O moralista que vem falar de «oscars» e outras figuras de repressão, só faz jus ao nick que enverga, a abreviatura de ROTTEN FRIED CHICKEN. A exposição que o fundador do blogue fez tem toda a razão de ser e não carece de dar explicações ao aludido ROTTEN FRIED CHICKEN. É que quando se usurpa a identidade no blogue com intuitos porcos e, por isso, ordinários, tudo o que se lhe sucede está eivado de vício e estupidez – falta de educação. Tudo se agrava quando a imbecilidade em causa se diz da democracia e pela defesa dos direitos alegadamente humanos.
    Quanto à minha participação neste blogue tem duas velocidades – a séria e a ligeira. Ser, porém, tão importante ao ponto da imbecilidade em causa ir ao ponto de usurpar a identidade é um elogio. Por isso, ó RFC e IGNANCIOS derivados, continua, pá, só gerasze um exercício linguístico libre, xeio de riqueza berbale, e oube, acavei de cumerre batatasze cum xóriço, cenourra e mais umas quantas couzas voas no meio, fogu, baie serre cá uma livertação. oube nem o golaço do Nani, me ganha, meue. bou pençare em tie pá, nu mumentu. hum. oqueie.

  22. fica provado que é a prosa pidesca e ordinária do bufo zarolho que vem animando e mimando o bichinho censor que vive dentro do Corujão.

  23. “Ora, sempre apliquei o critério que estou a seguir neste caso da identidade usurpada ao numbejonada.”

    como é que é possível usurpar a identidade dum numbejonada? deliras com identidades desconhecidas.

    “Quem falsifica uma identidade está a violar a única fonte de reconhecimento que temos neste meio digital.”

    ninguém falsifica “numbejonadas”, porque ninguém falsifica coisas que não vendem.

    “Com isso dá cabo das interacções entre todos, comentadores e leitores de comentários.”

    não dá nada, dá mais gozo e estimula o negócio. claro que o bimbo não gosta porque se convenceu que tem 2 velocidades, bate em todos e deve achar que a marca “numbejonada” um pipa de massa.

    “Partindo da suposição que concordas com a necessidade de evitar que tal aconteça, concordarás então com o procedimento: aviso de que tal prática teria uma certa consequência, aplicação da consequência perante a repetição de tal prática.”

    pensar pela cabeça dos outros não é muito inteligente e demonstra falta de educação.

    “O IP bloqueado serve, ou serve durante um certo tempo ou para alguns, para evitar que haja usurpações de identidades.”

    tamém resolvias o problema com umas orelhas de burro

    “O comentário editado e rasurado assinala a sua falsidade e o facto de o direito de o ter feito não se sobrepor ao direito de ser considerado nefasto.”

    esta foi inspirada nas execuções ao vivo do estado islâmico.

  24. Ora beie, no chilênssio da noite eis-me aquie, bendo cu IGNORATEZE, taméie designado RFC e ótros, teve uma conbulçãoe. O JÉ BICOS tá cum ciumeze, inbejouzo, óube lá meu ganda cagamelo, num podez jangar-te cum o dono do vlogue pá. é a caza dele, e çegues as regras dele, tá beie? prazevestes, hum? num benhas cantar o fado pá, ai se eu fouçe paçoa pidesca pá, punha-te a lamberr o xãoe que eu pizo. hum. oqueie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.