2 thoughts on “Bravo”

  1. Fui ver:

    “o mais jovem à mesa do Conselho da Revolução com a tenacidade de garantir que teríamos uma rara revolução sem julgamentos sumários”

    O jornalista que escreve assim, sem mais, passados tantos anos, não tem respeito pela inteligência e consciência daqueles militares.

    Julgamentos? E os Réus? E os Juízes? E as testemunhas?E os advogados?

    Aqueles militares cumpriram e respeitaram e devem ser respeitados.

    A contrapartida dos políticos já não pode dizer o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.