Benjamin on BE

Esta inteligência radical de esquerda nada tem a ver com o movimento operário. Enquanto manifestação da desagregação burguesa ela é, pelo contrário, o reverso da imitação feudal que o império admirou no tenente na reserva. Publicistas da esquerda radical, da estirpe de Kästner, Mehring ou Tucholsky, são a imitação proletária de camadas burguesas desagregadas. A sua função é a de produzir, do ponto de vista político, compadrios em vez de partidos, do ponto de vista literário, modas em vez de escolas e, do ponto de vista económico, agentes em vez de produtores. Agentes ou executores de rotinas que gastam muitas energias com a sua pobreza para do imenso vazio fazerem uma festa. Não seria possível alguém instalar-se mais confortavelmente numa situação desconfortável.

*

Walter Benjamin, num dia em que lhe deu para descrever o BE in O Autor Enquanto Produtor

2 thoughts on “Benjamin on BE”

  1. Obrigado Val, por nos trazer à memória uma citação do filósofo alemão, tão a propósito. Obviamente que os “nossos chefes bloquistas” não são um caso específico no universo politico. Infelizmente eles tipificam um perfil de individuo, narcisista, de educação burguesa, inteligente, que gosta de se evidenciar em defesa das “classes oprimidas” com um discurso politico radical, que agrada “ao povo” – precisamente porque nunca poderá ser exequível no período histórico actual. E porque pretendem sempre ter o protagonismo da acção não aceitam nenhum compromisso de colaboração com as outras esquerdas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.