Bloqueados

Lembro-me bem de ter votado PSR e Bloco de Esquerda. Não só por causa de Louçã e da sua alegria política nesses tempos, mas ainda mais pela abertura aos independentes e às independências. Durante a segunda metade da década de 80, e ao longo de todo o Cavaquismo, esta esquerda ágil e leve (na aparência) era um balão de oxigénio para quem se iniciava nas lides da cidadania ou dela tinha uma amarga experiência. Complementavam a oferta disponível à esquerda, o cinzentismo bélico e granítico do PCP e as ambiguidades generalistas do PS, com uma promessa anti-sistema que sugeria credibilidade e relevância. Conseguiram vencer o folclore dos partidos da extrema-esquerda, pardieiros de românticos e lunáticos. Para aderir às suas principais causas bastava estar sintonizado com os anseios de crescimento e libertação da sociedade, não carecia de aparato ideológico para se consumir o excelente marketing do PSR e BE.

Com o crescimento eleitoral veio a diminuição da inocência na comunicação. O horizonte já não era o de serem ouvidos, estarem no Parlamento, dominarem o nicho dos comentaristas políticos mais apaparicados da comunicação social. A luta tinha de continuar, the show must go on, e Louçã ia ficando cada vez mais ambicioso – ou ia revelando cada vez mais o pleno da sua ambição. Gradualmente, em especial com a instrumentalização dos professores e de Alegre, a meta declarada passou a ser a fractura do PS, primeiro, e o domínio eleitoral de toda a esquerda, por fim. A este plano correspondia o pináculo do azudeme nas intervenções de Louçã, entregue em desvario a um duelo de galos com Sócrates. A procura de novidade estava morta, ficava um general obcecado pelas visões da sua coroação.

A recusa do BE em negociar uniões, parcerias ou acordos com o Governo minoritário do PS, apesar de terem sidos convidados a fazê-lo, fica para os eleitores julgarem. Mas há algo de fundamental acerca de Louçã e do Bloco que podemos estabelecer desde já: estes camaradas não cuidam da malta. E para o provar, peço que me indiquem as posições públicas acerca do casos Freeport e Face Oculta, mais as peripécias no Ministério Público. Que acha Louçã que se tem passado, afinal? Também acha que Pinto Monteiro é um joguete do Governo? Pensa que Cândida Almeida tanto protege Sócrates com o entala permitindo perguntas assassinas num despacho de acusação? Este silêncio, este cinismo, esta vacuidade – exemplar no exercício persecutório de João Semedo na comissão de inquérito parlamentar – indiciam a pior faceta dos partidos da esquerda imbecil: o seu indisfarçável desprezo pelo Estado de direito. A Constituição serve só para os servir nas suas metas, são incapazes de a ver como o fundo onde construímos a comunidade, juntos e distintos. Por isso, com menor ou maior alarvidade, também se regozijam com qualquer disfunção, ou perversão, judicial desde que ela atinja os bandidos do costume: PS, PSD e CDS. Em especial, deliciam-se com a desgraça do PS, embriagam-se de schadenfreude.

Com a Justiça não há camisolas partidárias ou ideológicas. Quem deixa um cidadão ser diminuído nos seus direitos, quem quer que ele seja – mas, por maioria de razão, se esse cidadão acumular com a responsabilidade de ser primeiro-ministro – não está a lutar pelos trabalhadores, pelas minorias e pelos pobrezinhos. Está é a maltratar-nos a todos.

37 thoughts on “Bloqueados”

  1. Não me deixei seduzir pelo Louça, embora tivesse ficado na expectactiva. E aconteceu o pior. É inacreditável como gente que diz ser contra o fascismo permite que cidadãos sejam arrastados na lama pela justiça fascizante, desde que esses cidadãos sejam do PS.
    As pessoas que votaram BE já devem sentir-se enojadas por lhe ter confiado o voto.

  2. bem , concordo com tudo , tudinho , até ” visões da sua coroação”. a partir de aí…sorry , eu tb não fazia acordos ou comprava carros em 2º mão a este PS. diz-me com quem andas , dir-te-ei quem és…

  3. Governar e arriscar por umas ideias para melhorar a sociedade, ( esquerda) ou para ganhar mais e mantenher as ganancias, ou para cambiar para que todo siga igual (direita).
    È mais fácil dar mitins emtre colegas para libertar as massas que ser possibilista e fazer canastros cos bimbios que tens.
    De não apoiarem um possivel governo de esquerda, que pode passar? pois poderá xurdir um novo governo de direita , e uma possibilidade. Com um governo de direita o BE ainda pode ser mais de esquerda, embora na opossição, assim poderá berrar comtra tudos os desfeitos da direita, mas as políticas de igualdade, de ensino público, sanidade , redistribução da riqueza, impostos …. estarão-se a fazer dende outra banda muito diferente a que eles defendem. Não se importam, talvez algum día entraram como anxos puros num governo depois de que a sociedade em grandes assambleias lhes ordene ocuparem o pazo de inverno.
    Quanto pior melhor assim.
    Têem medo o fogo e a queimar-se, se a esquerda abandona a bandeira da defensa do estadio de direito, niste caso na justiza, quem acham vai a defênde-lo, a direita?. Todo o mundo está a esperar o São martinho do Sócrates para verem o reparto, ainda que por vezes o pobo troca os presagios.

  4. Caro Valupi,
    Iniciar a vida política a votar PSR, depois BE e ainda há quatro anos dar o voto a Alegre como já confessou Valupi, é um longo e teimoso erro político que me parece pouco consequente com a inteligente escrita interventiva e agudo discernimento de que dão prova os seus post aqui no Aspirina. Haverá em alguns de nós uma disfunção oposicional entre inteligência e lucidez que só o diálogo com a realidade ao longo do tempo vai corrigir?
    Enfim Sartre que também era inteligente, e muitos outros inteligentes da margem esquerda do Sena, levou e levaram a sua teimosia cega até ao caixão, mesmo embora já convencidos de que haviam andado a defender um logro colossal.
    A diferença inicial entre stalinismo e trotskysmo não era apenas entre consolidar localmente a revolução ou avançar de imediato para a revolução universal? O radicalismo era a marca de Trotsky face ao pragmatismo-calculismo de Stalin, exactamente a imagem de hoje entre PC e BE.

  5. Contrariamente ao Valupi,Louçã nunca me encantou.Sempre vi nele um demagogo muito perigoso,um ilusionista capaz de vender a mãe por um par de horas de palco.

  6. Adolfo,

    Devias adquirir pelo menos 10 por cento das acções do Aspirina. É que isto anda pelas ruas da amargura. Mesmo que o negócio não te interesse, aparece por cá uma vez por semana para renovares o ar.É melhor que nada.

  7. A esquerda tem tido uma postura para com o PS que me faz lembrar os guarda-redes de futebol quando tem de defender os remates dos adversários – PSD e CDS – e ainda os dos seus colegas de equipa – área política. Dos adversários vá que não vá. Agora dos da sua área de jogo é que se torna difícil! Nunca se sabe como e quando vêm.
    Depois dá-se o seguinte. O mal das democracias é os presidentes ou secretários gerais dos partidos não sabem lidar com a fama e quando mal acordam estão transformados em ditadores. O poder e a luta embebeda-os. Vejam a reacção quando recebem uma boa sondagem ou votação em qualquer eleição, julgam-se os donos do mundo.

  8. Pacheco,

    Se estivesses calado prestarias um serviço inestimável à República. Eis uma receita para compulsões desse tipo: Primeiro tenta um curso em tibieza e apalpação de terrenos desconhecidos, e, depois, se passares com a ajuda de Deus e do pároco local, investe num bom altifalante com adaptador labial e percorre Portugal de lés a lés a vender linguas da sogra.

    Gostei muito do teu Chaplin, Sir (e isto é muito importante) Charlie para os amigos.

  9. Mário, bem visto. A cumplicidade, tanto activa quanto passiva, do BE e PCP com as manobras do PSD na Justiça e no Parlamento é inacreditável.
    __

    50%, e que PS gostarias de ter, então? Com quem à sua frente?
    __

    reis, excelente comentário.
    __

    Osvaldo, grande abraço.
    __

    Adolfo Contreiras, partes de um erro: não iniciei a vida política a votar PSR e depois Bloco. Já votei CDS, CDU, PPM, PT, etc. Tal como votei Freitas contra Soares, por exemplo. O voto em Alegre, de resto, foi por tudo menos pelas suas ideias (que não tem nenhuma em que lhe reconheça valor político autónomo).

    Quanto aos considerandos sobre os diferentes modos como se concebeu ideologicamente o socialismo e o comunismo, chamo a tua atenção para o facto de tal debate não ter sido o que deu popularidade ao PSR e BE, bem pelo contrário. Eles apagaram essa retórica e concentraram-se em causas pragmáticas onde um eleitorado jovem e urbano podia reconhecer-se.
    __

    Jose Nunes, és bem mais perspicaz do que eu.
    __

    Manuel Pacheco, é bem verdade: o poder corrompe. Mas é por isso mesmo que as democracias são a melhor forma de governo. Cada cidadão também tem poder, como todos os dias constatamos quando agimos livremente. Dessa forma, aumenta a fiscalização dos poderes maiores, e também dos pequenos poderes, resultando em mais justiça na comparação com sociedades não democráticas.

  10. Revelava ontem o jornal de notícias:
    Pessoas agressivas, malcriadas e manipuladoras têm mais probabilidades de sofrer de problemas arteriais e enfarte, de acordo com um estudo publicado na revista “Hypertension”. A investigação constitui na realização de testes de personalidade e exame às artérias, repetido três anos depois. Os resultados provam que quem tem mau carácter tem mais problemas de artérias.

  11. Pois é. Os que têm mau carácter aparecem tantas vezes disfarçados de cordeirinhos.
    Eu cheiro-os à distância. vamos lá falar de bombeiros, os que salvam o caracter dos humanos maus.

    Valupi,

    Já vi que o incomodo. Diga-me: então as minhas glosas das «sete partidas» não merecem sequer uma envergonhada publicação neste seu cultural espaço?

  12. Para louçã o grande objectivo era derrotar a maioria absoluta. Chegou a dizer: “ou há BE ou há maioria absoluta; ou há igualdade ou há maioria absoluta; ou há justiça ou há maioria absoluta”. Pressupunha-se que o Bloco estaria disponível para negociar com um governo minoritário. Mas é impressão minha ou agora ainda estão menos disponíveis para negociar do que antes? Gostava que os defensores de governos minoritários me explicassem quais as vantagens desta vitória do Bloco.

  13. Pacheco,

    Mais uma piadinha das tuas inspirada num tal jornal de notícias (põe essa coisa com letra grande, senão não sabemos se moras no Porto ou em Baleizão) com mais uma canasta de propaganda da big Pharma, que se calhar é capaz de untar bem as mãos dos mecos da revista Hypertensioni. Como estás fora de contexto e eu fui o único que infectei (má criação) a tua opinião precedente sobre ditadores, parto do princípio que essa tal piadinha se dirige a mim.

    Pois bem, tenho notícias hipo e hipertensivas, arterioentupidoras e enfartogénicas para ti. Acredita se quizeres. Todas as doenças, empilhadas umas sobre as outras a fazer montinho, não passam duma enorme e única DOENÇA – nas artérias, no coração, a nivel celular e cancerosas, bexiga, figado, rins, baço e pança gorda; endocrinológicas e iimunológicas, cerebrais, ossos, febra e nervo, e até até o estado da tua malvada próstata e o meu mau génio.

    Agora se fores mordido por um cão raivoso ou picado pelo mosquito da malária, isso, ovecorse, já é outra conversa.
    Mas tu não estás para ser mandado para a África outra vez, pois não?

    Continua a enviar os teus boletins de saúde.

  14. Pacheco,

    Faz um favor a este teu amigo do coração: elimina as duas vírgulas que utilizaste nesssa frase de meia-cueca onde se notam muito bem os pingos de sangue da cabeça que cortaste ao sujeito. Fica muito mais bonito, acredita, e não irás correr o risco da Guarda Republicana te bater à porta. De qualquer modo, já meti uma cunha a um primo que lá tenho, caso decidas não seguir o meu conselho.

    E não digas que vais daqui de mãos a abanar.

  15. Não, não posso subscrever a sentença do Sr. Manuele Pacheco, porque simplesmente ele não tem o dom de julgar, qualificando de ignorantes aqueles que lhe fazem frente de forma inteligente, irónica e divertida.

    Diria, então, que um ignorante é aquele que não sabe embarcar, ou se embarca, não tem jeito nem para timoneiro nem para ser mandado.

    Claudia,

    bella, onde andas moçoila? Nunca mais aparaceste aki, minha, bota aí discursu, manda aí uma das tuas, purque tu és esperta, e inteligente.

    Giroflé,

    O meu total e incondicional apoio às doutas postas de V. Ex.ª.. Ainda por cima tem mau feitio, mas que mau feitio tão engraçado. Oube lá pá, bamos a cuzinahr uma feijuada pra esta maltae tuda, poje os gajus andam muitu çériuse.

    Adoro-te homem, simplesmente adoro lera tuae proza. Tu ése o MAIORE.

    Valupi, valupito, falta aqui um texto, olha que não me esqueci, mexe-me esse rabo e vai procurá-lo já.

  16. «Com a Justiça não há camisolas partidárias ou ideológicas. Quem deixa um cidadão ser diminuído nos seus direitos, quem quer que ele seja – mas, por maioria de razão, se esse cidadão acumular com a responsabilidade de ser primeiro-ministro – não está a lutar pelos trabalhadores, pelas minorias e pelos pobrezinhos. Está é a maltratar-nos a todos.»

    Valupi, meu valupi,

    Só agora é que descobriste isso? Olha lá, se eu pudesse falar, contava-te umas coisas acerca de tratamentos da lei e de normatividades constitucionais.
    Sabes quanats vezes é que os portugueses foram maltratados? Olha que não foi a Justiça! A Justiça só faz o que a lei manda. Quem faz a lei Valupi?

    Toma lá um abraço bem apertado, mas não me esmagues o peito, que a natureza brindou-me.

  17. Decidi afastar-me do Aspirina por várias razões:
    – Blogue sem interesse.
    – Os meus comentários passam sempre pela peneira antes de serem publicados.
    – Só um ou dois se safam nos comentários do Aspirina, de resto é tudo léria, treta, opiniatria e fanfarronice.

    Comentei excepcionalmente para te dar resposta, tou-te a ber. E vou continuar a andar por outras bandas. Isto aqui não interessa para nada.

  18. Ciao bella,

    Já sabemos que a democracia do Valupi é um pouco estranha. Em que bandas andas?

    Tás a ber Balupi,

    Tu só ficas com a merda. É isso que keres, meue? Oube, bais dizer-me que a Cláudia num cumenta com ironia, inteligência e as amanda bem amandadas? Ora atrebe-te! Filtras os cumentariose dela e os meuese, e dos do Giroflé. Oube lá keres ter um Vlogue activo, dibertido ou um libro das memórias do manuele pachecu e das sopas da Edie?

    PORRA PÀ Vê LÁ SE ATINASE.

  19. Caro Manuel Pacheco, sim tem razão, mas perde-a, porque lá diz um outro ditado,

    «Escuta então cem vezes, mas fala só uma». Não está a fazê-lo.

    Por isso, «Flor ao peito, asno perfeito».

    Peço desculpa pela frontalidade com que respondo, mas saiba que deste lado, há alguém que foi à Escola, e à outra Escola – a da Vida.

    Entendemo-nos, agora?

  20. Andas a escrever umas coisa muito bonitas, Toute aber, mas achas que o manuelosaurus pachecus jumentus tremendus clonatis vai aproveitar uma única molécula dos ares que envolvem as tua sábias e civilizadas palavras? Dubido.

  21. Às vezes é melhor ficar quieto e deixar que pensem que você é um idiota do que abrir a boca e não deixar nenhuma dúvida.

  22. Como eu votei PS nestas últimas não posso reclamar do Bloco como votante. Aliás não votei Bloco também porque antes das eleições já se indispunham a fazer acordos com o PS.

    Quando eu era do Bloco há anos, já tinha levantado essa bandeira: o BE tinha que se predispôr a vir a fazer governo com o PS na base de um acordo negociado que suportasse valores de esquerda – essas coisas que estão fora de moda porque dão emprego mas aumentam a despesa pública. No entanto eu era visto como um vendilhão do templo e etc., enfim nada de novo debaixo do Sol.

    Na prática é muito simples: eles alcançaram dimensão suficiente para dar empregos, e bons empregos, à malta do Louçã, mais uns bocadinhos para a Fazenda e etc, assim ficam sossegadinhos dá idéia, usual tenure.

  23. Manuel,

    Sabes aquela piada sobre a senhora que passa o tempo todo a dizer mal da vizinha da frente porque a roupa que pendura no estendal está, dia a dia, semana a semana, cada vez mais suja? E que até ameaça que se vai mudar, que não está para ter vizinhança tão porca? Até que o marido lhe diz que talvez fosse mais prático lavar o vidro da janela…

  24. Tens bom remédio, Pacheco, pões umas aspas no conto extremamente foleiro da Eduadinha e manda-mo. Podes ter a certeza que não vou rir tanto ao ponto de chorar desde que o meu tio registou a patente do carapau assado com molho à espanhola.

    E não fiques quieto. Um homem quieto é pior que uma mulher bêbeda.

  25. Giroflém meue, cunta aí pá, estes gajos da gramática de gize.

    Olha lá, meue, a cuzinhera de serbiço debia savere ka «Apanha com o cajado quem se mete onde não é chamado».

    kuanto ao grego, oube meue, «as palavras são como as cerejas, vêm umas atrás das outras.» Porra, o pior é ka temus da gramare cum a caganeira, já bistes?

    Giroflé, anda aki ao meue patamare, eu mortru-te a minha roupinha vranca, ponho um lensso no cavelo e bamos a cantare os doise: « vaidade é o espelho dos tolos, e ao bêbado a ao tolo dá-se o caminho todo». Porra, apanhare cum akilu tudo enssima e com o esparregado de graoe, é ovra, pá.

    Give me five, man!

  26. Portanto deixa cá ver: hoje é Tiramisu & Milk, eu bem digo que é só preocupações!

    Quanto às sopas: depois de treinadas as sopas de Inverno que o dragão ainda anda banzo, vou mas é fazer uma só de batata, cebola e alface para ver no que dá,

  27. Letra do alfabeto alentejanu, cunta aí cumo se faze supa dalface.

    Agora estoue a enfardare feijaoe frade cum xorissu, ganhando inergia pra puder acumpanhar as dicertassoese do TRAQUES.

  28. Neste caso, uma panela, o homem só fala de cumida, estoue à espera da supinha dalface, cunta ái, que eu kerosaver cumo sa faze issu.

    Girofle, HOMEM,

    e tue, num mensinas a fazere um boa duma feijuada de mariscu? Olha eue encino-te a fazere xise-queique. do amaricanu, nada da merda ka sa faze em portugale, tás a bere. Lambes os bessos, se eue ta diçere.

  29. balupi, bamos ater uma crise. Puqre merda tu falas aos outros e a mim nun dizes nada? Hein? metes-te cum o giroflé, qu eé um HOMEM, e a mim num ma dises nada. Já ta rendeste ou nãoe a mim? Biatu caralhadu. Táste a fazere dificile, mas kem penças tue kés? Hein?
    Entãoe num recunheçes um ser humano humilde cumo eu, ka assume ka só ascreve merda inteligenti, pá? Mandas comprimentus aos outros, ofendes o meu Giroflé e nada ma dises?

    Cuntinuas a filtrare a Claudia, meu filho da mãe? onde é que astá o teu sentidu de humore pá?

    Oube lá pra além do homem do cavelo vranco e vitima do MP, quem maije é o teu xefe?
    Tu saves keu já fuie mater-me com o Paulo karidu e o gajo num ma dá saída. Saves purkê? O gajo é bruxo e é prudente.
    Toma lá um avrasso maje num mapertes muito que Deus brindou-me com apendices naturaijes.

    um kiçe pra ti, cuando razolberes falare cumigu, soue capaje de te dare outro avrasso pá.

    Puvloica esta porra, meue. Os palabrões estaoe a esgutare-se. Racunhesso aminha fraca savedoria e informassaoe nesta matéria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.