Caganda sorte

Isto do BES, da colocação dos professores, do Citius, dos vistos Gold, do maior aumento de impostos em democracia a mando dos liberais à portuguesa, do falhanço de todas as metas do Memorando, da incapacidade para recuperar e fortalecer a economia sem que tal passe por baixos salários, despedimentos e emigração, de uma concepção do valor e funções do Estado que até ofenderia a inteligência de um Caenorhabditis elegans, pode apresentar alguns aspectos mais incómodos, talvez negativos. Enfim, é discutível. Mas há que recordar à populaça que temos a grande sorte de isto tudo se estar a passar sob o comando firme e ilustre da gente séria. Imaginem o que seria se lá estivessem outros sem esta competência e dedicação… sem esta seriedade e patriotismo… essa escumalha que só pensa em defender o Estado e os cidadãos… em gastar o dinheiro dos nossos impostos em pobres e serviços públicos… ui… Era o fim do que resta.

30 thoughts on “Caganda sorte”

  1. Ó homem pareces tal e qual o Marinho e Pinto!
    Não que não tenhas razão. Mas na forma és Marinho. És pinto!

  2. valupi,

    Estou a falar da criação de falsas dicotomias (as ppps são apenas um exemplo). Bons e mais. Puros e corruptos. Os males de que se queixa não foram inventados do dia para a noite e impostos por um regime ditatorial. Houve alternância no poder, tivemos eleições livres. E o resultado é este. Se não consegue ir mais longe que isto então não estamos lidar com uma análise, ou comentário, seja do que for mas sim com um panfleto eleitoral sem a mais leve gota de realismo.

  3. “… da incapacidade para recuperar e fortalecer a economia sem que tal passe por baixos salários, despedimentos e emigração…”

    deves andar a fumar coisas, nem com baixos salários, despedimentos e emigração a economia recupera para os níveis do sócras, o que é uns furos abaixo de fortalecer.

    oh pp, tás a confudir, o marinho pinto é o volúpias dos taxistas- leninistas

  4. Harmódio, mas continua a falar das PPP, porque o resto dispara para níveis estratosféricos de confusão. Qual é a falsa dicotomia a que aludes?

    Estou apenas a tentar perceber o que queres dizer.

  5. Valupi,

    Penso que será de bom senso que quem fala ironicamente de gente “séria” devia acrescentar a dimensão completa do problema… e não vejo isso. Vejo a mesma política partidária, cansada e desgastada, de demonização provinciana como se o eleitor pudesse de forma realista esperar qualquer alteração à sua situação seja qual for o resultado eleitoral. Não há bons nem maus, há o sistema. E esse obedece a regras constantes.

    As ppps são o exemplo perfeito. De como as várias “opções” apresentadas ao eleitor são a mesma coisa. Faça ele o que fizer, vote em quem votar, uma coisa é certa, vai continuar a pagar as que já existem e a financiar a sua expansão a outras áreas.

  6. Harmódio, repara que ainda não conseguiste dizer nada passível de aferição a respeito das PPP, supostamente um assunto que dominas posto que o utilizas como exemplo. E as palavras escritas são implacáveis, pois basta reler.

    Serás capaz de explicitar a questão ou, no fundo, não fazes ideia do que se passou e passa com as PPP?

  7. Aconselho-te esta leitura antes do chá, se é que o bebes.

    “Édipo (em grego antigo Οἰδίπους, transl. Oidípous) é um personagem da mitologia grega. Famoso por matar o pai e casar-se com a própria mãe. Filho de Laio e de Jocasta, pai de Etéocles, Ismênia, Antígona e de Polinice.

    Segundo a lenda grega, Laio, o rei de Tebas havia sido alertado pelo Oráculo de Delfos que uma maldição iria se concretizar: seu próprio filho o mataria e que este filho se casaria com a própria mãe.

    Por tal motivo, ao nascer Édipo, Laio abandonou-o no monte Citerão pregando um prego em cada pé para tentar matá-lo. O menino foi recolhido mais tarde por um pastor e batizado como “Edipodos”, o de “pés-furados”, que foi adotado depois pelo rei de Corinto e voltou a Delfos.

    Édipo consulta o Oráculo que lhe dá a mesma previsão dada a Laio, que mataria seu pai e desposaria sua mãe. Achando se tratar de seus pais adotivos, foge de Corinto.

    No caminho, Édipo encontrou um homem e sem saber que era seu pai o matou,pois Laio o mandou sair de sua frente.

    Depois de derrotar um homem casa-se com a sua mãe, não sabendo que era também a sua mãe biológica,

    Após derrotar a Esfinge que aterrorizava Tebas, que lançara um desafio (“Qual é o animal que tem quatro patas de manhã, duas ao meio-dia e três à noite?”), Édipo conseguiu desvendar, dizendo que era ele mesmo. “O amanhecer é a criança engatinhando, entardecer é a fase adulta, que usamos ambas as pernas, e o anoitecer e a velhice que usa a bengala.

    Conseguindo derrotar o monstro, ele seguiu a sua cidade natural e casou-se, “por acaso”, (já que ele pensava que aqueles que o haviam criado eram seus pais biológicos) com sua mãe, com quem teve quatro filhos. Quando da consulta do oráculo, por ocasião de uma peste, Jocasta e Édipo descobrem que são mãe e filho, ela comete suicídio e ele fura os próprios olhos por ter estado cego e não ter reconhecido a própria mãe.”

    Dorme sobre o assunto

    Bons Sonhos

  8. Valupi,

    Só não leu nada a quem não lhe interessa ler nada (a lógica do see no evil, hear no evil, speak no evil). Mas ok, em casa alheia respeita-se as regras do proprietário. Nega-se envolvimento :) Não foram aprovadas durante governos de diferentes cortes partidárias? Não foram e são economicamente ruinosas?

    Boa sorte em convencer as pessoas disso. É que caso não tenham reparado há limites ao alcance do discurso interno…

  9. Harmódio, podes disparar para os lados que quiseres, que não pagas mais por isso. O conta-quilómetros continua a zero, ainda não andaste 1 metro sequer.

    Repara, dizes que as PPP foram e são economicamente ruinosas. Pois bem, apenas te peço, então, um exemplo de uma PPP nessas condições que descreves.
    __

    ignatz, não te esqueças de que podes sempre ter explicações de português caso esses problemas de leitura se repitam ou agravem. Terás é de as pagar, suponho.

  10. Continuamos em modo panfletário. Fantástico.

    As contas prestam-se a quem de direito, expliquem isso portugueses. Expliquem o silêncio sobre esta área na promessas eleitorais. E vejam o que acontece.

  11. Harmódio, acho que podemos concluir que não fazes qualquer ideia do que se passou ou passa com as PPP. Tal conclusão afecta o resto das mensagens que tiveste a generosidade de vir despejar neste cu do mundo.

  12. 1. O que é Aspirina
    Cada comprimido de Aspirina contém como substância activa 500 mg de ácido sócrático
    acetilsalicílico.
    Aspirina encontra-se disponível neste blog de 20 em comprimidos por segundo
    É possível que não sejam todas as apresentações.
    Grupo farmacoterapêutico: PS Analgésicos e antipiréticos
    Aspirina contém como substância activa o ácido acetilsalicílico que pertence a
    um grupo de desconhecidos sócras como anti-inflamatórios não esteróides, não eficazes no alívio sintomático da dor e febre.
    2. Para que é usada Aspirina
    Aspirina está indicada no alívio de dores de intensidade ligeira a moderada dos sócras
    como p. ex. dores de cabeça, dores de dentes, dores musculares, dores menstruais e ainda nos estados febris associados a resfriados de outras antigas actividades.
    Situações em que não deve ler Aspirina
    Se apresenta alguma das situações abaixo descritas não a deverá voltar a lêr.
    -A alergia conhecida ao ácido acetilsalicílico ou a substâncias do mesmo tipo ex-sócras fundamentalistas ou
    a qualquer dos outros componentes do medicamento.
    – Consulte também a secção “Outros Ps” para verificar se é alérgico ou intolerante a algum destes componentes de

    a

  13. oh portela, tens montes de pilhéria, não desistas, o crato dá bolsas de investigação a trolhas, ganda oportunidade para assentares tijolo ou projectares estuque no instituto superior da batata.

  14. Sócrates e mais Sócrates,

    Sócrates e a Anita vão de Barco, Sócrates e o Tintim no largo do rato, Sócrates desce o douro numa caixa de fósforos, Sócrates na ilha do Bugio, Sócrates o timoneiro, Sócrates canta o fado no luso, Sócrates passeia os cães, Sócrates e o fiel amigo, Sócrates em África mata leão de duas cabeças, Sócrates salta da ponte vasco da gama, Sócrates vai a votos, Sócrates ganha, Sócrates voa, Sócrates decide, Sócrates elege, Sócrates discursa, Sócrates ruge, Sócrates ruge tanto tanto que foge de si próprio. Sócrates vai mas fica, estuda lê e escreve, edita ou é editado, ainda não reeditado. Debruça-se nas varandas das praças e é convidado a comentador dele mesmo. Aplaude-se a si mesmo. Veste a casaca aperta o laço e corre, corre desenfreadamente pela falésia. Abre as asas e caí sobre si mesmo. Ao longe, lá muito ao longe vê um país. Ainda tenta agarra-se, ainda respira, ainda mexe, ainda tem voz, ainda ouve um nome. Esse é, Aspirina b.

  15. E Sócrates vem, vem do Portela, tem raiva do Pedro, não do Portela. O Sócrates acha que o Pedro é parvo e o Portela também. O Pedro é mesmo parvo, o Portela não porque toma aspirina b.

  16. ai que riso! também ficava bem acrescentar a gardnerella vaginalis – ligava bem com o incómodo e enriquecia o machismo e o hermafroditismo do Caenorhabditis elegans. :-)

  17. Sócrates e a Anita vão de Barco, Sócrates e o Tintim no largo do rato, Sócrates desce o douro numa caixa de fósforos, Sócrates na ilha do Bugio, Sócrates o timoneiro, Sócrates canta o fado no luso, Sócrates passeia os cães, Sócrates e o fiel amigo, Sócrates em África mata leão de duas cabeças, Sócrates salta da ponte vasco da gama, Sócrates vai a votos, Sócrates ganha, Sócrates voa, Sócrates decide, Sócrates elege, Sócrates discursa, Sócrates ruge, Sócrates ruge tanto tanto que foge de si próprio. Sócrates vai mas fica, estuda lê e escreve, edita ou é editado, ainda não reeditado. Debruça-se nas varandas das praças e é convidado a comentador dele mesmo. Aplaude-se a si mesmo. Veste a casaca aperta o laço e corre, corre desenfreadamente pela falésia. Abre as asas e caí sobre si mesmo. Ao longe, lá muito ao longe vê um país. Ainda tenta agarra-se, ainda respira, ainda mexe, ainda tem voz, ainda ouve um nome. Esse é, Aspirina b.

  18. Querida Olinda,

    Junto de envio o cozido que me pediste via mail.

    ingredientes
    100g entrecosto de porco para grelhar
    150g chispe de porco da mão
    75g entremeada de porco
    50g chouriço de sangue
    60g orelha de porco
    45g morcela da beira litoral
    44g chouriço da beira alta
    58g farinheira da beira litoral
    125g novilho do cachaço
    100g frango do campo
    50g sal grosso
    60g cabeça de nabo
    150g couve-lombarda
    2g hortelã
    55g feijão branco
    1 (75g) cenouras
    60g batatas
    150g couve-coração
    100g couve portuguesa
    20g arroz vaporizado
    Produtos nesta Receita
    Porco
    Morcela de Sangue de Arganil
    Farinheira de Arganil
    Chouriço de Carne do Fundão
    Frango do Campo kg
    Nabo
    Couve Lombarda
    Cenoura
    Batata para Cozer
    Couve Portuguesa
    Hortelã
    Arroz Vaporizado
    Feijão Branco
    Adicionar produtos à minha Lista de Compras
    Adicionar Receita ao meu Livro de Receitas
    Imprimir
    Classificação desta receita

    Média baseada em 0 votos
    Receita
    Tempere as carnes (entrecosto, entremeada, orelha, chispe, frango e novilho) com sal grosso no dia anterior ao da cozedura.
    Descasque o nabo e as cenouras e corte-os em quatro. Lave muito bem todos os legumes. Retire o talo central ao lombardo e à couve-coração e corte-os em quatro pedaços, separe a couve portuguesa em folhas e corte as batatas em quartos ou metades.
    Separe todos os enchidos. Coloque as carnes, excepto o frango, numa panela grande com água suficiente para as cobrir e junte os raminhos de hortelã. Deixe cozer até verificar que estão cozidas, o que deverá acontecer em diferentes momentos. Retire-as, à medida que ficarem prontas e reserve. Na mesma água, coza o frango. Retire e reserve.
    Rectifique o nível da água e os temperos e aproveite o caldo da carne para cozer os enchidos (farinheira, chouriços, morcela) separadamente. Retire-os e reserve.
    Na mesma água, introduza as couves e a cenoura e deixe ferver durante cinco minutos. Adicione, então, a batata e o nabo. Vá verificando a textura para não os deixar cozer demasiado, evitando assim que se desfaçam.
    Prepare o arroz, utilizando a água das várias cozeduras. Para isso, coloque num tachinho duas medidas de água para uma de arroz e junte algum chouriço de sangue e farinheira desfeitos e sem pele. Rectifique temperos e deixe cozer. Mergulhe o feijão na água das cozeduras e deixe levantar fervura. Retire e reserve.
    Corte as carnes em pequenos pedaços e coloque-as numa travessa de servir. Faça o mesmo com os enchidos. Numa outra travessa, coloque os legumes, o feijão e o arroz. Para servir ainda quente, no final, passe as carnes pela água de cozedura e leve imediatamente à mesa.

  19. Tinha-me esquecido do pedido do IGNATZ,

    Para a sobremesa não existe melhor. Tens razão!

    Aqui vai:

    Como se faz o Tiramisù?
    Atualmente podemos encontrar várias versões de tiramisù, mas o tiramisù verdadeiro é aquele que se faz com café. E de que é que precisamos para o fazer? É muito fácil! Siga as instruções!
    Segredo 1
    Utilize ovos muito frescos Mascarpone Galbani, o n°1 em Itália.
    Segredo 2
    Misture as gemas, o açúcar e o queijo mascarpone até obter uma mistura homogénea
    Segredo 3
    Procure que as claras em castelo fiquem compactas
    Segredo 4
    Junte lentamente as claras em castelo ao preparado anterior.
    Segredo 5
    Não embeba demasiado os palitos: Mergulhe-os apenas 1 ou 2 segundos no líquido.
    Segredo 6
    Também pode ralar o chocolate de que mais gosta e polvilhar antes de servir.
    INGREDIENTES PARA 6 PESSOAS
    500 g de queijo mascarpone Galbani
    5 ovos
    5 colheres de sopa de açúcar
    40 palitos de La Reine
    2 chávenas de café sem açúcar
    2 colheres de sopa de Marsala (vinho doce italiano)
    Cacau em pó sem açúcar
    PREPARAÇÃO
    Separe as gemas das claras.
    Bata as gemas com o açúcar até a mistura ficar esbranquiçada.
    Adicione o queijo mascarpone e misture bem.
    Bata as claras em castelo e junte-as lentamente ao preparado anterior.
    Misture o café frio e o Marsala numa taça e embeba os palitos de La Reine.
    Coloque metade dos palitos no fundo de uma taça (do tipo que se usa para gratinar), cubra-os com metade do preparado feito com os ovos, coloque o resto dos palitos e cubra tudo com o que sobra do preparado.
    Deixe repousar no frigorífico durante pelo menos 3 horas (o ideal é deixar repousar 12 horas).
    Antes de servir, polvilhe o Tiramisù com o cacau em pó usando uma peneira.

    Bom Jantar!

  20. ingredientes para um governo de parolos à portuguesa
    100g entrecosto de coelho para grelhar
    150g chispe de rangel da mão
    75g entremeada de portas
    50g chouriço de machete
    60g orelha de crato
    45g morcela da cruz
    44g chouriço da cristas
    58g farinheira da marilu
    125g cachaço do guedes
    100g frango do campo ferreira
    50g sal grosso maduro
    60g cabeça de nabo de lima
    150g couve-lambretas
    2g hortelã barreto
    55g feijão aguiar-branco
    1 (75g) cenouras abrenúncio
    60g batatas cardoso da costa
    150g couve-moreirita da silva
    100g couve-macedo
    20g lomba vaporizado
    1 saco de maçães (opcional)

  21. Portela, Portela…….
    Andas outra vez a dar nos fuminhos!
    Depois essa merda sobe-te à mona e é o que se vê.
    Vê mas é se ganhas juízo e se deixas de encher isto com essas merdas que deitas pelo teclado fora.

  22. a hármonica veio dar-nos música, mas não dá uma para a caixa. então não está à vista de todos que as PPP são ruinosas? é o que o gomes ferreira diz. amén.

  23. Bagonha, Bagonha…….
    Andas outra vez a dar nos fuminhos!
    Depois essa merda sobe-te à mona e é o que se vê.
    Vê mas é se ganhas juízo e se deixas de encher isto com essas merdas que deitas pelo teclado fora.

    Onde é que eu li isto?

    Um Abraço

  24. Bom Dia Olinda,
    Acorda Olinda!!

    Envio-te neste dia mais esta.
    Diverte-te!

    Receita de Coelho na Púcara

    Ingredientes para 4 pessoas:
    1 coelho com cerca de 1.400 Kg
    sal, pimenta e vinho branco q.b.
    banha para fritar
    1 kg de batatinhas novas
    8 cebolinhas
    100 g de bacon em fatias grossas
    40 g de manteiga
    1 dl de vinho do Porto
    1 folha de louro
    1 ramo de salsa
    1 colher de chá de mostarda
    Preparação:

    Corte o coelho em pedaços e tempere-os com sal, pimenta e um pouco de vinho branco.
    Leve uma frigideira ao lume com um pouco de banha e, quando quente, aloure nela os pedaços de coelho.
    Depois, retire a carne do lume e coloque-a numa púcara de barro ou de metal, com tampa.
    Descasque as batatas e as cebolas, tempere-as com sal e pimenta, leve-as a alourar em banha e coloque-as também na púcara, sobre o coelho.
    Corte o bacon em tiras e adicione-as ao conteúdo da púcara.
    Junte também a manteiga, o vinho do Porto, a folha de louro, o ramo de salsa e a mostarda; tape e leve a púcara ao forno a 160 graus, cerca de 40 minutos.
    Passado o tempo indicado, verifique se o coelho está moribundo tenro, retire-o e sirva-o quente.

  25. que pancada, Pedro Portela. e eu pedi-te o quê e quando nos teus sonhos selvagens por email ou pela pomba gira? de qualquer forma, receitas nunca são demais. obrigada! :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.