7 thoughts on “Brasil foi Portugal à solta”

  1. Certamente, ainda não topo explicação a derrota de Brasil. Embora acho que Dunga errou neste jogo, ainda que é um grande treinador. Ele estava nervoso e dende a bancada estava a pôr nervosos os seus jogadores, faltou tranquilidade.
    Um só atleta Roben não pode pôr nervoso a uma equipa enteira .
    Além disso o Julio Cesar não esteve no melhor dia. Holanda teve muito sucesso para o que fez.

  2. Problema foi de base – o Brasil jogou como se fosse europeu e não pode porque é da Amérca do Sul. Lembro-me de ter lido um poema em que alguém se referia ao «Duro Dunga» e é mesmo isso – duro, teimoso, defensivo, temeroso. Perdeu. Já em 2002 tinha ganho à Turquia com um erro repugnante da arbitragem. Direito por linhas tortas…

  3. Em terra de boers…mas a Holanda mereceu… há muito que merece uma taça pelo que ja deu ao jogo em termos tacticos e em espirito desportivo e ético. Nunca se remetem à defesa a defender um resultado tentam sempre marcar mais um golo, não há lateralização nem passes para trás se o jogo não o obrigar, é toda uma escola e filosofia de jogo que não muda quando muda o treinador…é bonito. O Brasil perdeu a sua natureza já não existe alegria naqueles onze veiculos publicitarios que pisam o relvado.Só lá faltou o Ronaldo.

  4. Estou feliz, torcia pela Holanda, por causa do tal espírito desportivo e ético de que fala o K.
    Agora, se fosse como os meus vizinhos brasileiros, que aplaudiram a derrota portuguesa, ia lá fazer-lhes uma festa à porta…eheh.

  5. Lamento a eliminação do Brasil, coitadinhos.
    Especialmente a santa trindade: Julio César, Maicon e Lúcio, coitadinhos.
    Uma defesa, três defesas, tão bem amestrados pelo melhor treinador do mundo; três defesas campeões da Itália e da Europa que num só jogo consentiram o dobro dos golos que Portugal consentiu em quatro jogos…

  6. Subscrevo as palavras de K.
    De facto, a Holanda merecia.
    Destaco também a eliminação do Gana: era, de facto a selecção que eu apoiava com mais afinco após a eliminação de Portugal. A presença de uma equipa africana nas meias-finais de um Campeonato do Mundo não só era algo exclusivo como também necessário. O futebol é um veículo político e África precisa de exposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.