Brilhante*

O antigo primeiro-ministro sempre foi assim (há mesmo quem testemunhe discussões na sua adolescência em que já era assim): tem sempre um argumento novo, tem sempre uma desculpa nova, passa sempre ao ataque, não tolera que não se aceite a “sua verdade” mesmo quando a relação desta com a verdade verdadinha é muito, muito longínqua.

Haverá gente capaz de acreditar sempre na verdade do engenheiro, haverá gente capaz de negar sempre mesmo os mais gritantes indícios, haverá gente capaz de jurar sempre pela sua inocência. Não faço parte desse grupo. Não creio que esteja inocente. Não acredito na história da carochinha.

Neste caso, muitos antes de qualquer violação do segredo de justiça, o que nunca faltaram foram indícios, alguns deles deixados de forma impante, quase exibicionista, como se a impunidade estivesse garantida para todo o sempre, como se certas cúpulas amigas da máquina judicial estivessem lá para a eternidade. E se não sei se “falta provar rigorosamente tudo” (mas desconfio que não), essa fanfarronada só reforça o meu desejo, a minha exigência, de que a investigação criminal e a justiça actuem de forma rigorosa e competente.


Zé Manel
__

* A pulhice.

38 thoughts on “Brilhante*”

  1. Sou um leitor assiduo do Aspirina B, mas digo-te uma coisinha Valupi… se não tiveres razão vou-te aquecer as orelhas com tudo aquilo que Maomé não disse do toucinho!!!

  2. óh zézé, como é possivel josé socrates pensar que a impunidade estivesse garantida,se tinha a classe dos magistrados contra si! quanto à vida que fazia segundo paulo dentinho jornalista da rtp.vivia num apartamento numa zona nobre,que afinal não é seu. é pena em frança não haver sorteio das facturas para o pópó,pois permitia ao alexandre justiceiro ver o que ele comia e bebia!

  3. francisco louçã, ontem na sic noticias, veio de dizer que parece que a justiça prendeu e só agora é que está a investigar.

  4. haverá gente capaz de negar sempre mesmo os mais gritantes indícios, haverá gente capaz de jurar sempre pela sua inocência

    Basta ler este blogue.

  5. fifi
    francisco louçã, ontem na sic noticias, veio de dizer que parece que a justiça prendeu e só agora é que está a investigar

    Parecer parece. Mas a verdade é que ele está lá dentro (por obra do Espírito Santo). Cá fora ficaram as crias por desmamar a ganir.

  6. o zé manel é um visionário de gritantes indícios, foi assim com as armas químicas do sadam e com a inventona que lhe valeu um despedimento por incompetência.

  7. andava a ser investigado há cerca de um ano, descontando os 10 anteriores, mas desta vez descobriram que o gajo se ia candidatar a presidente da república e tiveram que o arrecadar não fosse dar um chilique a sexa, o bolicoise.

  8. não entendo tanto a gente que jura pela sua inocência como pela sua culpa. para mim são ambas, estas gentes, fanáticas e sem tino.

    (ora agora não sei se será bem este o significado também de gente pulha. vou pensar )

  9. O papagaio palerma, tal como o Zé Manel Pulha, desconhece por ignorância ou confunde por conveniência a diferença entre “suspeitas” e “indícios”.

  10. Alcoólico Anónimo
    O papagaio palerma, tal como o Zé Manel Pulha, desconhece por ignorância ou confunde por conveniência a diferença entre “suspeitas” e “indícios”

    Suspeitas? O que é isso de suspeitas?
    Ó Alcoólico, fale do que sabe que já faz muito por si.

  11. O que este “preso político” nos conta agora é que está a ser perseguido porque as autoridades judiciais não acham normal que um seu amigo de mais de 40 anos tenha acumulado tantos milhões apesar de não se perceber como; que não acham natural que esse amigo lhe tenha emprestado, sem recibo ou qualquer documento ou registo, centenas de milhares de euros para despesas correntes, dívida que certamente pagará apesar de ele, José Sócrates, garantir que não tem fortuna; que não acham normal que as transações entre estes dois velhos amigos tivessem tomado por regra a forma de notas dentro de um envelope (as malas de dinheiro são um exagero, meu deus!), apesar de no país, no século XXI, mesmo os remediados dos remediados utilizarem cheques, cartões e transferências bancárias (o primeiro-ministro do “choque tecnológico” é afinal um conservador que prefere guardar o dinheiro no colchão); que também não acham normal que um empresário com negócios banais em Portugal tenha oportunamente decidido realizar um investimento num andar “a precisar de obras” em Paris, mesmo a tempo de o emprestar ao amigo que, parece, estava com “algumas dificuldades de liquidez”; e por aí adiante.

  12. Porque não oferecem uma embalagem de
    “Imodium Cerebral” ao pinto ?
    A criatura só tem idéias de caca e parece comer
    elásticos, estica-se que se farta, não há pachorra|

  13. oh pintarolas! desde quando é que ter amigos, negócios, contas bancárias, emprestar casa, dar dinheiro ou falar com a mulher da limpeza são fortes indícios de crime? só na abóbora pensante dos amigos de alex. andam atrás do homem há 14 anos e a única coisa que têm para mostrar são fantasias íntimas da guedes, pornografia da cabrita, desejos do arquitonto e receios cavacais. vão ter que libertar o sócras ou correm o risco do gajo virar santo e o psd queimar os 20%.

  14. lole, lole, cambada de analistas do nada. Fogu, o marrralhale istudoue direito em ca fauldade, pá??? hein? bocês tirraram o cursu por faxe, ó meus, é só asneiras, fogu, inté dói de tantu riirrre. ó PINTU, num percas tempo a «ibangelizarrre» esta malta, pa´zinhu, os gajus num intendem, pá, os tipus gostam di errguerre o punho e arragassarre a manga mas num fazem nada, pur isso é cu pais foi entregue à trampa que nus tem gubernadu, tás a berrre. estes gajus jolgam na prassa do buatu, pázinho, tás a berre. Ó pessuale, a proba em prussessu fazz-se na audiencia de jolgamentu, pazinhus ou cuncretizasse naquela, pás, pur isso é cá um inquerritu, fogu,avram a budega du livro e istudem. ó IGNATEZE, meue, cala-te, só diçes tolisses e tás cunbencidu ca saves. oube, num ma ponhass a falarre beie, tás a berre? mas tu penças que a difinissãoe de indicius é a qua consta do dissionáriu, hum, é? num mirrrites pá.

  15. heheheh, o gajo chega a perguntar onde é que esteve o socrates no 25 de abril. que filho duma garndessissima puta. hahahhaha

  16. Trata-se de um estranho processo este, sem indícios nem provas, trata-se de um processo politico em que uma parte do poder politico impõe a uma parte fraca do poder judicial (atual DCIAP e restantes subalternos na investigação criminal – vulgo “meninas” da AT) a sua vontade no tempo certo, logo após o caso – vistos Gold e a tempo de confundir o processo eleitoral em curso. No entanto isto ainda só agora começou…

  17. ó pharmaceuticu, oube, o imodium cerevrale, num rezultoue cuntigu, meue, e querrres còtros paçem pelu mesmu ca ti, hum?

  18. Porque foi que os juízes foram expulsos de Timor pelo Xanana? Por, nem na mata onde esteve o Homem de Timor,se prender primeiro e se investigar depois. A selva timorense é muito mais civilizada que Mação!!!

  19. Transcrevo para que conste. É capaz de causar alguma azia a uns poucos que já condenaram o homem mesmo sem julgamento, mas a azia passará quando aparecerem “as provas”. Foi enviado hoje para “civilsociety@ohchr.org”, depois de ouvir a gravação do Jornal das 8 da TVI de ontem (nesta transcrição apenas substituí o meu verdadeiro nome por “Corvo Negro”, o nº do CC é real).
    ======
    Subject: Violation of Human Rights in Portugal.

    To Mr. Zeid Ra’ad Al Hussein
    High Commissioner in Chief for the Office of the High Commissioner for Human Rights (OHCHR)

    Mr. High Commissioner;
    It was with great satisfaction and pride I saw my country, Portugal, be elected at 10.21.2014 as a member of the prestigious and universally recognized institution managed by you.
    But it is also very hurt that two months after the election I note that my country does not honor the mission for which it was elected. In fact, the month following of his election, there was a breach of human rights in Portugal, while holding and maintaining arrested, is now 43 days, an former Prime Minister, the Portuguese citizen José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, without trial, without conviction in court. Is remanded in custody only on the grounds of the Portuguese Justice that was being investigated, and could be a danger of flight or obstruction of the investigation.

    Lord High Commissioner, I address you this communication because I consider of supreme urgency take the matter to the knowledge of this prestigious institution and to be discussed, disseminated and unmasked since, sustained in the data that are public in my country, I understand this act as a prison for the crime of thinking, that is, is a political prisoner, the first for more than 40 years in Portugal.

    Yours sincerely

    “Corvo Negro”
    (Portuguese Citizen Card Number 01570329)

  20. Não foi esse mesmo delinquente que disse que o SIS, sob ordem de Sócrates, interceptou as comunicações do Público?

    Não foi esse mesmo delinquente que cozinhou com o Lima e o Aníbal a inventona das escutas a Belém?

    Que autoridade tem um vigarista desses para vir dizer que acredita ou deixa de acreditar seja no que for?

    Se o gajo tivesse vergonha na cara, metia o focinho no cu e mudava de profissão.

  21. Este blogue é uma religião. Todos são culpados menos o Deus 44. São sadomasoquistas , gostam todos de ser enrabados. Retirem as palas dos olhinhos e vão trabalhar que deve ser mesmo o que vos falta.

  22. Ora mas alguém faz caso desse Manel fernandes? Não diz nada coerente nem coisa com coisa. Estava capaz de o desmanchar em cada parágrafo mas deixo andar. Não perco tempo com pacóvios .

  23. Aspirinac, vais ter de apanhar com a verdade na cara. Até agora falaram os tabloides, que deram a verdade que tu querias. Agora tens a defesa a falar. Dá-te asia, não é? Tens saudades da PIDE, valente com as vítimas presas e amordaçadas. Vai limpar os sapatos do Alexandre e do Rosário. Lambe-os! Se estiverem borrados, não pares. Tu até gostas.

  24. Enquanto Sócrates está preso para ser mais bem investigado(!), calou-se a sua crítica mordaz à austeridade pela austeridade. Afinal, foi o primeiro político do arco do poder a dizer: “Parem de escavar!”. Entretanto, neste início de 2015…

    … a Zona Euro entra em deflação, um fenómeno monetário altamente destrutivo que, na pior das hipóteses, provocará fome e convulsões sociais (que, aparentemente, os dirigentes lituanos receiam bem menos que Estaline [não deviam] estando a Lituânia, nesta altura(!), a aderir à zona deflacionária europeia). Verifica-se também um colapso global dos preços das matérias primas, com o ferro e o cobre a cairem ainda mais que o petróleo; o que significa que a China e as outras economias emergentes que, desde 2008 (com resultado das políticas recessivas do Ocidente) estavam a puxar sozinhas pela economia mundial, estão a fraquejar. Tudo isto tem o potêncial para provocar uma nova crise financeira, desta vez centrada na China, que poderá desencadear ainda mais problemas financeiros que a de 2008. Aqui se vê que a política de austeridade foi a pior das respostas possíveis à crise de 2008.

    De facto, a austeridade não resultou de uma qualquer racionalidade económica. Do ponto de vista das elites neoliberais, a austeridade foi um aproveitamento oportunístico do medo gerado pela crise. O objectivo: introduzir alterações políticas e sociais favoráveis às elites neoliberais. Porém, esse oportunismo — executado contra as estruturas económicas que estão na base das sociedades contemporâneas — esgotou boa parte da capacidade que a Europa dispunha para sobreviver à nova crise financeira que se avizinha. Todo esse capital de estabilidade social foi desbaratado em nome de um modelo social impossível de materializar.

    Independentemente da culpa que Sócrates possa ou não ter, num processo de acusação que ainda nem existe — e eu acho muito mau presságio, para a acusação, que Sócrates esteja preso porque o queriam investigar melhor — da sua prisão e restrições impostas à sua liberdade de expressão resulta que a sua voz nos média foi calada, precisamente no momento em que se avoluma o risco de um colapso financeiro de proporções épicas…

  25. O truque do fernandes, conspirador com belém das escutas de S. Bento a cavacão, é fazer trocadilhos com a verdade.
    Por exemplo:
    quando afirma “… mesmo os mais gritantes indícios”
    o que vemos, ouvimos e sabemos e ele explica dessa forma e nós entendemos que quer dizer:
    “… mesmo os mais gritados indícios”
    no observa dor, no manha, no soltura, mouraguela & pasquinada miúda, há gente que teima em pensar pela própria cabeça e não crê na fé que ilumina a nossa pulhice.

    Como diz Júlio acima, quem acredita num vigarista torpe e tão medíocre que montou uma intentona tão rasca digna de um idiota chapado.

  26. Valupi

    “se não tiveres razão sobre a CULPABILIDADE DE SÓCRATES,” vou-te aquecer as orelhas com tudo aquilo que Maomé não disse do toucinho!!!
    Se tiveres razão podes aquecer as minhas… sou um democrata!
    PS – Estou mesmo convencido que tu acreditas na culpabilidade de Sócrates… ou é “impressão minha” HEM?

  27. roger, até prova em contrário, acredito na inocência de Sócrates. Onde foi que me viste a sugerir algo diferente?

    E até prova em contrário, acredito na honestidade dos responsáveis máximos da Justiça. Como sempre afirmei desde o início do caso.

    Neste momento – e depois da libertação do João Perna, das respostas de Sócrates e do movimento de apoio dos notáveis socialistas que o visitam – acumulam-se os indícios de uma culpabilidade da Justiça.

  28. oh valupi! a tua amiga bécula não diria melhor, acreditas na inocência do sócras, na honestidade dos que permitem esta bagunça, mas se por acaso a coisa descambar e houver muita gente a apoiar o sócras já admites a culpa da justiça, melhor dizendo do sistema, para não personalizar a coisa e chamar mafiosos aos alexes, rosários & vidaleiras que encenaram a merda.

  29. ignatz, tens de ir para os jornais e para a TV com esse material a respeito do processo que possuis em casa ou no bestunto. Estás a desperdiçar uma carreira de pulha mediático aqui nas catacumbas da Internet.

  30. se alterares o que escreveste, pode ser que mude de opinião. até lá vão aparecer mais pulhas a dizer o mesmo, tem cuidado para não seres embrulhado na pulhice, apesar de admitires tornar-te um pulha caso o gajo seja libertado.

  31. oh bécula! não te excites, o valupi só me chamou pulha e não pilhas, coisa de que deves ter falta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.