Calma, portugueses!

O ministro da Presidência, Marques Guedes, afirmou esta quarta-feira que os números sobre o PIB divulgados hoje pelo INE «consolidam a ideia de que o caminho traçado dá sentido aos esforços dos portugueses», mas alerta que «é preciso prudência».

Fonte

__

Prudência. Cautela. Tino. Cabeça fria. O Governo não quer que 1 milhão de desempregados, mais 3 milhões e meio de reformados, fora os restantes milhões de empresários e empregados cujos rendimentos foram reduzidos além-Troika, entrem de imediato num carnaval de esbanjamento e deboche só porque o INE confirmou que o País está 2% mais pobre do que estava no ano passado por esta altura. Esses festejos poderiam ter consequências calamitosas para a imagem de Portugal junto dos mercados, já para não falar nas poucas-vergonhas e consequente aumento da natalidade que poderiam advir de tanta imprudência.

O Governo anuncia que está no caminho certo, que isto de ter o primeiro-ministro mais incompetente do regime democrático a ser levado ao colo pelo Presidente da República mais rancoroso e hipócrita de que há memória viva é a fórmula do sucesso. Veja-se como o plano de se fazerem Orçamentos inconstitucionais de rajada, e de manter um ministro das Finanças demissionário durante 7 meses só para vê-lo bater com a porta com tal estrondo que toda a palhota desabou, permitiu entregar a governação ao Tribunal Constitucional, assim estancando a demência. Brilhante jogada, nunca antes tentada.

O Governo declara que ainda há muita gordura para cortar, como rapidamente iremos ver, e lembra que também os músculos, os órgãos vitais e até os ossos contêm gordura. É tudo uma questão de perspectiva, de não haver cá pieguices e de se conseguir moer essas porcarias para extrair a gordurinha tão valiosa no estrangeiro. Afinal, nas décadas da opulência socialista e socrática (mas mais socrática, mais socrática) gastámos à louca e à maluca, o que hoje se sabe ter causado a crise económica mundial mais grave dos últimos 80 anos e também a crise das dívidas soberanas na Europa. Portanto, este é o tempo para pagar essas facturas, como a gente séria tem repetido.

O Governo pede às portuguesas para começarem a sair à rua com um xaile na cabeça e pede aos seus maridos para estarem de regresso a casa antes das 9 da noite. Nos casos em que haja portuguesas sem marido, é favor tratar de arranjar um, rapidinho. Quanto às crianças, a receita é a mesma: prudência, muita prudência.

6 thoughts on “Calma, portugueses!”

  1. Está dado o mote para a alocução ao mundo a ser feita no tal “pontal” em
    recinto fechado com entradas controladas … e degustação a 15 aérios!!!

  2. Isto só podem ser os efeitos da silly season no seu melhor…. Então, como reconhecimento ao esforço dos portugueses vem aí dose reforçada no OE 2014. Se estamos realmente a melhorar, porquê agravar os impostos sobre “alguns” aposentados, assim como os despedimentos na função pública???…Não há texto sem pretexto, e este é o pretexto para haver texto para as bandas do Pontal….de resto…

  3. Chamar rancoroso ao Cavaco quando do Dr Soares é rancor e ódio por todo o lado só mesmo por brincadeira, cortes nas pensões??? não é realmente justo mas se alguém tiver uma solução que a avance, não há a minima possibilidade de sustentar uma situação de um País que tem 1,2 trabalhadores activos por cada reformado, ou seja só há mais 850k trabalhadores do que reformados, como é que querem fazer??? já agora dos reformados que reclamam quantos são aqueles que se reformaram com com 50 anos ou a volta disso aproveitando benesses dos nossos altamente incompetentes politicos? quantos destes reformados vão ter carreiras mais longas como reformados do que como contribuintes??? Há muita merda nos últimos 30 anos, muito roubo e muita incompetência mas este é um problema tão grave como os roubos e a incompetência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.