8 thoughts on “Candidata ao Nobel da Paz”

  1. Dizias anteontem, Valupi, que “Clarissa Ward é uma figura carismática” e hoje queres candidatá-la ao Nobel da Paz. Vejo que estás apaixonado, mas confundes coragem com carisma. Dúvidas não há de que coragem não lhe falta, a fazer corar de vergonha as dezenas ou centenas de jornalistas que de lá se piraram ao primeiro cheirinho a talibã ou estão escondidos nos hotéis, de onde apenas sairão em automóveis blindados, a caminho do aeroporto, logo que recebam confirmação oficial de voo garantido de regresso à terrinha. De carisma não vejo nada. Quanto à coragem que demonstra, honrando a profissão que abraçou, poderá e deverá dar-lhe um Pulitzer e outros prémios jornalísticos, talvez uma medalha do Congresso e uma condecoração do presidente. Nobel da Paz, porém, não vejo como, pois contributo para a paz não há nenhum.

    Comete, além disso, repetidamente, um erro que poderá ter consequências gravíssimas e pôr em perigo a segurança e a vida de pessoas cuja vida, aparentemente, ela anseia por proteger, ao mostrar a cara de afegãos que entrevista e que declaram querer fugir porque trabalharam para os americanos ou outros países da coligação. Se querem fugir dali porque os talibãs poderão matá-los, parece-me irresponsável, quase criminoso, mostrar-lhes as caras, nalguns casos até as identificações, enquanto confessam o que para os novos senhores pode ser punido com a morte. Para os talibãs lhes fazerem a folha, basta acederem às gravações da CNN, identificá-los, procurá-los e matá-los. Já ontem a vi fazer isso, em reportagem reproduzida pela TVI, e no vídeo deste post volta ao mesmo. Acho estranho que a possibilidade não lhe tenha ocorrido e sou tentado a pensar que ocorreu mas se está simplesmente nas tintas, pois o “enriquecimento” dramático da reportagem era valor mais importante do que as vidas que pôs em perigo.

    Para o caso de não te ter despertado a curiosidade, aproveito para reproduzir de novo o link que aqui larguei em 19 DE AGOSTO DE 2021 ÀS 1:33, que mostra Clarissa Ward em 2012, na Síria, em simpático convívio com os talibãs lá do sítio, os chamados “rebeldes” que combatem o “Assad regime”. A massa de que são feitos é igualzinha à dos talibãs do Afeganistão e não compreendo que o que é condenado nos de hoje fosse enaltecido nos de ontem.

    https://youtu.be/hCoS5PFwXnc

  2. A falta de noção dos talibãs do que são os direitos humanos ocidentais, nomeadamente a sua principal alínea, o direito ao espectáculo, levam-nos a pedir encarecidamente aos afegãos mais moderados que exortem os talibãs a raptarem a repórter da CNN/Patada porque a Claire Daines está ocupada noutra série e não pode fazer em tempo útil nova temporada de Segurança Nacional.

  3. pensava que a carta dos direitos humanos era universal até o prof. dótor estrume me esclarecer que é restrita aos ocidentais, falta esclarecer entre que merianos se aplica, se greenwich conta para alguma coisa e se a latitude é paralela à atitude.

  4. Nation building e democracia no Afeganistão

    Ao contrário da percepção generalizada pode-se concluir que foram feitos muitos progressos, contudo ainda falta preencher o principal requisito para o Afeganistão ser um pleno estado de direito democrático. Mas no geral o trabalho foi excelente, os EUA não se podem queixar, têm muito por que se orgulhar. Check it out.

    EUA Afeganistão

    Corrupção ✓ ✓

    Desrespeito
    Minorias ✓ ✓

    Presença de
    Deus na vida
    Pública ✓ ✓

    Bilionários ✓ –

    A Nêmesis é o nosso melhor espelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.